AGORA ESTOU AQUI

terça-feira, janeiro 12, 2010

MAIS UM TIRO NO PÉ

Mais uma vez Vítor Pereira entornou o caldo.
Há um ano afirmou que não podia recorrer ao mercado de Inverno para melhorar a arbitragem.
Ontem, apareceu a afirmar que não pode garantir a imparcialidade dos seus comandados.
Ora, o presidente da Comissão de Arbitragem da Liga tem um problema que afecta muitos portugueses: usa as palavras de forma avulsa, sem saber o seu significado.
Se Pereira não pode garantir a imparcialidade do sector que dirige, só tem um caminho: demitir-se.
Mas isso ele não vai fazer.
Depois de mais um voto de desconfiança e de um atestado de incompetência aos árbitros e árbitros assistentes que dirige, Vítor Pereira prepara-se para mais um salto para a frente, preparando a sua reeleição. Porque os árbitros não votam e a posição que tomou é politicamente correcta.
Carlos Esteves, presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, e Luís Guilherme, presidente da APAF, já saíram a terreiro lançando aos árbitro um repto para responderem a Vítor Pereira, a quem não poupam, naturais, críticas.
Mas vão ver que mais uma vez depois de semear o caos o líder da CA da Liga vai conseguir escapar entre as gotas da chuva que gerou.
O próprio Hermínio Loureiro saiu da toca para denunciar a quebra de um elo ético a propósito das críticas de Esteves. Não sei é se falou na qualidade de presidente da Liga ou de vice-presidente da FPF. Ou nas duas.

12 comentários:

Anónimo disse...

Comissão Disciplinar não liga a Vítor Pereira?
FERNANDO SANTOS

A Comissão Disciplinar arranjou novo entretenimento: mover processos disciplinares a Hulk, Sapunaru, Benfica e FC Porto para tentar perceber como teve a comunicação social acesso a múltipla informação sobre o caso do túnel da Luz e os apêndices dele decorrentes - como a chamada dos jogadores para audição apenas após protesto dos portistas ou o silêncio a que se remeteram perante o instrutor. Claro, nenhuma das partes emitiu um "ai" público, mas a Comissão Disciplinar abre estes novos capítulos sob a acusação de alegada violação do segredo processual. E junta-lhes o árbitro Lucílio Baptista, uma espécie de cereja no topo do bolo, por ter ousado dizer que um dos membros da sua equipa de arbitragem já tinha sido depoente em sede de inquérito…

Para cúmulo da aparência justiceira, já só falta aos doutos membros da Comissão Disciplinar terem o desplante de pedir aos responsáveis por órgãos da comunicação social que os informem se houve "gargantas fundas" a sustentarem todas as verdades publicadas. Será que quem traça as estratégias disciplinares da Liga arrisca nesse ridículo?

Os membros da Comissão Disciplinar não têm mais que fazer?

Parece que não, e por isso sugiro-lhes: informem o Conselho de Justiça das graves declarações do presidente da Comissão de Arbitragem, Vítor Pereira. O homem disse preto no branco que as críticas ao sector que dirige "são justificadas e significam que houve desempenhos [dos árbitros] que não cumpriram com a missão de garantir imparcialidade no jogo". Para quem tem a mania de que é paladino da verdade desportiva, há caso-confissão pior? E vão deixá-lo passar sem participação?
o jogo

Anónimo disse...

Guilherme Aguiar: " Esta decisão da CD da Liga é incendiária"
13-01-2010 12:52


--------------------------------------------------------------------------------


O ex-director executivo da Liga de Clubes, critica a forma como Ricardo Costa decidiu instaurar processos disciplinares contra Benfica, Porto, Hulk, Sapunaru e Lucílio Batista, por alegada violação do segredo processual.
As primeiras reacções à decisão da Comissão Disciplinar da Liga que ontem decidiu instaurar processos disciplinares contra Benfica, Porto, Hulk, Sapunaru e Lucílio Batista, por alegada violação do segredo processual.
Decisão incendiária, na opinião de José Guilherme Aguiar. O ex director executivo da Liga, não encontra qualquer norma disciplinar que puna violação do segredo processual, e acha que se trata de mais uma manobra de diversão, para arrastar os processos no tempo, enquanto os jogadores continuam suspensos preventivamente.

Guilherme Aguiar aponta o dedo a Ricardo Costa, entendendo que o presidente da Comissão Disciplinar é o único responsável, pela instauração dos processos, decisão que considera ser incendiária.
RR


Como foram eleitos estes senhores da Comissão Disciplinar ???
Quem os indicou ??????

Anónimo disse...

e vão 4 jogos de castigo para 2 profissionais de Futebol pelo crime de jogarem no Clube que destronou o clube do regime.
Cheira a record nacional e se calhar europeu...

futebol disse...

mais uma vigarice Marítimo-Benfica vai estar o: " O João, pode ser..."

Anónimo disse...

Esse sr incompetente como presidente da arbitragem; anda a
brincar com o futebol
Ele é artista em "Palavras Cruzadas".
Òh sr....Vá dar Banho ao cão.

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO.

Anónimo disse...

Arbitragem em contramão
JORGE MAIA

Há quem goste de viver nos limites, correndo riscos desnecessários, só para sentir o prazer da adrenalina. Assim como quem conduz em contramão na auto-estrada de prego a fundo. E, como por vezes a sorte protege os imbecis, se não provocam um acidente e toda a gente consegue sair-lhes da frente a tempo, imaginam-se intocáveis e voltam a repetir o disparate. Até que um dia, Deus está a olhar para outro lado e levam tudo à frente. Vítor Pereira resolveu correr o risco de nomear João Ferreira para o Académica-FC Porto da Taça da Liga. Como os jogadores das duas equipas fizeram os possíveis para lhe saírem da frente, não aconteceu a desgraça que se adivinhava. E como sobreviveu à primeira, Vítor Pereira deve ter-se imaginado imortal e insistiu na insensatez. Agora nomeou João Ferreira para o jogo entre o Benfica e o Marítimo. João Ferreira, que testemunhou os acontecimentos no túnel da Luz no final do clássico entre os encarnados e o FC Porto, vai apitar mais um jogo de uma das equipas envolvidas no processo disciplinar que ainda corre - ou gatinha - na Liga. Esperemos que toda a gente consiga sair-lhe da frente a tempo.
o jogo

Anónimo disse...

Porque será que o LB anda arbitrar jogos importantes quando está no seu ultimo ano de actividade e a nota já não conta para nada ??????!!!!!!

Anónimo disse...

LABAREDAS

O Labaredas tem optado por ignorar a corja que se alimenta de veneno e histerismo antecipado, mas chega-se a um ponto em que até a paciência de Dragão tem limites… Este «fogacho» é simples: que moral ou sentido crítico tem um jornalista-empresário de jogadores? Não tem nenhuma. Só mesmo a falta de decoro (e A Bola…) lhe permite emitir opiniões.

«Esta semana, pareceu-me ouvir alguém pedir que se faça “um apito encarnado”. Desconheço se é preciso. Mas é preciso ter lata.»

João Bonzinho, A Bola, 15 de Janeiro de 2010

«Fui confrontado com a hipótese de rumar ao Benfica por duas figuras do jornalismo nacional, e em especial da Imprensa desportiva: Leonor Pinhão, assumida benfiquista do jornal A Bola, e João Bonzinho, que também pertence ao mesmo jornal e que nunca fez questão de negar as suas cores clubistas. Foi-me dito que ambos tinham ligações próximas com a direcção do Benfica» (…) «Assinei contrato pelo Benfica, no Bairro Alto, na casa de Leonor Pinhão e do seu marido, o realizador João Botelho. Para além dos dois, estavam lá João Bonzinho, Jorge de Brito, como representante do Benfica, e o meu jovem advogado»

Fernando Mendes, Jogo Sujo
____


O "homem" em vez da "verdade desportiva" não deveria começar pela sua propria "casa" ??????!!!!!!

António Magalhães disse...

Os árbitros portugueses são do melhor que existe...vemos isso todas as jornadas...ainda há pouco vimos na Sportv um marcar um penalti quando a bola bate no braço de um jogador do Beira Mar que até está de costas...ora se um apitador destes tem categoria para andar aí de apito no boca em jogos das ligas profissionais, admiramo-nos de quê quando vemos as figurinhas tristes todos os fins de semana??? Isto para além daqueles que só se enganam para um lado, mas esses são outra questão ainda mais honrosa...

Miguel Esteves disse...

É lamentável que, por má informação, não se entendam as palavras de Vitor pereira.
Assim, Vitor pereira manifestou uma opinião, referindo que tem existido criticas ao desempenho dos árbitros que se justificaram e que os árbitros não cumpriram com a missão de garantir a imparcialidade do jogo.
Parece concensual que têm existido arbitragens menos conseguidas e que Vitor pereira tenha o direito a não estar satisfeito com desempenho "da sua equipa".
Por ultimo informo, sobretudo os jornalistas ignorantes e que apesar de convidados não compareceram a acções de formação promovidas pela Comissão de arbitragem, que decorreu no inicio de época um curso para arbitros de 1.ª categoria com a seguinte designação "garantir a imparcialidade e valorização do futebol". Daí que as afirmações de Vitor pereira vieram nessa sequencia e apenas e tão só demonstraram algum desalento pelas arbitragens infelizes e pelo facto dos objectivos da Comissão de arbitragem não estarem a ser cumpridos.
mas, aceita-se que quem pretende desestabilizar e não procure a excelencia veja nestas declarações uma oportunidade para criticar ferozmente, para assim ter protagonismo ou reavivar guerras antigas em favor dos seus interesses clubisticos...

Anónimo disse...

Não se percebe, tem havido grandes arbitragens...esta semana depois da arbitragem maravilhosa em Guimarães prá taça, hoje o Rui Costa não esteve espectacular ao anular um golo limpo no Dragão??? Ora, já desde o Estorilgate que não se via arbitragens tão boas, que é que o gajo quer???

LF disse...

António Magalhães refere-se ao jogo Covilhã-Beira mar. Vi agora no site Mais Beira Mar o video do lance e francamente, como é possível marcar penalti num lance em que o adversário que cabeceia a bola está a menos de um metro e o jogador do Beira Mar está DE COSTAS e nem vê a bola??? Para este árbitro, Cosme Machado, os jogadores não deviam ter braços...e para os amantes do jogo limpo e das arbitragens decentes este senhor não deveria ser árbitro... Defenda-o sr. Vitor Pereira, defenda-o que ele precisa e muito...