WWW.BOLANAAREA.PT

domingo, janeiro 21, 2007

ENCARNAÇÃO

Segundo o advogado de Pinto da Costa, o despacho de Morgado que visa a reabertura do caso Jacinto Paixão só se pode explicar com um milgre da Nossa Senhora da Encarnação, santa que em Portugal tem pelo menos 3 locais de culto identificados, ficando um deles no Carvoeiro (Algarve). Começa a ser recorrente o uso de imagens religiosas neste caso que nunca mais acaba e que mais parece estar só agora a começar. Aparentemente sem preocupar muito alguns dos principais visados que este fim de semana, num restaurante de Matosinhos, se riam à gargalhada a propósito de um prato de arroz carolino. Num ambiente de perfeita felici...dade, e com sotaque brasileiro, alguns dos homens de quem se fala mostravam à saciedade - só possível num restaurante onde todos chamam o "António" - que o poder da Nossa Senhora da Encarnação pelo menos não lhes afecta o apetite.
Pergunta inocente: haverá alguma imagem desta nossa senhora em S. Bento da porta aberta?

2 comentários:

Anónimo disse...

Meu Caro:

Há algum tempo atrás, deixei-lhe dois comentários que agora reproduzo:

"Gostaria que arranjasse uma foto da Rosa Mota com a camisola do FCP. As primeiras passadas foram dadas com a camisola de um simpático clube da cidade do Porto, chamado FOZ. Ao que julgo saber, muito distante do FCP. Tal qual como o Leixões.

Não consta que alguma vez tenha representado o FCP.

Deixo ao seu cuidado a confirmação."


"Uma outra imprecisão reside no facto de colocar um indíviduo que esteve, mas já não está no FCP - Mourinho - e não colocar na lista do Sporting, usando o mesmo critério, um homem que lá esteve e, também, já não está - Cristiano Ronaldo."

Até à data, nenhuma resposta sua. Nem explícita - alterando o texto que publicou -, nem implícita, respondendo àqueles comentários no próprio post.

Lamento, nomeadamente, por se apresentar como jornalista. Que esta atitude não honra. Que desmerece esse outro jornalista - Joaquim Queirós -, que me honro de conhecer. E que, pelo visto, não conseguiu passar-lhe um valor essencial para um jornalista: A VERDADE.

Seguramente, por defeito seu e não dele.

Anónimo disse...

cum caray, geninho, com esse faro lampião, só tu e o orelhas lá deveis saber