AGORA ESTOU AQUI

  • Apenas algumas notas - Na Liga de Clubes só falta mesmo o mais difícil: despachar Mário Figueiredo, esse grande chato. No Benfica, mais uma vez JJ estica a corda - só o faz por...
    Há 6 horas

sábado, Janeiro 29, 2011

Eu vi um porco a andar de bicicleta

quarta-feira, Julho 07, 2010

PORTUGAL SÉCULO XXII

sábado, Março 20, 2010

MUDANÇA DE PARADIGMA

CUMPRE-ME O PENOSO DEVER DE ANUNCIAR A MUDANÇA DO BnA PARA A COMUNIDADE DE BLOGUES DO RECORD.

A bola passa a estar nesta área:
http://comunidade.xl.pt/Record/blogs/bolanaarea/default.aspx

Esta mudança não se deve a qualquer motivo em especial. É uma mudança natural. O Record online disponibiliza uma plataforma para alguns dos seus jornalistas aí desenvolverem os seus blogues e BnA junta-se, por isso, à família. O BnA não vai ser diferente, pode até ser melhor aproveitando as sinergias do Record, sobretudo ao nível de imagem. Os fregueses BnA têm de ter um pouco de paciência pois a transferência tem conhecido alguns problemas mas até ao fim de semana estará consumada, com o "novo" blogue devidamente formatado e pronto a bombar.

quarta-feira, Março 17, 2010

ÚLTIMA HORA


PJ monta escutas em Domingos para a visita à Luz, mais precisamente ao respectivo túnel.

terça-feira, Março 16, 2010

INVEJOSOS


Tirando o facto de somenos de ser um homem (re)casado, Pinto da Costa é um homem como todos os outros. Falo dos homens activos e não dos passivos. O presidente do FC Porto pode ter muitos defeitos mas não joga de certeza na equipa das Minas da Panasqueira, nem é testemunha de Jeová. A sua última conquista parece que dá pelo nome de Fernanda e terá sido concretizada num shopping perto do Dragão e não no calor da noite. O romance parece seguir de vento em popa, com a habitual peregrinação a Santiago de Compostela. O que tem feito as delícias das revistas da especialidade e suscitado as mais diversas críticas mesmo a nível interno.
São todos uns invejosos.
Invejosos e hipócritas.
Quem não gostaria de poder "seduzir" a Nani? Longos dias têm cem anos. E até lá chegar, quem está nos setenta bem se pode tentar.
Força!

segunda-feira, Março 15, 2010

AFINAL HÁ MILAGRES (2)


« uma cortesia de Artur Moreira

JAVARDICES


"Penso que devemos puxar de todo o nosso fair-play para irmos em massa ao nosso Estádio receber os javardos do Vitória de Guimarães para lhes dispensarmos toda a hospitalidade que merecem, por terem recusado mudar a data do jogo para 2ª feira, com o fim de dar mais um dia de descanso aos jogadores de um clube do seu país que tem de defrontar os castelhanos do Atlético madrileno na Quinta-feira seguinte."

João Braga, fadista.


Tenha-se em devida conta o apelido do artista.

O RESPEITINHO É MUITO BONITO


Pedro Henriques deu este fim de semana uma entrevista na qual diz que teme pelo futuro da arbitragem se Vítor Pereira sair da estrutura. Sobre o seu presidente, o major diz também que se não tivesse cabelo teria sido melhor que o Pier Luigi Collina.


Se isto não é puxar o saco, eu sou do Sporting desde pequenino.


O mais curioso é que a entrevista foi enviada por mail para todos os árbitros. Enviada pela Comissão de Arbitragem da Liga.


Agora deixem-me rir um bocadinho.

ELE FOI. MAS VOLTA?

http://www.peticao.com.pt/jose-carlos-soares

ELEIÇÕES NA LIGA (DURA)

Ao colocar-se de fora das eleições para a Liga, o FC Porto confirmou que, afinal, vai estar bem por dentro do processo.

Penso eu de que.

domingo, Março 14, 2010

JORNADAS 23

FC Porto e Benfica beneficiaram de grandes penalidades.
Sim, mas quando Cardozo correu para a marca dos 11 metros o jogo estava empatado e a meio da 2.ª parte. E quando Falcão fez o mesmo o FC Porto vencia por 2-1 e estava-se no último minuto dos descontos.
Falta apenas dizer que o FC Porto também teve uma grande penalidade contra.

Ok, é um detalhe.

quarta-feira, Março 10, 2010

APITO DOURADO CHINÊS


Beijing: Four top Chinese referees, including one former World Cup and one current international official, have been taken for questioning by police investigating match-fixing in Chinese soccer, state media reported on Monday.
The head of the Chinese Football Association (CFA) Nan Yong and referees committee chief Zhang Jianqiang were arrested last week for their part in the scandal, which has also taken in more than 20 other officials.
Lu, 50, earned the nickname "golden whistle" for his reputed integrity after China's "black whistles" match-fixing scandal of the early years of this century.
He refereed the group stage match between Poland and the United States and another between Croatia and Mexico at the World Cup finals in South Korea and Japan eight years ago.
Huang, 43, has taken charge of several internationals, including World Cup qualifiers involving Japan and Saudi Arabia.
Wei Di, who has replaced Nan as head of the CFA, said he had not been taken aback by the development.
"It is not a surprise that referees are involved," he told the Beijing Times at the weekend.
"As far as I know, Huang has been taken away by the police to cooperate in the investigation. Lu has retired. I don't know if he has been cooperating with the investigation."
As well as the individual prosecutions, Guangzhou and Chengdu clubs were relegated from the top flight Chinese Super League (CSL), while a second division Qingdao club have been kicked out of professional football altogether for match-fixing.
das agências

terça-feira, Março 09, 2010

DESASTRE

Verdadeiramente desastrosa a exibição do FC Porto em Londres.
Tudo começou com Jesualdo a inventar Nuno André Coelho na posição 6.
Mas isto não explica o cataclismo.
Tal como já se tinha visto no jogo da 1.ª mão, o Arsenal revelou uma superioridade técnica flagrante e voltou a ser melhor nos processos de jogo e no plano táctico (ah, isto é periodização táctica!).
O FC Porto não merecia esta goleada pois tem sido a equipa que mais pontos tem somado para Portugal na Europa do futebol. E, convém não esquecer, é bicampeão europeu e bicampeão do mundo. Tem, por isso, um prestígio para defender. Mas não levando à letra a palavra defender. Não como aconteceu em Londres, onde desde 1991 soma sete derrotas seguidas. É muita fruta.

GLÓRIAS VITORIANAS


Eis uma das grandes equipas do Vitória de Guimarães. A foto, muito justamente, decora um dos corredores do complexo desportivo vitoriano e está pendurada junto à entrada para o excelente auditório. Reconheço alguns dos craques e talvez a freguesia possa fazer a legenda completa: Ramalho, Amândio, Silvino, Barrinha, Nivaldo (que craque!), Paquito, Joaquim Rocha e Murça... Parece que o Vitória começa finalmente a armar uma equipa com algum calibre, sob a batuta de Paulo Sérgio, embora seja difícil atingir a excelência deste team salvo erro comandado por Manuel José.

domingo, Março 07, 2010

AI JESUS*

Hoje perdi 25 euros. Não sei o que me deu para apostar esta quantia no empate ou na vitória do Paços de Ferreira na Luz. Lá se foi o magro capital que tinha reunido no bolso com mais uma vitória do Benfica, esta a colocar os encarnados com 11 pontos de vantagem sobre o eterno rival FC Porto e 3 para o Sp. Braga. É bastante reconfortante. Para os seus adversários resta a esperança que, na próxima jornada, Manuel Machado, o mais fluente dos treinadores portugueses, consiga bater Jorge Jesus, o mais influente dos treinadores portugueses. Sei que é pouco mas sempre é uma luz ao fundo do túnel.

sábado, Março 06, 2010

terça-feira, Março 02, 2010

domingo, Fevereiro 28, 2010

BREVES NOTAS SOBRE O CLÁSSICO

Como explicar os "3 à sec" do Sporting hoje?
Um jogo muito bom dos leões e um jogo muito mau do FC Porto?
Antes de tudo, esta vitória não merece dúvidas. Foi categórica.
O Sporting não deixou o FC Porto respirar, não lhe deu espaço, foi agressivo, não se deixou inibir com os cartões amarelos que inicialmente saíram só para o seu lado e foi oportunista.
O FC Porto entrou encolhido, não foi criativo, jogou sempre em esforço, pareceu cansado.
O Benfica tem agora 9 pontos de vantagem.
E o Sp. Braga 8.
Somadas as duas parcelas, são 17 pontos. Parece muito para recuperar quando estão em disputa 27 pontos.
É certo: o Benfica ainda recebe Sp. Braga (daqui a duas jornadas) e o Sporting, e vai ao Dragão.
Ficou mais difícil, sem dúvida, o segundo penta. Mas não se pode esquecer que o FC Porto é do Porto, da cidade que fez das tripas coração.

PS - Acho incrível como após qualquer derrota do FC Porto surge aqui e ali a insinuação de que Pinto da Costa "é finito". Ridículo.

ENCOSTADOS À PAREDE

Três jogos, 6 golos sofridos, 1 ponto somado. A "chicotada" que estalou no Mar não parece estar a resultar mas há que ter em conta que Castro Santos, a quem chamam Astérix, defrontou FC Porto e Benfica em casa e foi a Guimarães. Nos próximos jogos o Leixões vai definir se é ou não candidato à permanência no principal escalão, onde é vital que continue pois a queda para a Honra irá colocar também a administração entre a espada e a parede. Os erros cometidos no início da época continuam a repercurtir-se. Tudo começou com a saída do director desportivo, Vítor Oliveira, na fase crucial de preparação da nova temporada, ficando Mota com a criancinha nos braços. Erros crassos foram também as não renovações de Elvis e Roberto mas aí prevaleceu a política de contenção que continua a ser empreendida por Carlos Oliveira. Agora com o apoio finalmente de alguém que sabe como a bola pincha (Mário Jorge Branco, um jovem que foi campeão da Polónia numa equipa de província, filho de um antigo presidente), irá ainda o Leixões a tempo de garantir a salvação. Os dois jogos sucessivos em casa com V. Setúbal e Naval de 1.º de Maio serão a chave, sendo que a história nos diz que a Naval nunca perdeu no Mar...




sábado, Fevereiro 27, 2010

ELES ESTÃO DE VOLTA

http://www.vitoriagrande.org/

RUNENYOGA


Posturas Mágicas

O Corpo como Celebração do Poder Divinatório das Runas

Meditação através do uso de posturas psicodinâmicas corporais abre um novo horizonte no contacto com as entidades celestes que se “escondem” num simples símbolo rúnico e, assim, activam memórias subconscientes. O som, cor e o seu significado, quando sentidos e experimentados numa sequência de posturas rúnicas (a partir dos 24 sigilos mágicos do FUTHARK), transformam o corpo no melhor instrumento de captação de energias numimosas com as quais poderemos trabalhar num contexto divinhatório e, ao mesmo tempo, activar o processo de autodesenvolvimento. A proposta aqui apresentada visa criar um veículo de revelação dos Mistérios da Natureza a partir de dentro de cada indivíduo. Através das experiências individuais, nestes exercícios, vai-se elaborando e enriquecendo um sistema complexo de caracteres de uma linguagem mágica, que se vai incorporando no quotidiano invididual. As Runas vão revelando os seus segredos de acordo com as emoções e os sentidos de cada participante.

Recorrendo às Asanas do Ioga e à Euritmia de Rudolf Steiner, o alemão Frieddrich B. Marby, no início do século XX, criou um método de meditação corporal assente nos sigilos rúnicos: Runenyoga. Para cada runa, uma postura, acentuada com um mantra. O corpo toma a forma da runa, concentrando a mente no seu significado, chamando para o exterior o som mágico e traz à superfície a energia psíquica presente na sonoridade da fórmula sagrada ou da divindade, incorporando-a no corpo. Ao interagirmos dinamicamente com o corpo e com o conjunto de 24 Runas desvelamos, então, uma nova faceta de cada Runa, em função do impacto que cria na consciência individual. As experiências diferem de caso para caso, o que permitirá formar conceitos muito pessoais sobre o significado de cada um dos símbolos. Os exercícios fortalecerão o corpo e, sobretudo, estarão a reaproximar-nos intimamente às forças dos mundos celestes e subterrâneos que marcam o compasso dos ritmos do meio natural.
Os objectivos da prática de Runenyoga são os seguintes:

Controle do corpo através da postura, exercitando impulsos de movimentos.
Controle dos pensamentos através do som, ou seja galdr (mantra)
Controle da respiração
Controle das emoções com o propósito de abrir janelas à visualização.
Despertar os sentidos internos às mensagens das runas que ressoam do nosso Ser e dos Mundos da Árvore do Conhecimento.
Controle da vontade no sentido de a direccionar a um determinado objectivo.

Dividido em três sessões por mês, durante seis meses, o workshop arrancará em Abril, estendendo-se até Junho. A segunda fase começará em Setembro.

PRIMEIRA FASE
Abril: 6 (Terça-feira), 14 (Quarta-feira) e 23 (Sexta-feira)
Maio: 30 de Abril (Sexta-feira), 18 (Terça-feira) e 25 (Terça-feira)
Junho: 2 (Quarta-feira), 11 (Sexta-feira) e 18 (Sexta-feira)
Todas as sessões serão em horário pós-laboral das 19 horas às 20,30 horas

LOCAL
Estúdio Ganesh, Praça dos Lóios, 37- 2º andar, Porto.
Contribuição mensal: 25 euros.
Desconto para membros do Projecto Karnayna.
Inscrições/Informações
valquiria@projectokarnayna.com
Cada participante deverá trazer:
- roupa confortável e calçado ou peúgas indicados para meditação
- Lápis de cor, canetas ou aguarelas.
- um baralho de Runas, caso o tenham
Este trabalho constituiu uma etapa complementar à temática desenvolvida no livro “As Moradas Secretas de Odin”, de Valquíria Valhalladur.

CÁ FICA DIVULGADA ESTA INTERESSANTE INICIATIVA DA MINHA COLEGA DE "O JOGO" CRISTINA AGUIAR.

sexta-feira, Fevereiro 26, 2010

NOTAS SOLTAS


O "Record" mostrou hoje mais uma vez que é um jornal diferente ao dar desta forma a mão à palmatória, valendo-se da velha máxima do mestre Fernando Vaz. Carvalhal, agora com Costinha como adjunto do primeiro-ministro, num clube com um fraco presidente da República, tem tempo para respirar antes de receber o FCP. O Sporting não costuma ajudar o rival do outro lado 2.ª circular mas o leão está ferido e sabe-se como é quando um felino começa a sangrar...
Leio também que o presidente do Conselho de Justiça da FPF se quis demitir devido a pressões resultantes do caso do túnel da Luz. Falta saber que tipo de pressões sofreu e quem foram os seus autores. Gilberto Madaíl pelos vistos conseguiu convencê-lo a continuar. Resta saber até quando.
No Porto, houve buscas na SAD do FC Porto e a polícia belga e a PJ ouviu Vítor Baía e Angelino Ferreira. Registei o facto de muitos jornais se terem apressado a referir que o FC Porto nada tem a ver com esta investigação. Por acaso até tem. Ou não estarão em causa negócios que fez com essa ave rara que dá pelo nome de Luciano d'Onofrio? O que não quer dizer, obviamente, que esteja envolvido na tramóia. Mas sempre gostava de saber por que raio, em 2004, Pinto da Costa desistiu de um processo contra José Veiga, processo no qual Onofrio era sua testemunha...
Com a hipocrisia do costume, o Benfica vem afirmar que não vai recorrer dos castigos da CD sobre o caso do túnel da Luz para não agravar as penas dos jogadores portistas. Esta é de cabo de esquadra. Ou há problemas no refeitório da Luz ou querem fazer de nós todos parvos.
Parece que vamos ter novidades sobre o caso do Boavista. Amanhã, talvez. Espera-se, por outro lado, o acórdão da Relação do Porto sobre o processo originário do Apito Dourado. Só falta a validação do relator. Pode haver uma surpresa.
O major Valentim Loureiro está doente. Dizem-me que com problemas sérios de diabetes. As melhoras. Sempre gostei do "Valentão", nunca foi homem de guardar ressentimentos, ao contrário de outros.
Um presidente de um clube da I Liga ficou muito chocado quando outro presidente lhe apresentou a namorada brasileira de 20 e poucos anos como a sua companheira. O segundo presidente é um homem casado e não com uma brasileira.
Está por esclarecer a desistência de Pimenta Machado da anunciada candidatura à presidência do Vitória de Guimarães. As razões familiares que arguiu não me convencem. Estará ele à espera de uma nova oportunidade, quando o clube começar, de facto, a sentir-se asfixiado financeiramente? Também não acredito nesta tese. Vou tentar tirar isto a limpo.
Carlos Queiroz não convocou Ruben Micael e caiu o Carmo e a Trindade. Desta vez não é possível telefonar para o "Pato". É uma pena. Pela parte que me toca, acho que o madeirense merece um lugar no avião.
Está a ser julgado em Lisboa apenas o maior caso desportivo resultante do processo Apito Dourado, o processo da viciação dos resultados desportivos. Os jornais da especialidade dedicam breves e rodapés ao assunto. Fantástico autismo.
Vítor Pereira continua a brincar com o fogo. As nomeações de Lucílio para o jogo do Mar e de Ferreira para o jogo de Alvalade são mais tiros no escuro. A verdade também é que nesta altura do campeonato as escusas e as desculpas dos árbitros para não irem aqui e ali são mais que muitas...e isso o presidente da CA também devia esclarecer.

terça-feira, Fevereiro 23, 2010

NÃO HAVIA NECESSIDADE

Rui Moreira, ao associar-se à sedição de hoje à porta da sede da Liga, colocou-se ao nível do Manuel do Laço.
O que foi altamente desprestigiante para o grande boavisteiro de todas as causas.
Por estas e por outras é que muitos lisboetas consideram os portuenses uns perfeitos bimbos. Quando a própria burguesia age ao lado da ralé...

segunda-feira, Fevereiro 22, 2010

PAULO COSTA


Uma interessante entrevista de Paulo Costa ao ARBIFUTE que apenas demonstra que os nossos árbitros só perdem quando os obrigam a estar calados.

Aqui:http://www.arbifute.com/2010/02/paulo-costa-ja-respondeu-aos-leitores.html

O QUE SE PASSOU AQUI?

Um verdadeiro banho de bola do FCP perante um Sp. Braga que, incompreensivelmente, mudou o chip.
A equipa de Domingos saiu humilhada do Dragão. É certo: perdeu a liderança e tem 5 pontos de vantagem sobre o FC Porto, ou seja, pode perder um jogo mas não pode empatar outro pois no confronto directo perde para os azuis e brancos (contas feitas, até pode empatar dois jogos).
Não sei ainda se foi o FC Porto que jogou muito ou o Sp. Braga que jogou muito pouco.
Talvez as duas coisas.
O que sei é que os dragões continuam na corrida. Segue-se Alvalade, mais uma final, com o Benfica a deslocar-se a Matosinhos e Domingos a receber o amigo Jorge Costa.
A jornada 21 promete. E a seguir a ela ainda ficam a faltar 9. A verdadeira prova.

sábado, Fevereiro 20, 2010

RICARDO COSTA E O FCP

Mantenho o que tenho dito e escrito.
Com Hulk ou sem Hulk, o FC Porto continua a poder ser pentacampeão e agora até criou boas condições para pelo menos chegar aos "quartos" da Champions.
Percebo, por outro lado, o banzé que está a ser criado a propósito dos castigos a Hulk (4 meses) e a Sapunaru (6 meses). Todos sabemos que o que conta é o primeiro, o segundo, que representa apenas mais uma das contratações falhadas portistas, até já foi despachado para longe.
Tal como aconteceu no Apito Final, continuo a não acreditar na tese da cabala (ou do robalo).
- Se Ricardo Costa estava mesmo de faca afiada para o FCP, teria despromovido o clube no Apito Final e não reduziria quase para metade da pena mínima os castigos agora aplicados.
Com tanta agência de comunicação que anda por aí, com tanta parafernália para escutas, com tanta bufaria, não percebo como ninguém foi capaz até hoje de pelo menos fazer passar para a Comunicação Social uma tese mais ou menos credível relativamente a um presumível recalcamento do líder da Comissão Disciplinar da Liga em relação ao FC Porto e a um alegado benfiquismo primário do mesmo (nem que seja manifestado na...escola primária, ali por Canelas).
Obviamente, depois de termos ouvido as escutas a sanha cabalística amainou...
Compreendo que seja obrigatório manter uma certa linha de coerência, mantendo as batarias apontadas na direcção da Liga de Clubes, fazendo-se tábua rasa de coisas essenciais, como seja, por exemplo, o facto de apenas ter sido aplicada uma lei mal feita e de a CD da Liga ter deixado a porta aberta para o CJ da FPF absolver Hulk.
É certo que o FC Porto teve danos colaterais provocados pelo processo Apito Dourado/Apito Final. Mas convém não esquecer que esta não é a história da galinha e do ovo. Antes do Apito Final nasceu o Apito Dourado.
Mas a vida é mesmo assim. Quando os processos usados são marginais arriscamo-nos sempre a ser apanhados. Um dia tinha de acontecer. Como aconteceu.
Todos sabemos que, no fundo, o FCP e Pinto da Costa saíram mais ou menos airosamente do problema.
PC não foi condenado na chamada "justiça civil".
O FC Porto não desceu e não foi afastado da Champions, tendo ganho 4 campeonatos em 5 desde que o Apito Dourado veio para a praça pública.

Não sei do que se queixam os talibãs do regime. Ou melhor, sei porque se queixam. Quando começamos a dobrar a espinha é muito difícil vencer a inércia e a tendência é sempre para, nos limites da motricidade humana, ficarmos com a cabeça cada vez mais perto do chão onde os outros mais dia menos dia nos vão pisar.

O pior do futebol continuam a ser aqueles que dependem do futebol para ter uma razão para viver. Uns pobres coitados.

sexta-feira, Fevereiro 19, 2010

quinta-feira, Fevereiro 18, 2010

PIMENTA SAI...

Golpe de teatro, não propriamente inesperado, de Pimenta Machado no último dia para a entrega de listas para a direcção do Vitória. O antigo dux vitoriano não vai candidatar-se e deixa caminho livre para Emílio Macedo e Pinto Brasil. PM invoca razões familiares não propriamente convincentes. Acredita-se que atrás da sua decisão haverá razões mais ponderosas, que só o próprio pode explicar e detalhar. Mesmo assim, as eleições do Vitória vão ser discutidas, com Pinto Brasil a ter como bandeira a figura de Luís Freitas Lobo na posição de director desportivo, e Emílio Macedo a fazer figas para que Paulo Sérgio consiga algumas vitórias até 20 de Março. Num momento em que a família vitoriana recupera do "choque" provocado pela saída de Pimenta Machado da corrida, a candidatura a um lugar europeu pode ser mais importante que as candidaturas propriamente ditas.

terça-feira, Fevereiro 16, 2010

AGARREM-NOS SE PUDEREM



Uma imagem do Axa cheio, com mais de 30 mil espectadores.
Sp. Braga com 8 pontos de diferença para o FC Porto e com a possibilidade de aumentar para 11 e de ficar isolado no comando do campeonato com mais 2 pontos que o Benfica.
Este ano o S. João vai ser em Braga.
Aposto que Pinto da Costa não deixará de festejá-lo.

sábado, Fevereiro 13, 2010

CUIDADO COM AS IMITAÇÕES



É cada tiro, cada melro.
O presidente do Sporting continua a disparar para o pé.
Repetiu a imbecilidade e deu como referência o modelo do FC Porto.
Reparem que estamos a falar no dirigente que um dia fez uma graçola a propósito da morte do Papa.

Conforme avisou um leitor atento, a graçola foi da autoria de Soares Franco. Vai dar quase ao mesmo.

O ESTRANHO CASO DO PROFESSOR QUEIROZ*


* Por Alberto Gonçalves e Hélder Cabral

OPS!



Pediram-me para ver este vídeo. Fui ver e agora está aqui.

AS ELEIÇÕES DO VITÓRIA

Pinto Brasil e Pimenta Machado já ao ataque. Aqui:



Depois de se afirmar como "candidato potencial", tendo em conta os 24 anos de liderança, Pimenta Machado deu mais um passo em frente na sua (surpreendente) candidatura ao apresentar-se ontem na sede do clube na companhia da filha mais velha, Eugénia. Pinto Brasil também esteve lá a ver as contas e foi contundente. Estão no terreno dois candidatos. Falta saber se o actual presidente, Emílio Macedo, também avança e se Pedro Xavier, actual líder da assembleia geral, avança sozinho ou na lista de...Pimenta Machado. Março prometer ser um mês escaldante em Guimarães, com três galos para um poleiro. Pelo que já deu para perceber, Pimenta Machado tem vantagem e essa precisamente essa consciência que o fez mudar de paradigma. O velho leão está de volta, mais magro 15 quilos e a dominar a arte da culinária...

quarta-feira, Fevereiro 10, 2010

APITO DOURADO - AS MEMÓRIAS (2)


Após a sexta sessão do julgamento do processo originário do Apito Dourado, há um mistério que permanece: quem é João Jorge Elias Martinho? Nunca ninguém o viu no Tribunal de Gondomar, bem assim como o advogado que mandatou: Joana Pimenta.
Quase desde a primeira hora que João Martinho se constituiu assistente neste processo, ou seja, na posição de alguém que tem algo a reclamar dos factos que estão a ser apurados, tal como acontece com os Dragões Sandinenses, a equipa que concorreu directamente com o Gondomar SC, na época de 2003/2004, pela subida à II Liga. Os dragões têm sido representados no tribunal pelo advogado Francisco Coelho dos Santos e toda a gente sabe que reclamam 3 milhões de euros de indemnização por eventuais prejuízos provocados pela viciação da verdade desportiva. Mas ainda ninguém conseguiu perceber quem é o que faz João Martinho na qualidade de assistente neste processo. Ainda se pensou que fosse um jornalista mais atrevido que assim se tivesse constituído para conseguir ter acesso ao processo mas este hipótese está praticamente colocada de parte. E todas as tentativas de contacto dos serviços do tribunal gondamarense resultaram infrutíferos. Será que João Martinho existe?

Rui Mendes, o detonador

Hoje, corre o pano sobre a sétima sessão do julgamento. A “estrela” do dia, no campo das testemunhas, será o árbitro Rui Mendes. Sem ele não teria havido não só este processo mas todos os que resultaram como certidões do processo originário.
Rui Mendes esteve dois anos na 1.ª categoria e foi uma queixa sua que fez cair as peças deste dominó. Tudo começou em 2001, quando Mendes relatou a Valentim Loureiro, presidente da Liga em exercício, uma situação ocorrida consigo na qualidade de árbitro da 1.ª categoria e com Nemésio de Castro, então membro da Comissão de Arbitragem da Liga, antes de um jogo entre o Campomaiorense e a U. Leiria. Na sequência da conversa que teve com o major, na Câmara Municipal de Gondomar, Mendes acabou também a falar com José Luís Oliveira e foi-lhe sugerido se estava interessado em apitar um jogo da equipa gondamarense, como viria a acontecer. Mendes apitou o jogo Gondomar-Trofense, que terminou empatado a uma bola. A nota que recebeu não foi boa e Mendes “encheu o saco” e foi falar com Pimenta Machado, que o aconselhou a escrever uma carta ao presidente da Liga. Carta que foi encaminhada por este para o DIAP do Porto. Pimenta Machado também expôs a situação à Procuradoria-Geral da República. Rui Mendes abandonou prematuramente a arbitragem e chegou a ser acusado no processo originário mas acabou por não ser pronunciado.

SALEMA GARÇON


Não tendo nada contra o personagem - muito menos contra O Shrek, o Barbas e o Gordo -, fico sempre surpreendido quando reparo que a imagem do Sporting tem sido permanentemente "defendida" por Miguel Salema Garção. Alguém vai ter de dizer ao homem que o português, mesmo quando atacado por um acordo ortográfico feito às três pancadas, tem uma gramática e que o bom senso não é apenas uma figura de estilo. O Sporting está a colocar-se ao nível, ou mesmo abaixo, do tempo em que a imagem institucional do Benfica era o João Gabriel.

segunda-feira, Fevereiro 08, 2010

SUPER BRAGA



Queriam uma prova cabal de que este Sp. Braga é um grande candidato ao título?

Ei-la. Vitória por 3-1 em Belém quase todo o tempo de jogo com menos um homem em campo.

Agora é que vão ser elas.

Enquanto os do costume se matam, o Braguinha caminha para fazer história
.

sexta-feira, Fevereiro 05, 2010

OS 1.os DIAS DO APITO DOURADO

(aqui se inicia a republicação e a edição de diversos textos relativos ao processo Apito Dourado. Para memória futura)
20 de Abril de 2004
Mais de 60 buscas domiciliárias, de Bragança a Setúbal, são concretizadas através de uma operação que envolveu diversas directorias da Polícia Judiciária e que foi comandada pela Directoria do Porto, sob a orientação do sub-director Teófilo Santiago (hoje à frente da directoria de Aveiro). O processo arranca com um total de 1.784 folhas, aí constando muitas das escutas entretanto validadas pela juíza Ana Cláudia Nogueira. Só o telemóvel de Valentim Loureiro motivou a transcrição de 117 chamadas. O total de escutas rondou este astronómico número: 15.000. A PJ cumpre os 16 mandados de detenção emitidos e Valentim Loureiro, José Luís Oliveira, José António Pinto de Sousa, Francisco Costa, Luís Nunes, Joaquim Castro Neves, Carlos Silva, António Henriques, Paulo Torrão, Jorge Saramago, Fernando Valente, Manuel Mendes, José Manuel Rodrigues, Licínio Santos, António Eustáquio e Pedro Sanhudo dormem nos calabouços da PJ, praticamente estreando estas instalações da portuense Rua Assis Vaz, a dois passos do antigo estádio do Salgueiros.
21 de Abril
Jorge Saramago, árbitro de Aveiro, é o primeiro a ser ouvido no Tribunal de Gondomar, tendo prioridade para poder estar presente no funeral do pai. De tarde, seguem-se as inquirições dos árbitros Licínio Santos, Fernando Valente, Manuel Mendes, António Eustáquio e José Manuel Rodrigues. São também ouvidos e constituídos arguidos Paulo Torrão, funcionário da FPF, Carlos Silva e António Henriques, membros do Conselho de Arbitragem da FPF.
22 de Abril
Pinto de Sousa é ouvido durante todo o dia. Sai em liberdade mas o presidente do Conselho de Arbitragem da FPF fica impedido de, sem ordem do tribunal, abandonar os concelhos de Matosinhos e do Porto, onde reside e trabalha, respectivamente. Francisco Costa, outro dos "conselheiros" começa a ser ouvido já noite avançada e sai já de madrugada.
23 de Abril
Chega a vez de Valentim Loureiro ser ouvido. Ana Cláudia Nogueira interroga-o durante dez horas! Já depois da meia-noite, o major sai em liberdade mediante uma caução de 250 mil euros e é esperado, emotivamente, por um grupo de adeptos do Boavista. Valentim esteve detido durante 86 horas. De madrugada, é ouvido Joaquim Castro Neves, chefe do departamento de futebol do Gondomar.
24 de Abril
Luís Nunes, membro do Conselho de Arbitragem da FPF, Pedro Sanhudo, árbitro, e José Luís Oliveira, presidente do Gondomar, são interrogados por Ana Cláudia Nogueira. O líder do Gondomar e vice-presidente da Câmara de Gondomar fica em prisão preventiva. A primeira fase do processo "Apito Dourado" termina com um total de 164 indícios de crimes e 16 arguidos.
14 de Julho
Juiz Pedro Abreu Costa pede escusa depois de ter sido nomeado titular do processo "Apito Dourado", que continua entregue a Ana Cláudia Nogueira.
28 de Julho
Ana Cláudia Nogueira revalida a prisão preventiva de José Luís Oliveira.
23 de Outubro
José Luís Oliveira deixa o Estabelecimento Prisional da Polícia Judiciária do Porto e passa a estar em situação de prisão domiciliária, com pulseira electrónica.
18 de Junho
Pinto de Sousa troca o advogado Quelhas Lima pelo então bastonário da ordem, José Miguel Júdice.
2 de Dezembro
Buscas na sede da administração da FC Porto, Futebol- SAD, nas Antas, e mandado de detenção para Pinto da Costa, não cumprido devido à ausência do presidente portista. O árbitro Augusto Duarte é ouvido no Tribunal de Gondomar, de onde sai arguido e suspenso da actividade desportiva. Jacinto Paixão e os seus habituais árbitros assistentes, José Chilrito e Manuel Quadrado, dormem nos calabouços da PJ, tal como o empresário António Araújo.
3 de Dezembro
Pinto da Costa apresenta-se no tribunal. No exterior, tem à sua espera o núcleo duro da claque SuperDragões, mas o seu inquérito é adiado pois a juíza queria ouvir primeiro a equipa de árbitros alentejana. Paixão, Chilrito e Quadrado saem como arguidos e suspensos.
7 de Dezembro
Pinto da Costa é ouvido durante dez horas e sai sob caução de 125 mil euros e com a proibição de falar contactar o administrador da SAD António Araújo, Valentim Loureiro e árbitros de futebol. A juíza encontra "indícios consistentes" para o constituir arguido.
17 de Dezembro
Boavista emite comunicado informando que desconhece totalmente o facto de João Loureiro ter sido alvo de escutas telefónicas.
2005
19 de Janeiro de 2005
Isabel Damasceno, presidente da Câmara de Leiria, foi constituída arguida, alegadamente devido a uma conexão com José António Pinto de Sousa, que é concessionário da "Ford" em Leiria. Os árbitros Carlos Amado, Paulo Alves e Ângelo Ferreira também foram ouvidos.
26 de Janeiro
Vários árbitros da região de Lisboa, entre os quais Lucílio Baptista e Bruno Paixão, são ouvidos pela equipa da PJ que conduz a investigação nas instalações da Direcção Central de Investigações e Combate ao Crime Económico e Financeiro, em Lisboa. No dia seguinte, Jorge Coroado, Vítor Pereira e Adelino Antunes fazem a "peritagem" de alguns jogos sob suspeita. Lucílio Baptista é ouvido em Lisboa e é constituído arguido.
27 de Janeiro
A equipa da PJ, liderada pelo inspector Casimiro Simões, muda-se para a directoria de Setúbal, onde interroga o ex-observador Diamantino Pires e os árbitros António Taia, Paulo Rodrigues, Sérgio Cruz e Bruno Paixão. No Porto é ouvido Francisco Costa.
31 de Janeiro
Bruno Paixão é ouvido nas instalações da PJ do Porto na qualidade de testemunha e no final mostra a intenção de se constituir como assistente, contra algumas das pessoas indiciadas.
1 de Fevereiro
Ana Cláudia Nogueira revoga algumas das medidas de coacção impostas a Pinto da Costa. O presidente do FC Porto deixa de estar proibido de falar com árbitros e com o advogado Adelino Caldeira, administrador da SAD portista, e também com Valentim Loureiro.
2 de Fevereiro
Martins dos Santos, ex-árbitro, e Carlos Pinto, funcionário da Liga, são ouvidos na PJ do Porto. Azevedo Duarte, vice-presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, é conduzido ao Tribunal de Gondomar, tal como os árbitros assistentes João Macedo e Ricardo Pinto. São todos suspensos de funções.

quinta-feira, Fevereiro 04, 2010

O QUE É ISTO?

http://reisdoave.blogspot.com/2010/01/surpreendente-descoberta.html

SENHOR PROVEDOR

A Liga já tem um provedor para os adeptos. Não se trata de um curioso qualquer que gosta de participar em fóruns desportivos da rádio. Jorge Silvério tem um currículo que dispensa mais apresentações:

"Nasceu em Angola, em 1967. É licenciado em Psicologia pela Universidade do Porto, tem uma Pós-Graduação em Desordens da Ansiedade e do Humor pelas Universidades de Maastricht e Oxford. Foi o primeiro mestre em Portugal em Psicologia do Desporto e é doutorado também em Psicologia do Desporto.É Professor da Universidade do Minho, onde coordena o Mestrado em Psicologia Desportiva.Enquanto formador foi convidado da Federação Portuguesa de Futebol como responsável da disciplina de Ciências do Comportamento nos dois últimos cursos UEFA PRO Nível IV para treinadores. É psicólogo e consultor de vários atletas, alguns dos quais Olímpicos.Participa em vários projectos de investigação nacional e internacional e é colaborador de jornais, revistas e rádios.O seu mais recente livro intitula-se "Como ganhar usando a cabeça".

Não deixa de ser, no mínimo, curioso o facto de se entregar a um psicólogo a provedoria dos adeptos. Teria mais lógica na provedoria dos dirigentes.

Aqui: http://www.lpfp.pt/provedor_do_adepto/Pages/Apresentacao.aspx

quarta-feira, Fevereiro 03, 2010

NUVENS DE POEIRA


Depois do (requentado) caso Jorge Teixeira, eis que mais uma vez o nome do Sp. Braga é usado, desta vez envolvendo o próprio Carlos Freitas, para sugerir que o líder do campeonato anda a dar prémios de vitória às outras equipas. Neste caso à U. Leiria. Os jogadores envolvidos desmentem o e-mail que chegou às redacções. É apenas mais uma nuvem de poeira que se levanta nesta torpe tentativa para "cegar" a equipa-sensação do campeonato.
É tudo muito baixo.

terça-feira, Fevereiro 02, 2010

O CASO

Da autoria do jovem, e já promissor, jornalista João Queiroz, o caso dos casos da arbitragem nacional passa a estar documentado e sintetizado. Já disponível nas livrarias. Por pouco mais de 7 euros. Muito abaixo do preço do dito cujo.

PIMENTA MACHADO DESPEJA O SACO


- Em Março há eleições para os órgãos sociais para o Vitória de Guimarães. Vai ser candidato à presidência?
- (risos) Bom, tenho muito prazer de estar aqui depois de uma ausência de 6/7 anos dos meios de comunicação social. Ser baptizado com uma pergunta dessa...gravidade...bom.. Vamos ver. Sou sócio do Vitória, sou sócio honorário também, estive lá 24 anos, ajudei a criar aquele clube. Quando entrei o Vitória nada tinha dele. Tinha uma sede alugada onde tínhamos de fazer reuniões mais junto ou mais afastado da parede consoante a chuva caía na sala. Quando saí, deixei o património que todos conhecem. O clube foi o primeiro a ter um complexo desportivo, deixe o clube com cerca de 70 milhões de euros de activos e com 2,6 milhões de dívidas. Portanto, deixei o clube numa situação superavitária. - A situação do clube degradou-se entretanto?
- Nunca mais acompanhei de perto a gestão financeira quer da primeira direcção quer da segunda. Pelo que me dizem, o Vitória estará muito pior a nível financeiro. No último relatório e contas verifiquei que estava íncito que o Vitória devia à banca cerca de 7/8 milhões de euros. São verbas muito importantes. Quando saí, o Vitória devia zero à banca. Devíamos ao Estado e a fornecedores mas à banca nada devíamos. Ora, estar a dever 8 milhões à banca quer dizer que, no mínimo, entraram no clube 8 milhões que não são do clube, são da banca. O que é preocupante para a realidade do Vitória. No meu tempo, o orçamento máximo que tivemos andava na ordem dos 6 milhões de euros. Hoje a realidade é completamente diferente.
- São esses números que ainda o estão a travar na vontade de voltar?
- Não. Quando entrei para o Vitória, o clube tinha um orçamento de 27 mil contos, cerca de 135 mil euros. Isto no dia 10 de Maio de 1980. Nessa altura, o clube tinha dívidas fiscais na ordem dos 1700 contos. Para nos habilitarmos, então, ao jogo do bingo, que estava na moda, tivemos de fazer um acordo com a Segurança Social a pagar em 20 prestações. Portanto, sempre me habituei a ser uma espécie de um trapezista não a atravessar o Niagara mas a gerir o Vitória Sport Clube. Logo, não é isso que me assusta. Há outras questões que me fazem ponderar. Por exemplo, a minha vida familiar neste momento está em Lisboa. É evidente que já tenho uma filha médica, outra filha farmacêutica, outra quase farmacêutica também, já tenho as minhas filhas mais lançadas. Podem dizer-me “ah, mas você agora vai fazer um hotel em Guimarães”. Também é verdade. Soube que a câmara tinha interesse em que a sociedade civil vimaranense avançasse com um hotel de charme em Guimarães e eu disponibilizei-me. Tinha uns prédios na Praça do Toural, que é o Rossio de Guimarães, e avancei, o projecto já está aprovado e isso vai-me obrigar a estar mais tempo em Guimarães. Vamos analisar com cuidado esta situação.
- Pode dizer-se que é um candidato possível?
- Terei que ser sempre até pelo meu currículo no Vitória.

“Emagreci 15 quilos e aprendi a cozinhar”

- Mas aqui é que está a novidade, toda a gente pensava que não voltaria ao futebol...
- Neste hiato afastei-me completamente do futebol. Dediquei-me a outras áreas. Olhe, dediquei-me à ginástica, ao jogging, emagreci 15 quilos desde que deixei o Vitória, melhorei as minhas tensões arterais (saí de lá com 16/11 e hoje tenho 13/8), dediquei-me à culinária, já sei cozinhar e faço-o com prazer e dedico-me também aos mercados financeiros.
- Por falar em cozinha, almoçou recentemente com Pedro Xavier, que já manifestou também a vontade de se candidatar...
- Jantei com o Pedro Xavier por causa do contencioso que ainda se arrastou entre mim e o Vitória. O Supremo Tribunal decidiu que eu tinha que entregar ao Vitória um determinado valor em virtude de um prejuízo que o clube teve por ter pago às finanças indevidamente um determinado imposto. Então, falei com o Pedro Xavier, na sua qualidade de presidente da assembleia geral e logo representante dos sócios, para lhe dizer: “Ò Pedro, o tribunal disse-me que eu teria de repor 60 e tal mil euros no Vitória e quero saber como é que é, isto é, se vocês vão reclamar esse dinheiro às Finanças ou se querem receber de mim e passam-me um documento para eu depois ir receber das Finanças. Só isto.
- Esta situação no fundo é o sumo que resultou depois de espremido todo o processo que o envolveu?
- É, é o que sobrou depois do tão famoso e badalado processo.

“Fui acusado de roubar através de indícios”

- Foi acusado de peculato...
- Exactamente. Fui acusado de muitos crimes. Para quem não sabe o que é peculato, peculato é roubar. Fui acaso disto e naturalmente fui absolvido. Todo este processo só foi possível por causa do circo mediático e pela investigação folclórica, aligeirada, incompetente, falsa e descuidada.
- Esta investigação teve uma autoria...
- Esta investigação foi desenvolvida pela Polícia Judiciária, os OPC’s, e pelo Ministério Público, por um tal senhor chamado João Ramos. Tudo isto criou o circo mediático que foi conhecido mas os tribunais encarregaram-se de demonstrar que os indícios não correspondiam a provas. Porque é que a justiça está desacreditada? Exactamente por causa deste folclore. Lamento dizê-lo mas uma das grandes responsáveis por esta situação de descrédito da justiça é a doutora Morgado. Por causa do modelo que se escolheu na área da investigação criminal. Segundo a doutora Morgado, o crime económico, o dito crime de colarinho branco, tinha de ser televisionado. Foi ele que o disse em entrevistas que deu em 2002. Isto é extremamente grave: haver julgamentos mediáticos com base em indícios, não em provas. É a mesma coisa que alguém sair de casa às sete horas para estar no emprego às oito e no emprego acontece qualquer coisa, indo a Judiciária a casa dessa pessoa perguntar se saiu de casa às sete horas mas argumentando que o facto de ter saído a essa hora não quer dizer que estivesse às oito no emprego. Havia um indício mas não havia provas absolutamente nenhumas. E desde 23 de Setembro de 2003 que a Judiciária e o Ministério Público sabiam a razão por que estava contabilizada a intermediação do Vitória. Ambos pediram rogatórias à Suíça para saber se era verdade o que eu disse em interrogatório judicial.
- Foi isso que o fez sair do Vitória?
- Foi, foi uma das razões. Estava a ser alvo de um processo judicial, tinha sido detido e havia problemas de coabitação orgânica. Saí para estarem à vontade, para investigarem o que quisessem.

“Hipotecaram o património e
estouraram 6 milhões de euros...”

- Como reagiu quando viu o Vitória a constituir-se assistente neste processo?
- Lamentei. Mas isso fez parte de uma estratégia das pessoas que me sucederam, que eram incompetentes e incapazes e queriam dar uma má imagem do Pimenta Machado. Como não eram capazes de fazer o que realmente eu fiz, então havia que dar uma má imagem e criaram a imagem negativa de que o Pimenta Machado criou um passivo brutal, de que o Pimenta Machado deu cabo do Vitória, quando a realidade não era nada disto. O Pimenta Machado deixou o Vitória com um activo de 70 milhões de euros.
- E na I Divisão...
- Sim, na I Divisão, com um património intocável e um plantel valiosíssimo. Estes indíviduos, como realmente precisavam de dinheiro, cavalgaram essa onda contra o Pimenta Machado e enganaram os sócios convencendo os sócios a hipotecarem o património. Bom, hipotecaram o património e realizaram 6 milhões de euros que estouraram completamente. Depois, foram-se embora e deixaram o Vitória na II Divisão. Mas mais grave foi terem hipotecado o património.
- Está a falar de Vítor Magalhães?
- Estou a falar dele e não só. De todos os que estiveram com ele. Havia pessoas muito mais responsáveis que o Vítor Magalhães. Por exemplo, o presidente da assembleia geral na altura, também outro indíviduo que perdeu para mim umas eleições, um tal Arantes, e mais algumas pessoas. A própria comunicação social local, sobretudo uma rádio, foi muito responsável por toda a encenação que se criou. Essas pessoas foram responsáveis e a história vai julgá-las. Deram cabo do património do Vitória, levaram o Vitória para a II Divisão... Reparem, o Vitória era o quarto clube a nível de presenças contínuas na I Divisão, o Vitória era o 1.º clube do Minho, hoje é o Braga. Nos 24 anos que eu lá estive, o Braga só por três vezes ficou à frente do Vitória!
- Conforma-se com essa situação?
- Lamento muito. Evidentemente, tenho que felicitar a direcção do Braga mas como sócio do Vitória fico muito triste. A massa associativa do Vitória não merece isto. Neste momento há um erro de casting brutal no Vitória. Temos uma massa associativa de nível de Liga dos Campeões, de bairrismo e fervor clubístico, e temos dirigentes que não estão a esse nível.
- Podemos interpretar das suas palavras que está com vontade de voltar ao activo no futebol e na liderança do seu Vitória...
- O Vitória é um filho. Tenho quatro filhas e o Vitória é um filho meu. Eu é que criei aquilo tudo e, portanto, naturalmente tenho que olhar sempre para esse filho.
- O que lhe dizem os vitorianos quando vai a Guimarães?
- Sabem, a minha base de apoio sempre foi o povo, as pessoas que são bairristas, que nada têm para além do amor ao clube. Essas pessoas identificam-se comigo. Os adeptos do Vitória são adeptos especiais e merecem o melhor. Criou-se uma mística no clube, criou-se um sentimento guerreiro, de amor ao clube.
- Nota-se em si alguma nostalgia...
- Tenho pena, tenho pena daqueles sócios não terem outra contrapartida. Antigamente eu era uma voz solitária mas hoje sabe-se porque é que o Vitória não ganhava campeonatos algumas vezes. Hoje, as condições estão melhores e os adeptos do Vitória mereciam uma prenda dessas.
- Vai oferecer-lhes essa prenda em breve anunciando a sua candidatura?
- Vou pensar. Tenho saber como é que é aquele situação financeira. Vamos ver.

“Nas escutas percebe-se como
o Boavista foi campeão...

- Gostava de ver o Braga campeão?
- (rindo) Essa é uma grande pergunta! Como vitoriano não lhe posso responder. Como vitoriano, jamais! Sou muito amigo do Mesquita Machado e pela amizade que tenho por ele gostava que ele tivesse essa alegria mas como vitoriano naturalmente que não gostava. Como não gostei quando o Boavista foi campeão, sobretudo pela forma como foi campeão.
- Pela forma como foi campeão?!
- Já nessa altura dizia em entrevistas que o Boavista era campeão porque aquilo era autoestrada via verde, valia tudo. Era a...verdade desportiva (risos). Hoje, nas escutas, vê-se o porquê do Boavista ter sido campeão. Confirma o que eu dizia há muito tempo. O Boavista era uma invenção do Valentim Loureiro. O Boavista não tinha condições. Não tinha sócios.
- Mas o Boavista foi campeão com o João Loureiro na presidência...
- Exactamente. Devido a outros factores.
- Que factores?
- Factores ligados à arbitragem. As escutas, mais de tudo o que eu estou para aqui a dizer, demonstram como era possível arranjar bons árbitros.
- Podemos deduzir que na sua opinião o Boavista foi bem condenado pela Comissão Disciplinar da Liga com a descida de divisão?
- Não conheço o processo. Sei que o Boavista ganhou um campeonato muito à custa dos árbitros. Disso não tenho a mínima dúvida. Mas não foi só o Boavista! Isto era o sistema que estava implantado. O que vem agora nas escutas é esse sistema.
- Também foi o paladino do sorteio dos árbitros...
- Sim e da divulgação dos relatórios dos observadores dos árbitros. E dos castigos aos árbitros. Hoje, ninguém fala dos castigos aos árbitros. Hoje, a actividade de ser árbitro é bem remunerada e se realmente se castigassem os árbitros encostando-os este seria sempre o melhor dos castigos. Aí, não errariam mais. Ora, eles prevaricam e no domingo seguinte já estão a apitar. Se quisessem realmente, as coisas resolviam-se, assim como essa história dos meios tecnológicos. Não é a ir para a Assembleia da República, isso é show-off. Isso resolvia-se se todos os clubes reunissem na Liga, comunicassem a decisão ao presidente da FPF para este sensibilizar as outras Ligas e Federações europeias.

“Vitória deixou três vezes de
ser campeão por causa dos árbitros”

- Disse que o Boavista, e outros, foi campeão com a ajuda dos árbitros. O Vitória deixou de ser campeão alguma vez com a “ajuda” dos árbitros?
- O Vitória deixou por três vezes de ser campeão por causa dos árbitros.
- Tem a certeza?
- Absoluta. A situação mais clara foi em 1986/87. Dobrámos a 1.ª volta em 1.º lugar, fomos às Antas e fomos escandalosamente roubados. Anularam-nos um golo limpo marcado pelo Paulinho Cascavel, que nos dava o 3-2 e ficariamos com uma margem de 2/3 pontos a virar para a 2.ª volta. Mas não só. Em Elvas também fomos altamente prejudicados por um árbitro, coitado, que já morreu... Em 90/91, com o João Alves, dobrámos em 2.º lugar, com o Autuori em 1.º lugar.
- E depois?
- Depois, começámos a levar com as contrárias. Era isto. Mesmo há pouco tempo, com o Inácio, na épcoa de 2002/2003, tínhamos o futebol mais bonito e fomos escandalosamente roubado sobretudo contra o FC Porto e o Benfica. Não havia nada a fazer. As pessoas dizem-me às vezes: ‘Ò Pimenta Machado, você esteve lá 24 anos e nunca ganhou nada, ganhou uma supertaça e uns campeonatos nacionais de juniores...’ Como é que eram possível? Tínhamos bons jogadores, boas equipas mas na Hora H os árbitros arrumavam-nos.
- E hoje, é mais possível o Vitória ser campeão?
- Hoje é mais possível. Hoje, as coisas estão melhores. A Imprensa está muito mais em cima e as televisões mostram todos os lances. Há maior atenção.

“Eu é que recuperei o Jesus”

- Também já não se fala ao telemóvel...
- (gargalhada) Já não se fala ao telemóvel, é verdade. Hoje as coisas estão melhores. Não estão bem, ainda vejo alguns erros e estamos a assistir a uma transferência de poderes.
- Do Norte para o Sul?
- Sim, do Norte para o Sul. Mas também acho, por amor à verdade, que os clubes que melhor jogam futebol são o Benfica e o Braga. Fico contente pela parte do Benfica pois é o Jesus que está lá a treinar.
- É verdade, também foi seu treinador...
- Eu é que recuperei o Jesus! O Jesus estava ostracizado quando o contratei. Já não falo com ele há mais de um ano mas tive um período em que falei muito com ele. Inclusivamente, depois de sair do Vitória tentei que outros clubes lhe abrissem as portas.
- Foi um dos melhores treinadores que passou pelo Vitória?
- Foi. É um bom treinador, um grande profissional, em termos de tácticas muito sabedor. Como sabem, tive grandes treinadores no Vitória, desde o Pedroto, que na área da psicologia era ímpar. Tive o Marinho Peres, o Paulo Autuori, o Quinito, o João Alves, o Jaime Pacheco (que saiu por razões que nada tinham a ver com o futebol).
- E o actual treinador do Vitória, como vê o seu percurso no clube?
- É..é..é um rapaz que estava no Paços de Ferreira, não é? Tem feito um bom trabalho. Não o conheço mas conseguiu recuperar o Vitória. Foi afastado das taças mas essas são as vicissitudes.
- Conhece bem Pinto da Costa. Olhando para os últimos anos do seu percurso, não sente que o seu ciclo está a chegar ao fim? - Não. A idade às vezes é uma fonte de sabedoria. No FC Porto sempre houve uma boa estrutura. Lembro-me que o FC Porto no tempo em que as associações de futebol tinham grande importância teve um grande ponta-de-lança, que era o Adriano Pinto.
- Mas Adriano Pinto não marcava golos...
- Mas dava a marcar, punha-os ali mesmo na linha de golo, era só encostar. Fez um grande trabalho.
- Quem é que está a tomar o poder a Sul hoje?
- O Benfica por toda a dimensão que está a mostrar, por todo este envolvimento, está a ressurgir. E deve-o muito ao Jesus pois no ano passado eram os mesmos e o Benfica estava moribundo. O Jesus é uma peça fulcral neste ressurgimento do Benfica.
- Com base na sua longa experiência, como analisa o trabalho de Pinto da Costa, Luís Filipe Vieira e José Eduardo Bettencourt?
- Não posso responder a essa pergunta porque não estou muito dentro da gestão. Não vou muito pelo folclore tipo é o presidente do FC Porto, do Benfica ou do Sporting, logo, são grandes dirigentes. Isso nada me diz. O que me diz é o trabalho e os resultados. E aí, é indiscutível, o FC Porto apresentou resultados. Agora as pessoas em si, a mim nada me dizem. Passe a imodéstia, a nível do Vitória fiz um bom trabalho. O Vitória era zero e sai de lá com um património que todos conhecem e a deixar uma boa imagem a nível social. Os dirigentes do Vitória eram respeitados a nível nacional e a nível internacional.

«Não gosto de comissários políticos...»

- Hermínio Loureiro está a ter uma passagem positiva pela presidência da Liga?
- Não sou nada favorável aos comissários políticos. Nada. Foi um dos grandes males do Valentim Loureiro, quando se meteu na política. Futebol é futebol. Política é política. Fui convidado, quando fui presidente do Vitória, por todos os partidos, excepto o Partido Comunista, para a câmara de Guimarães e para a Assembleia da República e um dos convites foi feito, inclusivamente, pelo actual presidente da câmara de Guimarães, que foi a minha casa, a S. Torcato, convidar-me. Sempre rejeitei porque nunca quis misturar política com futebol. Porque depois há promiscuidade. Nesse aspecto, a Maria José Morgado tinha razão. Não tem razão quando diz, porém, que o futebol é um mundo de branqueamento de dinheiro sujo. Ela hoje deve corar de vergonha ao reler o que disse com base em indícios, o que foi de uma grande leviandade. E fê-lo na condição de directora adjunta nacional da Polícia Judiciária. Por isso digo que ela foi muito responsável pelo descrédito em que a justiça hoje se encontra pois criou expectativas muito altas e depois a nível de tribunais, a nível de provas, zero!
- Bem, sempre foi possível escutar o que se passa nos bastidores do futebol...
- Sim, naturalmente, e ainda bem. Ok, há aspectos negativos. Essas escutas foram muitíssimo importantes pois toda a opinião pública ficou a saber o que existia, o millieu do futebol português, como é que se construíam campeões, como é que se formatavam as coisas. Aí, ela foi importante.
- Quem é que gostava de ver na presidência da Liga?
- Alguém que conhecesse de futebol e que estivesse lá de forma desinteressada e sem conotações políticas. Já não têm idade mas o Fernando Martins e um João Rocha, por exemplo. Esses, sim, foram grandes dirigentes e fizeram obra. De resto, não estou a ver ninguém.
- Os clubes ainda se vão arrepender de terem criado a Liga?
- Sempre fui contra a Liga. A associação de Braga foi a última a apoiar e subscrever o documento que permitiu que a Liga começasse a operar e só o fez porque estava sufocada financeiramente. Fizeram um ultimato, uma chantagem a nível do Governo e da FPF. Só haveria dinheiro para as associações se o documento fosse subscrito. Com a Liga conseguiu-se o quê? Autonomizar a comissão disciplinar e a comissão de arbitragem e os clubes começaram a organizar os campeonatos. Em vez de termos problemas no conselho de disciplina da FPF passamos a ter problemas na comissão disciplinar da Liga, foi o que aconteceu. O modelo está errado. Devia haver um tribunal desportivo com magistrados judiciais em comissão de serviço para não ser o fulano A do clube A e fulano C do clube C a indicarem os elementos dessa comissão. Vimos o Filipe Vieira a dar mais importância às pessoas que indica para a Liga do que aos campeonatos, não foi? Para evitar estas coisas era melhor haver um tribunal desportivo, com duas instâncias, mas com prazos definidos e decisões rápidas. Esta história que está a acontecer com os jogadores do FC Porto é completamente caricata. A nível de arbitragem, sempre defendi a autonomia técnica e financeira do sector mas os árbitros não podem ser só premiados mas também têm de ser castigados e pecuniariamente e com a hipótese de serem afastados.
- Gilberto Madaíl deve continuar a FPF, embora continue a dizer que vai sair?
- Se ele disse isso, deve ir. Os cemitérios estão cheios de indispensáveis. Se quer ir embora, que vá embora. A nível desportivo a FPF tem conseguido bons resultados. Está cansado? Bem, tem direito a descansar...

segunda-feira, Fevereiro 01, 2010

BATER NO FUNDO

Hoje, O Jogo desmente A BOLA.
Hoje, A BOLA confirma A BOLA.

A propósito das imagens do túnel, que Rui Santos divulgou com pinças no seu Tempo Extra, fazendo muita questão de salvaguardar a posição da Prosegur..., confesso que ou é o meu televisor que é muito mau ou então os outros é que são muitos bons. Eu não vi nada! As imagens são péssimas.
Porém, tanto os putativos editores de O JOGO e de A BOLA não tiveram dúvidas. Mas, pelos vistos, viram coisas completamente diferentes.

domingo, Janeiro 31, 2010

XISTREMA

Penálti contra o FC Porto e expulsão de um jogador azul e branco.
O árbitro não marca.
Simulação de Álvaro Pereira na área do Nacional.
O árbitro marca e expulsa um jogador madeirenses.
O resto da história foi sintetizado pelos cronistas do regime como "exibição de luxo do FC Porto".

Concordo plenamente.

sábado, Janeiro 30, 2010

JERÓNIMOS COM CARAMELO

Passei nos Jerónimos mas não comi um pastel de Belém. Preferi um caramel machiatto no Starbucks, mais o indispensável cheesecake. O mundo está diferente.

quarta-feira, Janeiro 27, 2010

MANUEL MACHADO


BnA saúda o regresso ao activo de Manuel Machado. Não apenas o autor do "machadês" mas também um treinador carismático que soube esperar muitos anos até surgir sob as luzes da ribalta.

sexta-feira, Janeiro 22, 2010

À ESCUTA

Ora bem, a pedido de várias famílias que pensam que a minha vida se resume ao folclore do futebol, cá vai...

As escutas que caíram no Youtube, carregadas num centro comercial de Lisboa, através da rede de wirless, não surpreendem quem acompanhou o processo Apito Dourado, como penso ter sido o meu caso. O realmente deixou ESTUPEFACTO o país foi a possibilidade de as seguir de viva voz. É um registo impressivo, com uma linguagem codificada que penso ser fácil de descodificar.
A verdade é que Pinto da Costa, e o FC Porto por tabela, só foi penalizado pela justiça desportiva. Os processos "a sério" começaram por morrer no MP do Porto, foram reabertos por Maria José Morgada e depois uns morreram na instrução e um deles numa sala de audiências (o caso do envelope).
Não vou discutir se os tribunais fizeram ou não um bom trabalho. Está feito.
Esta "jogada" cheira realmente a esturro. Não é mais que o aproveitamento de uma situação. O impacto foi violento. O protagonista das cenas mais uma vez atirou os foguetes e apanhou com as canas na cabeça. Do outro lado, está visto, ninguém quer desarmar.

A guerra é total.

Vale tudo.

O aproveitamento, por ambas as partes, dos canais abertos na Comunicação Social.

O atropelamento de qualquer comportamento ético.

É fácil perceber como é que as gravações das transcrições foram para à net. Mas continua a ser muito difícil de provar. Ora aí está: acontece aqui o que aconteceu com os processos em si.

Lamentavelmente, o descrédito do futebol é agora total. E dos seus protagonistas. Os ânimos dos adeptos, esses, estão exarcebados. Ou me engano muito ou quem vai pagar esta factura será apenas alguém que nada tem a ver com este filme.

O mundo está perigoso com tanto graveto a rolar.

quinta-feira, Janeiro 21, 2010

A FRUTEIRA

Para aqueles que dizem que a Taça de Portugal é uma competição cada vez mais sem interesse, a jornada de ontem mostrou precisamente o contrário. Em Alvalade, no Restelo e em Vila do Conde a emoção esteve ao rubro. Quem pagou bilhete não saiu a chorar. Vamos pro partes.
- Em Alvalade, o Sporting não só ganhou o jogo como conseguiu purgar Sá Pinto. Não sei o que foi mais importante.
- No Restelo, Pinto da Costa mostrou os dentes a Jesualdo Ferreira e Beto mais uma vez foi herói nos penáltis. Quando tal acontecia, entravam no Youtube escutas "ao vivo" ao Apito Dourado...
- Em Vila do Conde, Carlos Brito mostrou mais uma vez a excelência do seu trabalho. A sua equipa esteve sempre em vantagem embora em alguns momentos do jogo pudesse ter comprometido. O Vitória não foi capaz de assumir a sua superioridade na totalidade da partida e tal foi-lhe falta. Mais Mora, o intrátavel três M's da baliza rioavista.

Enfim, houve Taça. Houve espectáculo. Houve futebol.

O que é que querem mais?

segunda-feira, Janeiro 18, 2010

MODERNIDADE

A malta do site do Vitória continua a dar cartas na promoção dos jogos equipa da cidade do rei fundador.