AGORA ESTOU AQUI

terça-feira, maio 19, 2009

PONTO NO "i"

Quando nasce um novo jornal, por norma a tribo dos jornalistas exulta publicamente com o acontecimento mas intimamente deseja "que os gajos se fodam". A diferença entre jornalistas e prostitutas é ínfima, embora nos primeiros os chulos surjam também travestidos de jornalistas. Duas semanas depois do lançamento do "i", o que posso dizer é que se trata de um jornal que foge do "stress" da informação diária e que tenta marcar a diferença. É, sem dúvida, uma pedrada no charco. Vamos lá ver se o charco sabe reagir, do que duvido... Nesse entretanto, vou-me regalando com as prosas do Rui Miguel Tovar, do Bruno Roseiro e do Filipe Santos no espaço dedicado ao desporto. A prova provada de que, aconteça o que acontecer no mundo da informação, há sempre lugar para a excelência.


7 comentários:

LAM disse...

É verdade. Ainda o de hoje, de que mostras aí a 1ª página, foi lido em meia-hora.
Penso que só faltava uma página estilo consultório sexual tipo "Ana +atrevida" para ser perfeito. Aguardemos.



LAM

ardinario disse...

Certeiro, directo e sem hipocrisias.
As ususal.

Anónimo disse...

a tua excelência anda um bocado por baixo... a minha era mais género Carlos Pinhão...

Anónimo disse...

duss, frutos secos a esta hora....

António Reis disse...

assino por baixo. Abraço

Anónimo disse...

... "que os gajos se fodam".
Este Querós anda mesmo a precisar de tratamento, não acham? Isto, independentemente da razão que possa ter no caso em apreço, que nem comento, por não consumir o produto. O "estilo" é que está em causa!

Nixon disse...

O Tovar? Esse tinha cá umas prosas... Mais valia não ter acabado a primária e dedicar-se à agricultura. Mas o jornal é mediano, não lhe agoiro grande futuro.