AGORA ESTOU AQUI

sexta-feira, julho 31, 2009

CASTANHEIRO DO VENTO (1)





Regresso ao blogger, após uma semana de trabalho de campo em Castanheiro do Vento, para verificar que tenho 110 comentários para moderar, o que desde logo me deixou quase tão cansado como depois de um dia de 7 horas de trabalho a 700 metros de altitude, aqui onde a Beira Alta se encontra com o Douro. Não se trata propriamente de um campo de férias pois trabalhou-se no duro sob a orientação dos professores Vítor Oliveira Jorge e Susana Oliveira Jorge. Está provado que o melhor método de aprendizagem é...fazendo. Mesmo assim, ainda sobrou algum tempo para longas noites de convívios com o pessoal da FLUP, de outras faculdades portuguesas e também com alguns "camones" que "acamparam" em Freixo de Numão. A arqueologia não é assunto nem da primeira nem da segunda linha da actualidade nacional mas os seus cabouqueiros e os seus mestres teimam em não a deixar morrer. Porque o passado é muito mais que memória - é também algo que nos dá alento para um futuro incerto.

7 comentários:

LAM disse...

Eugénio,
livra-te de encontrar mais um dinossauro que seja!!
eu ponho-te uma bomba aqui no blog!

AG disse...

Estás um "intelectual". Ainda "escreves" no "rascunhar"? Olha que na FLUP há boa gente, para lá das chocas, e de uns tantos "intelectuais". Acaba o curso. Ao domingo não é reconhecido.

Anónimo disse...

Este HULK é 1 espectáculo. Nunca vi 1 jogador assim!
Se faltar ao FCP o SLB é campeão. Se não faltar será ele que, nos jogos menos bons, permitirá ao FCP ir ganhando e empatando, para continuar a sonhar. Depois virá o final do ano, o Porto reforçar-se-á e discutirá o campeonato, espero eu, com o Benfica. Isto eles já perceberam e, ou muito me engano, ou o Porto ainda fará 3 contratações antes do início do campeonato e, se o fizer poderá não se verificar o que antes escrevi. Always SLB

Anónimo disse...

É reconfortante para a alma ver um jornalista de grande qualidade a dedicar-se a temas tão elevados como a arqueologia. Um sinal de que a selvajaria e a miserabilidade ainda não atingiram toda a população. Eugénio Queirós atesta bem que o homem moderno não tem de ser forçosamente a terça parte de um homem. João

Séninho disse...

Freixo do Numão !!! Boa terra ...
Já fiz muitas viagens de comboio
entre a Invicta e o Freixo para ir
dar ´ao dente´ ao ´´Preguiça´´ !...

Anónimo disse...

Eugénio Queirós, é, um homem! A quarta parte de um homem, mas um homem. Hellas. Eugénio Queirós, ele diria, é um grande homem.

geninho. és um grande homer.

SIPO disse...

Para o ano espero andar a esgravatar solo agreste contigo e o resto dos resistentes! Grandes pics, Geno!