AGORA ESTOU AQUI

sexta-feira, junho 20, 2008

JB AUTÊNTICO

Embora com a sensação de que estou a fazer algo ética e deontologicamente reprovável, aqui deixo uma resposta do JORNALISTA Jorge Baptista [aquele senhor à direita do barbudo] a um comentário de João Paulo Meneses, no seu blog, a propósito de uma pretensa incompatibilidade entre o seu estatuto de colaborador da UEFA e de comentador:
Fui informado que o senhor (que nao tenho o prazer de conhecer) decidiu dedicar-me algum espaco na defesa daquilo que considera ser minha falta de etica na profissao de jornalista. Pois bem, meu caro, em 28 anos de profissao ja lutei mais por ela do que o senhor com ou sem blogue algum dia o fara. Curiosamente, é voce o proprio quem o diz neste seu blogue, que ele é a sua opiniao e nao a opiniao da TSF. Sera? E sera esta sua posicao etica? O que sabe voce de etica numa profissao que ha muito deixou a ter? Quem é voce e o que fez em prol do jornalismo para se vir alvorar em defensor de uma etica que voce desconhece? E quem é voce para vir por em causa a idoneidade de alguem que voce nao conhece nem como pessoa e muito menos como profissional? Onde é que voce ja me viu (ou ouviu) deturpar a minha condicao de comentador (ou jornalista) sem a mais pequena macula? Porque nao se entretem voce a denunciar alguns jornalistas - ate directores de jornais - que recebem dinheiro para escrever determinados artigos? E olhe que podia ficar aqui dias a explicar-lhe com que tipo de etica é que voce se devia preocupar. Apesar de ha muito estar desalentado com esta profissao e apesar tambem de nao possuir carteira profissional desde ha mais de 15 anos, fique sabendo que nao é a carteira que lhe permite ser ou nao etico em relacao ao que faz ou diz. Por isso, apesar de o senhor nao gostar e apesar de eu nao exercer efectivamente o jornalismo por que sempre lutei (devido ao boicote e à inveja de muitos dos seus (meus) colegas, considero-me jornalista de corpo e alma quer o senhor goste ou nao, tenha eu carteira ou nao. E fique tambem sabendo que nao lhe admito a si nem a ninguem que coloque em causa e minha isencao, honestidade e idoneidade. A mim, certamente, o senhor nunca me ha-de ensinar coisa nenhuma. Dou-lhe um conselho, se me permitir: leia com atencao os jornais, ouca com atencao as radios e televisoes e depois quando quiser falaremos de etica.Ja agora, para terminar, fique sabendo que para alem de comentador ha 13 anos, colaboro com a UEFA ha 10 e com a FIFA ha 18. Pelo visto so agora é que voce descobriu. Afinal onde é que tem andado? Passe bem.

9 comentários:

Anónimo disse...

Algo éticamente reprovável, alguma vez fizeste o contrário?

Pitx disse...

tantos anos de jornalismo e nunca terá aprendido que ter dito que o vítor baía era um produto de marketing era algo manifestamente desonesto (intelectualmente, claro. não se zangue comigo, era uma boca a puxar para a graçola.)

quanto ao resto, concordo consigo. mas caneco, quando vejo pessoal a mandar à cara doutra pessoa qualquer, aquelas coisas do «já tenho muitos anos de....», «já lutei muito por...», «mais do que você» e tal, sinceramente, argumentar com estas coisas não é muito bonito. mas também, quem é que disse que a ideia é ser bonito, não é?

kovacevic disse...

"para alem de comentador ha 13 anos, colaboro com a UEFA ha 10 e com a FIFA ha 18"


há coisas que contadas ninguém acredita.

Anónimo disse...

que parasitas

Anónimo disse...

Isto é o país-do-faz-de-conta!

E que tal um médico sem carteira?
E um atirador sem licença?
E um automobilista sem carta?

Este meu (querido) país está mesmo a precisar de obras. Como está, é uma verdadeira merda!

Roger Gomez disse...

Mas porque raio se estão a meter outra vez com o Sr. Tavares e com o Sr Santos?

maiskemaluko disse...

esqueceu de dizer que também foi porta voz no infantario !!!

Anónimo disse...

Meu Deus, a inveja que por aqui vai! O homem é de longe o melhor comentador que por cà existe, sempre se revelou independente e isento como mais nenhum, sabe de futebol como poucos e ainda por cima é respeitado na FIFA e na UEFA como grande profissional! Hà boa maneira portuguesa, isto sö podia dar em ödio e muita inveja. Especialmente da classe "impoluta" do jornalismo.

Anónimo disse...

Eugénio,
a ideia é discutir o que está a "bold", certo?

E ali estamos a falar do quê? Do trabalho que as Agências de Comunicação fazem?

Porque é que não lança a discussão de forma aberta?