quarta-feira, janeiro 31, 2007

É galo

Gil punido com a subtracção de 9 pontos e multa. Só uma palavra para isto: "compluio". Graças ao juiz Mourão, agora presidente da comissão da carteira (cuidado com elas) profissional dos jornalistas.

A prova


Um árbitro português foi "agredido" num campo de um clube da I Liga. Relatório feito com as ocorrências, fez questão de enviar para a Liga a prova do crime: uma perigosíssima moeda de 2 cêntimos.

2 estórias de árbitros

Jogo da II Liga prestes a começar. O presidente entrega ao árbitro o envelope. Este faz a contagem das notas. "Não chega", diz. Argumenta o presidente que foi o que se pôde arranjar. "Não chega", repete o bicho. O presidente não tem mais nada: corre para a bilheteira e enche um saco do "Continente" com notas. Não dá tempo para contá-las. O bicho aceita a oferta. O jogo pode começar.
Jogo a decorrer. Árbitro assistente a prejudicar insistentemente a equipa da casa. O presidente, na bancada, agarra no telemóvel e pede a um dos roupeiros para se acercar do árbitro e para lhe transmitir a mensagem: "Não te esqueças do cheque sem cobertura que passaste a fulano..." Tudo regressa rapidamente à normalidade.

COISAS QUE ACONTECEM

Vários incidentes legais foram levantados pelos advogados que defendem os 27 acusados no núcleo original do Apito Dourado. Os dois mais importantes são conhecidos: a validade das escutas e a alegada inconstitucionalidade da lei que pune a corrupção desportiva. Mas há outros. Por exemplo, a eternidade que passou entre o pontapé de saída - denúncia do árbitro Rui Mendes - e o início da investigação - mais de um ano entre o facto de o acto de corrupção para acto lícito - como defende a...defesa . No fundo, os advogados fizeram o seu trabalho de casa bem feito e tentaram desmontar a tese da acusação. Não fosse o juiz Pedro Miguel Vieira, ex-júnior do FC Porto, e as coisas podiam ter descambado para o campo da difamação. Carlos Teixeira soube conter-se mas ficou a conhecer pela primeira vez a força da defesa. Se houver julgamento, como tudo indica, será muito pior...num tribunal que é propriedade da Câmara de Gondomar e que continua a recusar-se a pagar a respectiva renda. Ou seja, qualquer dia vamos ter o major a arrestar os processos do seu arqui-inimigo Teixeira...

BnA

Pela segunda vez na sua história, BnA termina um mês acima das 25 mil visitas. Está muito acima de uma expectativa que nunca existiu porque BnA não martela audiências, como outros, nem sofre de narcisismo agudo. Este é um blog de um simples blogger e nada mais. Mas não deixa de ser gratificante chegar à 1.472 postagem com 444.607 visitas e 537.405 mil page view. Prometo que vou continuar mesmo quando for banido do "top 100" do blogómetro.

terça-feira, janeiro 30, 2007

UM DIA EM GONDOMAR

Advogados, mais de 40. Acusados, menos de 10. Valentim Loureiro abriu o dia em Gondomar mas para esclarecer aquela história da boleia de Durão Barroso a Pinto de Sousa, numa trip a Moçambique. O major não se explicou bem e as televisões que chegaram tarde passaram o dia a dizer que Valentim quer que tudo se resolva no julgamento, quando o que o major disse foi que gostaria de ser absolvido antes mesmo de o julgamento começar, ou seja, na fase de instrução que está a terminar. Enfim. À tarde, uma parada de advogados, alguns deles estrelas dos nossos tribunais, outros nem por isso. Foi o primeiro confronto entre este batalhão de causídicos e o procurador adjunto Carlos Teixeira. A coisa esteve preta. O jovem juiz Pedro Miguel Vieira teve de ser o árbitro. No fim, defesas confiantes num bom desfecho: a desmontagem da acusação. Esta, obviamente, sem se pronunciar. Mas uma frase ficou-me no ouvido: "Isto é tudo show-off, julgamento à vista". Será mesmo? Não deve ter sido isso que os advogados disseram aos seus clientes, concluída uma sessão de quase sete horas com um intervalo para uma cigarrada e outro para comer umas bolachinhas que o tribunal encomendou na confeitaria "Douradinha".
PS - Na foto de Manuel Araújo, meu companheiro de estrada, pode ver-se o "je" (é aquela mancha vermelha em pose de craque brasileiro em dia de apresentação) rodeado pelos dois jornalistas que mais sabem sobre Apito Dourado...e não só.

segunda-feira, janeiro 29, 2007

Notícias do dia




Pinto da Costa e Reinaldo Teles ouvidos na PJ do Porto com direito a circo mediático. Mais uma vez a justiça não soube guardar segredo. O costume.
Vítor Pereira confirma, em entrevista ao DN, que Paulo Baptista permanecerá suspenso enquanto decorrer o inquérito aberto pela Comissão de Arbitragem. O inquérito deverá algumas semanas até ser concluído mas Baptista deverá continuar a apitar. No fundo, o que está em causa é um pedido para não prejudicar a Naval...
Rentería começa a treinar no FC Porto, depois de ter sido oferecido a outros clubes portugueses. Veremos o que vale o suplente do pacense Phil Jackson.
Hermínio Loureiro em maratona de entrevistas. Ao princípio da tarde no Portocanal (vai para o ar hoje, às 21 horas, depois dos comentários do BB) e ao fim da tarde na RDP, nos "Artistas da Bola", onde teve de ouvir Eduardo Barroso dizer a verdade pura e dura, ou seja, que chegou a hora de trocar os processos de intenções por acção.
Dias da Cunha ouvido pela PJ por causa da sua colaboração com Marinho Neves? É o que diz o CM de hoje. O ex-presidente do Sporting já foi ouvido, mas noutro contexto, e não será estranho ser chamado. Ele e Luís Filipe Vieira, entre outros. Falta saber é quando.
Dois golos de Fábio Coentrão na Póvoa de Varzim, na goleada do Rio Ave de João Eusébio. O puto pode mesmo ser a grande notícia do fecho do mercado.
Mas quem bateu o record de intervenções nos media foi Marinho Neves, o autor de "Golpe de Estádio", com direito a grande reportagem na RTP, na SIC Notícias, na Renascença e na RDP, fora as que não apanhei. Alguém ficou com uma grande azia.

Entretanto, o Benfica apresentou o Ninja Derlei. "Ele é o Ninja, o nosso Ninja..." Nosso mas agora dos diabos e os no name. É a vida.

Ultrapassados


Com "muita tranquilidade", tal como Pacheco prometera, o Boavista conseguiu travar o Sporting num Bessa que esteve às moscas se tivermos em conta a importância do jogo. Bilhetes caros? Talvez, mais uma vez. Mas também a confirmação de que o Boavista é um clube com pouca massa e ainda assim crítica, de que é símbolo máximo a D. Fernanda e emblema folclórico o Manuel do Laço, sendo que o Amaral das farturas também compõe bem o grupo. O Sporting não soube ganhar o jogo e confirmou-se o que Paulo Bento temia: do árbitro não se podia contar com qualquer bem querença. Aquele que se intitula o único árbitro português profissional, tirando os dois rapazes do BES que têm tolerância ou dispensa de ponto, esteve auxiliado pelo melhor árbitro assistente da actualidade, o portuense Bertino Miranda, que foi quem tirou, e bem, o penálti a Tello, se bem que me tivesse parecido que o jogador do Sporting amarelado foi outro. Não gosto do árbitro Benquerença - é proa a mais para os motores que possui. E depois jamais esquecerei aquele golo de Jardel em fora-de-jogo, numa final da Taça no Jamor, um dia quente mas de céu nublado... Já vi e revi as imagens da expulsão de Alecsandro e, apesar da unanimidade dos comentadores de futebol em super slow motion, não fiquei convencido da boa decisão do árbitro: não terá sido o avançado do Sporting tocado por Grezlak? As imagens não o podem provar. Mas se foi, era penálti e o Sporting continuaria com 11 e podia ter feito ali o 2-1. Pois é...

domingo, janeiro 28, 2007

Boavista


A situação do Boavista é má. As causas estão dissecadas: o clube foi iludido no sonho do Euro 2004 e continua a pagar a factura. Agora, procura desesperadamente oxigénio, ou seja, uma injecção de capital. Tudo bem. É um caminho legítimo. O problema está, porém, no tipo de parceria que João Loureiro propõe: ninguém quer entrar com dinheiro só para ter 20% do controlo da SAD. E quem tem dinheiro é porque não é parvo...

Veiga, 1 - Mendes, 0



Pode parecer um pormenor mas não é. Pela voz de Ricardo Rocha se ficou a saber que Jorge Mendes já não é o seu empresário. Deduz-se que só por isso foi possível finalmente a sua transferência para um dos muitos clubes de Londres, por troca com o clube com mais adeptos no Mundo, na Lua e em Proxima Centauri. Foi mais um ponto para José Veiga - o homem que dirigiu o negócio de 5 milhões cash - na sua guerra com o empresário que domina o mercado português e internacional. Um transmontano nunca deve ser menosprezado, mesmo quando em disputa com um minhoto de raça com página no orkut a que aconselho uma visita, por sugestão do meu amigo Luís Paulo Rodrigues(oleaodaestrela.blogspot.com), a quem também agradeço a conversa e o magnífico pica no chão.

FIASCO

Disse Manuel Cajuda - treinador que o BnA aprecia especialmente - que está em Guimarães a fazer a gestão dos danos. Tem razão. Acrescento eu que no caso em questão se trata mais de uma gestão danosa.

Falta?

http://www.youtube.com/watch?v=DmCmvVNdNlM

sábado, janeiro 27, 2007

Orgulho


A eleição de Michel Platini para a presidência da UEFA está a ser vista como o fim do tecnocracismo na principal estrutura futebolística europeia. A mesma que conseguiu passar mais ou menos indiferente aos protestos do famoso G-14 e que transformou a Champions numa competição de grande sucesso, não se podendo esquecer que deu a Portugal a organização do Euro 2004. Entre um sueco, o gigantesco Johansson, e um francês, o apalhaçado Platini, a escolha parece lógica mas parece que chegou o tempo de dar aos antigos praticantes aquilo que eles nunca fizeram: dirigir um negócio. Nesse entretanto, Gilberto Madaíl escapou ileso da guerra presidencial e conseguiu o seu lugarzito na comité executivo da UEFA, facto que também tem tido uma leitura que considero simplista: foi uma vitória pessoal e uma vitória de Portugal. Convém não esquecer que não é a primeira vez que Portugal tem um membro no comité executivo da UEFA - Silva Resende também já por lá passou e não consta que com grandes resultados... - mas a memória é curta e o que importa para já é o "orgulho". Ora, todos sabemos muito bem para que serve o "orgulho" quando nada mais resulta de prático e positivo. E olhando para os outros membros do comité executivo da UEFA depressa percebemos que é, de facto, um orgulho estar num grupo que inclui um ucraniano, um russo, um cipriota e um representante dessa grande potência futebolística que é a ilha de Malta, para além de um italiano e de um alemão. Madaíl, registe-se o facto não divulgado pelas fontes do costume, teve apenas 27 pontos, tantos como o representante de Malta, enquanto Villar, de Espanha, foi eleito com um total de 42 votos.


Vamos ver no que isto dá. Ou não dá.

sexta-feira, janeiro 26, 2007

HILARIANTE

O admirável escritor das neves anda mesmo a ver muitos filmes.

2.ª derrota


Estalou o verniz no reino do Dragão. É certo: ficou por um penálti por marcar para os azuis e brancos (braço de Renato, após remate de Lisandro). Mas a verdade é que o campeão nacional não esteve bem em Leiria, onde teve o pássaro na mão, depois de encostar o Leiria à cordas nos primeiros 20 minutos. Quem não marca...sofre. E com 10 durante toda a segunda parte ficou difícil e bastou uma desatenção (num livre que não existiu...) para que o Leiria fizesse o seu golo e guardasse ciosamente a vantagem, com Domingos a não conseguir festejar no banco. Já vai pra aí um grande bruá sobre o tema "campeonato relançado" mas ainda vamos ver se está mesmo, pois Boavista e Belenenses não são ossos fáceis de roer para Sporting e Benfica, respectivamente.

Penso eu de que.

Rui de ouro

Rui Barros é o treinador dragão de ouro de 2006. Justíssimo. Dois jogos, duas vitórias, uma delas a valer (supertaça), na transição Adriaanse-Jesualdo. O "picolo" mantém o seu low profile. Jamais esquecerei o dei em que, ao serviço do CM, me desloquei a Turim para fazer um trabalho com o novo craque da Juve. O Rui abriu-me as portas da sua casa, levou-me no seu carro ao treino e deu uma volta comigo pela cidade, também na companhia do seu pai. Ele dava os primeiros passos na grande cidade - ainda não sabia sequer onde ficava o supermercado - e foi de uma disponibilidade extrema. Continua a ser assim. E continua bem.

PELADEIRO?

Razão tinha o meu amigo Paulo Silva quando me telefonou, pouco minutos depois da postagem feita, a avisar que o Rentería não é brasileiro mas sim colombiano: eles iam cair-me em cima. Agradeço a revisão da minha atenta e por vezes furibunda clientela mas deixei ficar como estava apenas para fazer o teste. Confirma-se: o pessoal está com a bola na área. Entretanto, procurei informações em Porto Alegre sobre o novo avançado do FC Porto, junto de uma fonte próxima do Colorado. A mesma que me tinha avisado que Pitbull, vulgo Cláudio, era um cachorrão. Sobre o colombiano que eu tratei como brasileiro - sorte a dele -, este meu amigo diz apenas isto: "É um peladeiro". Não augura nada de bom.

FHM


www.fhmfevereiro.blogspot.com. É o blog, temporário, da FHM com os 100 melhores vídeos portugueses do You Tube. Mais uma razão para justificar a punhetazita da ordem. Quanto à Diana Parente, bom, muito bom, sobretudo depois da Ana Mesquita. Quando disse bom, muito bom atenção que estava a referir-me à reportagem propriamente dita.
Boas leituras!

quinta-feira, janeiro 25, 2007

Balanço mas não cai

Confirmado que, afinal, os jogadores quando querem podem usar o direito a que se pode chamar liberdade de expressão, Miccoli veio afirmar que exagera quem diz que está gordo. Quem o disse, todo percebemos, foi Fernando Santos. Não sei se, ali para os lados da Luz, as balanças estão tão bem calibradas como os aparelhos de ressonância magnética, o que sei é que o italiano parece um bocado anafadito. Disse Mi-Mi-ccoli que pesava 69 quilos em Itália e que agora pesa 71. Não é nada que o abone. Todos sabemos que os jogadores italianos têm peso a mais, graças à criatina que lhes dão. O excesso de massa muscular costuma ser, aliás, a origem de muitas lesões. A ter em conta este pormenor, sobretudo num momento em que alguns clubes portugueses começam a abusar deste produto e dos seus derivados, querendo fazer máquinas de guerra à força, o que nem sempre é possível quando estamos a falar de putos de 18 anos. E mais não digo.
Outro assunto: o FC Porto foi ao Brasil reforçar-se. O mercado sul-americano continua a ser a grande fonte do campeão nacional. Não era possível comprar o Pato, comprou-se o Rentería. É mais um brasileiro que chega ao Dragão e mais um que vem de Porto Alegre, a terra do Anderson e do meu amigo André Ribeiro.
Entretanto, o Sporting de Braga vai vender Diego Costa ao Atlético de Madrid por 3 milhões de euros. Outro grande negócio daquele que é o clube português com mais papel moeda. Se continuar assim, terá em breve condições para montar uma equipa para lutar pelo título e, mais importante, para suportar os ataques do costume. A pujança bracarense cada vez mais contrastante com a fragilidade do Vitória, onde se prepara terreno para eleições com alguns dos candidatos a candidato já no Brasil.
Lá por fora, o nosso Gilberto Madaíl prepara-se para ser finalmente eleito para o comité executivo da UEFA, faltando saber se se deixou comover pelo apelo pungente do Delgado para votar no Platini, aquele tipo mal disposto que sempre nos tramou. Vade retro!
Hermínio Loureiro continua a assumir-se como defensor dos nossos árbitros e lá esteve na AR na companhia do inefável António Sérgio, presidente da APAF. O presidente da Liga se calhar devia distanciar-se um bocadinho desta área, penso eu de que.

quarta-feira, janeiro 24, 2007

O regresso do rei

Na cidade do fundador toda a gente está à espera do rei. Os mais esperançosos acreditam mesmo que a erosão costeira da Caparica pode levá-lo a voltar à corte, onde foi traído pelo bobo e também por alguns fidalgos. Está visto e provado que não era o rei que precisava do seu reino mas o reino que não podia dispensar o seu rei. Acontece. A verdade é esta: o Vitória está na segunda para lavar e durar, o seu passivo continuou a crescer e o património como que desapareceu - praticamente salva-se o estádio, que pouco resta do que foi hipotecado do complexo com nome real. Os cavaleiros da távola redonda - António, Alberto, Coimbra, Pimenta e Machado - podem estar a caminho do reino hoje em real perigo de desaparecimento. Ninguém consegue perceber como é que se gastou tanto e tão mal o dinheiro proveniente das contribuições dos servos da gleba (1 milhão de euros), das rendas televisivas (2,5 milhões de euros) e de outros tributos reais. O bobo da corte que entretanto subiu ao treino, e que nem grato com os seus almocreves conseguiu ser, escapa-se pelas catacumbas depois de mudar de penteado. Vai pregar para outra freguesia enquanto o reino estremece também sob a chacota da concorrência. O oráculo tinha razão, não estava a especular. Este é um reino inventado pelo seu rei.

terça-feira, janeiro 23, 2007

COMIDOS DE CEBOLADA


O caso Gil Vicente continua com pano para mangas. A Comissão Disciplinar da Liga decidiu-se pelo arquivamento por entender que o Gil tinha direito a recorrer da decisão do CJ da FPF para os tribunais comuns, por estar em causa aqui uma questão não estritamente desportiva. Ricardo Costa, o jovem presidente da Comissão Disciplinar da Liga, fundamentou bem a sua posição mas, infelizmente, a Imprensa de hoje pouco a explica. O presidente da CD foi à Lei de Bases e à ciência jurídica já produzida para sustentar que a providência cautelar do Gil ao Tribunal Administrativo é perfeitamente legal, por não estar em causa aqui uma questão desportiva mas sim de âmbito disciplinar (a descida do Gil). O que nos remete para o resultado da punição do Gil com a descida pelo Conselho de Justiça da FPF, que defendeu que quando o Gil recorreu ao Tribunal do Trabalho por causa de Mateus desta forma infringiu a lei desportiva. Toda a gente sabe o que se passou, até a FIFA quis meter o bedelho, mas a verdade, pura e dura, é que o Gil desde o primeiro momento podia recorrer aos tribunais comuns - não só de Mateus mas também da decisão que determinou a sua descida de escalão, depois de no campo ter garantido a permanência. Para que mais dúvidas não restem, e para quem se interessa por estas matérias, cá fica o link para o acórdão histórico da Comissão Disciplinar da Liga:
http://www.lpfp.pt/default.aspx?SqlPage=content_disciplina&CpContentId=287043

Grande negócio


Grande negócio fez o Benfica com a venda de Ricardo Rocha, garantindo 5 milhões de euros cash. Nos tempos que correm é obra! Uma negociação conduzida a 100 por cento por José Veiga e que terminou também com sucesso para o jogador, que dobra o salário e vai jogar para um dos mais carismáticos clubes ingleses. Tendo em conta que estamos a falar do pior central do Benfica, foi, repito, um grande negócio, no qual até o Sporting de Braga vai ganhar 500 mil partes, pois tem direito a uma parte da mais valia. Salvador sempre a facturar mesmo sem fazer nada, tal como terá acontecido ao empresário do jogador, que viu os navios a passar nesta transferência...

segunda-feira, janeiro 22, 2007

Segredo de justiça

A NOTÍCIA DO FIM DE SEMANA FOI MAIS UMA VEZ UMA NÃO NOTÍCIA: A PRESUMÍVEL VIOLAÇÃO DO SEGREDO DE JUSTIÇA PELO SPORTUGAL, QUANDO PÔS EM LINHA O DESPACHO QUE MARIA JOSÉ MORGADO ENVIOU PARA 14 PESSOAS. O DESPACHO EM SI, A SUA FUNDAMENTAÇÃO E AS CONSEQUÊNCIAS QUE TAL PODE TER PASSARAM PARA TERCEIRO PLANO, AO PONTO DE ALGUÉM DA SIC TER TIDO O DESPLANTE DE FECHAR UMA PEÇA COM UMA FRASE DO TIPO NÓS LEMOS O DESPACHO MAS NÃO O VAMOS DIVULGAR PORQUE NÃO QUEREMOS VIOLAR O SEGREDO DE JUSTIÇA. ORA, QUE EU SAIBA, A NÓS, JORNALISTAS, PAGAM-NOS PRECISAMENTE PARA ISSO: PARA TODOS OS DIAS, SE POSSÍVEL, VIOLARMOS O SEGREDO DE JUSTIÇA, ANTECIPANDO OS ACONTECIMENTOS. OU SERÁ QUE ESTOU A VER MAL OUTRA VEZ?

Jesus


Há quem não goste do homem por dar calinadas. Mas quem o vê em acção não fica com dúvidas: JJ é um treinador de fibra! Como o Estádio S. Miguel, em Gondomar, aloja os jornalistas num "pombal" logo atrás dos bancos, pude apreciar de perto a performance do treinador do Belenenses. Que deu instruções não apenas aos seus jogadores mas também, na perspectiva de um dos treinadores adjuntos do Gondomar, aos árbitros. "O que é que queres, caralho? Estás sempre a pedir cartões...", foi como se insurgiu António Costa, adjunto de Vaqueiro. O treinador gondomarense foi bem mais discreto, só afinava quando os jogadores "viravam o cu à bola". "Ganha a bola, posiciona, estás a perder as bolas todas, largura, largura!" - eis parte do repertório de Jesus, a dado ponto bastante irritado com as entradas do Robocoop Fernando Aguiar. "Eiiiiiiiiii, eiiiiiii, isto não é futebol americano!" - gritou. Eis que o árbitro marca uma falta para o Gondomar, livre e golo. "OOOOOOOOOOOOOO, tás a inventar ou quê? Diz ao árbitro que não foi falta...", atirou para um dos seus jogadores-mensageiros o muito interventivo treinador dos pastéis de nata, que acabaram por vencer com alguma tranquilidade.

SUBLIMINAR

O Sporting confirmou, pela voz de Garção, que Marinho Neves colaborou com o clube durante 6 anos, conforme aquele revelou na SIC e na apresentação do seu livro. O director leonino justificou a dispensa com o facto de o Sporting entender ser mais importante estar na direcção na Liga que propriamente conhecer os meandros do sistema com a ajuda de um expert. A pergunta é: estar na direcção da Liga permite assim um controlo tão grande sobre o sistema?

ENVELOPE 12

Há aí um caso que bem merecia uma investigaçãozinha e que é candidato a mais um best-seller de Marinho Neves (que contou com Pimenta Machado na reedição do seu livro "Golpe de Estádio", a primeira pedrada no charco no futebol tuga). É o caso do "envelope 12", também conhecido por cabaz de Natal. Um simples envelope bem recheado de notas, para distribuição pelos paroquianos. Uma caldeira de enguias para quem adivinhar, no Estrela do Mar, ali na matosinhense Serpa Pinto.

domingo, janeiro 21, 2007

ENCARNAÇÃO

Segundo o advogado de Pinto da Costa, o despacho de Morgado que visa a reabertura do caso Jacinto Paixão só se pode explicar com um milgre da Nossa Senhora da Encarnação, santa que em Portugal tem pelo menos 3 locais de culto identificados, ficando um deles no Carvoeiro (Algarve). Começa a ser recorrente o uso de imagens religiosas neste caso que nunca mais acaba e que mais parece estar só agora a começar. Aparentemente sem preocupar muito alguns dos principais visados que este fim de semana, num restaurante de Matosinhos, se riam à gargalhada a propósito de um prato de arroz carolino. Num ambiente de perfeita felici...dade, e com sotaque brasileiro, alguns dos homens de quem se fala mostravam à saciedade - só possível num restaurante onde todos chamam o "António" - que o poder da Nossa Senhora da Encarnação pelo menos não lhes afecta o apetite.
Pergunta inocente: haverá alguma imagem desta nossa senhora em S. Bento da porta aberta?

FÚRIA AZUL NO CORAÇÃO DO APITO DOURADO




A claque do Belenenses, a "Fúria Azul", esteve em peso no Estádio S. Miguel, em Gondomar, palco principal dos factos que deram origem a uma trapalhada sob o título genérico Apito Dourado. Ter uma claque tão significativa e tão fiel é um facto que releva e revela a vitalidade de um clube, mesmo quando este nos seus jogos em casa tem mais cadeiras vazias que público - mas aí a culpa é claramente de quem plantou ali cadeiras a mais para a procura que existe. Entre a claque azul há uma figura que se destaca não só pela falta de frio que revela mas também pelo entusiasmo com que acompanha a sua equipa - é, dizem-me, o Grande Lu, o único lisboeta em tronco nu enquanto nevava em Lisboa. Que aqui vemos no final do jogo à conversa com o presidente Cabral Ferreira, que aproveita para cacimbar. Eis aqui mais um sinal positivo, com um presidente a conviver com as suas bases e sem precisar de guarda-costas para ali descer. Mais um ponto para Cabral Ferreira, o dirigente que obrigou Fiúza a consultar o dicionário para saber o que significa a palavra "compelote". Para quem foi a Gondomar sobrou ainda o extra proporcionado pelo speaker de serviço, uma verdade avis rara. Não é que o homem fez pelo menos uma dúzia de intervenções pedindo aos adeptos para se sentarem nas cadeiras, caso contrário o clube poderia ser multado... E pelo meio informou que alguém tinha deixado um Ford branco com as janelas abertas e com valores no interior, uma informação que presumo preciosa também para quem gosta de se apoderar de bens alheios... O mesmo speaker anunciou que ontem iria ser mostrada uma nova "crolografia" pela claque do Gondomar, que partilhou a bancada principal, que fica atrás de uma das balizas, com a claque do Belenenses, apenas com leves incidentes para assinalar.

sábado, janeiro 20, 2007

APITO MORGADO

A reabertura do inquérito relativo aos factos do polémico FC Porto-Estrela da Amadora é praticamente uma acusação prévia contra Jacinto Paixão, Pinto da Costa, Reinaldo Teles e António Araújo, entre outros. Recorde-se que na próxima quarta-feira completa-se o 3.º aniversário desse célebre jogo na caminhada do FC Porto de Mourinho para a conquista do campeonato e da Liga dos Campeões. O DIAP do Porto, em Abril do ano passado, entendeu que não havia factos suficientes que fizessem antever uma acusação bem sucedida em sede de julgamento. E por isso, mas não só, arquivaram o processo. Mas é então que surge primeiro o livro e depois Carolina Salgado. E as suas declarações foram, segundo Morgado, "inovadoras" do ponto de vista do processo já declarado morto, apesar de se sustentar em diligências de prova circunstancional, inquirição de testemunhas, declarações para memória futura, reconhecimentos fotográficos, regulamentos de arbitragem, auto de compromissos dos peritos, informação policial, visionamento do jogo, informação policial sobre a noite subsequente do mesmo, buscas (SAD do FCP, por exemplo), relatório de peritagem, relatório policial e até...as 17 leis do jogo. O DIAP do Porto entendeu existir "insuficência judiciária" da prática de crimes pelas pessoas indiciadas, "com base num juízo de improbabilidade de condenação dos arguidos". O DIAP não encontrou nexo de causalidade entre os momentos de prazer proporcionados aos assistentes de Paixão (que declarou ter recusado a oferta) e qualquer desvirtuamento da verdade desportiva. Mais, o DIAP entendeu que não lhe cabia julgar eticamente os divertimentos que o empresário António Araújo a quem deles se aproveita "no complexo mundo do futebol". Não lhes parece que o mundo da justiça também é um bocado complexo, sobretudo quando os magistrados se esforçam por escrever em português do século XIX? Adiante. Para chegarmos de novo ao depoimento de Carolina que mudou o "chip". A ex-companheira de Pinto da Costa confirmou que o FC Porto reunia com os árbitros e lhes oferecia prendas não apenas em cash, para obter arbitragens favoráveis. Em nome "da paz jurídica dos arguidos" (era disto que estava a falar), Morgado entende que o MP fica colocado perante um dilema insofismável que o conduz para a continuação da acção penal. O depoimento de Carolina "adquire um efeito inevitavelmente invalidatório do arquivamento" (a dança continua), o que conduz, ainda segundo Morgado, à reabertura oficiosa do inquérito, considerando que a nova prova produzida "afigura-se-nos substancialmente esclarecedora da principal dúvida indiciária determinante do arquivamento". A valoração da testemunha Carolina Salgado resultado, por outro lado, dos seus conhecimentos, da sua "notória proximidade doméstica com os acontecimentos" e ao modo "como os viveu junto dos arguidos" - situação que não lhe retira credibilidade, apenas lhe dá força testemunhal. Temos, portanto, aqui uma bela peça para debate também entre os chamados juristas. E também motivo para alguma fofoquice nos corredores dos tribunais, sobretudo nos superiores. É muito raro o MP, apesar de todos os floreados de linguagem, desmontar aquilo que o MP fez e neste caso isto até aconteceu 3 vezes, ou seja: Carlos Teixeira, procurador adjunto do Tribunal de Gondomar, indiciou; o DIAP do Porto, através de outro procurador cuja assinatura não se consegue decifrar, arquivou; e agora Maria José Morgado, procuradora também, volta a abrir o processo nas barbas de alguns dos seus superiores que deveriam tutelar o caso. A contestação da reabertura do processo é bem capaz de passar por aqui, com o recurso a alguns famosos juristas que vivem dos seus doutos e bem pagos pareceres, embora Morgado já se tenha de algum modo antecipado ao citar alguns deles na fundamentação da sua decisão.

Haja fé.

sexta-feira, janeiro 19, 2007

PC, OS ESTÚPIDOS E OS ESQUIZOFRÉNICOS


Com a devida vénia à revista DRAGÕES, da qual sou assinante mas que só recebo 2 semanas depois de cada número ser colocado em banco, reproduzo o editorial de Pinto da Costa, sob o título CAMPEÕES DE INVERNO...OLÉ.
"Sem que esse facto notável constitua qualquer motivo de interesse jornalístico, como se tem visto pelos pasquins de sempre, a verdade é que o FC Porto continua a vencer e acima de tudo a convencer, a dar espectáculos desportivos e a contribuir decisivamente para o aumento do PIB nacional ao provocar uma procura fora do comum nas farmácias de pastilhas contra a azia. Parece sina, mas não é... As vitórias do FC Porto serão sempre secundarizadas hoje, como o foram no passado, e sê-lo-ão no futuro, completamente ultrapassadas pelos êxitos fantasmas dos clubes da toda poderosa Lisboa que nos tenta sufocar, nos persegue em permanência e se esforçar para nos calar a alma! Valha à pena, ao menos isso, que no momento presente não nos encontramos sós neste abandona por parte da comunicação social... Curiosamente, ou não, o Caso Casa Pia queixa-se do mesmo, da mesma falta de atenção jornalística. Mas, como contra factos não há argumentos, aí vai o "pouco" que já fizemos esta época:
- Vencedor da Supertaça.
- Qualificação para os oitavos-de-final da Champions.
- Líder convincente no Campeonato Nacional.
- Melhor ataque.
- Melhor defesa.
- Melhor goleador
Não chega, nós sabemos bem! No FC Porto já nos habituamos à ideia de que tudo o que for menos do que vencer os marcianos, e se possível por 15-0, é pouco. Paciência! Porém é o que temos para dar a este Portugal doente, com tanto esquizofrénico à solta e com uma plêiade de estúpidos que gostam de tratar os outros como eles são: isso mesmo, estúpidos!

Sem dúvidas, umas das melhores peças de PC. Quem disse que está a perder qualidades?

O GENIAL VALE


Os bens da residência de Vale e Azevedo foram arrestados. A acção durou 24 horas... Mais uma vez o homem a quem um amigo meu benfiquista chama "o nosso pai" mostrou a sua genialidade, para não lhe chamar outra coisa. Antecipou um arresto de Dantas da Cunha e os seus bens foram para uma imobiliária inglesa à qual terá tido ligações. O antigo presidente do Benfica - que por muito pouco não se tornou o único proprietário do Estádio da Luz graças a mais um contrato do outro mundo... - arrisca-se a ser o fiel depositário dos...seus bens.
E esta, heim?!

APITO DOURADO


Tal como se esperava, a Morgadinha dos tribunais deu um novo impulso ao Apito Dourado. A notícia do dia é, obviamente, a reabertura do arquivamento do caso Jacinto Paixão. Morgado terá encontrado factos novos que por si só justificam que o processo saía do arquivo para onde foi enviado, com alguma celeridade, pelo DIAP do Porto. É curioso, no mínimo, reparar que o MP pode ter duas opiniões sobre um caso tão polémico. Teixeira investigou durante meses e entendeu que existiam indícios de crime, tese que foi corroborada por 9 juízes do Tribunal da Relação do Porto. Porém, o processo chegou ao DIAP e foi arquivado sob o argumento de que não era possível associar a linguagem criptada (fruta e café com leite) com actos ilícitos. Ao que parece, Carolina Salgado terá acrescentado dados novos, antes de ser barrada no Zé da Adega, em Vila do Conde, onde apareceu na companhia de João Malheiro. Começa a ser recorrente a presença de acompanhantes benfiquistas da senhora que animou o nosso Natal com histórias da carochinha. Outros processo poderão, também, ser reabertos e se for assim a coisa vai fiar fino. Citando Nuno Melo, o dandi de S. Bento, alguém anda à procura de sangue para a arena. E de pouco valem as preces e as pragas do professor Olímpio. Está visto que os tempos mudaram nos canaviais.

quinta-feira, janeiro 18, 2007

Wikipédia? Bah!

http://maosaoar.blogspot.com/2007/01/bola-em-moldura-amarela.html

??????????????????????

VAI APITAR OUTRA VEZ.

GOLPE DE ESTÁDIO II


Marinho Neves apresenta amanhã, em Lisboa, um livro que promete e será um best-seller: "Golpe de Estádio II". É a sequela de um livro que, aqui há dez anos, fez furor, apesar de ter sido boicotado pela imprensa da especialidade. Marinho Neves estava adiantado no tempo quando, num formato ficcional, chafurdou nos bastidores do futebol português. Sendo um dos melhores repórteres com quem já trabalhei, sei que não falou de cor nem escreveu salteado. Por isso, o novo golpe irá mexer com o que se passa nos nossos estádios. Sempre quero saber o que vai acontecer ao famoso João Seminário e ao seu amigo Balboa.
Cá fica um link para um dos capítulos da 1.ª edição do livro
http://canalscp.blogspot.com/2006/11/golpe-de-estdio-09-captulo-vi-aventura.html

Mourinho-Abramovich


Começa a ser uma situação recorrente. Os jornais falam no iminente divórcio entre José Mourinho e Abramovich, Mourinho reafirma o seu eminente amor ao clube do oeste londrino. Está mais que visto que o caldo entornou entre o chamado magnata russo que enriqueceu a vender patinhos de borracha e aquele que muitos consideram o melhor treinador do mundo, arrogância à parte, quanto a mim incluída pois faz parte da imagem de marca. Não sei quem é que começou e como esta guerra o que sei é que a imagem que Mourinho projecta ofusca a de Abramovich, de pouco valendo a este comprar o mais caro e maior iate do mundo. Mourinho é a imagem do Chelsea bicampeão e candidato número um à vitória na Liga dos Campeões. O que se passou, afinal? A minha leitura é simples: Abramovich ainda não percebeu Mourinho. E Mourinho parece com pouca paciência para ser mais um na entourage do russo. O caminho está aberto para a saída do "Special One". Vias não faltam. Mas atenção a isto: o treinador tuga afirmou esta semana que se sente muito bem em Londres.

quarta-feira, janeiro 17, 2007

O salvador

[dos jornais: Vítor Magalhães não se recandidata à presidência do Vitória de Guimarães, em Março]

Impõe-se, por isso, a entrevista com o principal candidato ao trono vitoriano, o famoso António Alberto Coimbra. Vamos lá marcar o número...

BNA - António Alberto?
AAC - O próprio.
BNA - Já deve saber as notícias lá da terra...
AAC - Sim, sim, este ano as gualterianas vão ser o máximo.
BNA - Não, o Magalhães não se recandidata...
AAC - Quem, o cavalo branco ou o outro?
BNA - O primeiro.
AAC - Vai vender camisas para a feira de Famalicão?
BNA - Isso não sei. O que queria saber é se o senhor é candidato...
AAC - Deixe-me meter a segunda, que vou entrar numa rotunda com fonte luminosa. Também aqui em Espanha!
BNA - Mas vai ou não?
AAC - Vou, vou até Málaga que parece que está um belo dia de praia.
BNA - A sério...
AAC - É assim: idiossincraticamente, estou tentado a voltar a ser o paladino da luta contra a macrocefalia, mas a verdade é que já me tramei com esta história do mata mouros...e fiquei a pregar sozinho no deserto, consciente de que o que ontem era verdade hoje é mentira.
BNA - Mas está aí uma vaga de fundo...
AAC - Desculpe, tou a ouvir mal, mas, sim, sim, mais no fundo não podia estar.
BNA - Vai a pique como o Titanic...
AAC - Olhe, porque é que não vão falar agora com o cavalo do D. Afonso!
BNA - Acho que recusou.
AAC - Sendo assim, vou reunir com o meu conselho de administração, com o Pimenta e o Machado. Ligue-me amanhã que agora tenho aqui um badameco à minha frente a 20 à hora.

Ponto da situação

Ok, afinal é mesmo verdade: a música clássica aumenta o apetite dos porcos. Atenção, não li isto no 24, vinha no Público. Isto não vem a propósito de nada mas é uma informação que me parece relevante, sobretudo para os donos das tascas deste país, até aqui convencidos de que o Quim Barreiros ajudava o negócio. É mentira. Wagner e Chopin vendem muitas mais bifanas e copos de 3. Adiante. Não estava com muita vontade de postar - tanto mais que tenho 3 frotas a chegarem de um planeta onde fui roubar metal, cristal e deutério... - mas aqui vai a propósito de 2 assuntos. O primeiro é requentado porque se reporta ao triunfo do Benfica em Coimbra, onde se viu futebol. A qualidade de jogo dos encarnados é um facto e a verdade é que atacam, atacam e não sofrem golos. Cuidado com eles. O outro assunto é a venda consumada do património do Sporting, secretaria incluída, a um fundo imobiliário que não tem rosto. Quem vende a quem há muito que deixou um assunto importante mas no caso de uma SAD/clube que recebe subsídios do Estado talvez fosse interessante ver quem é que está nesse fundo imobiliário e o que é que vai fazer a edifícios que foram construídos também com o dinheiro de todos nós. Ou serei eu que mais uma vez estou a delirar? Já não sei...

terça-feira, janeiro 16, 2007

Vira o disco...




COMEÇOU O CAMPEONATO DA SEGUNDA CIRCULAR. A QUESTÃO PARECE SER: QUEM SERÁ O PRIMEIRO DOS ÚLTIMOS. AQUI ESTAMOS NÓS, PORTANTO: OS CANDIDATOS DO COSTUME.

Lição n.º 6

Nani deu uma patada em Custódio e ficou fora da convocatória. O Sporting perdeu 2 pontos.
Luisão foi apanhado alcoolizado numa rua de Lisboa, foi chamado, jogou e foi decisivo. O Benfica ganha 3 pontos.
O que vale mais: a disciplina ou o pontinho?

Mercado?!

Alguém me perguntava um dia destes por que razão os grandes clubes portugueses não estão a fazer contratações com Janeiro já a meio, com a excepção do FC Porto, que contratou um defesa esquerdo argentino. A resposta é fácil: porque não têm dinheiro e estão à espera dos saldos que costumam aparecer nas horas finais do mercado aberto. O Benfica, por exemplo, encaixou quase 5 milhões de euros (o que é notável) com a venda de Kikin e com a taça do Dubai, mas ainda não concretizou a aquisição de um ponta-de-lança. No Sporting é o que se sabe: Deivid foi mesmo mal vendido e ninguém quer Alecsandro e Bueno. No FC Porto, a teimosia de Adriano pôs em banho-maria a aquisição de mais um ponta-de-lança e a prioridade parecer ser, agora, um defesa central, caso Ricardo Costa faça mesmo as malinhas, como poderá acontecer. Daqui para baixo, só o Sp. Braga revelou poder de compra, todos os outros clubes, com a excepção dos madeirenses, que estão bem servidos, estão piores que um chapéu de um pobre. Ou seja, para os nossos clubes o mercado de Janeiro é quase uma redundância, para desespero das centenas de empresários que por aí andam sem o necessário certificado da FIFA - e depois é o Veiga que é mafioso ao entrar na transferência de João Pinto na condição de amigo...

segunda-feira, janeiro 15, 2007

Portugueses, às vezes...


Na lista dos finalistas de "Os Grandes Portugueses" estão três personalidades que quanto mais não seja merecem suscitar alguma polémica. São os casos de Salazar, Álvaro Cunhal e o Marquês do Pombal. O primeiro e o último tiveram tempo e oportunidade para aplicarem as suas "reformas", o do meio ficou-se pelo PREC. Com esta escolha, os portugueses mais uma vez revelam a sua ambiguidade e confirma-se que a grandeza nem sempre tem muito a ver com a justiça e o humanismo. E depois há esta coisa interessante de se juntar no mesmo saco fascismo, comunismo e despotismo. Mas aqui foi sagacidade - são sinónimos. Há que dar algum mérito a este tipo de homens. Repare-se: não fosse Hitler e não se tinha inventado a boneco insuflável. Não fosse Salazar e nem o João Botelho nem o Manuel de Oliveira teriam feitos filmes. Não fosse o Cunhal e ainda hoje todos diriam sem complexos, no fim de uma jornada de trabalho, 'até amanhã camaradas'. Não fosse Pombal e os principais ministérios portugueses estariam acantonados num prédio envidraçado sem vistas magníficas para o Tejo.
Portugal mais uma vez no seu melhor. Ou no seu pior. Conforme a perspectiva e graças à Maria Elisa, provando que podemos ser feios, porcos e maus mesmo sem termos inventado a buceta de silicone.

VILA FLOR e TAVIRA


A equipa de iniciados do Vila Flor, terra das águas Frize e de um famoso azeite (na foto), é a 2.ª equipa de todos os campeonatos nacionais com mais golos sofridos: 81. A equipa mais batida é do Tavira (onde não me importaria de acabar os meus dias e onde volto sempre nas férias), em iniciados, com 161 golos sofridos. Trás-os-Montes e o Algarve a confirmarem os problemas de interioridade e a pagarem também aqui o facto de não serem ilhas. Do Vila Flor posso ainda dizer que é presidido, com muito amor e carinho, pelo meu colega de banca André Morais , mais conhecido na Manuel Pinto Azevedo por "presidente" ou "André Macanga". É de louvar o esforço e a dedicação dos dirigentes (não apenas aos seus clubes), dos treinadores e jogadores destes clubes afastados dos grandes centros e com fracos recursos. Equipas que se orgulham de atingir os escalões nacionais e que não podem ter vergonha das suas derrotas. Equipas que por cada golo sofrido deviam receber um cheque de Laurentino Dias.

domingo, janeiro 14, 2007

VENDO PELO PREÇO DE COMPRA


Estádio da Luz. As equipas aquecem. Fernando Correia, aos microfones da TSF, faz conversa para entreter e render. Fala de Bella Gutman, o treinador campeão europeu pelo Benfica que quando saiu disse que o Glorioso jamais chegaria tão alto - seguiram-se 5 finais da Taça dos Campeões perdidas.
O repórter de pista interrompe:
- Fernando, já que falas do Bella Gutman posso dizer-te que ele acaba de passar por mim aqui no relvado.
(silêncio)
Fernando Correia retoma a emissão, mudando de assunto. Aposto que o Perestrelo tinha pedido ao repórter de pista para tentar falar com o morto.

PASSEIO AVIÁRIO


7 pontos à maior sobre o Sporting, 11, 10 ou 8 sobre o Benfica - como dizia Jesualdo Ferreira, no final do paupérrimo jogo das Aves, "só faltam 15 jornadas", ou seja, 45 pontos em disputa. Pode parecer muito mais candeia que vai à frente ajuda sempre, sobretudo quando a concorrência não mostra argumentos. Não sei quais foram as previsões da Maya ou do Paulo Cardoso para 2007 mas adivinhar quem será o campeão não é difícil. Difícil será o FC Porto perder tanto lastro e os outros não perderem. Quanto ao jogo das Aves, só não foi um passeio porque custa a arrancar depois de quase 3 semanas de férias. A jornada 25 provou também que esta pausa de Natal não interessa a ninguém e, como disse e muito bem Manuel Machado, ontem na Antena 1, também é preciso rever, por consequência, a fórmula das 16 equipas. A coisa tinha-se resolvido bem se tivessem alargado o campeonato para 18, com a inclusão do Gil e do Leixões, mas os burocratas que mandam no futebol continuam a ser tão espertos como o burro do Sancho Pança.

imparável


Se para muito mais não serviram os milhões que a Europa e Portugal investiu na pérola atlântica do biltre Jardim, pelo menos ajudaram a alimentar Cristino Ronaldo - o melhor jogador de futebol da actualidade. Ronaldo teve a sorte de cair na melhor escola de formação portuguesa, a do Sporting, e também no melhor clube inglês - o Manchester United. Mas não foi só sorte. O talento é evidente em todos os seus gestos técnicos, como aconteceu no último golo que marcou.

LIDERANÇA REFORÇADA


Apesar de mais uma performance ao seu nível do Cómico Machado, conhecido como o Collina da Ponte, o Leixões venceu em Chaves, onde acabou com 9 homens. Com o Vitória de Guimarães já a 10 pontos, a MELHOR EQUIPA da Liga de Honra inicia a 2.ª volta com uma vantagem interessante. Vamos lá ver se mantém esta pedalada e se não tem pela frente terreno minado. Os 6 mil sócios pagantes e os 100 mil adeptos do clube estão atentos...

F2700



Um

brinquedo

bonito

Mas sem

Shumi...

Bentania fraca


Apesar de ser o treinador que, de longe, tem melhor amparo mediático, Paulo Bento corre o risco de ter com o Sporting uma época branca. O FC Porto e o Benfica ainda não jogaram mas o empate do Restelo foi...mau. Não só pelo resultado. O treinador do Sporting está a mostrar que não consegue educar e é grande candidato a "disciplinador do ano" (Nani terá ficado de fora porque deu um cacete a Custódio - que está sempre nestes filmes... - num treino da semana passada) e ao prémio do José Pereira, do Eduardo Barroso e do Sérgio Godinho. Bem, sobra o famoso projecto que é lançar jovens mas a verdade é que não foi Bento quem lançou a grande jóia da coroa de Alvalade - Moutinho.

Vamos ver no que isto dá, quantas cambalhotas serão necessárias para manter com tranquilidade a imagem de Paulo Bento e até onde resiste o candidato vencido aos bombeiros de Cascais à pressão dos não resultados.

sábado, janeiro 13, 2007

Futebol puro


O puto que conduz a bola é o meu sobrinho Raul, 9 anos, jogador do Taboeira - o clube que foi "desalojado" pela tenda de circo a que chamam Estádio Municipal de Aveiro, em breve transformada numa discoteca. Esta manhã estive no complexo desportivo da cidade da Feira e a minha cara oooh!, 6 sintéticos de altíssima qualidade e outras estruturas em construção, jogos em todos os campos, pais e tios babados...o desporto em movimento e para todos. Sem holofotes mas divertidoalha-. Ele era o pai que mandava o filho sair do campo para lhe apertar as botas enquanto a equipa sofria um golo, ele é o treinador de bancada que recomenda mais um toque, mais objectividade ou um ataque determinado à bola, ele é a mamã preocupada com o dói-dói do filhote...enfim, deu para ver que o futebol de formação português vai bem e recomenda-se, sobretudo quando as autarquias investem neste tipo de estruturas e não em fontes luminosas ou rotundas.

Valha-nos isso.

quinta-feira, janeiro 11, 2007

GRANDES PORTUGUESES


A lista dos 100 grandes portugueses, uma iniciativa da RTP, inclui 4 figuras ligadas à história do FC Porto: Pinto da Costa, José Mourinho, Vítor Baía e Rosa Mota. Só o Sporting se aproxima com as presenças de Carlos Lopes, Joaquim Agostinho e Luís Figo, enquanto o Benfica é representado unicamente por Eusébio. De Pinto da Costa pode dizer-se que, em quase 25 anos de presidência, ganhou o que nenhum outro dirigente desportivo ganhou, com um estilo muito próprio e um carisma à prova de escândalos. Mourinho foi o treinador que mostrou ao Mundo que, tal como ainda anteontem ficou demonstrado no site da FIFA, os portugueses da época de quinhentinhos têm seguidores. Baía é o jogador em actividade com mais títulos conquistados e Rosa Mota deu as suas primeiras passadas com a camisola portista. Quando se fala de serviço público é disto que estamos a falar.

SÓ CONTARAM PRA VOCÊ

Se, porventura, o FC Porto, como consequência do Apito Dourado, perder alguns dos seus títulos na secretaria, quem será o grande beneficiado?
O Benfica. Porque o Sporting já vendeu a secretaria...

quarta-feira, janeiro 10, 2007

DUBAI MAS BEM FICA



MAIS

UMA ALEGRIA

MAIS

UMA

VITÓRIA

* Como diz um amigo meu, só o Benfica para ganhar 1,5 milhões de dólares e um torneio sem marcar um golo!

O que têm em comum Mourinho e Vasco da Gama?

http://www.fifa.com/es/WorldLeagues/index/0,4643,129201,00.html?articleid=129201

O convénio (continuaçón)


Passado o Natal e o Ano Novo, Deus convocou o Pai Natal para o repreender perante o concílio dos notáveis:

- Camarada, tens de renovar a tua imagem!
O Pai Natal, à beira de um AVC, nem ripostou.
- Camarada, tens de fazer a barba.
O Pai Natal fechou os olhos e deixou cair uma lágrima.
- Camarada, tens de ter um equipamento alternativo!
O Pai Natal ajoelhou.
- Camarada, agora serás patrocinado pela PEPSI ligth?
O Pai Natal sucumbiu.

Aqui, Deus chamou os cangalheiros de serviço e passou ao ponto dois.

- Meus amigos, estou muito preocupado. Ouvi dizer que o Beira-Mar foi comprado por um croata que tem discotecas em Maiorca, parece que o livro do Zé de Macau está a vender pra caraças e consta que a Carolina Salgado já é sócia do Benfica com direito a sentar-se no camarote penhorado do José Veiga.

Gabriel, o secretário, ousou intervir.
- Poderoso, eu sei que nada sei, mas na minha modesta humildade, sem querer ofender vossa excelência, que tudo sabe, tudo vê, tudo ordena...mas, repito, com a sua permissão, mas a Vista Alegre também já não é dos espanhóis?

Deus, com a sua infinita paciência, ligou o power point que José Mourinho lhe ofereceu e passou a explicar:

- Meus amigos, já o Al Gore dizia que Vanuatu e as Maldivas se estão a afundar por causa do aquecimento global e os indianos estão ansiosos por uma presidência aberta de Pinto da Costa.

Ninguém percebeu mas toda a gente fez de conta que sim.

Por isso, Deus continuou:
- Não é pelo facto de o padre Melícias ser franciscano que não pode andar de BMW. O Mundo, tal como o criei, mudou muito desde que o Bill Gates deixou de jogar "bubbles". Temos também nós de mudar o chip.

A plateia aplaudiu de pé.

E Deus rematou, não sem antes tirar uma catota do divino nariz, que colou sob a mesa:
- O Beira-Mar tinha uma Stella que o guiava mas a movida de Maiorca é aquilo que vocês sabem que eu sei. Como se portaram todos bens, tomem lá 50 cartões carimbados pelo Cursach. Mas atenção: quem misturar pastilhas com vodka está fodido comigo!

sim-não

Confirma-se a apetência dos portugueses pelo "não". O JN de hoje dá-nos conta a existência de 14 movimentos de cidadãos pelo não ao aborto, contra 5 pelo sim. Nestes 5, 3 usam a palavra "sim". Nos 24 pelo não, só cinco não usam essa palavra. Ele é o Algarve pela Vida, o Norte Pela Vida, o Minho pela Vida, o Juntos pela Vida, o Nordeste pela Vida... É interessante a forma como as pessoas se apropriam as províncias e das terras onde vivem. Mas como o Rui Rio está pelo sim, acredito que o bom senso vai prevalecer no referendo que aí vem e que deixará o país católico do dr. Bagão a pensar que algo deve estar a correr mal em quem tanto prega nesta pequenqa freguesia a que chamam Portugal.

super bomba


A nova namorada de Ronaldo, a menina Gemma.

Quanto gastará aos cem?

Como é que o miúdo pode continuar
a correr tanto?

Tê-la-á conhecido no Shopping?

Porque não a Clara?

terça-feira, janeiro 09, 2007

Penso eu de que

A "Nortada" de MST hoje, n'A BOLA, é um excelente exercício Tide lava tudo. O conhecido comentador e escritor de sucesso comprovados glosa um presumível julgamento do caso Carolina Salgado, vista nos últimos dias no Tóquio e no Jamaica, conhecido antros underground do Cais de Sodré lisboeta, onde em tempo que já lá vão este que assina se abastecia de sandes de omoleta a 50 paus que a guita não dava para mais e os estivadores gostam de ser bem servidos. Estamos claramente no nível máximo de filtragem de um caso a caminho do ocaso. No fundo, as "confissões" de Carolina valem muito menos que as do arquitecto Saraiva e a grande vítima que elas suscitam é o famoso papagaio que ladrava e que por pouco não acabava na panela. Sabem-se bem os estragos que um papagaio estrategicamente colocado pode provocar, sobretudo quando ouvido em sede de inquérito pela equipa da Morgadinha dos Tribunais. Não sei se o mais ridículo não é ver MST a tentar imitar a Pinhão, o que sei é que as forças estão a recompor-se e a equilibrar-se. Passado o trauma e a ressaca do mesmo, está a chegar a hora de calar o bico a quem mais tarde ou mais cedo será engolido pela boca do trombone onde pôs a cabeça. No fundo, a parte menos valiosa do seu corpinho...

Como é bela a vida em Portugal.

Regresso à normalidade

Tal como se suspeitava, a Comissão de Arbitragem declarou-se sem poderes para eventualmente suspender o árbitro Paulo Baptista por este estar acusado num processo colateral do Apito Dourado. É uma boa maneira de sacudir a água do capote e de passar a bola a...Hermínio Loureiro. Sabendo como pensa e o que pensa o presidente da Liga, acho que terá de fazer alguma coisa para conseguir alguma moralização sobre este assunto pertinente. A entrega do caso ao Conselho de Justiça da FPF, pelos próprios acusados, é uma forma no mínimo interessante de abordar o assunto, com aqueles (Baptista e Valentim) a investirem-se no papel de justiceiros e ao mesmo tempo de vítimas do sistema. A verdade é que o futebol profissional tens a leis que os clubes profissionais querem. O que é quase o mesmo de se pedir aos reclusos de Custóias e de Pinheiro da Cruz para elaborarem um novo código penal. No fundo, tanto trabalho para nada se tudo acaba por terminar nas mãos de procuradores da República e de juízes benevolentes, para não usar outra palavra.

Como é bela vida em Portugal!

segunda-feira, janeiro 08, 2007

PROCURA-SE

Pandemia aviária. Foi vista há mais ou menos um ano em manchetes de vários jornais e na abertura de telejornais. Há quem garanta ter encontrado sinais de alerta em Alvalade XXI e no Estádio do Dragão.

Tugaria


A leitura do "Sol" desta semana trouxe-me duas novidades. O deputado Magalhães, do PS, inventor da Internet em Portugal, tem uma roça de cacau no Brasil e em breve terá um resort. O próprio já fez questão de esclarecer que é tudo da mulher. Também fiquei a saber que José Fonseca e Costa, mais um dos cineastas falhados deste país, tem uma piscina interior na sua casa, algo que provavelmente jamais aconteceria se tivesse sido Rui Rio a gerir os dinheiros públicos que nos últimos anos subsidiaram o cinema (?) português. Não sei o que aconteceu à quinta do Melancia ou ao xadrez dourado do Coelho, o que sei é que o regabofe continua e que Freitas do Amaral é o comissário das 7 maravilhas de Portugal. Nesse entretanto, Cravinho bate em retirada sem conseguir meter na lei a investigação das grandes fortunas deste país periférico e cheio de burros a caminho das urnas de voto.

Good-bye Beira-Beira


Falar em escândalo é sermos benevolentos. Ao que parece, Carlos Carvalhal vai ser substituído por um treinador espanhol - Francisco Soler - por ordem do novo investidor/dono do clube da cidade aveirense. Confirma-se que os nossos clubes estão ao nível das calças de canga e dos sapatos de bico: em saldo. Carvalhal, que é um homem que aprecio e um técnico com provas dadas, continua assim a sua época horribilis: depois de ganhar ao FC Porto e de apurar o Sp. Braga para a fase regular da Taça UEFA, teve de sair de Braga porque a sua família estava a ser ameaçada; e agora, que estava a começar a estabilizar o Beira-Mar, chegam os espanhóis e dão-lhe um pontapé nos fundilhos. Dirão alguns que é a nova realidade da indústria do futebol. Eu não vou tão longe. Preferia ver investigado o porquê de um clube com o potencial do Beira-Mar ter chegado à situação que chegou mesmo com 1,5 milhões de euros de TV para a época. E depois não digam que o maluco era o Silva Vieira... Mas mais grave ainda é os adeptos e sócios cagaréus e ceboleiros estarem positivamente a borrifar-se para o que está a acontecer ao seu clube. Razão tinha o senhor Alfredo Farinha quando disse que esta história das SAD era apenas um meio rápido de acabar com o futebol tal como o conhecemos.

Lamentável.

domingo, janeiro 07, 2007

Atlético Clube de Portugal


Houve taça no Dragão. O Atlético Clube de Portugal, o popular clube da Tapadinha para as gerações já com patine, venceu por 1-0 salvando o resultado no último minuto de 5 descontos quando Quaresma rematou ao poste num pontapé da marca dos 11 metros. O pombo que pulou no relvado durante toda a segunda parte deve ter vindo de Alcântara, de um pombal qualquer do...Calvário, para onde um dia um famoso treinador terá fugido de guarda-chuva e chineles, pois colocou-se perto da bola. Foi um triunfo justíssimo de uma equipa que surpreendeu pela sua organização. António Pereira, Toni, viu o jogo na bancada, por estar a cumprir um castigo da FPF. O treinador do Atlético disse que o futebol é um ninho de chulos e teve de pagar 360 euros para um recurso do qual não teve resposta. Ou melhor, a sua equipa respondeu ontem no relvado do Dragão.
Taça é taça quando é assim.
Uma palavra mais para as...palavras de António Pereira, o treinador do Atlético. Ali na sala de imprensa do Dragão, onde muitos gostam de prestar vassalagem, disse que o futebol está podre quando treinadores que acabam de descer equipas são convidados para treinar as selecções nacionais, enquanto treinadores como ele, que não têm padrinhos no mundo do futebol, têm gastar o pelo e a pele nos campos da 2.ª divisão, III e regionais, de pouco lhes valendo o trabalho que vão fazendo. Gosto de tipo como este Toni. Homens do futebol, que dizem o que têm para dizer, que muito têm a ganhar e pouco ou nada a perder. Há muitos Tonis no nosso futebol mas a verdade é que em regra não se ajustam ao perfil desejado pela maioria dos dirigentes-treinadores-empresários que pululam nesta choldra. Não vestem "Armani" e gostam de caracóis, eu sei. Mas, caramba, como sabe bem ver este tipo de troglodita majorus dar lições de futebol e de vida.

Viva o Toni!

sábado, janeiro 06, 2007

O caso Marítimo-Nacional

Abril de 2004, quase 20 anos depois da revolução dos cravos
Jogo: Marítimo-Nacional, 31.ª jornada
Árbitro: Martins dos Santos
Árbitros auxiliares: João Santos e António Neiva
Factos: António Henriques, vice-presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, pede a Azevedo Duarte, vogal do mesmo conselho, o telefone do árbitro Martins dos Santos. Intenção: beneficiar o Marítimo. A contrapartida: Henriques garante que o filho de Martins dos Santos, Daniel, subiria à 2.ª categoria da arbitragem no final da época. O telefonema é feito em linguagem criptada entre Henriques e Santos, o que leva o segundo a pedir ao primeiro para se explicar melhor. A dúvida: vou ajudar quem, o Nacional ou o Marítimo. Compreende-se. Henriques é uma figura do futebol madeirense... Henriques explicíta. Martins diz que sim senhor. "Você já me conhece...", diz, e acrescenta: "Mesmo que não me dissesse nada..." Na véspera do jogo, Henriques liga a um amigo e garante-lhe que a arbitragem do jogo seria um escândalo. Com o jogo em curso, outro telefonema de outro amigo para Henriques informando que estava tudo a correr conforme. O Marítimo vence por 2-0. A peritagem apura 3 erros do árbitro em benefício do Marítimo e 2 em benefício do Nacional. O primeiro golo do Marítimo foi precedido de falrta, muito perto do árbitro assistente João Santos, é ele quem assinala a falta depois de a bola bater na cara e no braço de um jogador do Nacional. O golo é marcado em fora-de-jogo. Depois do jogo, Martins telefona e Henriques a perguntar-lhe a opinião sobre o trabalhinho. Disse que o jogo tinha sido difícil. Henriques considerou óptima a arbitragem. Martins fala de uma grande penalidade que o Nacional reclamou...e do amarelo que mostrou a um jogador nacionalista. Ouvido pela PJ, Martins dos Santos disse que Henriques não lhe pediu qualquer ajuda. Um amigo de Henriques, também ouvido pela PJ, confessa que Henriques o tinha convencido a fazer-se sócio do Marítimo se o Marítimo ganhasse aquele jogo.

Moral da história: se Henriques, um simples sócio do Marítimo, quis ajudar a equipa que joga nos Barreiros foi só porque queria que esta tivesse mais um sócio. Onde é que está aqui o crime?

sexta-feira, janeiro 05, 2007

O que diz Mourinho

O depoimento de Mourinho no congresso sobre arbitragem, o sublinhado é meu.
«A grande questão do momento em Portugal é: profissionalismo ou não na arbitragem? A questão que eu faço é óbvia: em que futebol é que nós estamos? Num futebol altamente profissional. Se o é, se é feito por jogadores, treinadores e árbitros, não vejo que possa ser de outra maneira... Todos temos responsabilidades diferentes mas iguais, temos todos de estar num alto nível de rendimento. Não preconizo um futebol de alto rendimento com jogadores profissionais, treinadores profissionais e árbitros amadores. Sou um crítico dos árbitros mas sou também um grande defensor das melhores condições para que eles tenham um rendimento elevado. Futebol é paixão e até é mais do que uma paixão - é uma indústria que gera somas astronómicas de dinheiro e onde as responsabilidades são enormes para todos. Por isso, as condições que se oferecem a todos os protagonistas têm de ser as melhores! Por isso é que sou um defensor da profissionalização dos árbitros. Há grandes diferenças entre o profissionalismo e o amadorismo. Se os jogadores têm de treinar muito bem, os árbitros também. Se somos amadores, e até eu já fui treinador amador e sei perfeitamente a diferença, é diferente. Tanto a responsabilidade como a disponibilidade. Presumo que haja árbitros e treinadores amadores mas o futebol evoluiu de maneira extraordinária. Ainda há pouco tempo me ria ao ver na RTP Memória jogos da década de 80 e 90, parecia que se jogava a passo. Hoje em dia o futebol joga-se a 200 à hora, com transições dramáticas para jogadores de primeiro nível, podemos imaginar que para os árbitros também. Os árbitros não podem trabalhar e no final do dia treinar, precisam de condições para treinar. E os árbitros não podem treinar a correr à volta de um campo ao lusco-fusco, devem treinar, como os jogadores, em situações de jogo. Os árbitros podem também ter "olheiros" para analisar as equipas que vão apitar pois a análise táctica dessas mesmas equipas permite-lhes ter mais uma ferramenta, permite-lhes ver quem é o jogador que é simulador, quem é o jogador que agarra as camisolas dos outros. E depois há outro aspecto dramático, que também eu vivi enquanto treinador amador e recém-casado: a família. Sair de casa de manhã bem cedo e voltar quando os filhos já estão a dormir não é bom para ninguém. Não me parece que o futebol possa pagar aos árbitros como paga aos jogadores e treinadores de primeiro nível, mas é obrigatório que a organização tenha condições para poder pagar quantias importantes aos árvitros, para que estes possam ser cada vez mais capazes e também resistir ao poder de certos lobbies. Aos árbitros, num mundo profissional, acontecerá o que acontece no mundo dos treinadores e dos jogadores. Os bons atingem o patamar superior e por lá ficam eternamente. Quantos treinadores estão neste momento desempregados no futebol português? Para os bons há sempre espaço, para os menos bons não... Também não concordo com o actual limite de idades (45 anos) para os árbitros. Não percebo como é que o Collina teve de acabar a sua carreira. Um árbitro pode começar a sua carreira ao mais alto nível aos vinte e tantos anos e terminá-la com 50 e mais alguns, o que será também muito importante para a sua estabilidade financeira."

quinta-feira, janeiro 04, 2007

Um grande golo de Hermínio Loureiro


Hermínio Loureiro e alguns dos nossos árbitros de elite, hoje, na Alfândega do Porto, com o Douro como fundo, a meio de um importante congresso sobre a profissionalização da arbitragem portuguesa (o Wally está a espreitar atrás do presidente da Liga). De Inglaterra chegaram as melhores notícias sobre um modelo que funciona há 5 anos e que pode ser altamente inspirador para a nossa Liga, se a deixarem ficar com a arbitragem... Os ingleses gastam 8 milhões de euros com os seus 19 árbitros internacionais enquanto nós gastamos 3 milhões de euros ano com os 26 árbitros semi-profissionais. Ainda falta um bocadinho mas se houve vontade de renegar o sistema...é este o caminho. O congresso foi fechado por Júlio Magalhães depois de uma mesa redonda na qual participaram Vítor Baía, Paulo Sousa e Duarte Gomes. "Como me dizia um amigo meu há pouco, foi esta a primeira vez que se falou de árbitros num ambiente aberto...", disse o jornalista da TVI. Que se esqueceu, porém, do final da frase: "...e não numa casa de putas".

Assim ficaram também explicadas algumas ausências de vulto.

TSF despede Fernando Correia

Abaixo-assinado de solidariedade
A nossa indignação não tem medida!De surpresa, a TSF despede Fernando Correia, um dos maiores jornalistas portugueses e certamente um ícone da estação!Hoje, uma hora antes de uma iniciativa de lançamento e promoção do novo jornal gratuito, o «Diário Desportivo», que vai ser dirigido por Fernando Correia, este jornalista teve um encontro com um director da sua estação, a TSF, a comunicar-lhe de supetão e de forma absolutamente estranha que estava despedido e proibido de entrar na TSF. Fernando Correia já não editou hoje a «Bancada Central», um dos melhores e mais populares programas de participação e comentário desportivo do País. A forma e o estilo usado pela TSF são revoltantes. Fernando Correia, que há poucos dias celebrava os seus 50 anos de profissão e na ocasião foi elogiado até à exaustão por todos os presentes, incluindo os que agora o despedem desta forma.Os signatários solidarizam-se totalmente com Fernando Correia e manifestam a certeza absoluta de que o seu projecto «Diário Desportivo» gratuito vai ser um sucesso, e assim o desejam.
Os signatáriosAna FonsecaIsabel CarvalhoJosé Carlos MendesRuben de CarvalhoRui Godinho
PS - A culpa não é da TSF mas de quem entregou os "conteúdos" da Lusomundo ao denominado patrão do nosso futebol.

quarta-feira, janeiro 03, 2007

Jornais 2007


2007 será mais um ano de grandes desafios para o jornalismo português em papel. Confirmada que está a queda de leitores, vamos esquecer as folhas de couve que se distribuem no metro e concentremo-nos no caminho que os jornais a sério devem percorrer para pelo menos pararem a queda. Está visto - a SIC é exemplo disso e os jornais desportivos com vendas auditadas também - que nem um Mundial de futebol com Portugal em grande ajuda. O que fazer, então? Para já, o Público anuncia uma refundação e em Fevereiro apresentar-se-á com uma cara lavada mas sem alguns dos seus melhores jornalistas, entretanto dispensados em nome da contenção de custos (de que é exemplo maior Rui Baptista). O "Público" tem uma excelente redacção e leitores fiéis mas está a mais de 60 mil jornais/dia de distância do "Correio da Manhã". As capas de hoje ajudam a explicar a decálage. Enquanto o "Público" abre com uma foto sobre os civis mortos no Iraque no ano que já lá vai, o "CM" edita uma foto à antiga portuguesa, e magnífica, dos funerais dos pescadores das Caxinas que morreram afogados no mar da Nazaré. Fica quase tudo dito sobre este assunto. A verdade é que o "CM" é o único jornal português que não copia ninguém e que se mantém fiel à sua matriz popular, imprimida por Vítor Direito e a sua pequena equipa nos tempos gloriosos da cave da Rua Rubens Leitão (onde tive a honra de trabalhar, embora no 3.º ou 4.º piso, já não me recordo). O JN procura ser um Público na sua versão popular, o DN é aquilo que os grafismo determina e não a força das notícias e reportagens, o "24" perdeu claramente desde que o "Big Brother" acabou e nem as surtidas de Filipe Vieira parecem resultar e o "Público" agora vai tentar imitar o "The Guardian". De remodelação gráfica em remodelação gráfica, todos se vão atrasando para o único jornal que no fundo tem hoje a primeira página que tinha em 1984, com alguns retoques modernos, obviamente. Olhar para o que fez e para o que faz o CM será provavelmente a melhor receita para os jornais que estão em perda. E falo também dos desportivos e do excelente suplemento de desporto do CM aos sábados, a fazer-me lembrar o suplemento diário do CM em 88/89, quando Vítor Direito acordou e decidiu que tínhamos de fazer 16 páginas todos os dias a cores e ao vivo.

Gomes Amaro


A entrevista pode ser lida em, http://www.fcporto.ws/index2.html, no Portal dos Dragões, e mostra-nos aquele que foi um dos mais famosos relatadores dos anos 70/80, quando a Internet ainda nem era uma criança. Gomes Amaro fez do Quadrante Norte uma das rádios mais ouvidas em Portugal quando o FC Porto entrava em campo. "Está lá dentro, Tibi, não vale a pena chorar" - foi uma das frases que celebrizou este português de Celorico da Beira que foi com 3 anos para o Brasil e que de lá trouxe aquele sotaque delicioso tabém nos relatos de futebol. O Gomes Amaro teve um bom discípulo, o Paulo Sérgio, hoje em Bruxelas, e o mais globetrotter dos jornalistas que conheci - aparecia sempre 2 horas antes dos jogos internacionais do FC Porto, depois de apanhar um avião, um comboio e um autocarro para chegar ao seu destino, poupando o máximo à sua emissora. Tanto um como outro, nunca foram vedetas e fizeram da humildade uma qualidade. São raros homens assim nos tempos que correm e por isso aqui fica o registo.

As minhas apostas

Kikin não fica no Benfica.
José Veiga regressa no final de Janeiro e com poderes reforçados.
Diego Costa junta-se a Lucas Mareque como reforço do FC Porto e finalmente um conhecido periódico deixa em descanso a primeira mão.
O Sporting fica como está, que o melhor mesmo é estar quieto quando não se tem dinheiro para mandar tocar um cego.
Maria José Morgado levanta a primeira lebre.
Joaquim Evangelista passa a ter um programa na TV Record.

Perigo na estrada

Mais perigoso que estar a banhos num praia de Puket, mais arriscado que fazer um pic-nic no Vesúvio, mais ousado que acender cigarros na rampa de lançamento da NASA em Cap Canave
ral...só mesmo andar nas estradas e nos passeios públicos portugueses. Hoje, ao princípio da tarde, na marginal de Leça, um VW Polo em alta velocidade abalroou uma pobre Transio e voou 20 metros até à faixa contrária. Este é o país onde camiões com atrelados rolam a 120 km/hora em vias de cintura interna e onde os acelerar aproveitam as estradas com 4 faixas para mostrarem que têm unhas e pouco cérebro. Fica provado mais uma vez que o perigo é a nossa missão sempre que saímos de casa.

terça-feira, janeiro 02, 2007

Parabéns


O Porto Canal, dirigido por Bruno Carvalho (na foto), conseguiu ser líder de audiências no Grande Porto no último dia de 2006. O canal com sede provisória na Senhora da Hora liderou o "prime time" com 27.4 por cento, à frente da SIC-Notícias e da RTP-N. O PT registou 38.1 por cento de audiência durante a transmissão do fogo de artifício de fim ano da Câmara Municipal do Porto. No total do dia 31, o PT teve 10.26 de audiência, o primeiro dia na casa dos 2 dígitos. É uma marca fantástica para uma estação televisiva que teve de arrancar à pressa e com meios muito limitados. Apesar de algum folclore regionalista, o Porto Canal está no bom caminho. Será desta que o Porto vai ter o canal que merece? Com o Fernando Tavares tudo é possível...desde que não continue a cantar!

Recordar é viver


Época de 85/86. O Rio Ave comandado por Mário Reis, então com 38 anos, regressa à I Divisão sete anos depois da sua primeira participação naquele escalão. Reis somava o seu 10.º ano no clube na condição de jogador, treinador adjunto e treinador principal. O clube de Vila do Conde terminou o campeonato, de 30 jornadas, sem derrotas, apenas com 11 empates. Registo histórico, a somar-se ao 5.º lugar conseguido na época de 81/82 (I Divisão) e à presença na final da Taça de Portugal 83/84. Era o nascimento de um novo Rio Ave, com perfil primodivisionário e com uma gestão coerente e controlado. Como ainda hoje acontece sob a batuta de Paulo de Carvalho, para mim o mais realista e moderno dirigente desportivo português.

Mercado


Ora aí está mais um mês louco. Há pouco, ou nenhum, dinheiro para compras mas o bichinho manda mais. Com os empresários sempre na brecha, toda a gente vai comprar, vender ou emprestar. O Benfica, como sempre, já mexeu com isto tudo mas não há novidades, depois do abrandamento da novela Cardozo. Kikin sai ou fica? É o que ainda se está para saber...de José Veiga. No FC Porto, Ricardo Costa e Adriano estão com guia de marcha mas...não marcham. Mareque foi assegurado antes desta loucura, assim se provando que no FCP não se brinca, muito menos com o dinheiro - ao que consta até foi o defesa a comprar o seu passe... Em Alvalade, espera-se pelo resultado da venda da secretaria para encontrar um ponta-de-lança realmente bueno. Há alguns na II Liga mas o mercado sul-americano continua a ser a preferência de Freitas e companhia. Também está bem. Há um mês pela frente para acertar os plantéis e também para matar a fominha de futebol nacional que já se sente, após quase 4 semanas de paragem que nos deixou ainda mais agarrados ao campeonato inglês. Não bastava o Pro Evolution e ainda vamos dando estas baldas - qualquer dia os jornais desportivos vão ser obrigados a fazer primeiras páginas com o Manchester ou o Chelsea e a ter delegações na ilha dos saxões.

Por favor, não pisem os malmequeres!

  Ia escrever qualquer coisa sobre isto mas o João Freitas - um dos melhores jornalistas que conhece - tirou-me todas as palavras da boca. ...