AGORA ESTOU AQUI

sexta-feira, agosto 21, 2009

A DECADÊNCIA DE UM PODER


O boicote do Nacional da Madeira à cobertura do seu jogo europeu é o zénite da impunidade dos clubes nas suas relações com os media. O clube de Rui Alves mandou às malvas o interesse público e pediu uns trocos por 3 minutos de resumo de um jogo do qual, presumo, não há imagens.
Pois bem, meus senhores, parece que chegou a hora de se pôr um travão a este desmando.
Há muito tempo que os clubes fazem gato-sapato dos órgãos de Comunicação Social, embora muitos deles, através dos seus responsáveis, até entendam esta estragégia como um benefício - a subserviência rende sempre algumas migalhas.
Os maiores clubes silenciaram os artistas da bola, obrigam os treinadores a dizer barbaridades e negoceiam entrevistas através de marcas de artigos desportivos ou então sob influência dos grandes empresários de futebol.
São muitos raros os momentos em que os protagonistas do futebol podem falar de futebol e por isso é que os programas televisivos foram povoados por médicos-cirurgiões, presidentes de câmara, economistas, produtores de vinho do Porto, promotores de eventos, realizadores de cinema, meninos ricos ou simples curiosos.
Os jornais desportivos, esses, para conseguirem uma entrevista com um jogador têm de revelar bom comportamento e muitas vezes de respeitar determinados guiões, com algumas honrosas excepções.
A moda dos treinos à porta fechada pegou e hoje apenas o Leixões de José Mota realiza TODOS os seus treinos à porta aberta.
Os grandes concedem 15 minutos para a tomada de imagens apenas porque há compromissos publicitários para respeitar.
E aí temos a Benfica TV, que ontem tive o "privilégio" de ver pela primeira vez, já a dominar a transmissão de jogos da maior marca portuguesa, proporcionando-nos o espectáculo de um comentador devidamente equipado com um cachecol do glorioso.
Clubes como Benfica podem fazer estas brincadeiras porque têm, de facto, um produto para vender. Mas há limites.
Porém, os limites há muito tempo que foram ultrapassados.
Os clubes fecham as portas quando querem, escolhem os jornalistas, escolhem os jogadores que devem falar e criaram centrais de informação que não são mais nem menos que uma forma de controlar o que se passa nas redacções.
A caixa de Pandora foi aberta e ninguém berrou.
O que o Nacional fez é apenas um sinal dos tempos.
Perdeu-se o respeito pelo jornalismo porque o jornalismo também não se fez respeitar.
O que vem aí não pode ser melhor.
Como diz um amigo meu brasileiro, "não há nada tão ruim que não possa piorar".

20 comentários:

Anónimo disse...

ALTO LÁ ?O SLB PODE FAZER TUDO PORQUE TEM UM PRUDUTO PARA VENDER?
ENTÃO PORQUE SERÁ QUE AS TVS E JORNAIS PRATICAMENTE DÃO SEMPRE GARANDE BALDA AO SLB?
aINDA BEM QUE O NACIONAL MANDOU OS JORNALISTAS DAR UMA VOLTA;VIVAM COM O SLB,QUE ANDA SEMPRE NA BERLINDA PELOS TENDENCIOSOS "JORNALISTAS" "JÁ NÃO BASTA OS ÁRBITOS LEVAREM-NOS AO COLO.PARABENS NACIONAL ASSIM É QUE É

low desert puke disse...

A tua revolta tem muito sentido, sim senhor Eugénio.

Tenho pena è que tenhas apagado da memòria inumeros episòdios de black-out patético, jornalistas agredidos e cuspidos (alguns ainda em directo para todo o paìs ver), em anos recentes ali para os lados das Antas...

Anónimo disse...

O estado em que se encontram as coisas deve-se simplesmente ao jornalismo mercenario que grassa em Portugal.
Sabes do que estou a falar, verdade?

Anónimo disse...

Os jogadores de futebol são empregados dos clubes, são eles que lhes pagam e os jogadores são obrigados a respeitar as ordens dos patrões.Já se viu alguma empresa de um ramo qualquer autorizar que os seus empregados contem cá fora à imprensa o que se passa dentro dos seus muros?

Claro que não! E só não compreende quem não quer ou então pensa em manipular a opinião pública, para assim a virar a seu favor e "puxar as brasas para a sua sardinha".A imprensa utiliza sempre o argumento que dessa maneira não se vende o futebol, ela, que costuma vender um produto para o qual nada tem contribuido (ou então muito pouco)para a sua qualidade.Ele o produto(futebol), é fabricado pelos jogadores que são pagos pelos clubes e essa imprensa, ainda não satisfeita en vender jornais, publicidade, etc., à custa desse produto que não lhe custa um tostão, mete-se na vida desses mesmos clubes e complica-lhes a vida com estórias, que a maior parte das vezes nem sequer são verdadeiras.Vê-se isso quase todas as semanas.

Como o futebol está extremamente custoso e como já há muito que deixou de ser um desporto para ser um espectáculo, sou da opinião que todos os meios de comunicação deveriam pagar os direitos à sua presença nos jogos.A TV já o faz, mas ainfa faltam os jornais e a rádio.É que a comunicação social tem feito um negócio chorudo.É como se alguém vendesse a água que cai do céu e a fosse vender ao público sem lhe custar um "chavo".

E depois em nome de um pretenso 4º. poder e da tão mal tratada lei da imprensa da parte deles, ainda se tem que aguentar a essa exigência dos jornalistas e dos seus patrões.

HAJA PACIÊNCIA para tanta arrogância!!!

Anónimo disse...

E eu a pensar que tu te irias era indignar pela não transmissão do jogo por nenhuma tv tuga!!!

É que transmitir no dia anterior o madrid x dortmund, e não passar o nacional x zenit, para mim foi o culminar de um processo a que se chama jornalismo de merda, que é o que a maioria dos orgaos de (des)comunicação social fazem neste pais da treta...

Mas pronto é tudo uma questão de critérios editoriais...

Anónimo disse...

para que não restem dúvidas: os jornalistas tiveram acesso ao Estádio da Madeira para a cobertura do jogo Nacional da Madeira-Zenit; apenas não foi autorizada a captação de imagens do jogo, situação devidamente prevista na regulamentação da UEFA. Mas há imagens do jogo, há o filme do jogo, e oportunamente elas podem ser visualizadas. Informarei quando e onde.
Entretanto, sr. Eugénio, são os clubes que têm de pagar ordenados, impostos, obras de melhoramento para os jornalistas... se não o fizerem, descem de divisão. e o que recebem os clubes dos operadores de TV, por exemplo, que utilizam os resumos dos jogos para programas diários? Nada!
Na Alemanha, Inglaterra, França, Itália, Espanha, os clubes recebem pelos resumos dos seus jogos.

Anónimo disse...

Ora vamos lá ter juizinho.
Então os clubes não precisam dos "media". Façam todos como o Nacional e depois vejam quantas marcas de cerveja ou Bancos patrocinam os clubes. Estas marcas querem publicidade e não só perante quem vai à bola. É bom que os dirigentes-patrões dos clubes pensem a sério porque podem matar a galinha dos ovos de ouro.

Anónimo disse...

Ó gorducho, afinal quem queres tu enganar?
És muito pequenino para 'morderes' nas canelas do Benfica e da sua Direcção.
Como amestrado, só estás a defender o teu prato de sopa!
Os teus donos andam realmente aterrorizados com o crescimento da BenficaTV (e não só!)

Anónimo disse...

O que eu me tenho rido convosco. Ó Géninho, andas a levantar muito cabelo, nnc te vi tao empenhado nessas análises.
Tanta virgem ofendida a sair do armário.
E já agora, vai po' crl com os cachecois do jornalistas da Benficatv. Queres ludibriar quem pá? Sê sério, fala de tudo, mas de tudo, não te ponhas com fantochadas. Mas é o falas..

Anónimo disse...

"o Jornalismo também não se fez respeitar.." ora nem mais, é uma questão de reflexos.

Anónimo disse...

" É bom que os dirigentes-patrões dos clubes pensem a sério porque podem matar a galinha dos ovos de ouro"

É preciso ser-se cego ou então acompanhar o futebol há muito pouco tempo para se escrever uma coisa dessas.Mas então não foi a TV que acabou com "a galinha dos ovos de ouro" para os clubes?
Não terá sido a TV que com as transmissões de quase todos os jogos, que roubou um pouco de "sagrado" que existia ainda há cerca de 20 ou 30 aos jogos de futebol visto dentro dos estádios?
Como prova, onde é que existem agora as enchentes dos estádios, como nesses anos atrás?
Quem escreveu aquilo deve estar a defender o emprego.Só por isso é que se pode fechar os olhos, para não ver o que é evidente.
Pelo andar da carruagem, qualquer dia o futebol só se verá sentado em casa, porque os canais de TV acabarão por comprar os clubes e fazer do futebol um programa deles, programado por eles como qualquer outro e jogado à porta fechada, para assim fazerem com que os espectadores dos estádios sejam definitivamente tele-espectadores.

Fado Alexandrino disse...

O futebol é um negócio e quem quer lucrar com ele tem que pagar, ponto final.
O Nacional fez muito bem e o Glorioso, porque o é, já deu a pista.
Aproveitem.

(Sou benfiquista)

Anónimo disse...

parabens ao nacional o resto dos clubes pequenos deviam fazer o mesmo á CS faciosa so ficavam a ganhar no futuro! parabens ao rui alves.

LAM disse...

Eugénio, a CS está a ter o que merece.
Orienta-se exactamente pelos mesmos critérios comerciais dos clubes de futebol ou mais ainda. Daí que 99% das primeiras páginas dos desportivos sejam ocupadas, a propósito ou despropósito, com imagens e notícias sobre os 3 estarolas. Porquê? porque vende mais, como argumentará qualquer jornalista. Assim sendo é de toda a legitimidade que, quando interessa de facto à CS, os clubes mais pequenos façam também as suas exigências.

E não são esses clubes mais pequenos que estão contra a comunicação social ou o seu acesso às notícias. É exactamente ao contrário: é essa comunicação social que, dependente que está dos clubes donos do futebol em Portugal, limita o acesso desses clubes aos meios de comunicação ou remetem as notícias a eles respeitantes para a parte de limpar o cu dos jornais.

Eugénio Queirós disse...

LAM, 100 por cento de acordo.

Arquivo Vivo disse...

Viste a BenficaTV e viste um comentador equipado com um cachecol do glorioso, é verdade, só que não disseste que esse comentador, apesar disso, é mais isento e honesto, no julgamento de lances duvidosos que todos os aprendizes de narradores e comentadores que pululam nos outros canais.

Sei que és suficientemente invertebrado para te renderes à BenficaTV, por isso recomendo-te que não percas o "45 minutos" onde
talvez aprendas como se faz Jornalismo e percebas as patacoadas
que garatujaste, quando cobriste a
inenarrável vergonha que são as vitórias dos corruptos, ou a soldo deles ou por medo de que te aconteça o mesmo que ao Bexiga e tantos outros, dos quais o Adriano é o exemplo mais recente,

Faz-te um homenzinho e honra a profissão que escolheste.

Se és somente venal por medo de levares no toutiço, muda-te para a civilização e tens o problema resolvido.

maniche disse...

"Perdeu-se o respeito pelo jornalismo porque o jornalismo também não se fez respeitar.".

Aqui é que está o busílis: não será o jornalismo "tout court", mas sim alguns jornalistas, que não são dignos da profissão que exercem.

josé carlos soares .˙. disse...

Meu caro Eugénio que cachecol querias que se usasse na Benfica TV?
O mesmo que alguns companheiros nossos usam nas outras tv´s onde não conseguem disfarçar a azia ou a voz do dono?
Abraço

zefidalgo disse...

Da forma como os jornais e televisões tratam os clubes ditos mais pequenos é mais que justa a decisão do Sr. Rui Alves!
Deviam de todos os clubes fazer o mesmo para que de uma vez por todas, todos sejam tratados por igual, ou o interesse pelos clubes resume-se aos jogos internacionais?
Aos poucos e poucos vão tendo o que merecem! 10 páginas prós lampiões, 7 para os dragões, 5 para os lagartos, 3 para os restantes clubes ...

condor disse...

Tem toda a razão o presidente do nacional em mandar pró caralho esta comunicação social porca e tendensiosa que só vê o bêfique!
É bêfique de manhã ao meio dia e á noite!Uma marca que precisa de tanta propaganda só pode ser uma marca de merda!
Agora deixa-me sair daqui antes que vomite no teclado!