domingo, agosto 31, 2008

DIABÃO


Imagens colhidas por João Tomé do incidente protagonizado pelo "Diabão" e que causou alguma mossa no árbitro assistente José Ramalho. Vamos lá o que escreveu Jorge Sousa no seu relatório...

O CM, atento como sempre, quis saber quem é o "Diabão" e fez-lhe este retrato pela penal subtil e escrita fina de Luís Lopes:
Carlos Santos, o adepto de Vila Nova de Gaia, que sábado, no Estádio da Luz, protagonizou um insólito incidente ao saltar da claque benfiquista e levar as mãos ao pescoço do árbitro assistente José Ramalho, não quis ontem comentar a sua atitude.
"Não tenho nada a dizer. Quando muito, posso adiantar que vou à missa todos os domingos ao padre de Mafamude, em Gaia", disse Carlos Santos, ao CM, ironizando sobre o mediático pároco que assume a sua indefectível veia clubística pelo FC Porto.
Conhecido como ‘Carlos do Tabaco’, Carlos Santos é vendedor e distribuidor de máquinas de tabaco. Hoje dever áenfrentar o juiz a quem deverá dar explicações para o seu comportamento, do qual círculos próximos garantem estar arrependido. Na Casa do Benfica de Gaia, de que é membro, este adepto pediu para não revelar o seu endereço, e nem mesmo quando os repórteres do CM lhe bateram à porta, na rua António Ferreira Fiandor, em Laborim, Gaia, se rendeu, mandando dizer que não residia ali. Só em contacto por telemóvel assumiu a identidade e apenas para insistir, que não pretendia dar entrevistas "a não ser por valioso cachet".

Adepto benfiquista agarra no pescoço e empurra árbitro auxiliar

Fotos João Tomé e
Futebolartte
Jorge de Sousa já está em Lordelo a almoçar com a Familia, bem como José Luis Melo que também ja se encontra em Valongo. José Ramalho o árbitro assistente que por motivos familiares e profissionais vive no maravilhoso reino de Trás-os-Montes, também já está no seu lar, todos de consciência tranquila, pela exemplar arbitragem que uma vez mais proporcionaram aos adeptos de futebol em Portugal.
Quanto ao adepto de futebol, completamente fora de si, que saiu da bancada, entrou no relvado, agarrou no pescoço e empurrou um dos dois melhores árbitros assistentes portugueses é de Gaia e foi detido.
Não sei qual será a sanção aplicada ao S.L. Benfica, pois isto de regulamentos e leis desportivas em Portugal estamos conversados, se fosse numa prova europeia ia ser lindo.
Agora o que sei é que a primeira consequência vai sofrer José Ramalho, que vai ter que se deslocar a Lisboa no início desta semana, pois já esta notificado para tal.
Sendo um árbitro não profissional, claro que causa transtorno na sua vida profissional diária, é mais um dia perdido, numa deslocação e numa audiência que se espera seja exemplar por parte do Juiz de Comarca.
Além da multa pecuniária e de todas as despensas inerentes pagas, era bem aplicada uma condenação a trabalhos na comunidade, para servir de exemplo aqueles que continuam a não querer respeitar as equipas de arbitragem.

A transferência do século


Horas antes do embate entre águias e dragões, quando as televisões já faziam directos da Luz, lá apareceu o famoso Emplastro. Nada de estranho, afinal de contas o artista sabe sempre onde estar aquando dos "lives". Mas, se a aparição não me surpreendeu, o mesmo não se pode dizer em relação ao equipamento do mesmo (cachecol encarnado)e, principalmente, ao conteúdo da mensagem que passou.

Ao contrário do habitual, o Emplastro abriu a boca para falar e, imagine-se, cantou a plenos pulmões um já célebre tema lá para as bandas do Colombro. Nada mais, nada menos, que o "Oh Pinto da Cost vai pró...".

Divertido e cheio de ganas, o rapaz que já uma vez tinha deixado meio mundo boquiaberto ao afirmar ser filho de PC, agora parece ter deixado de ser adepto do FC Porto. E pior que isso, mudou 180º graus ou 360 como muita gente gosta de dizer.

Um amigo meu, com jeito para a palhaçada, diz que a "contratação" do Emplastro foi a resposta encarnada à deserção de Rodríguez! Tenho as minhas dúvidas, mas a ser verdade...deve ter ficado mais em conta.

E AGORA?

«Foto João Tomé
Será que este polémico artigo do Regulamento Disciplinar da Liga pode ser aplicado ao caso da agressão de um adepto do Benfica a um dos árbitros assistentes?

Artigo 54.º
Coacção
1. Os Clubes que exerçam violências físicas ou morais sobre delegados da Liga, observadores de árbitros, dirigentes, jogadores, treinadores, secretários ou auxiliares técnicos, médicos, massagistas e delegados ao jogo do Clube adversário, que ocasionem inferioridade na sua representação aquando dos jogos oficiais e contribuam para o desenrolar deste em condições anormais, serão punidos nos termos do n.º 2 do Art.º 51.º.
2. Se os factos referidos no número anterior forem cometidos sobre qualquer elemento da equipa de arbitragem com o fim de, por qualquer forma, ocasionar condições anormais na direcção do encontro com consequências no resultado ou levem o árbitro a falsear, por qualquer modo, o conteúdo do boletim do encontro, o Clube serão punidos nos termos do n.º 1 do Art.º 51.º.
3. Os factos referidos nos n.ºs 1 e 2, quando na forma de tentativa, serão punidos com pena de derrota e multa acessória de € 12.500 (doze mil quinhentos euros).
4. Os Clubes são considerados responsáveis, nos termos dos números anteriores, pelos factos cometidos, directa ou indirectamente, por qualquer dos seus dirigentes ou representantes, sócios e funcionários.

Artigo 51.º
Corrupção da equipa de arbitragem
1. O Clube que, através da oferta de presentes, empréstimos, promessas de recompensa ou de, em geral, qualquer
outra vantagem patrimonial ou não patrimonial para qualquer elemento da equipa de arbitragem ou terceiros,
directa ou indirectamente, solicitar e obtiver, daqueles agentes uma actuação parcial por forma a que o jogo
decorra em condições anormais ou com consequências no seu resultado ou que seja falseado o boletim do
encontro, será punido com as seguintes penas:
a) Baixa de divisão;
b) Multa de € 50.000 (cinquenta mil euros) a € 200.000 (duzentos mil euros).

Parece que já há alguma jurisprudência sobre o assunto (ver acórdãos do Apito Final)

sábado, agosto 30, 2008

O CLÁSSICO NA BLOGOSFERA


Uma vergonha este treinador!! dos piores que ha alguma vez história! Nos jogos grandes deve ser mesmo o pior! Só continua no FCP porque se sujeita à politica de comissoes nas contratações do clube..porque há TANTOS mas TANTOS melhor que este cepo! nem contra 10 e uma equipa patetica!
comentário in PORTISTAS DE BANCADA

Alta intensidade competitiva na Luz entre o Benfica e o FC Porto, num jogo que terminou empatado 1-1, que teve uma excelente arbitragem apesar das dificuldades colocadas pela partida, e uma equipa de Quique Flores a acabar de rastos fisicamente, levando-nos a perguntar quem é o preparador físico das “águias”.Mas também precisamos de saber como é que é possível que, com tantos polícias à volta do relvado, haja um indivíduo que abra uma portilhola e invada o relvado para apertar o pescoço a um árbitro assistente. Um caso que tem de merecer a atenção da Liga, não escapando o Benfica à interdição do Estádio da Luz, por um ou dois jogos.
in O LEÃO DA ESTRELA

para além de ter achado que a grande penalidade que deu a vantagem ao 'porto' foi marcada no âmbito daquela lei (extra) da arbitragem inventada pelo doutor pôncio, da chamada intensidade maior ou menor com que as faltas são cometidas dentro das áreas, também penso que o 'benfica', face às principais incidências do jogo na segunda parte, falhanço escandaloso de lisandro, lesão de leo e expulsão de katsoranis, acabou por conseguir um bom resultado.agora tenho dúvidas se, nos últimos trinta minutos, jesualdo ferreira não terá perdido 2 pontos por falta de jeito.ou terá sido por falta de ricardo quaresma?...talvez pela última, admito.
in ANTÓNIO BORONHA
EXIBIÇÃO FRACA, RESULTADO MAUAinda não somos uma equipa, e ainda oferecemos golos...
in PORTAL DOS DRAGÕES
Foi um clássico cheio de equívocos por parte do Benfica. Como escrevi nos meus textos anteriores, começamos a perder este jogo bem antes dele se iniciar. Porque, este empate é uma derrota.Continuamos a cometer os mesmos erros. Nada aprendemos com o passado. Como é possível que nos dias que antecederam um jogo desta importância e desta intensidade, o futebol do Benfica tenha vivido em constante reboliço? É Luís Garcia que está quase, é Palácio que é a prioridade, afinal quem vem é Suazo, chega e é logo convocado, Nélson vai embora, Nuno Gomes é capaz de vir a ser transferido, Di Maria vem de Pequim mas deve entrar de início, Reyes e Di Maria para ganhar ao FCP, etc.etc. etc. Quem consegue trabalhar em tranquilidade com todo este turbilhão?
in INFERNO DA LUZ
Jesualdo operou uma pequena revolução no onze titular. E eu não consigo ver razões para o criticar em relação a isso. Pedro Emanuel não andava bem; Benitez andava bem mal; E jogar em 4x4x2 era o esquema que melhor servia os interesses do Porto na Luz. Rolando, Fucile e Fernando jogaram de início e estiveram em bom plano.Os vermelhos entraram a todo o gás, com uma enorme pressão sobre a bola, procurando tirar partido do ímpeto inicial para ganhar ascendente no jogo. Não conseguiram porque o Porto revelou maturidade, temporizando, trocando a bola com segurança e porque aos 10 minutos já Lucho colocava os Dragões em vantagem. Tirando alguns períodos curtos o jogo esteve sempre dominado pelos Tri-Campeões Nacionais e apenas por manifesta infelicidade não conseguimos chegar ao 0-2. Os alas dos vermelhos estiveram sempre controlados, Aimar bem policiado. Depois... bom... depois Helton resolveu borrar a pintura e o empate surgiu caído do céu.
in FÊCÊPÊ
Melhor em campo: Yebda (nota 5) - o médio fez a jogada do golo, para além do apoio incondicional que deu á defesa. Há reforço!Melhor do FC Porto: Lucho (nota 4) - o argentino já anda nestas andanças há algum tempo e sabe que um pormenor faz a diferença. Cavou o penalty e marcou-o, e também ajudou em massa o colectivo, como é habitual.Jesualdo Ferreira: (nota 5) o técnico do Porto costuma, em dérbi's surpreender, e desta vez não fugiu á regra. Colocou Fernando a vigiar Aimar e saiu-se bem. Com dois homens no ataque, o professor esteve muito bem, pois baralhou o jogo encarnado.Quique Flores: (nota 5) Já não se via o Benfica a jogar a assim há bastante tempo. Futebol bonito e sempre com oportunidades. Apenas lhe falta um central de raiz para acertar a equipa. Porque, como já se percebeu, Katsouranis não é competente nesse lugar.Jorge Sousa: (nota 4) Uma arbitragem discreta. Num árbitro é o que se exige. Bem, ao assinalar a grande penalidade.
in MESTRES DO FUTEBOL

BENFICA-FCPORTO (2.ª PARTE)

Tal como tinha acontecido na 1.ª parte, também a 2.ª foi marcada por um erro de Katsouranis, expulso depois de uma entrada com tudo sobre Rodriguez, quando já tinha um "amarelo" às costas, 3 minutos depois do empate da sua equipa e ainda a muitos minutos do fim do jogo. Que não foi brilhante. Embora tivesse usado um critério curto, a nível técnico e disciplinar, o árbitro Jorge Sousa mostrou por que razão é o actual n.º 1 e os seus assistentes também foram brilhantes, sobretudo José Ramalho, naquela difícil decisão no lance do golo do empate do Benfica. A equipa de arbitragem mostrou estar em melhor forma que as outras duas equipas, mostrando que o trabalho feito em Melgaço, no final de Julho, já está a dar frutos. Quanto ao jogo, o 1-1 é um bom resultado para o Benfica, tendo em conta que esteve a perder por 1-0 e que jogou quase toda a segunda parte com dez elementos e com meia equipa com caimbras... O FC Porto desperdiçou uma excelente oportunidade não só para ganhar mas também para arrumar um dos seus concorrentes logo à 2.ª jornada...

BENFICA-FCPORTO (1.ª PARTE)

A surpresa, ou nem por isso, de Jesualdo ao mudar a defesa e o meio-campo, entrando num 4x4x2 que convidou o Benfica a atacar em força. Os encarnados foram no engodo - não tinham muitas mais soluções...- e sofreram um daqueles golos estúpidos que também fazem parte da cartilha do futebol-jogo-de-imponderáveis. "Katso", o médio que quem fazendo de central, agarrou claramente Lucho na grande área. O "El Comandante" não perdoou no pontapé da marca dos 11 metros. Teve a seguir o Benfica uma reacção anímica interessante, o empate esteve à vista, o público entrou em campo - na forma de diabo vermelho - e depois o jogo abrandou. Pelo meio, apenas o estrondo provocado por um remate cruzado de Lisandro ao poste. Para a 2.ª parte fica a promessa de mais futebol vivo, com o Benfica claramente a correr atrás do prejuízo e com a vitória a perder-se no horizonte. O empate começa a ser um resultado menos mau no qual não acredito. Acho que isto está mais para o 0-2 que para o 1-1... A ver vamos.

Aos árbitros só se pode pedir para serem isentos nos julgamentos


Quase a iniciar-se o grande jogo da segunda jornada, espera-se que seja um bom jogo de futebol, pois vai ter uma equipa de arbitragem da A.F. Porto que nas duas últimas épocas provou ser o melhor árbitro portugês.

Entretanto recorda-se aqui, em termos de arbitragem, os lances mais comentados na primeira jornada.


Em Guimarães na primeira parte Bruno Vale saiu fora da sua área de grande penalidade e defendeu uma bola sem intencionalidade com as mãos e em Alvalade Polga rasteirou deliberadamente Zé Carlos cortando uma clara oportunidade de golo.
Em 2006 um comunicado de curso tinha como resolução que o tocar deliberadamente a bola com as mãos era punido com o cartão amarelo desde que corte uma linha de passe ou uma jogada prometedora. Se o atacante do Guimarães corresse isolado para a baliza e tivesse pela frente o Bruno Vale e ao passar por ele o guarda-redes jogasse a bola deliberadamente com a mão, isso seria considerado o destruir de clara oportunidade de golo. No entanto, o que aconteceu em Guimarães foi que Bruno Vale jogou a bola com as mãos numa atitude punida como comportamento anti-desportivo pois na opinião de OlegárioBenquerença, opinião do árbitro que a lei confere, o desenho da jogada permitiu decidir em conformidade naqueles décimos de segundo que teve para o fazer, numa jogada que ainda não prometia, o cartão amarelo foi bem exibido. Em Alvalade, Paulo Batista numa jogada rápida teve neste início de época de raciocinar rapidamente sobre a decisão técnica e disciplinar. E se em termos de expulsão de Polga cumpriu o que está determinado, pois Zé Carlos ia isolado em direcção à baliza, já ao assinalar a grande penalidade não foi bem auxiliado por Luís Ramos pois a rasteira deliberada de Polga deu-se fora da área limite punida com grande penalidade. Paulo Bento já começa a perturbar-se com os árbitros. No entanto, deveria apenas alertar para que estejam concentrados, tenham atitude, sejam isentos nos seus julgamentos e que sofram as consequências em caso de erro. Se não houver mão pesada dos dirigentes, então sim, terá todo o motivo para desconfiar e estar preocupado.

OS ÁRBITROS E OS OUTROS


A pressão sobre a arbitragem portuguesa é pública e notória. Com 77 elementos no seu plantel - entre árbitros e árbitros assistentes - e um orçamento mínimo de 3 milhões de euros, a 33.ª equipa das Ligas profissionais está exposta a raios gama, infravermelhos, laser e mesmo a ataques químicos. A fórmula para o conseguir, aliás, é conhecida: "Quem não chora, não mama + Os Fins Justificam os Meios".O árbitro continua a ser o mais desprotegido dos protagonistas do futebol. Tudo se explica até pelo facto de se considerar que nem deve ser protagonista. Há futebol sem árbitros mas o bom vinho não se bebe nas tascas. Sem os apitadores, o "association" seria apenas um alegre convívio que podia acabar mal. Com eles também em acção e as respectivas 17 leis, é um jogo apaixonante, sempre moderno, sempre avassalador.Durante muitos anos, o árbitro vestiu de preto. O objectivo não era obter um bom contraste com as cores dos cartões. Vestiram-lhe apenas uma espécie de luto eterno e deram-lhe dois guarda-linhas da CP como auxiliares. Os três ficaram a ver passar os comboios durante muitos anos, subordinados aos diversos interesses e subjugados por dirigentes tão venéreos como a sífilis.Felizmente os tempos mudaram. Alguns árbitros subiram à boca de cena e deixaram de ser figurantes. Pier Luigi Colina, por exemplo. A surpresa foi geral: afinal, o "homem de negro" podia acrescentar sal e pimenta aos ingredientes do espectáculo. Para espanto ainda maior, os árbitros começaram a falar - e logo se verificou que também eram seres pensantes.Cá pela terra, a revolução continua incipiente. Os últimos grandes árbitros portugueses - António Garrido (o ET), Carlos Valente e Vítor Pereira - não conseguiram ser consensuais. Nem podiam. Todos eles foram conotados com o clube A, B ou C. De todos eles se recordaram sobretudo os erros e não os acertos. Há estudos que dizem que um árbitro tem, num jogo, uma percentagem de acerto acima de 95 por cento num total estúpido de decisões e de decisões não tomadas. Mas o que é que interessa a estatística quando o importante é discutir uma grande penalidade mal assinalada por um árbitro assistente que não auxiliou? Nada, apenas ruído.Como o ridículo não mata, é sem espanto que se verifica que um jogo foi estragado e que a verdade desportiva foi adulterada porque um árbitro marcou uma grande penalidade que resultou num golo e na expulsão de um jogador. O pormenor aqui é o facto de o jogo estar resolvido, pois a equipa da casa vencia já por 3-0, e também o facto de, independentemente de ser penálti ou não, o cartão vermelho ter sido bem mostrado.Não sei porque, no caso de que todos já sabem de que estou a falar, sem precisar de um esclarecimento de Octávio Machado, mestre neste tipo de ambiguidades, ninguém culpou o guarda-redes do Sporting de não ter defendido a grande penalidade! Obviamente que não. Porque, como repetiu Paulo Bento depois de dois frangos de Rui Patrício, na última época, o mais importante é "defender o jogador". Quanto ao árbitro, nem por isso. O que mais se agrava quando o próprio presidente dos árbitros desaparece de cena ao primeiro sinal de polémica, atirando para a boca do canhão o habitual peão de brega.

sexta-feira, agosto 29, 2008

O ZÉNITE DE DANNY

Lembram-se daquele leva de jogadores do nosso campeonato que foi para o Dínamo de Moscovo. Pois, sobrou Danny. Que era o que ganhava menos mas também foi o que melhor se adaptou a uma nova vida em Moscovo. O resultado está à vista: tornou-se UM GRANDE JOGADOR. O Zénite comprou-o recentemente por 30 MILHÕES DE EUROS e a sua primeira proeza foi contribuir decisivamente para a vitória do seu novo clube na Supertaça europeia, hoje disputado no Mónaco. Mais um que passou pelo Sporting e só rendeu uns trocos. Como um certo craque do Manchester United...

PARA DESOPILAR

« um contributo de José Manuel Simões Lopes

-Pai, porque é que europeu tem cabelo loiro e liso? E não tem assim preto e carapinha?* Europeu tem cabelo fino, vem na selva, apanha água da chuva, adoece, constipa e morre... Preto não, a água cai na carapinha mas não entra...* Pai, porque é que preto tem pele escura e europeu tem pele assim branquinha* Europeu vem pa selva, leva co sol e queima. Apanha cancro na pele e morre...Preto não... escuro absorve raio solar e não faz nada...* Pai, porque é que preto tem assim cheiro a catinga e europeu não?* Europeu vem na selva e aparece leão e tigre e ataca europeu. Assim europeu morre... Preto não... cheira a catinga e tigre e leão não ataca...* Mas pai, porque é que a gente quer isso tudo, pra morar aqui na Damaia?

quinta-feira, agosto 28, 2008

ELE NÃO LARGA O OSSO


«Para mim, não é lógico que o FC Porto dispute a Liga dos Campeões, depois do seu envolvimento num caso de corrupção. Eu defendo valores de que quem tem de ser punido que o seja, mas neste momento tenho de aceitar a decisão».

Michel Platini, presidente da UEFA, hoje

Eu estou desolado com o afastamento de Paulo Batista


O presidente da UEFA, Michel Platini, disse estar “desolado” com o afastamento do Guimarães da fase de grupos da Liga dos Campeões, devido a um erro de arbitragem (golo mal anulado)
“Penso que o árbitro assistente está desolado [por este erro]”, referiu Michel Platini, explicando que a situação mudou a vida do clube português, já que desse modo não se qualificou para Liga dos Campeões. Michel Platini sublinhou ainda que o árbitro do jogo seguiu as indicações do seu árbitro auxiliar e que ele, enquanto presidente da UEFA, sentia-se desolado com a situação e frisou ser necessário aumentar o número de árbitros. O dirigente, que se opôs à introdução do vídeo em matéria de arbitragem, disse defender e ser favorável a um aumento do número de árbitros em campo. “Defendo uma arbitragem a cinco. Devemos intensificar os testes. Já propus ao presidente da FIFA [Blatter] para se testar nas competições jovens da UEFA. Não acredito que os árbitros sejam desonestos ou injustos, é um desporto com árbitros a menos e terreno a mais”, acrescentou Platini. Para o presidente da UEFA a solução passaria por “um árbitro central, dois assistentes e dois adicionais, com ou sem bandeirinha, que estariam no campo ou nas imediações”, adiantou Platini, defendendo a medida, sobretudo, para jogos com transmissão televisiva.

Paulo Batista foi o unico prejudicado do passado fim de semana. O árbitro de Portalegre foi o unico que assumiu as culpas de um erro que não cometeu, pois tal como o árbitro Holandês, apenas seguiu as indicações do seu árbitro auxiliar Luís Ramos.



Paulo Bento que já há muito estava para retirar Polga do jogo e não o fez é culpado?
Vitor Pereira, presidente dos árbitros e defensor das equipas fixas também terá culpa por ter nomeado um árbitro assistente que não pertence á equipa de Paulo Batista e que fez com ele o primeiro jogo?
Será que o dinheiro investido na formação dos árbitros em Portugal está a ser bem aplicado e a ter os resultados que Vitor Pereira espera?
A pressão rápida e sem consitência do projecto para o profissionalismo, que Vitor Pereira quer que os árbitros concordem, estará ou vai perturbar a arbitragem?
O afastamento do presidente dos árbitros, não dando a car pelos árbitros nos momentos dificeis, vai contribuir negativamente na classe?

Em suma, o unico que teve a coragem de assumir um erro de outros, afirmando na comunicação social que a grande penalidade foi mal assinalada é agora o unico prejudicado, pois já não vai arbitrar esta semana, se calhar para tranquilizar os dirigentes do clube do actual presidente dos árbitros.

Madeira tem Futebolista do Ano




Cristiano Ronaldo é o Futebolista do Ano e a nomeação foi comunicada no sorteio da Champions League apresentada por um jornalista português, Pedro Pinto.

quarta-feira, agosto 27, 2008

CAIR NA REAL

Os portugueses não raras vezes perdem a noção do poder que têm no Mundo Global. Isto é, convencem-se que contam para o totobola. A noite futeboleira de hoje demonstrou-o à saciedade.
- O Sporting perdeu por 5-3 no Santiago Bernabéu depois de ter estado a perder por 5-1 (no jogo verdadeiro). Na rádio, a caminho de casa, ouço o José Nunes, na RDP, desancar o Paulo Bento pelas opções iniciais que tomou. O que queriam? Queriam que o treinador do Sporting metesse a carne toda no assador numa semana que termina com uma difícil deslocação a Braga, esta sim num jogo a doer? Poupem-nos...
- Em Basileira, o Vitória de Guimarães foi VERGONHOSAMENTE roubado pelos árbitros depois de ter marcado um segundo golo limpinho, sobre o fim do jogo, que lhe dava a passagem para fase regular da Liga dos Campeões. Não sei quantos quilómetros dista Basileira de Nyon mas qualquer GPS resolve este assunto.

terça-feira, agosto 26, 2008

PENAFIEL VAI DESCER DE DIVISÃO?


A Liga considera uma infracção muito grave o facto de o Penafiel, que desceu da II Liga para a II B, ter interposto uma providência cautelar para impedir que o Boavista dispute a Liga Vitalis. Considera a Liga que não se esgotaram as instâncias de recurso na justiça desportiva (recorde-se que a Comissão Disciplinar da Liga está já a analisar o trabalho da Comissão de Sindicâncias da FPF que aponta para a penalização com descida de Gondomar SC e Vizela). O Artigo 63.º do RD da Liga é claro no que se refere aos casos em que os clubes recorrem aos tribunais comuns: "O Clube que submeta aos tribunais comuns a apreciação de decisões ou deliberações de órgãos da estrutura desportiva sobre questões estritamente desportivas será punido com pena de baixa de divisão."

Mais um caso à vista. Os danos colaterais do Apito Dourado/Final continuam a sentir-se.

FLOP DESPORTIVO

O regresso do "Domingo Desportivo", domingo à noite na RTP, foi pouco auspicioso. Um share de 20 por cento apenas, com menos de 200 mil espectadores fixados no resumo e nos comentário da 1.ª jornada da Liga Sagres. O mesmo programa na TVI, e mais tarde, tinha audiências médias de mais de 300 mil espectadores. Pontapé de saída pífio que pode demonstrar três coisas: falta de dinamismo do programa, desconhecimento do mesmo ou a fraqueza do produto futebol face às telenovelas da SIC e da TVI. Cá para mim, a diferença faz-se sobretudo ao nível dos comentadores e da dinâmica do programa. Com o saudoso Neves de Sousa teriam certamente ido mais longe, como aconteceu quando o Grande Prosador foi à RTP dizer que era candidato a seleccionador nacional.
PS - O "Tempo Extra" de Rui Santos, no cabo, na SIC Notícias, manteve o seu habitual desempenho e o máximo que teve de diferença para o "Domingo Desportivo" foi 1.5 de rating. O que torna ainda mais fabulosa a sua performance. Mas aí, claro, a diferença não está na fruta mas sim no estilo, na acutilância e na pertinência dos comentários de Rui Santos.

LEÃO DOMESTICADO*

« um contributo de Pedro Coelho

* Não é uma fábula

NUMA GALÁXIA MUITO DISTANTE

Num século que já lá vai, os adeptos tinham um bónus sem precisarem de pagar as quotas: podiam, em regra, assistir aos treinos da sua equipa. Imagens como esta raramente se repetem num futebol onde a informação e a imagem passam pelo controlo apertado dos pretores do reino.

segunda-feira, agosto 25, 2008

POBRE MADAÍL


Sintomático o facto de ter sido Gilberto Madaíl a entregar a Taça de campeão nacional 2007/2008 ao FC Porto, no último jogo disputado no Dragão, suscitando uma vaia da assistência. Vaia que Madaíl afinal nem merece. O presidente da FPF teve uma intervenção minimalista na resolução do Apito Dourado na justiça desportiva e na justiça comum até foi testemunha de defesa de Valentim Loureiro. O outro Loureiro, sim, tocou os "cavalos" para a frente - como lhe competia, aliás. Volto a frisar que a CD da Liga até foi benevolente com o FC Porto mas, claro, os adeptos deste clube pensam apaixonadamente e continuam a acreditar que não havia qualquer razão para punições. Os factos falam por si e as penas terão agora consequência nas relações institucionais. Esta Liga jamais contará com o FC Porto, e com os seus aliados, do seu lado e dificilmente veremos nos próximos tempos Hermínio Loureiro nos camarotes do Estádio do Dragão, o que sempre o liberta para ver os jogos da "sua" Oliveirense. Voltando a Madaíl, meus senhores, perdoem-me mas bateram à porta errada: o ex-governador civil de Aveiro não mexeu uma pedra na resolução do Apito Dourado e por ele tudo teria sido arquivado. Mas, coitado, o homem vai pagando por tudo e já não lhe bastava o Rui Santos...

O LZR DO "BADAMECO"

O ex-presidente do Vitória de Guimarães e hoje de novo presidente do Moreirense, Vítor Magalhães, é o patrão da Petratex, a empresa portuguesa que fabrica o revolucionário fato de natação LZR que é exclusivo da Speedo, responsável este ano pela queda de mais de 60 recordes do mundod e natação (segundo os especialistas). É mais uma demonstração do empreendedorismo do homem a quem Pimenta Machado chamou "badameco" mas que na sua área profissional continua a facturar em grande velocidade, indiferente às ondas futebolísticas.

NOTAS SOLTAS SOBRE A "1.ª"

A Oeste nada de novo. No nevoeiro de Vila do Conde não surgiu qualquer D. Sebastião. O empate acaba por ser um mau resultado para o Rio Ave. O habitual campeão da pré-época arrisca-se a sair da 2.ª jornada a 5 pontos do líder... Que, por sua vez, nem precisou de carregar no pedal para bater um Belenenses que não está mior, que está pior - ainda assim, os azuis tiveram duas oportunidades para empatar o jogo a uma bola, antes de Hulk mostrar finalmente a potência do seu pontapé, já numa fase em que os pastéis estavam reduzidos a dez unidades sem açúcar e canela. Nos jogos de ontem, a notícia acabou por ser a derrota do Leixões no Estádio do Mar, o que não augura nada de bom para a equipa que contratou de uma assentada os dois treinadores que na última época desceram à II Liga, como diz um amigo meu. O empate do Benfica em Vila do Conde não surpreendeu. A vitória, sim, é que teria sido notícia.

TRANSFERÊNCIA

O famoso Macaco, vulgo Fernando Madureira, transferiu-se para um clube argentino, o Racing Club, no âmbito da ponte aérea daquele clube com o FC Porto. Notícia a confirmar nas próximas horas.

MICHAEL PINHO

Já se sabia do contributo de uma empresa de Paços de Ferreira para o sucesso de Michael Phelps através do famoso fato-escama-de-faneca. O que não se conhecia é que Phelps afinal também é nadador-salvador e prepara-se para, na pessoa de Manuel Pinho, salvar a nossa economia do afogamento. A propósito, quem é aquele gajo ao lado do nosso ministro da Economia (a banhos numa piscina de um hotel algarvio de luxo)?

domingo, agosto 24, 2008

LAVAGENS CEREBRAIS AO DOMICÍLIO


"Quando os jogadores são chamados a prestar declarações aos órgãos de comunicação social no final de um jogo, eles são chamados a comunicar com o exterior, falando em nome do clube que representam. Vem isto a propósito da divergência de opiniões entre João Moutinho e Paulo Bento sobre a grande penalidade inexistente a favor do Trofense que resultou no primeiro golo sofrido pelo Sporting na Liga 2008-2009, num jogo em que ganhou por 3-1. Quando o jornalista da Sport TV pediu a João Moutinho uma opinião sobre o caso do jogo, ou seja, perguntando-lhe se Anderson Polga derrubou o adversário fora ou dentro da área, o "capitão" do Sporting limitou-se a responder assim: “Não sei. Espero que o árbitro tenha acertado...”. Bom, se João Moutinho tinha dúvidas, deveria tê-las dissipado antes de se apresentar aos microfones."
LUÍS PAULO RODRIGUES, no LEÃO DA ESTRELA

ps - Com todo o respeito e admiração, com esta, Luís Paulo, meteste um golo na própria baliza. Por acaso o árbitro e o assistente decidiram depois de consultarem o Vítor Pereira? Para lavagens aos cérebro aos jogadores já bastam as que são feitas durante a semana... O Mourinho respondeu com sinceridade. Para ele, ficou a dúvida. Os árbitros tiveram a certeza ou uma certeza razoável. Quem o viu lance sentadinho no sofá viu CLARAMENTE que não foi penálti. Ou melhor, foi, pois o árbitro marcou-o...
p2 - "Sobre a expulsão poderei dar o benefício da dúvida ao árbitro, mas que é fora da área não tenho dúvidas. O que disse ontem, tenho hoje ainda mais segurança e convicção. Alguns disseram que fui um mau exemplo, mas alertei para o que aí vinha", palavras de Paulo Bento, O Determinista.

VOCÊS SABEM DO QUE ELE 'TÁ A FALAR?


"'Vocês sabem do que estou a falar' é uma frase que me identifica ou com a qual me identificaram. Sugeri-a quando se falou no nome do livro e foi aceite. No fundo, é algo que é real, que é verdadeiro. Afinal de contas, com tudo aquilo que tem vindo a lume sobre algumas situações do futebol português, toda a gente sabia do que eu estava a falar... Apenas por comodidade ou por conveniência ninguém, na altura, tomou qualquer tipo de posição ou quis agarrar naquilo que era dito e analisar, pesquisar, procurar respostas. E em face também do 'Apito Dourado' e de algumas coisas que vieram transcritas na comunicação social, as pessoas acabam por perceber que, efectivamente, nada é novo."

"Nunca fiz mal a ninguém, nem desejo mal a ninguém. Apenas pautei sempre os meus critérios e a minha actuação pelo interesse das instituições que servia, pelo interesse do futebol. Agora, o que penso é que os interesses do futebol têm sido muito mal defendidos. Pessimamente defendidos. Eu não aceito, nunca aceitei, que uma indústria como a do futebol, que gera tanto dinheiro, deixe que as suas empresas estejam em grandes dificuldades. Casos de grandes instituições como o Boavista, que se vê presentemente numa situação extremamente difícil, ou do Farense. Não compreendo como empresas que compram por dez e vendem por mil continuam deficitárias. O futebol em Portugal precisa de uma reviravolta. Eu dou um exemplo, ocorrido há pouco: a Taça da Liga, cujos direitos foram geridos pela Liga de Clubes, viu as suas receitas traduzidas em quase o dobro das da Taça de Portugal. Isto é revelador e deveria alertar os gestores do futebol para uma realidade diferente."

"Há uma série de pessoas que estão marginalizadas no futebol, porque tomaram no passado algumas posições de grande independência. E estão fora. Repare no caso dos treinadores. O Manuel José foi pura e simplesmente afastado do futebol nacional. O Manuel Cajuda regressou há pouco para fazer um excelente trabalho. O Toni está fora. Não pode ser. O que é que isso tem permitido? Que o valor do treinador português esteja valorizado lá fora e fragilizado em Portugal. Porquê? Porque a estrutura em que se apoiam os clubes não depende de si própria, depende de outros interesses, que se conjugam e entrelaçam, que têm a ver, muitas vezes, com a imposição de determinadas regras que são incompatíveis com pessoas que pensam pela sua cabeça."

"O futebol português nunca foi capaz, na sua história, de ser independente em relação à teia de interesses. Fala-se muito nos últimos 30 anos mas sempre foi assim. Todos sabem como se processa a escolha dos dirigentes federativos. Todos sabem tratar-se de um processo viciado. Viciado no sentido de haver interesses que se conjugam, haver acordos, haver procura permanente de lugares em vez da defesa dos interesses do futebol. É público que a grande disputa não acontece pelo cargo de presidente da Federação mas, sim, de presidente da arbitragem. Isto é denunciador de alguma coisa."

"Se há coisa de que tenho saudades é daquele balneário de Alvalade, daquele gente. Já não tenho saudades do FC Porto... Aliás, não conto isto no livro: Pinto da Costa, depois de termos falado, decidido e aceite que a situação no FC Porto era insuportável, convidou-me para me ir despedir dos jogadores ao balneário. "Despedir-me de quem, presidente?", perguntei-lhe. "Dos jogadores", respondeu. Ao que eu lhe retorqui: "Era o que mais faltava. Não vou morrer hoje, com certeza. Aqueles que eu quero encontrar, encontrá-los-ei naturalmente, os outros não me interessam". Eu pergunto onde está a maioria destes jogadores... Depois de eu ter saído, o que foi feito da carreira deles? Estou a lembrar-me, por exemplo de um Soderstrom, que foi internacional sueco comigo; de um Clayton, que era o melhor marcador do FC Porto na Liga dos Campeões; de um miúdo com uma garra tremenda e que hoje está no Boavista com uma vida muito difícil, o Mário Silva; o brasileiro Pena, por onde anda?; ou o Capucho, que terminou a carreira muito mais cedo do que seria de supor?

"Se há coisa de que tenho saudades é daquele balneário de Alvalade, daquele gente. Já não tenho saudades do FC Porto... Aliás, não conto isto no livro: Pinto da Costa, depois de termos falado, decidido e aceite que a situação no FC Porto era insuportável, convidou-me para me ir despedir dos jogadores ao balneário. "Despedir-me de quem, presidente?", perguntei-lhe. "Dos jogadores", respondeu. Ao que eu lhe retorqui: "Era o que mais faltava. Não vou morrer hoje, com certeza. Aqueles que eu quero encontrar, encontrá-los-ei naturalmente, os outros não me interessam". Eu pergunto onde está a maioria destes jogadores... Depois de eu ter saído, o que foi feito da carreira deles? Estou a lembrar-me, por exemplo de um Soderstrom, que foi internacional sueco comigo; de um Clayton, que era o melhor marcador do FC Porto na Liga dos Campeões; de um miúdo com uma garra tremenda e que hoje está no Boavista com uma vida muito difícil, o Mário Silva; o brasileiro Pena, por onde anda?; ou o Capucho, que terminou a carreira muito mais cedo do que seria de supor?"

in EXPRESSO

sábado, agosto 23, 2008

MAIS UMA PARA O GLORIOSO

ps - Entretanto, na Liga abaixo de zero Sagres o FC Porto B começou a ganhar enquanto o Benfica V perdeu dois pontos em casa. Uma tendência que apenas está a começar a definir-se...

sexta-feira, agosto 22, 2008

CABELINHOS À PAULO BENTO

« um contributo de José Manuel Simões Lopes

NÃO ESTÁ FÁCIL AVANÇAR


O JOGO anuncia hoje, para amanhã, um novo grafismo. A renovação dos jornais é um meio importante para a sua afirmação num tempo em que cada vez mais o comprador de banca é batido pelo internauta, com a ajuda das edições online dos jornais de papel...o que não deixa de ser uma contradição chocante sobretudo porque as sinergias entre as edições em papel e online são residuais. Mas vem isto a propósito de um postulado que li n'O JOGO sobre o chamado relato de um jogo de futebol. "Relato" é uma palavra bem escolhida. Ali se diz que o relato está demodé pois a televisão "mostra tudo". De facto, se de um relato estamos a falar...é verdade. Outra coisa será uma crónica. Personalizada, bem escrita, ousada, divertida. É o que vem faltando há muito na nossa Imprensa desportiva. Não é ofício para qualquer um mas qualquer um o tenta praticar, sobretudo quando no ombro alguns galões. Nada de mais errado. A crónica é o maior género jornalístico e não só tem de ser treinada como deve obedecer a um critério rigoroso na escolha dos chamados cronistas. Um jornal não tem de ter necessariamente qualidade literária mas deve procurar fazer a diferença também pela singularidade dos seus jornalistas, que têm na crónica do jogo um espaço nobre para a afirmarem. Ou no "relato", se quiserem reduzir isto ao mínimo denomidador comum. Quanto à afirmação, "a TV mostra tudo" penso que não precisarei de ir muito mais longe: a TV mostra apenas uma parte da realidade e não raras vezes releva uma redundância, como acontece quando, por exemplo, repete 3 vezes um lance para determinar se um lançamento de linha lateral foi bem assinalado.

DIÁSPORA



Não podia deixar de fazer uma referência ao ouro de Nelson Évora - um superatleta. Filho de pais caboverdianos e nascido na Costa do Marfim, o nosso menino de ouro está em Portugal desde os 6 anos e para chegar aqui teve que comer muito pó no caminho. O mérito, está cada vez mais visto, não cai do céu ao trambolhões. É dele, do seu treinador, dos amigos e da família. Para o Benfica foi também mais uma medalha: o ouro depois da prata da Vanessa. O clube da Luz apostou nos atletas certos, depois de ter "sacado" o nosso triplo saltador ao...FC Porto. Já sei que vão começar a estrebuchar mas é um facto. Um pequeno passo na corrida e nos saltos de Nelson Évora, símbolo da diáspora portuguesa, o maior feito da nossa História, para o ouro olímpico.

quinta-feira, agosto 21, 2008

SIGA PARA BINGO

Di Maria está olimpicamente no mercado. Sendo um destaques da selecção argentina que se prepara para ganhar o ouro, o craque do Benfica pode vir a gerar um significativo encaixe de tesouraria - algo na ordem dos 30 milhões de euros. O Benfica precisa de facturar mas deixar sair o miúdo já será sempre um acto de má gestão desportiva, embora nestas coisas o que conta é seguir para bingo.

SOEM AS TROMBETAS DE NOVO!


«Tal como todas as culturas de cariz aristocrático, os gregos eram dados aos desportos e, assim sendo, celebravam regularmente competições desportivas em Olímpia, as quais se encontram documentadas a partir de 776 a.c., tendo lugar de quatro em quatro anos. As disciplinas disputadas eram as corridas (de curta distância e de fundo), o pugilismo, as corridas de cavalos e de carros e as corridas em armas, assim como a competição dos trombeteiros. O prémio era uma coroa feita com os ramos da oliveira plantada por Hércules. Na rica Atenas, o vencedor recebia ainda 500 dracmas, um lugar de honra em todas as celebrações oficiais e uma assistência social vitalícia, ou seja, a sua manutenção corria por conta do Estado.»

Dietrich Schwanitz, in "Cultura - tudo o que é preciso saber"


Posto isto, pessoal, podemos dormir mais descansados. Pode ser que a prova dos trombeiros, perdão, trombeteiros volte a ser modalidade olímpica em Londres 2012...

quarta-feira, agosto 20, 2008

SOCO NA SIC

"Tendo tomado conhecimento de que a Direcção da SIC apresentou queixa, na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), contra o Sport Lisboa e Benfica (SLB), devido à expulsão de um repórter [Nuno Pereira]de instalações deste clube, impedindo-o de cobrir uma conferência de imprensa, e estando a iniciar-se uma nova época de competições, a Direcção do Sindicato dos Jornalistas (SJ): 1. Expressa viva solidariedade para com o jornalista Nuno Pereira e louva a sua atitude de persistência no cumprimento do seu dever de informar, bem como saúda a iniciativa da SIC de apresentar queixa no órgão competente e de manifestar disposição de recorrer a todas as vias legais. Trata-se de uma atitude que as empresas jornalísticas devem seguir, em defesa dos profissionais ao seu serviço e da liberdade de informação. 2. Apela aos clubes de Futebol para que respeitem escrupulosamente as regras legais em matéria do acesso dos jornalistas à informação; recorda que nenhum jornalista pode ser impedido de aceder aos acontecimentos abertos à generalidade da comunicação social; e sublinha que as conferências de imprensa são, por definição, realizações especificamente destinadas a jornalistas, pelo que qualquer discriminação se torna ainda mais aberrante. 3. Apela especialmente aos jornalistas em geral, para que resistam colectivamente a quaisquer acções de discriminação, intimidação ou agressão, assim como para que não deixem de actuar, imediata e solidariamente, em defesa dos seus camaradas de profissão vítimas de tais acções, designadamente: a) Abandonando as conferências de imprensa, quando jornalistas ou órgãos de informação forem impedidos de entrar ou de fazer perguntas; b) Auxiliando os jornalistas em quaisquer dificuldades, inclusivamente procurando protecção policial nos casos de intimidação ou agressão; c) Participando às autoridades policiais e à ERC quaisquer actos de que tenham sido vítimas e disponibilizando-se para apoiar os jornalistas que o tenham sido, especialmente através do seu testemunho. 4. Exorta todos os actores do fenómeno desportivo – dirigentes, técnicos e atletas – a manterem elevados padrões de respeito pela liberdade de informação e pela liberdade de opinião, abstendo-se de quaisquer atitudes que as ponham em risco. Tal responsabilidade cabe especialmente à Federação Portuguesa de Futebol e à Liga Portuguesa de Futebol Profissional."

Comunicado do Sindicato dos Jornalistas a propósito de mais uma actuação prepotente de clubes portugueses. Mais uma apenas. O mais interessante do comunicado acaba por ser o apelo à resistência colectiva. Deixem-me rir um bocadinho...


PS - Esta azia do Benfica em relação à SIC terá alguma coisa a ver com o facto de esta estação, e também as publicações do Grupo Balsemão, ser a preferida de JNPC?


MUDEM OS "JOGOS", CARAGO!

Após longa reflexão, conclui que Portugal teria muitas chances de ganhar medalhas se as seguintes modalidades fossem olímpicas, o que acho perfeitamente possível tendo em conta que o BMX é modalidade olímpica:
- Desculpas de mau recebedor de dinheiros públicos.
- Excesso de velocidade em auto-estradas e estradas nacionais
- Rotação de líderes no partido da oposição
- Corrupção desportiva
- Tiro ao melro
- Projecção de escarretas
- Lançamento de garrafas pelo vidro do carro em andamento
- Número máximo de pessoas numa V5
- Concurso de pára-ventos
- Assaltos a bombas de gasolina
- Carjacking
- Roubos em supermercados
- Concurso "tenho 60 anos mas sei tanto como uma criança de 3 anos"
- Música pimba
- Levantamento de andores
- Lançamento de foguetes (com direito a participação nos paralímpicos para quem tenha mãos decepadas)
- Multas de estacionamento por pagar
- Processos de difamação a jornalistas
- Maratona de punhetas
- Triatlo de Chão da Lagoa: 10 ponchas, 10 corais e 5 martinis
- Subida de bicicleta à Torre ou à Senhora da Graça
- Blogs anónimos de pessoas conhecidas
- Achamento de terras por acaso
- Bigodes e barbas
- Mulheres peludas (uma já foi mesmo campeã olímpica)
- Disputas entre vizinhos
- Rixas familiares
- Saltos para o tanque onde se pisam as uvas
- Ginástica acrobática a partir do dia 7
- Estafetas de pizzas
- Corrida de empregados de mesa com bandeja
- Pesca do robalo
- Apanha da conquilha
- Travessia do Trancão a nado
- Lanchas rápidas
- Desaparecimento de crianças britânicas
- Feijoadas em pontes e pic-nics em separadores centrais
- Rotundas e meias-luas
- Fontes luminosas
- Maratona de autarcas
- Tiro ao brasileiro
- Apneia do tabaco
- 1500 metros livres de impostos
- Snocker
- Sueca
- Bisca lambida
- Jogo da malha
- Dados

* aceitam-se sugestões

terça-feira, agosto 19, 2008

BOLINHA A ROLAR É O QUE INTERESSA


Vem aí mais um campeonato. A "animosidade" resultante das batalhas disputadas nos tribunais suiços e portugueses parece ser o grande factor de empolgamento. Nada de muito exaltante se passa na frente de combate. Ok, temos Quique no Benfica a controlar o peso dos jogadores, a promover almoços em família e a pôr a equipa a jogar alguma coisa; temos o FC Porto órfão de Bosingwa, Assunção e Quaresma; e temos o Sporting a começar como de costume, ou seja, conquistando a Supertaça, mostrando a sua vocação de sprinter numa corrida de meio-fundo. Há, depois, o Sp. Braga e o V. Guimarães, na disputa do costume, arvorando-se ao estatuto de 4.º grande, agora mais aliviados pois o Boavista foi remetido para a II Liga e dificilmente de lá sairá se se mantiver o "status". Os dois clubes minhotos não aprenderam ainda, porém, que não se vai à caça com os cartuchos dos outros caçadores... Numa posição de charneira, Belenenses, Marítimo e Nacional da Madeira assumem-se como equipas que podem baralhar as contas da dupla minhota. O resto é francamente desolador: clubes em débeis condições financeiras, sem oxigénio e completamente expostos às intempéries e nas mãos dos clubes que lhes fornecem jogadores ou de empresários que entretanto enriqueceram enquanto os clubes caminhavam para a falência. Paços de Ferreira, Leixões, Estrela da Amadora, Académica, Naval 1º de Maio. V. Setúbal, Trofense e Rio Ave formam uma espécie de Liga dos últimos na qual alguns destes clubes se podem destacar devido ao facto de seguirem estratégias sérias e realistas, como são os casos de Leixões, Paços, Trofense e Rio Ave, clubes que bem podiam apresentar reclamações na Autoridade da Concorrência. Um exemplo apenas para demonstrar a fragilidade dos clubes que dão consistência à nossa I Liga: o V. Setúbal, há anos em agonia, a saltar de solução salvadora e em solução salvadora (até já teve um presidente cuja carta de recomendação destacava o feito de ter atravessado o Sado a nado), não tem dinheiro sequer para ir a Genebra ao sorteio das competições europeias e pediu ao FC Porto para o representar! Isto é quase o grau zero... A Liga quer um campeonato competitivo, só isso interessa para que o negócio seja potenciado e os patrocinadores se juntem à tribo, mas não está nada fácil. Os nossos clubes que não são suportados por verbas extraordinárias, como acontece com os clubes da Madeira (agora menos é certo mas estão a beneficiar do investimento de outros anos...), estiolam e não haverá, a médio prazo, IPMEI que os possa salvar. A nossa Liga é uma casa com alicerces podres e com uma "penthouse" de novo rico. Este desequilíbrio mais dia menos dia será fatal, seja pela erosão do processo competitivo, seja pela falência dos projectos financeiros. Inverter este rumo deverá ser o objectivo, com a consciência de que não se vira um porta-aviões de rumo com um simples rodar de leme...

OS "JOGOS" VISTOS POR DENTRO

http://summergames.lenovo.com/?cid=BADGE&language=en+es+fr+de+it+ja
OU
http://davidoliverhurdles.blogspot.com/

segunda-feira, agosto 18, 2008

VOCÊ ABUSOU?


A presença de Pinto da Costa, na tribuna de honra do Estádio do Algarve, surpreendeu. Ali esteve ao lado do inefável Amândio de Carvalho - confirmou-se que o dirigente federativo não está embalsamado quando se juntou ao grupo leonino para a foto da festa! Mas não está PC impedido de representar o FC Porto nas provas oficiais como resultado da suspensão de 2 anos de que recorreu e perdeu? A situação pode ter duas leituras: ou PC só está suspenso nas provas organizadas pela Liga ou a FPF fez de conta que não sabia de nada. Sendo, porém, a Liga um órgão da FPF, não será legítimo pensar que os castigos aplicados pela primeira também valem para a segunda, tanto mais que dos castigos aplicados pela CD da Liga se recorre para o CJ da FPF? Terá sido por isso que mais uma vez Madaíl primou pela ausência ou será que foi pintar o cabelo à Costa Nova?

BODA MINHOTA

A história só agora pôde ser confirmada. BnA sabe que decorreu em Guimarães, na casa de Manuel Almeida, um animado e bem regado jantar na véspera do jogo dos vitorianos com o Basileia. Esteve presente o presidente do Benfica, que se fez acompanhar por Carlos Móia. A jornada continuou na conhecida Cervejaria Martins, onde Vieira...caiu, antes de beber 5 ou 6 águas das Pedras. Confirma-se, assim, o casamento entre vitorianos e benfiquistas - com uma festa que não ficou a dever nada a qualquer boda minhota. No dia seguinte, lá estava LFV ao lado do seu homólogo de Guimarães, completamente recuperados da jornada anterior.

PRATA DA CASA

Tenho um amigo meu que continua a garantir que Portugal não vai conquistar qualquer medalha em Pequim. Diz ele: "O Évora nasceu na Costa do Marfim e é filho de santomenses, a Naide é de origem caboverdiana e a Vanessa nasceu em...Perosinho".
Quanto à "nossa" perua Vanessa, lá veio a medalha de prata. Estávamos todos à espera do ouro mas a australiana do costume tinha-a bem preparada. A nossa miúda esteve maravilhosa e atrás delas ficaram mais de 50. Costuma ser ao contrário, lembram-se?

domingo, agosto 17, 2008

Recados de Cajuda



Como sempre, Manuel Cajuda deixa o melhor para o fim. Na segunda e última parte da entrevista à página oficial do Vitória de Guimarães foi igual a si próprio – polémico, directo e... indirecto. Ah, e foi polémico, também. Como diria Luís Freitas Lobo, uma entrevista para ler de trás para a frente, nas entrelinhas, e com os olhos colados à referência ofensiva.

RECADO À DRAGONADA:
“A mim não me incomoda nada ter perdido a solidariedade de um clube e ter ganho a de outro, porque não preciso dela para nada, nunca precisei e como treinador do Vitória a única solidariedade que preciso é a que me é dada todos os dias pela minha direcção. Acho interessante é que os clubes designados grandes andem atrás da solidariedade de outros clubes e que andem a correr de um lado para outro só para aparecerem na fotografia. Isso é que eu acho engraçado, mas se calhar, neste país, toda a gente acha isso normal. O Vitória para ficar no seu lugar, entre os primeiros lugares do campeonato, não precisa de ninguém a não ser dos seus adeptos, dos seus dirigentes e dos seus jogadores”.

RECADO AOS LAMPIÕES:
“Este clube é, de facto, muito grande. Ao ponto de outros clubes se encostarem a nós, porque sentem que a nossa grandeza lhes pode ser útil. Mas atenção, que o Vitória é grande sozinho, não precisa de companhias deste ou daquele para ser grande. Nunca precisou, em 86 anos de história. Não precisa de alianças, de amigos nem de inimigos. E eu sei que a direcção pensa o mesmo. Esta direcção move-se pelos interesses do clube e se, numa dada altura eles são coincidentes com outros clubes, pois bem, há um trabalho conjunto a fazer.”

RECADO AO GRANDE RIVAL REGIONAL. PS: NÃO É O MERELINENSE:
“O Vitória não perde identidade nestas ocasiões como outros clubes que se agarram a estas alianças para poderem aparecer um bocadinho. Lamentavelmente para esses clubes esta grandeza do Vitória conquista-se, não se compra, por isso é que há outros clubes que até gostariam de jogar no nosso estádio para terem um ambiente como o nosso. Mas não têm, porque a relação dos adeptos com o clube não se explica, nem se exporta. É uma coisa que se sente, que deve ter uma explicação sociológica e que não merece a pena ser copiada, porque será sempre uma tentativa falhada.”

RECADO A CERTOS SENHORES DE APITO NA BOCA E QUE NÃO SÃO POLÍCIAS SINALEIROS
“O conhecimento que tenho do futebol português e porque toda a gente me diz que esta época o Vitória deve preparar-se para ser o bombo da festa dos árbitros. Eu sinceramente não percebo porquê, ou se calhar percebo mas até tenho vergonha de perceber, se calhar percebo mas nem quero acreditar que isso possa acontecer. Logo no primeiro jogo e num jogo só, já fomos prejudicados de uma forma grave. Dois “penalties” que não assinalaram contra o Basileia. Bastava que tivessem sido assinalados e convertidos e vejam o conforto que isso nos daria para o jogo da segunda mão. Faz ou não diferença na eliminatória, é o que vamos ver. Nós vamos tentar que não faça. Mas depois de ver o jogo de Guimarães, acho que os treinadores portugueses deviam ter vergonha de falar tanto dos árbitros portugueses. Lá fora a porcaria é a mesma.”

RECADO PARA FORA DO CASTELO:
“Recordo que na época passada, no campeonato, começámos com três empates e todos diziam que não ganhávamos a ninguém. Esta época está a passar-se o mesmo. Alguns maus resultados na pré-epoca e um empate com o Basileia e já é suficiente para os doutores do futebol se intranquilizarem? Tenham calma, que eu também tenho. A equipa é boa, é melhor do que a do ano passado e tem um potencial tremendo”.

RECADO PARA DENTRO DO CASTELO:
“As pessoas dizem-me que se não passarmos a eliminatória da Champions League é uma frustração. Pois se acontecer, que seja. Seria uma frustração bonita. Em 86 anos de existência nunca tiveram uma frustração igual a esta. O Vitória não pára aí, se for eliminado. Mas o Vitória não vai ser eliminado”.

RECADO AOS FIÉIS ESCUDEIROS:
“Em primeiro lugar devo dizer que os adeptos do Vitória são únicos, são uma coisa fantástica. São fiéis ao clube, têm amor eterno ao clube, aquele grito de “Vitória até morrer”, eu sei que é verdade para 95 por cento dos adeptos do Vitória. Os assobios (ao Moreno) têm sido injustos. O Moreno tem sido um dos melhores jogadores da equipa, neste início de época e o Moreno gosta mais do Vitória de Guimarães do que a maioria das pessoas que o assobiam. A pressão de ser vitoriano tem condicionado o Moreno e eu, um dia, vou acabar com ela”.

RECADO “ÀQUELES GAJOS QUE ESCREVEM EM JORNAIS E QUE DIZEM CERTAS E DETERMINADAS COISAS NAS RÁDIOS E TELEVISÕES”:
“Para a comunicação social só existam três grandes. Que hipocrisia, escrevem sempre que o futebol português não cresce com esta macrocefalia, mas depois são eles que não deixam os outros crescer. Mas quer queiram ou não, o Vitória é um grande. O futebol português só tinha a ganhar se o nosso campeonato, em vez de ter três grandes, tivesse quatro, cinco, seis, sete grandes.”

Olegário arbitra hoje



Depois de na passada quarta feira, o internacional português da AF Leiria ter arbitrado o jogo Anorthosis - Olympiacos a contar para a 3ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões da UEFA, Olegário Benquerença é o árbitro nomeado para hoje, em Braga às 18 h 15, com transmissão em directo no canal televisivo, arbitrar o jogo do Leixões para a Carlsberg Cup.

No jogo da passada 4ª feira, Olegário foi auxilido por José Cardinal e João Santos, tendo tido uma excelente nota, atribuída pelo observador desse jogo, o conhecido e conceituado francês Michel Vautrot.

É o ponto de partida para começar o trabalho, de vir a ser nomeado para o próximo Mundial de Africa do Sul, pois se tudo correr dentro da normalidade, no próximo Europeu Olegario Benquerença, participará como árbitro principal.

MAIS UMA!

Em definitivo, nas competições a eliminar o Sporting de Paulo Bento é claramente superior ao FC Porto de Jesualdo Ferreira. Não vi o jogo em condições decentes - pois estava a preparar um arroz de marisco... - mas pareceu-me equilibrado. Os leões aproveitaram as oportunidades de ligeiramente "abafados" pela entrada portista. Djalló mostrou que está aí para as curvas, apesar de Postiga e de Liedson. Mas se quiserem especular um bocadinho, sempre vos posso dizer que o Sporting começou a ganhar quando reablitou Moutinho enquanto o FC Porto entrou a perder ao colocar Quaresma em banho maria e amuada por não lhe ter sido permitido ir comer pizzas com José Mourinho.

sábado, agosto 16, 2008

ESTES JOGOS NÃO SÃO PARA FALHADOS


Estive a trabalhar em Barcelona 92 e vim embora sem poder contar a história de uma medalha. Não sou um tipo das "modalidades" mas estar nos Jogos Olímpicos foi para mim uma experiência extraordinária. Na tribo que conheci, porém, apenas fiquei a simpatizar com Mário Moniz Pereira. Também ele é anti-futebol mas, como todos sabemos, a sua vasta cultura jamais reduziu o seu discurso ao miserabilismo que de quatro em quatro anos nos é servido. Moniz Pereira, aliás, é um dos poucos treinadores-não-de-futebol que apresentou resultados - e que resultados!!!! Aproveitando as férias, tenho seguido os Jogos em directo e hoje tive mais uma jornada para esquecer. Enquanto o Brasil ganhava a sua 10.ª medalha na natação (nós por cá continuamos a zero), fiquei a saber que os nadadores portugueses só experimentaram os novos fatos - concebidos com tecnologia portuguesa - em...Pequim e que não se adaptaram. Saltou a seguir a miúda do trampolim, grande promessa até quase cair... Faltava o Obikwelo, ex-trolha e ex-nigeriano que me espantou com a sua certeza de que ia conquistar uma medalha na conferência de Imprensa que deu em Pequim - na meia-final, foi 6.º e ficou fora da superfinal. No fim, pediu desculpa aos portugueses por ter falhado. E aqui é que está a diferença entre este rapaz que fala portunhol e os restantes falhados. Tal como vi em Barcelona, o argumento é sempre o mesmo: arranjar uma desculpa qualquer, manifestar enfado pela atenção que se dá ao futebol e, em última instância, criticar o prazer mórbido dos jornalistas luso pela desgraça nacional. Está na hora de, antes de distribuirmos o nosso dinheirinho por esta malta, separar estes snobes que se mantém nas federações e nos comités olímpicos do que é o verdadeiro espírito desportivo. Com esta casta de falhados não iremos lá! Haja ainda esperança em Vanessa, Nelson e Naíde e no nossa barco de "Star". Se este último falhar, vão ver que a culpa foi do vento, da vela ou das bóias de viragem...

sexta-feira, agosto 15, 2008

O BENFICA DE QUIQUE


Quem viu o jogo de hoje do Benfica com o Inter de Mourinho ficou com uma certeza: o balanço e o equilíbrio da equipa de Quique Flores nada tem a ver com a intermitência e a insegurança da equipa de Jose Antonio Camacho. Os jornais de hoje não deram grande destaque mas a reportagem de ontem da SIC com Quique foi exemplar a todos os títulos. No modelo, bem conseguido, e nos módulos que o treinador do Benfica definiu como sua cartilha de trabalho. Depois de uma série de citações, entre as quais uma do mago Phil Jackson, o espanhol não teve qualquer problema em pôr no papel o Benfica que pretende para esta equipa. A saber: uma defesa de quatro com os dois laterais nunca na mesma linha, dois médios interiores, dois médios abertos, dois avançados, com um deles por vezes a jogar nas costas do "número 9". Não há segredos, disse Quique. O importante é que a "coisa" funcione. Pelo que se tem visto, está a funcionar bem melhor. Mas ainda é cedo para tirar grandes conclusões.

AINDA OS "JOGOS"

Jorge Lopes, a nossa voz do atletismo, depois de Cordeiro do Vale
Quem tem acompanhado, como eu, altas horas da noite e primeiras da manhã, os Jogos Olímpicos já percebeu que foi uma sorte a RTP ser a detentora dos direitos de transmissão. Com algumas lacunas nos comentários a modalidades marginais (tiro, pólo aquático, etc,.), o trabalho da equipa da RTP/RDP (Alexandre Afonso, Ana Isabel Ramos, Bruno Jesus, Fernando Eurico, Hugo Gilberto , Ildebrando Aires, João Pedro Mendonça, João Pedro Silva, João Vasco, Jorge Lopes, Lucínio Ribeiro, Manuel Fernandes Silva, Miguel Teixeira, Paulo Roque, Pedro Mateus, Rui Loura. Rui Rodrigues,Vedin Truhlj e Virgílio Matos) que está na China tem sido MUITO BOM, com destaque para Alexandre Afonso, um verdadeiro ás. Precisa, porém, a RTP de se aproximar da excelência dos comentadores do EuroSport/Portugal e sobretudo da sua "voz off" (se souberam quem é, digam-me). Reconheço que não é fácil falar de tiro de carabina a 50 metros ou de ténis de mesa e os comentadores residentes apenas confirmam o subdesenvolvimento das modalidades referidas, e de outras, em Portugal, um país onde o desporto escolar é uma caricatura apesar de existirem milhares de professores de educação física (só o nome assusta). Reconhecer a ignorância é uma virtude e é isso que não temos visto, por exemplo, nos comentadores lusos de natação. Que questionam, com base no parecer de alguns dos nossos árbitros, o estilo e a técnica de alguns nadadores que deixam os nossos a muitos minutos de diferença, só faltando dizer que nadam de barbatanas... No geral, porém, RTP/RDP e EuroSport/Portugal têm feito um trabalho que dignifica as respectivas estações - não gostaria de lhe chamar serviço público mas apenas competência profissional. Fica o registo agora que o atletismo começou com a excelência dos comentários do Jorge Lopes.

A não perder também http://ww1.rtp.pt/icmblogs/rtp/jogos2008/, onde o João Pedro Mendonça também dá cartas

O NOVO CJ


Está a revelar-se difícil, se não impossível, o objectivo de Gilberto Madaíl em colocar apenas magistrados jubilados, juízes e procuradores, no próximo Conselho de Justiça. Os magistrados estão escaldados com os recentes acontecimentos e já receberam há muito tempo um aviso do Conselho de Magistratura, que disse não gostar de ver os nossos juízes no futebol. Por isso, Madaíl terá mais uma vez de recorrer à "praça", isto é: aos advogados, para constituir a nova equipa. Também aí não será fácil. Aguardemos.

quinta-feira, agosto 14, 2008

Em Portugal caía o Carmo e a Trindade

Se a arbitragem de ontem em Guimarães, com dois erros graves, fosse efectuada por um árbitro português...
O certo, é que ninguém reclamou contundentemente, como fazem os mesmos intervenientes e outros, nos campeonatos portugueses, que seria tema nas diversas conferências de imprensa dos proximos treinos e jogos.

Falhas leves:

20 Minutos de Jogo – Erro de Grzegorz Gilewski que assinalou falta ao contrario pois foi Flávio quem sofreu falta
28 Minutos de Jogo – Erro de Maciej Wierzuvowski ao assinalar pontapé de baliza quando deveria ter assinalado pontapé de canto favorável ao Vitória
32 Minutos de Jogo – Cartão amarelo por exibir a Huggel que deliberadamente rasteirou Marquinho
34 Minutos de jogo – Novo erro de Grzegorz Gilewski ao assinalar falta de Fajardo que não existiu pois apenas jogou a bola
67 Minutos de Jogo – Rotação do braço e o cotovelo a atingir a face de Andrezinho e Stocker deveria ter sido expulso com cartão vermelho

Boas decisões:

08 Minutos de Jogo –Bem analisado por Rafal Rostkowski a posição legal de Stocker que se isolou em posição legal com Andrezinho a colocá-lo em jogo
18 Minutos de Jogo – Protestos injustificados dos Vimarenenses Andrezinho cometeu falta
21 Minutos de Jogo – Bem exibido o cartão amarelo a Stocker que agarrou Fajardo
23 Minutos de Jogo – Gelabert sofreu falta com um toque nas costas mas Grzegorz Gilewski decidiu bem apenas punir tecnicamente o Vimarenense
41 Minutos de Jogo – Douglas deixou-se cair dentro da área não havendo lugar a grande penalidade
50 Minutos de Jogo – Carlitos procurou a falta dentro da área de grande penalidade agarrando e deixando-se cair decidindo bem Grzegorz Gilewski não assinalar
2ª Parte

Duas Falhas graves:

30 Minutos de Jogo – Erro de Grzegorz Gilewski ao não assinalar grande penalidade pois Ergic jogou a bola deliberadamente com o braço
33 Minutos de Jogo – Nova grande penalidade por assinalar pois Marque jogou a bola deliberadamente com a mão.

EFEITO MELANCIA


Vendo-a pelo preço que a comprei, isto é, de borla. Pinto da Costa terá dito pouco antes da contratação de Hulk mais ou menos o seguinte:

- Com este, não damos 20 de avanço aos vermelhos, damos 30!

PEQUIM COM POUCO PORTUGAL


Ao contrário do que sucede com muitos portugueses, para mim desporto não é só futebol. Longe disso. Logo, gosto muito dos Jogos Olímpicos, da sua atmosfera peculiar, da rivalidade entre as grandes potências, da adrenalina existente aquando dos principais duelos. E gosto mais ainda quando tenho a oportunidade de ver atletas portugueses a conseguir feitos digno de registo. E, para que conste, resultados de qualidade não são apenas aqueles que permitem arrebatar medalhas. Para muitos desportistas, melhorar as suas marcas ou estabelecer novos máximos nacionais equivale a ouro. Logo, quem pensava que os portugueses iam para a longínqua, cinzenta e misteriosa Pequim coleccionar troféus, precisa de entender que o nosso País, para além de pequeno e com diminuta base de recrutamento, não é – infelizmente – uma potência internacional. Conseguir competir com os melhores já não é nada mau, tendo em conta a nossa realidade que, diga-se sem rodeios, é pouco europeia em determinadas situações...Mas, independentemente de ter perfeita consciência de que a maioria da Missão lusa não tinha (ou não tem) capacidade para brigar pelos postos cimeiros, nem por isso posso ignorar que, ao cabo de quatro dias de competição, o desempenho nacional é fraquinho. Sei que ainda é cedo para balanços definitivos, que ainda temos alguns “trunfos” para apresentar ao Mundo mas, efectivamente, aquilo que já se viu... sabe a pouco. Quase apetece dizer para os chineses interromperem o certame e começar tudo de novo. Por outro lado, começa a ser preocupante a histórica tendência dos atletas portugueses para acusar a pressão no momento da verdade. Quem já subiu ao pódio em Europeus e Mundiais, quem está bem posicionado nos mais variados “rankings” internacionais, quem tem enorme tarimba, não devia chegar aos Jogos Olímpicos e ficar a léguas de distância do seu rendimento normal. E se ainda fossem só um ou dois atletas a “escorregar”, o assunto até passava despercebido mas, até à data, já se viram muitos “filmes” idênticos. No judo, por exemplo, acabou por ser o nome menos sonante (Ana Hormigo) a conseguir a melhor posição, enquanto no tiro foi tudo muito mau e Joaquim Videira, na esgrima, também ficou longe das previsões.Curiosamente, tem sido a equipa de natação e os “desconhecidos” do remo quem mais tem surpreendido pela positiva. Cá está o caso de atletas que, todos sabemos, não possuem potencial para pensar em medalhas, mas que se entregam de corpo e alma no sentido de, pelo menos, atingir o seu melhor patamar de sempre. E é só isso que o País pede: superação!Bom, embora admita que o meu optimismo já foi maior, quero continuar a acreditar que a prometida melhor prestação de sempre ainda vai ocorrer. Mas, para isso ser possível, os velejadores têm de estabilizar na frente, Vanessa tem de ser a Vanessa de há uns meses, Naide e Nelson precisam de “voar” e, aqui e ali, terá de aparecer um “joker” para animar as hostes.

LUÍS AVELÃS

também em www.record.pt


NADA PARA TUDO


Michael Phelps é claramente o rei do cloro em ambiente aquático. O norte-americano já vai em cinco medalhas de ouro e promete bater o recorde de sete de Mark Spits, o nadador com bigode e calções com as cores da bandeira norte-americana. Não sei o que toma Phelps ao pequeno-almoço mas o moço garante que devora tudo o que é pizza ou massa tal como a rapaziada da LA. Faço o mesmo mas não consegui ainda passar dos 2.04 aos 100 metros, o que até nem é uma marca má para quem pesa 98 quilos. O homem que nada para tudo está quase a atingir o seu objectivo sem que os nadadores portugueses consigam pelo menos uma presença nas meias-finais. Como escreveu José Couto n'O Jogo, a natação portuguesa é de terceiro mundo. Tal como nos ténis, um mundo de queques onde dificilmente surgirá um verdadeiro talento...pois esses, sim, podem ser encontrados na Ribeira do Porto ou nos canaviais do Tejo. Vamos lá ver se a Vanessa, que é menina do povo, não se deixa contaminar pela nossa paupérrima prestação na natação e se inicia a sua prova em grande estilo, numa modalidade à qual nenhum atleta do FC Porto se pode candidatar, a não ser que o triatlo se chamasse tetratlo.

quarta-feira, agosto 13, 2008

Terminaram as FÉRIAS


Pois é...terminaram as minhas Férias.
Ser um apaixonado pelo Futebol, obriga a isto mesmo, que as Férias comecem no Fim e terminem no inicio.
Já é assim há duas décadas, pois o profissionmalismo nunca chegou à arbitragem.
Amanhã cá estarei, após publicação no Jornal de Noticias, a analisar o trabalho da equipa de arbitragem polaca, que arbitrou hoje (mal) em Guimarães, no primeiro jogo a valer em Portugal.

UPS!

Como diz o Miguel Góis, ai que saudades, ai, ai, das manchetes do Tal & Qual!

SÓ A VERDADE É REVOLUCIONÁRIA

Já li por aí, em blogues e afins, e ouvi o presidente do Gondomar SC afirmar que o seu clube não foi condenado por corrupção no processo originário, fruto da acção do então presidente, José Luís Oliveira. Não é verdade. Oliveira, enquanto presidente da comissão administrativa do Gondomar SC, na época de 2003/2004, foi condenado por 10 crimes de corrupção desportiva. Para que conste.

A FRANCISCA E O SEU MOMENTO DE GLÓRIA

"Pai, entro com todos menos com o João Moutinho" - repetiu a minha filha Francisca quando soube que o Sporting a convidara para acompanhar a equipa leonina na entrada, no jogo com a Sampdoria. Os dias passaram, a euforia e a alegria não, mas pouco antes de rumar a Alvalade a miúda mudou de opinião e, confiante de que Moutinho iria continuar leão, até torcia por entrar com o capitão. Lá chegada, fez tudo para que assim fosse. Ei-la, pois, ao lado do capitão e do emblema do seu clube. Um momento para mais tarde recordar, fruto da sua passagem pela academia este Verão, uma experiência também inesquecível para uma das leoas lá de casa. O pai, esse, não teve voto na matéria...

O PESADELO CONTINUA

Já aqui há algum tempo dissemos que o Boavista dificilmente conseguiria inscrever-se na Liga dita de Honra. O caso parece mesmo complicado para o clube do Bessa. O Fisco e a Segurança Social recusaram o plano de pagamento proposto e à Liga só resta um caminho caso esta situação se mantenha: anular a inscrição do Boavista. Ou há moralidade ou não pagam todos. Com 105 anos de história, o Boavista não pode viver mais na ilusão de que é possível estar no primeiro plano com a casa toda a arder. O clube precisa de se refundar. Obviamente, há ainda uma luz no fundo do túnel do Bessa, que passa pela possibilidade de o Fisco e da Segurança Social aceitaram um novo plano de pagamento e por garantias que parecem difíceis de encontrar. Pode queixar-se o Boavista, isso sim, do laxismo (para não lhe chamar outra coisa) de alguns directores de finanças que num passado bem recente assinaram de cruz certidões que nunca deviam ter sido passadas... E não estou a falar concretamente do Boavista!
Tome-se nota ainda do seguinte: para o Boavista não seria apenas necessário pagar cerca de 100 mil euros por mês (o que na II Liga seria um milagre) mas também fazer os respectivos descontos mensais dos seus empregados para o fisco e a segurança social, o que pelos vistos não acontece há muito, muito tempo...
PS - Ok, pronto, não queria, mais aí vai: a imagem inclui uma mensagem subliminar.

Por favor, não pisem os malmequeres!

  Ia escrever qualquer coisa sobre isto mas o João Freitas - um dos melhores jornalistas que conhece - tirou-me todas as palavras da boca. ...