quarta-feira, outubro 31, 2007

BLOCKBUSTER?


"Corrupção" estreia hoje em 55 salas de cinema. O distribuidor espera 100 mil espectadores até domingo. Polícia de prevenção para evitar um novo "Je Vous Salue, Marie!"
ps - Segundo a TSF, na sala principal do NorteShopping, com capacidade para mais de 400 pessoas, não estavam mais de 30 espectadores na estreia do filme...

OUT? IN?

Jorge Gabriel despediu-se do Arouca. O apresentador que tem a ambição de treinar o Sporting conheceu depressa o lado negro da "profissão", não resistindo a uma sucessão de maus resultados e ao habitual despotismo dos caciques locais. Alguém se ficou a rir, provavelmente o seu ex-chefe de equipa na tão badalada subida da época passada. Fica agora JG com mais tempo para os concursos, os programas para sopeiras, acamados e velhinhos e também para a PUB. Só lhe ficou bem descer ao mundo de futebol para aí tentar também a sua sorte, o que revela apenas perseverança e crença nas suas potencialidades. Que esta curta experiência quanto mais não seja lhe tenha mostrado que a ética não é uma batata.

AS FOTOS, FINALMENTE

Mais uma vez o grupo Balsemão a facturar com TODAS AS FOTOS do casamento de Pinto da Costa. Numa banca perto de si a oportunidade de ver PSL a atirar pétalas de flores à careca do grande líder. E muito mais...
PS - Não esquecer que PSL foi o presidente do Sporting que foi ao museu da cidade pedir emprestado um trono que colocou ao lado do banco do FC Porto...

POLÍTICA CONTINUA A ASSALTAR O FUTEBOL



Armando Vara na presidência da FPF, no lugar de Madaíl, não é propriamente uma novidade, o admirável Blog da Bola já falou nesta hipótese há muito tempo. Só gostava de saber o que fez Vara para ter condições para assumir o comando do futebol nacional. Que eu saiba, nunca foi governador civil de Aveiro nem andou a virar carros do Estado contra os postes da Gafanha da Nazaré em noites de facas longas. Vara está actualmente na Caixa Geral de Depósitos e é do Benfica - são os únicos links que encontro ao futebol nacional. Quanto ao resto, sabe-se que não teve lugar na oligarquia de Sócrates e que, tal como José Mourinho, é bastante achacado, como diz o meu amigo Montes. Dirão alguns que pior que Madaíl não poderá ser. Digo eu que devemos subir o nosso nível de exigência e que, bem ou mal, o nosso futebol ainda produz dirigentes com capacidade para assumir a presidência da FPF, sem precisar de ir ao refugo da política. Dou apenas três exemplos: Pimenta Machado, Artur Jorge e António Boronha. Sim, eu sei, não sou um tipo politicamente correcto...

VICE-CAMPEÃO

Nestes últimos dias deu para matar saudades de Henrique Calisto, meu conterrâneo e amigo. O treinador do Dong Tam Long Am esteve a passar uns dias de férias em Matosinhos e volta sábado para Saigão. A V-League 2006/2007 terminou e o Dong Tam foi vice-campeão e não conseguiu o tri, o que não foi mau pois começou mal o campeonato e veio a recuperar até ao fim. Calisto tem mais 3 anos de contrato e em princípio vai continuar pelo Vietname, onde é um ídolo e figura reconhecida, com permanentes passagens pela televisão nacional para comentar jogos do futebol europeu (os vietnamitas sabem tudo sobre o assunto...também por causa das apostas). Calisto é um homem feliz e um treinador de sucesso que apenas lamenta que o nosso país não se saiba promover no sudoeste asiático usando a força e o poder das suas grandes vedetas, como são os casos de Ronaldo, Figo e até José Mourinho. Ficou prometido outro pica-no-chão no Mar à Vista sempre na boa companhia do Ivo, do Leirós, do Alberto e da Neide, com o João a ter falta mas justificada.

terça-feira, outubro 30, 2007

O REI IA NU

O inevitável aconteceu: Salvador despediu Jorge Costa, embora o Sp. Braga mantenha em aberto as frentes campeonato, taça e UEFA. Sim, o Sp. Braga não está a jogar bem mas vai andando. O que há muito tempo não estava bem era a relação entre o presidente e o treinador, com aquela história mal explicada de uma descida de Salvador no intervalo de um jogo que o Braga estava a perder e que depois ganhou...de raiva. O pequeno Salvador tem ganho poder e influência em Braga e pelos vistos pode fazer o que quer mesmo quando diz que está de saída (o que é mentira). O próprio Mesquita Machado tem sofrido com o feitiozinho difícil de Salvador, que lhe exige um centro de treinos depois de Mesquita estar a pagar ainda balúrdios pelas expropriações do monumento Estádio Axa. Ou seja, não basta fazer a papinha toda, pagar o que é do povo e cuidar de outros negócios. Salvador, se calhar o único portista que foi capaz de se entender com Luís Filipe Vieira, quer sempre mais. Que se cuide, pois, o próximo treinador do Braguinha. A Não ser que este dê pelo nome de JOSÉ MOURINHO.

BENTANIAS


Acabo de ouvi na rádio Eduardo Barroso dizer que Paulo Bento tem tiques de Scolari. Concordo. O treinador do Sporting quando fala parece sempre que tem alguém a apertar-lhe os tomates. Muitas vezes mais importante do que aquilo que se diz é o tom que se utiliza. O ex-treinador dos juniores do Sporting não está a conseguir fazer o que José Peseiro, com todos os defeitos que tinha, fez e olhem que não foi pouco. Essa história das taças são fait-divers... A verdade é que Bento tem sido superprotegido por ser jovem, ter deixado uma boa imagem enquanto jogador e porque também se enquadra no universo da periodização táctica. Mas é curto. Não devem ser só os adeptos do Sporting a pedir mais ao seu treinador, este também tem de dar mais, tem de ter golpe de asa e sobretudo tem de saber encaixar as críticas. Se não o fizer, Pedro Barbosa pode começar a preparar a mudança de gabinete...

O INFERNO DA LUZ [reprise]

Mais uma sequela da revolta na Bounty ali para os lados da Luz. LFV completamente desrespeitado por meia dúzia de anormais das claques numa assembleia geral em que até estava a apresentar contas positivas, Vilarinho aos gritos e nem sinais do Cunha Vaz. Os betinhos que acompanham o presidente não sabiam se havia de dar corda ao relógio ou mijar contra a parede. O que é incrível não é a forma e o modo dos protestos, o mais incrível é o Benfica permitir que tal aconteça. Sei que não gostem mas olhem para Norte: estão a ver os superdragões a entrarem numa assembleia geral do FCPorto? E não, não é uma questão de democracia - é uma questão de inteligência. Já todos percebemos que Vieira é um zero nas suas intervenções públicas mas mais grave é estar convencido que se aguenta sozinho, ou com a ajuda de Vilarinho, num clube com a massa crítica do Benfica, onde muitos outros já se tramaram por muito menos.

Chama-se a isto perder o controlo da situação. E que ninguém se ria do outro lado da segunda circular porque não tarda nada com o FC Porto a 9 pontos e a o Fátima a seguir em grande na Taça da Liga...

PS 1- Gostei da operação de branqueamento.
PS 2 - Está visto também que esta questão das claques não se resolve com legalizações - é tão-só um simples assunto de educação.
PS 3 - Por que bula se chegou à conclusão de que Henrique Granadeiro, presidente da PT, merecia ser sócio honorário? Então e Ricardo Salgado? E Joaquim Oliveira? E José Sócrates? E Armando Vara? E Camilo Lourenço? E o PacMan?

segunda-feira, outubro 29, 2007

MISERÁVEL

Ainda bem que não fui lá. Foi uma vergonha. Vocês sabem do que estou a falar...

TI MANEL

Aí está Manuel José pronto para vencer a 4 Taça dos Campeões Africanos consecutiva. É obra. Na última vez em que estive com ele, disse-me que estava a aproveitar este tempo no Egipto para ler os livros que não teve tempo para ler durante a sua carreira de jogador/treinador em Portugal e que sempre que parte para o Cairo leva uma mala carregada de literatura. Sempre gostei do Ti Manel mesmo quando discordámos, como aconteceu a propósito do seus sistema de jogo no Boavista, com tudo a resolver-se à mesa do 21, com o patrocínio do Filipe Bastos. Foi aí que o mister me explicou que não defendia com 7 homens, atacava era com dez. Pode haver quem duvide que não teria feito melhor que Scolari na selecção - eu não. Mas há males que vêm por bem e Manuel José teve assim a oportunidade de provar no Egipto que não andou a pregar no deserto.

ENFIM, QUIM!

Se José Antonio Camacho se chamasse Manuel Cajuda já estaria a afirmar que disse a Adu que este ia marcar um golo. Ok, siga. A verdade é que o Benfica já é 2.º classificado e conseguiu cometer a proeza de ganhar um jogo depois de jogar uma hora com menos um elemento. Já dizia Mourinho que uma equipa tem de se preparar para jogar também com dez. E no caso do Benfica é algo que dá muito jeito pois muitas vezes a equipa pensa que está a jogar com 11 e está a jogar com 10, 9 ou até menos elementos. Para além dos 3 pontos arrancados a ferros frente a uma das melhores equipas do campeonato, o Benfica ganhou um guarda-redes. Nunca entendi a pressão que foi colocada sobre Butt e o histerismo à volta das exibições de Quim, que não passa de um guarda-redes jeitoso com dificuldades nas bolas para as gavetas superiores. Por muito menos se lixaram Moretto e Moreira... Quanto mais não seja, esta vitória sobre o Marítimo teve a virtude de arrumar Quim de vez como assunto eventualmente interessante para encher páginas em branco do desportivos.

A BODA

BnA conseguiu infiltrar-se na boda da Quinta das Alforrecas e este é o relato do seu enviado-especial. José Serapicos, empregado de mesa n.º 9:

«Uma fina neblina pairava sobre a mesa dos rissóis.
Pôncio, o Piladas, tomava o 43.º comprimido do dia.
Tavarich ajeitava a gravata e pensava em como Carol ficaria bem com ela e de cuecas.
Vítor dava um jeito no cachecol Guess enquanto afagava o joelho da amada.

No alpendre, Ele admirava a cena.

Ela, nervosa, entrava que nem manteiga no corpete branco.

O médico das plásticas torrava a careca e mexia nas madeixas.

Eis senão quando esta beatitude foi agitada pelo ruído de um rotor de helicóptero.

A Cofina fazia o seu voo de reconhecimento.

Ele acenou para ela, ela acenou para ele, lá do alto.

Tocou o sino e a seguir a orquestra. Os telemóveis ficaram no bengaleiro e ninguém pôde tirar fotografias.

O souflé de gambas estava espantoso. Mas foi no arroz de patos que todos se lambuzaram. ATT pensou que o estavam a homenagear e não ousou tocar no pato, perdão, no prato.

Seguiu-se o baile, não sem que antes todos lhE pedissem para declamar Régio.

Assim foi. As musa sempre antes da tusa.

Sua majestade, Ele, entregou-se nos braços da amada já a noite ia longa. Esta cena ninguém poderá cortar.

Na mesa dos rissóis, um croquete libidinoso penetrava uma chamuça.

E foi então que um melro cantou na Quintas das Alfaias. Algures num obscuro gabinete lisboeta, o funcionário da PJ pensou que era uma interferência.»

OBRIGADO RUI



Uma simples referência de Rui Santos a este humilde blog, no final do Tempo Extra, pulverizou o recorde de visitas por hora. Entre a meia-noite e a uma hora de hoje, graças à gentil nota, 400 pessoas entraram com a bola na área.
É extraordinário, embora compreensível, o poder e a influência do "Tempo Extra" e de Rui Santos.
Obrigado, pá. Foi porreiro!

domingo, outubro 28, 2007

ADU


Vi os primeiros minutos do Benfica-Marítimo, vi o golo do Marítimo e fui...fazer a sopinha. Entretanto, distraí-me na net e quando voltei a olhar para a TV já estava 1-1 e o jogo na segunda parte. Vi Butt na baliza mas não percebi que Quim tinha sido expulso. Vi o Benfica sem conseguir fazer pressão e bem mais perto de sofrer que de marcar. O milagre aconteceu. O Benfica é 2.º, agora 5 pontos do FC Porto. Cabe ao Leixões animar o topo da tabela. Afinal, empatar parece coisa fácil para a malta de Matosinhos...

NÃO COREM

A madeirense "Coral" é a única cerveja portuguesa publicitada nos nossos estádios na modalidade com álcool. Porquê? Muito simplesmente porque Alberto João Jardim determinou, por decreto, que se trata de um refrigerante. Parece anedota mas é verdade.

sábado, outubro 27, 2007

A NOIVA IA DE BRANCO...



Pinto da Costa casou hoje com Filomena Morais e a grande notícia foi as pessoas que não convidou porque a sua esposa não as quer ver por perto, como foi o caso do seu "braço direito" Reinaldo Teles, a pagar a factura de a sua esposa ter sido uma grande amiga de Carolina Salgado. A cerimónia decorreu numa quinta de Vila do Conde e, segundo o que apurou BnA, a noiva ia de branco, de véu e de grinalda. O cirurgião plástico Francisco Campos fez furor, tanto mais que tinha ali muitas clientes e clientes. Vítor Baía também, com o seu McLaren/Mercedes, enquanto Ivic e Luciano d'Onofrio chegaram a Pedras Rubras num jactinho. Apesar de alguns esforços, não conseguimos apurar o conteúdo do menu mas certamente era rico e variado embora não tivesse sido servido pelo Miguel.

ECLIPSE



Mais 2 pontos perdidos pelo Sporting em losango de Paulo Bento. Os leões só jogaram nos últimos 15 minutos e, claro, foi curto. Ainda assim, nesse período Stoijkovic salvou o Sporting da derrota. Algo não vai bem no reino do leão e é tempo de se trocarem os trabalhos estatísticos sobre as performances positivas de Bento por algo de bem mais realista.

É que a continuar assim este Sporting não vai a lado nenhum. Nem no campeonato, nem na Champions.

E depois o Rui Santos é que anda a exagerar...

Pois, pois.

AQUELA MÁQUINA

O Vitória apresentou a sua máquina de 400 mil euros. Um verdadeiro autocarro xpto. Ao nível da ambição deste novo Vitória que já é 2.º classificado. Obviamente, uma máquina equipada com via verde...

O GRANDE PENTEADO

Não resisti a picar esta foto do JN de hoje. No centro das atenções, Penteado, um do grandes goleadores da história do Leixões, hoje segurança em Serralvez, o que não está mal, pois é peça de museu, só é pena não estar no do Leixões. onde tem lugar de destaque. Penteado era um matador nato que antes de vir para o Leixões vestiu a camisola do FC Porto, onde foi o melhor marcador no campeonato de reservas. Tapado por Gomes e Walsh, viveria os seus grandes momentos de glória no regresso do Leixões à I Divisão e na temporada que o Leixões aí fez sob o comando de António Morais/António Jesus. Neste anos todos, Penteado tentou a sua sorte como treinador mas não dava para os galões. Os seus amigos do Parque Basílio Teles, em Matosinhos, é que nunca o esqueceram. Posso incluir-me no grupo. Para mim, Penteado foi mesmo o melhor goleador que passou pelo Leixões, apesar de Horácio e de Oliveirinha (o Rato). Só não lhe perdoo que tivesse atirado por cima da barra quando se isolou na Luz, com a possibilidade de fazer o 2-0 para o Leixões, que acabou por perder por 2-1, com uma vergonhosa arbitragem do árbitro madeirense Teixeira Dória. Como também recorda hoje o Manuel Penteado nas páginas do JN, no último jogo do campeonato com o FCP também perdemos com uma grande penalidade inventada por Gomes e pelo árbitro a 5 minutos do fim...

GRATUITOS



Já havia o Metro, o Destak, o Global e o Meia Hora. Agora temos aí mais um gratuito, o Sexta, que no caso é o quinto. Sai como encarte do Público e de A BOLA e pretende ser uma visão do mundo à sexta. Ok. Todos juntos, os gratuitos que andam aí não dão um jornal mas vamos continuar a acreditar que os nossos patrões não têm os fusíveis fundidos quando apostam no mercado da imprensa gratuita. Disse imprensa?! Perdão...

Quanto ao novo gratuito, só vi a capa. Vou tentar agora "comprar" um.

PS - Já vi. Gostei. Só o tema de capa não é feliz. Tudo o resto tem qualidade e é atractivo. Força, companheiros!

PS 2 - Ah, claro, e o Sexta tem uma grande mais valia: a crónica tropical do Nuno Amaral!

DESAPARECIDO EM COMBATE

Mais uma pobre vítima do Apito Dourado.

AVISO À NAVEGAÇÃO

Dragões, não se esqueçam, os nossos bebés podem não ter ganho um jogo mas não perderam 6 dos jogos que disputaram... Quanto à questão do fair-play, que é mesmo uma treta, mais uma vez o FC Porto é pioneiro e surge na linha da frente. É mais sarna para os árbitros se coçarem...

sexta-feira, outubro 26, 2007

AMADOR

Duarte Gomes fez hoje, em Guimarães, uma arbitragem terceiro mundista. Não apenas permitiu que o lance do primeiro golo do Vitória fosse precedido de falta como não viu uma grande penalidade que pelos vistos só Manuel Cajuda não seria capaz de ver e que podia dar o 2-1 para o Leiria de Bartolomeu/Duarte. A cereja em cima do bolo foi o facto de o Vitória ter marcado o golo que lhe deu 3 pontos 38 segundos para além dos 4 minutos de tempo extra. Um desastre completo.
Para além destas cagadas, o jogo foi excelente. Intenso. Com muito público nas bancadas. O Vitória está em 2.º lugar, o que é fantástico. Só não percebi os assobios dos adeptos locais para Duarte Gomes, no final. Bem, no fundo o homem que defende com unhas e dentes a profissionalização dos árbitros bem os mereceu.

quinta-feira, outubro 25, 2007

CALDEIRADAS

Nunca acreditei que a família Loureiro se retirasse do Boavista. Parece que tinha razão. O futuro presidente, o empresário Joaquim Teixeira, tem o aval de João e, sobretudo, de Valentim. É fascinante a forma como Teixeira considera que o clube tem viabilidade e que até tem conseguido resultados positivos nos últimos anos, pouco se importando com um passivo na ordem dos 50 milhões de euros (10 milhões de contos). Não sei como gere Teixeira as suas empresas de caldeiras e de produtos químicos, o que sei é que tudo isto já cheira a esturro e digo isto sem entrar já na teoria da conspiração do meu amigo Admirável Homem das Neves.

CHAMPIONS, dia 3


Ronda 3, 3 resultados diferentes.

No Sporting, mais do menos. Ou seja, miopia na visão de jogo do treinador, reumático nos movimentos ofensivos, artrose na organização defensiva e problemas neurológicos na baliza. Como tal, 1-2, em Roma, acabou por não ser um mau resultado...

No Benfica, finalmente Cardozo. Não vi o jogo nem o resumo mas a estatística da UEFA é expressiva. Ainda é possível, embora difícil.

No FC Porto, o costume, desta vez com um belo jogo, uma primeira parte im-pre-ssio-nan-te. Grande festival. Mas o OM é o OM e até ameaçou sem ganhar, o que seria excessivo. A derrota do Liverpool em Istambul ajudou, colocando os ingleses a 4 pontos, ou seja, o FC Porto até pode perder em Anfield Road, "bastando-lhe" bater em casa OM e Besiktas. Não parece complicado.

ORA CÁ ESTÁ ELA











A imagem possível, tendo em conta a tecnologia disponível, de uma das curvas do Vélodrome, onde se juntam algumas das dez claques oficiais do clube que têm o direito de comprar e revendar lugares de bancada com a mais valia de 35 euros a cadeira. Pode ainda ver-se o jeep de Cissé, uma imagem frequente de miséria nas ruas de Marselha captada de um táxi em movimento, uma sobremesa gourmand que o je saboreou num restaurante do Velho Porto e o célebre Chateux D'If ou Castelo do Conde de Monte-Cristo, onde se podem passar umas horas muito agradáveis, com o Mediterrâneo à nossa volta e Marselha no horizonte.

quarta-feira, outubro 24, 2007

DIREITOS POR LINHAS TORTAS


Acabo de perceber que aqui em França os chamados clubes grandes, com a excepção do Marselha, se preparam para forma a Liga do Futuro, desprezando por completo os outros clubes e preparando-se para abocanhar direitos televisivos. Preparem-se, portanto. Recorde-se que a Liga francesa negociou com o Canal + um contrato de 600 milhões de euros por ano mas os principais clubes franceses entendem que podem subir até 800 milhões de euros por época, embora o Canal + já tenha posto alguma água na fervura, vindo dizer que, após a 10.ª jornada, a Ligue 1 perdeu muita audiência, passando de 25 milhões de espectadores para cerca de 20 milhões. Contas feitas à sua maneira segundo os jornalistas franceses que acompanham as negociações. A coisa promete enquanto por cá se continua sem saber quanto vale a Bwin Liga em termos de direitos televisivos e sobretudo quanto é que pode valer. Ah, falta dizer que a nova Liga francesa quer normalizar a publicidade a bebibas alcoólicas e só posso concordar pois maior hipocrisia não pode haver que a de não permitir a PUB do vinho e da cerveja num desporto amado por bêbados.

terça-feira, outubro 23, 2007

SÓ UM CHEIRINHO




Marselha vista do Castelo de If, o tal do Conde de Monte-Cristo. Em cima, o Moreira e o Nuno admirando o belo castelo onde não vi o poema de Kipling mas vi imagens do nosso rinoceronte. A Cassis não deu para ir mas a marinha de La Ciotá também vale a pena, sobretudo quando a temos a nossos pés e nas nossas mãos uma sopinha de peixe.


ON TOUR

Pausa técnica. Fica prometida para 5.ª feira fotoreportagem em Marselha.

sábado, outubro 20, 2007

BOMBÁSTICO

[AMPLIAR PARA LER]

Vem aí mais um livro que promete. O autor: Delane Vieira. O homem que andou a enterrar sapos no Prater, em 1987, e que foi visto a empurrar barcos no Senhor da Pedra, na companhia de um dirigente e de um reputado treinador. Lembro-me de fazer, na Gazeta, uma notícia a dizer que o FC Porto tinha um parapsicólogo e que ele dava pelo nome de Delane Vieira. Por causa dela estive quaser a ser despedido pelo director...que era o meu pai. Acho que na altura tal não aconteceu devido a tráfico de influências. Mais tarde, conheci-o e dei a cacha de que estava a trabalhar para o Benfica, notícia também desmentida mas que não me valeu qualquer problema. Confesso que Delane é um homem místico. Recordo-me que almocei com ele num restaurante da marginal de Gaia, cujo proprietário contou que fora com a bênção de Delane que conseguira transformar um restaurante às moscas numa casa de sucesso. Perdi-lhe depois o rasto e volto a encontrá-lo nas páginas do Correio da Manhã, num furo do meu amigo José Carlos Soares, o único jornalista que conheço que desafiou Pinto da Costa para a marcação de grandes penalidades. Repito: o livro de Delane promete, sobretudo se contar metade daquilo que viveu ao lado de grandes figuras do nosso futebol, figuras das quais, confessa desde já, nunca foi namorado! O Octávio sabe do que estou a falar...

CORPORAÇÃO

Ponto prévio: acho muito bem que os árbitros exponham, não deixando apenas para os dirigentes os palcos mediáticos. Andou bem A BOLA ao juntar, ao jantar, Pedro Proença, Lucílio Baptista, Duarte Gomes, Jorge Sousa, Paulo Paraty, Olegário Benquerença, Bruno Paixão, Paulo Costa, João Ferreira e o "must" Pedro Henriques. A reunião não decorreu na Marisqueira de Matosinhos, informa-se desde já. Do excelente trabalho produzido sobrou algum espaço para o APITO DOURADO. A BOLA apenas reproduziu declarações, a este propósito, de Proença, Paraty e Costa. Proença verificou a existência de escutas escandalosas que têm a ver com os árbitros e entende que deve haver punições, doa a quem doer. Paraty condenou os julgamentos públicos já feitas e Paulo Costa fechou assim: "Sabem quantos árbitros da I Divisão são arguidos? Nenhum". Bem, Paulo, 15 foram constituídos arguidos e dois - Augusto Duarte e Jacinto Paixão - estão acusados. Mas mais importante do que isso foi o clima que deu para perceber entre árbitros e dirigentes de clubes e da arbitragem, nomeadamente no que diz respeito a subidas e descidas de escalão, com o MP a entender que os dados estavam viciados não apenas na FPF mas também na Liga. Não chega para dar trabalho aos tribunais mas moralmente é péssimo. E isso também devia ser discutido. À mesa ou nas instâncias desportivas- Será que vai ser? Ou a corporação vai impor-se de novo? E a quem interessa isso?

PS - BnA apurou que o encontro decorreu na Adega da Tia Matilde, local de grandes tertúlias benfiquistas. O director do jornal recepcionou os apitadores mas não jantou pois tinha outro compromisso...

VESTIDO PARA IMPRESSIONAR

sexta-feira, outubro 19, 2007

APITO DOURADO



Aumenta a certeza de que o Apito Dourado vai mesmo para a frente. O trabalho da ECPAD (Equipa de Coordenação do Processo Apito Dourado) foi bastante produtivo e em apenas nove meses fez-se o trabalho que ficou em banho Maria praticamente durante dois anos. Bem se pode dizer que a equipa de Morgado acabou por salvar a pele ao procurador que deu o corpo às balas: Carlos Teixeira. Ficou provado também que com condições de trabalho a eficácia da investigação aumenta exponencialmente. Desta forma fica também salvaguardado o grande trabalho feito pela equipa da Polícia Judiciária, chefiada pelo inspector António Gomes, que conseguiu, no fundo, investigar todos estes casos, com impermeabilidade notável e uma metodologia científica exemplar. Só ainda não se percebe porque é que a equipa da PJ não avançou noutras direcções, nomeadamente apontando batarias a alguns dirigentes de clubes do Sul, presumindo-se que não o fez por entender que corria o risco de tornar ainda mais monstruoso e incontrolável este processo. De qualquer das formas, alguma coisas nesse sentido foram apuradas e talvez um dia elas possam conhecer a luz do dia. Para se perceber finalmente que o futebol português, em 2004, era um sistema viciado mas não apenas por alguns.

ESCANDALEIRAS JORNALÍSTICAS*

Esta publicação, sim, vai fazer furor no mundo jornalístico. Agora é que vamos ver quem anda a mijar fora do penico, quem tem o seu nome nas listas de pagamentos, quem dá o cu e 5 tostões para aparecer ao lado dos maiorais, quem dá informações aos mesmos sobre o que se passa nas redacções, quem faz espionagem industrial, quem anda a comer quem, quem tem contas na Suíça, quem fuma charros quando devia estar a trabalhar...
* Brevemente numa banca perto de si

quarta-feira, outubro 17, 2007

O MONSENHOR


Eduardo de Melo Peixoto é natural da freguesia de S. Lázaro, em Braga, e completa 80 anos no próximo dia 30 de Outubro. Admirador da obra de Salazar, anti-comunista assumido, sobretudo nos tempos que se seguiram ao 25 de Abril de 1974, este ilustre bracarense está em todas quando a questão é a vida da sociedade bracarense. Eminência respeitada também nos bastidores do futebol, foi feito comendador por Mário Soares e já serviu sob três bispos e seis Papas. É um clérigo sem papas na língua que um dia até defendeu o uso de preservativo, “em determinadas circunstâncias”, porém. Dele se dizia também que benzia bombas e que usava pistola nos conturbados tempos do PREC. O hoje Monsenhor Melo apenas admite que é um bom atirador. Esta conversa decorreu em meados de Julho mas continua actual e por isso aqui fica.






– Qual é a sua expectativa em relação a esta época do Sp. Braga?
EDUARDO MELO – Sabe que toda a gente vive da esperança e que a esperança é o futuro. E o melhor que há, quanto ao futuro, é pensar no passado com os pés bem assentes no presente. Os responsáveis têm tudo bem pensado e orientado. Há sempre percalços mas julgo que está tudo bem estruturado, conforme diz o presidente.
– O Sp. Braga vem de uma boa sequência de resultados nas últimas épocas, subindo sempre a fasquia…
EDUARDO MELO – É verdade. Quando as pessoas param e pensam tudo corre melhor. Porque não se pode pensar a correr e no futebol tal é difícil pois é um desporto que envolve muita…corrida…saltos…
– Como classifica a gestão de António Salvador?
EDUARDO MELO – Muito boa, desde o princípio. Gerir é difícil. Girar é fácil, gerir é difícil. Não é qualquer pessoa. Salvador gere e não gira, pára e pensa.
– Cada vez se fala mais na possibilidade de o Sp. Braga correr pelo título nacional. É algo com que pode sonhar?
EDUARDO MELO – Hoje toda a gente pensa no título. S. Paulo tem um diálogo muito interessante na sua epístola: “Já reparaste que todos correm mas só um recebe a coroa de louros?” Mas todos correm.
– O Sp. Braga tem estrutura e massa crítica para ser um sério candidato ao título?
EDUARDO MELO – Há pessoas que são pessimistas mas julgo que devemos ser optimistas. Temos de sacudir o pessimismo, embora com os pés sempre bem assentes na terra. Temos de estar na varanda e ver, sendo realistas e optimistas.
– O estádio agora tem o nome de uma companhia de seguros. Isso não o choca?
EDUARDO MELO – A relva não deixa de ser relva e o cimento não deixa de ser cimento. O clube lucra com isso. Por exemplo, Alvalade XXI amanhã vai ser Alvalade XXII. São coisas momentâneas. Hoje vestimos um fato, amanhã outro. Por isso, não vejo nisso um grande problema.
– Acompanha com muito fervor o Sp. Braga?
EDUARDO MELO – No ano passado, só vi um jogo, em Verona. Tenho trabalhos.
– Mas não gosta de futebol?
EDUARDO MELO – Gosto. Mas primeiro lugar está o dever, em segundo a obrigação e em terceiro a devoção. E como eu não vou jogar…nem sou treinador…sempre que posso vir, venho. Mas pago as quotas e pago a cadeira! Sou o sócio cento e poucos, era o 161.
– Como está o futebol português?
EDUARDO MELO – Pela amostra que vamos tendo, há coisas que não estão bem. Mas não é o futebol. Quem faz os ambientes são as pessoas, o mundo somos nós. Este é um mundo belo mas nós damos cabo das florestas com os incêndios, poluímos os rios. O futebol, sendo um desporto como outro qualquer, é feito pelos homens. É como um fato. Um alfaiate pode ser muito bom mas se o corpo do cliente foi desajeitado, nada feito. Recordo-me que já fui presidente do Sp. Braga…






'Quando fui presidente do Sp. Braga tínhamos reuniões diárias, às 17 horas, e pontuais, acabando sempre às 19.30 horas porque eu tinha missa. Na sala ninguém fumava e só se bebia água'




– E como foi a experiência?
EDUARDO MELO – Calhou. Estava em Lourdes e quando cheguei a Portugal tinha sido eleito presidente do clube. Fiquei pasmado mas teve de ser. A experiência, essa, foi boa. Foi ditatorial!
- ????
EDUARDO MELO – Tínhamos reuniões diárias, às 17 horas, e pontuais, acabando sempre às 19.30 horas porque eu tinha missa. Na sala ninguém fumava e só se bebia água (as garrafas de whisky que lá havia acabaram). Não havia borlas para ninguém. Quem tratava do futebol era o António Duarte. Eu só coordenava. Perfeito, foi perfeito.
– Quem era o treinador?
EDUARDO MELO – Tivemos um percalço grande quando o António Oliveira saiu e depois o António Duarte foi buscar o professor Neca para acabar a época, tendo conseguido a permanência. E depois tivemos o Cajuda. O Jaime Pacheco era jogador e foi para o Paços de Ferreira, tendo sido muito correcto connosco. É importante que nos sintamos como homens mesmo quando não estamos de acordo.
– Como vê a violência que se tem associado ao futebol através das claques organizadas?
EDUARDO MELO – Mal, mal, mal. Quando apareceu a nossa claque, disse ao presidente Salvador e ao Mesquita Machado que tinham de tomar uma atitude. Nada tenho contra as claques porque há claques em todos os sectores, no desporto e na política, por exemplo. O entusiasmo é bom mas quando se passa para o insulto. Mas os exemplos também têm de vir de cima porque quando o pai e a mãe não se dão bem, os filhos também não se sentem obrigados a ter um bom comportamento.

OBRIGAÇÃO CUMPRIDA

Portugal lá ganhou no Cazaquistão e agora só um cataclismo nos afastará do Euro 2008. Makukula, o tal que queria representar a selecção do Congo, o que só não aconteceu porque a FIFA não deixou, fez o primeiro golo e promete, depois de alguns anos com lesões graves à perna. Quanto a Scolari, só falta um jogo para cumprir o castigo e aprendeu no Cazaquistão que a malta do Norte não se fica. Como terá acontecido em pleno treino quando provocou um fotógrafo que o apanhou na bancada do jogo no Azerbaijão, ao lado de um funcionário da FPF com um portátil. "Quer fotografar a miha bunda?", atirou. Mas não ficou sem resposta e entendeu de pronto sair de fininho. A malta da Póvoa tem sangue quente... Obviamente, tudo isto foi público e nada disto foi publicado. Nada de novo, por aqui.

segunda-feira, outubro 15, 2007

LISBOA, SEMPRE BOA


Sempre que regresso a Lisboa fico surpreendido com as coisas do costume (desculpem se resvalei para a retórica ou para a poética):
- A facilidade com que se apanha um táxi.
- A eficácia dos empregados de balcão
- A luz
- O frisson
- O (bom) tempero das saladas
- As imperiais bem tiradas
- As folhas caídas nas avenidas novas
- A liberdade das avenidas
- Os quiosques
- As esplanadas
- Os turistas e outros artistas
- As aldeias de Portugal

MARCAÇÃO AO HOMEM

Sei que a imagem não está muito boa mas vale pelo seu simbolismo. Enquanto discursa Hermínio, LFV marca JNPC em cima. Uma fila apenas a separar ex-velhos amigos, quando o Alverca era de primeira e PC um guru para Vieira. De então para cá, consta que houve um ano em que o Benfica foi campeão, depois de um intervalo técnico para Sporting e Boavista manifestarem alguma alegria.

ENTALADO

O que faz LFV entalado entre um carro, uma van e uma roulote? Bem, se calhar escondia-se de Pinto da Costa... Quanto à roulote que está estacionada há meses junto à sede da Liga, levantam-se muitas suspeitas. Será da equipa de vigilâncias da PJ do Porto?

domingo, outubro 14, 2007

A LOJA DA NEIDE


Quem disse que o chamado "comércio tradicional" morreu está enganado. Bem, a Loja da Neide, que sábado apresentou um up grade, não é propriamente uma loja tradicional. Felizmente. Lá estive na festinha que entrou pela noite e onde se falou um pouco de tudo, com a ajuda de vinhos australianos, chilenos e californianos. Os rissóis que faltaram na Liga aqui também ajudaram. O carro de Marisa Cruz esteve estacionado perto mas de lá saiu apenas o seu novo proprietário: João Pereira Coutinho, o colunista do "Expresso", amigo da casa. Um famoso anónimo da blogosfera também passou por lá, em trânsito para Lisboa... Ah, claro, a Loja da Neide fica bem no coração de Matosinhos, na Rua Tomás Ribeiro. Não se paga nada por ver a montra.

sábado, outubro 13, 2007

SAUDADES DO TONINHO VILAÇA

O maior accionista individual da FC Porto, Futebol SAD e um dos maiores e mais discretos coleccionadores de arte português continua desaparecido de combate no que ao futebol diz respeito, embora o seu nome continue a ser invocado a propósito de um passeio na praia de Macau. Confesso que tenho saudades deste homem completamente imprevisível e que muitos antes de Scolari iniciar a sua missão de evangelização já promovia a nossa bandeira, embora com o objectivo de fazer com que os jogadores para ela corressem quando marcavam golos. A bandeira estava sempre em seu poder e foi-lhe oferecida pelas miúdas de uma equipa secundária de Paredes, situação que reportei nas páginas do JN. Criou-se a ideia de que tudo foi mau durante o consulado de Oliveira na selecção - mas não foi. Para além de ter feito um Europeu ao mais alto nível, Oliveira apurou a selecção para o Mundial, 18 anos depois de lá termos posto as patinhas. A coisa não correu bem mas também não houve estrelinha... A partir desse momento, Oliveira escondeu-se do futebol, evitou entrevistas e resolveu alguns processos judiciais resultantes do Coreia/Japão, pouco se importando de servir de saco de areia para os agora apaniguados do sr. Scolari. Outsider no início, outsider até ao fim. Já não dá para frisar o cabelo com caracóis e ir para as vindimas francesas com o Marinho Neves mas vai dando para tirar uns cursos superior, comprar mais uns tantos quadros e viver a vida como ela merece ser vivida.

Um dia ele vai voltar. Quiçá numa manhã de nevoeiro.

MARINHEIRO DE ÁGUA DOCE


"A arbitragem é como as marés, que umas vezes estão altas e outras baixas” - Vítor Pereira, hoje, em Leiria, onde reuniu com os árbitros e árbitros assistentes de 1.ª categoria, perante os quais está em verdadeira baixa-mar, ou seja, arriscando-se a qualquer momento enterrar-se no lodo.


* ISTO JÁ NÃO VAI LÁ COM 'SOUNDBYTES'

DICK HARD VOLTA A ATACAR (2)

* Espectadores com cartão de passageiro frequente do BnA ficam na primeira fila, com a possibilidade de uma performance

NINGUÉM É SANTO



A polémica à volta das declarações de José Rodrigues dos Santos, que acusa de novo a direcção da RTP que permitir ingerências da central de informações do Governo, continua a dominar a actualidade. Os cépticos do costume querem crer que JRS é um pedante apenas. Bem, se estivermos a falar do melhor pivot da televisão portuguesa, de um romancista de enorme sucesso e de um repórter arguto que não foge dos conflitos...até pode ser que sim, tendo em conta o país em que vivemos. Não sei se o Governo interfere na RTP, para a qual nomeia administradores. Mas sinto-me no direito de desconfiar. Então não! Se a própria RTP afastou dos comentários dos jogos da selecção o seu melhor jornalista desportivo, Carlos Daniel, porque a FPF estava com azia, porque não ser permeável também a um nível digamos mais elevado que o do chuto na bola?

PROVIDÊNCIA CAUTELAR

José Mourinho impediu ontem todos os jornais portugueses de darem eco a uma reportagem sensacionalista do "The Sun" sobre a vida privada do "Special One". O que foi conseguido, em alguns casos, no limite. Mais: os advogados de Mourinho conseguiram que esses mesmos jornais (rádios e televisões) ficassem também impedidos, por ordem do juiz, de noticiar que tinham sido alvos de uma providência cautelar. O mesmo terá sido tentado em Inglaterra mas no "The Sun", pelo menos, pelos vistos ninguém entende português...

ver em http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/

CHEFE HERMÍNIO

Ponto prévio: aquela mancha que escorre do olho esquerdo de Hermínio não foi produzida no fotoshop, estava simplesmente na Visão que comprei no quiosque aqui do bairro. Também está bem.
Ficamos a saber, na Visão, revista que dá capa ao tema candente dos grandes cozinheiros caseiros, que o presidente da Liga tem o sonho de ter o seu restaurante. Entretanto, vai treinando servindo magníficas feijoadas no seu apartamento de Lisboa e na sua casa de Oliveira de Azeméis. Quanto ao que tem acontecido na Liga, já deu para perceber que aquele que será em breve o primeiro presidente profissional e a tempo inteiro não está com disposição para preparar caldeiradas, como noutros tempos. Ainda bem, mas sempre ficamos à espera que equipe devidamente o bar da Liga, para a eventualidade de alguns serões e de umas tantas feijoadas apaziguadoras.
Mais a mais, o presidente da Liga e deputado do PSD nada tem a perder. Se a Liga não der certo e se Sócrates continuar a ir a jogo, pode sempre abrir o seu restaurante. Estarei lá certamente.

sexta-feira, outubro 12, 2007

APITEM COMIGO


Tava o Apito Dourado posto em sossego quando LFV bateu com os pés e arrepanhou a cabeleira. Berros e birra. Afinal estava mal informado. A Liga já estava a tratar do assunto e agora promete que o vai encerrar, do ponto de vista desportiva, muito antes de qualquer decisão dos tribunais. Quer-me parecer que LFV ainda vai amaldiçoar os berros e a birra pois tudo o que for decidido, à luz dos regulamentos desportivos, pela CD da Liga ficará decidido e não será uma futura decisão dos tribunais a sobrepor-se. Tão simples quanto isto ou será que pode ainda haver aqui margem para contestação? Imaginem este cenário: o CD entende que houve tentativa de corrupção no caso do FC Porto-Estrela e subtrai 3 pontos ao FC Porto (agora ou no próximo campeonato), o tribunal entende depois que foi mesmo corrupção consumada mas a pena de descida de divisão, prevista nos regulamentos desportivos, é inaplicável porque entretanto já foi tomada uma decisão na instância desportiva. Quem é que se fica a rir?

Por favor, não pisem os malmequeres!

  Ia escrever qualquer coisa sobre isto mas o João Freitas - um dos melhores jornalistas que conhece - tirou-me todas as palavras da boca. ...