AGORA ESTOU AQUI

quarta-feira, setembro 12, 2007

DUAS IDEIAS, DUAS BREVES


Curioso. A propósito de Pepe, Ronaldo disse que não gosta de ver "naturalizados" nas selecções nacionais. Uma posição que foi discretamente embrulhada pela imprensa em geral, passando quase despercebida. Tal como a nova determinação da FIFA, que impõe transferências livres para jogadores com menos de 14 anos. Tirando os grandes clubes, os outros ficam aqui com um bom motivo para abandonarem todo o esforço que põem na formação de jogadores, que muitas vezes começa aos 6 anos. Ou seja, um clube arrisca-se a formar um jogador durante 7/8 anos para depois o ver partir, sem qualquer compensação, para um dos tubarões.

3 comentários:

Anónimo disse...

Nem me digas? Discretamente? O teu colega João Cartaxana não disse nada? Eugénio continua a dar-nos conhecimento das obras no estádio do mar que ai ao menos não dizes parvoíces

José Leal disse...

Por outro, se é assim tão "mau" para os clubes, podem sempre iniciar a formação só a partir dos 14.

Mas realmente é uma vergonha os clubes não ganharem dinheiro com o talento de putos até aos 14 anos.

Esta choramingueira toda faz lembrar a história da Igreja Católica com o alargamento do horário escolar.

Se o estado cumprisse a sua função na educação do desporto, haveria por aí muito clube que perderia dinheiros dos subsídios e a "queixar-se" que não poderia manter as escolinhas.

Que os clubes sejam formados por cidadãos, com intuito de promover a práctica do desporto junto dos jovens da comunidade em que está inserido, é uma coisa.

Agora, se o clube promove essa práctica de desporto para sair de lá um puto que depois vendem por milhões, aí sinceramente temos de por todos os meios salvaguardar o espírito do futebol como desporto e o futuro do míudo.

Anónimo disse...

e não injusto, igualmente, que miúdos jeitosos como esse Ronaldo deixem o Sporting ou o Porto ou benfika por rumarem a equipas do estrangeiro...

alguém que lho diga, ó Geno!

amelie