AGORA ESTOU AQUI

segunda-feira, maio 18, 2009

O HOMEM QUE TRAMOU QUIQUE FLORES

Quique Flores foi expulso por indicação do 4.º árbitro. Carlos Duarte, aqui à conversa com Rui Casa no início do jogo, não perdoou ao treinador do Benfica excessos de linguagem sobretudo após a expulsão de Yebda. Encheu o saco. A verdade é que não é preciso muito para Duarte encher o dito cujo. Árbitro de 2.ª categoria que já passou, como uma cometa, pela 1.ª, Duarte tem uma personalidade muito especial. Os colegas dizem que não sabe calçar as meias mas a verdade é que em termos disciplinares é implacável. Duarte corre o risco de descer em breve à 3.ª categoria, o que é resultado do facto de ser também uma pessoa que não se cala e que não percebeu nunca como não conseguiu fixar-se no quadro principal. A verdade é que Carlos Duarte é uma voz que incomoda na arbitragem portuguesa e quando assim é... Falta dizer que este árbitro do Porto foi também advogado de vários árbitros no processo originário do Apito Dourado e que na semana passada conseguiu a absolvição do ex-árbitro Licínio Santos no tribunal de Fafe. Ele que apertou sempre os peritos de arbitragem nomeados pela PJ quando teve oportunidade para o fazer, culminando este festival com a notícia de avaliações feitas pela TV que deram resultados substancialmente diferentes das classificações oficiais, assim demonstrando que não é através de uma perícia televisiva que se consegue avaliar correctamente o trabalho de um árbitro.

3 comentários:

Anónimo disse...

...e assim Quique escapou-se a um cumprimentozinho ao Jesus...

esqueces-te este pequeno grande pormenor...

Anónimo disse...

...e assim Quique escapou-se a um cumprimentozinho ao Jesus...

esqueces-te este pequeno grande pormenor...

Anónimo disse...

oh geninho que tipo de jornalista es que so trazes cabulas de outros?