AGORA ESTOU AQUI

sexta-feira, abril 24, 2009

PC 27



É com alguma relutância que aqui estou para falar, embora com algum atraso, dos 27 anos de presidência de Pinto da Costa.

Estava a ver se conseguir passar sem falar no assunto mas a sucessão de baboseiras que vi escritas nos últimos dias fez-me mudar de ideias.

Porque Pinto da Costa não merece tantas banalidades e não precisa que se repita o seu currículo como dirigente desportivo.

O presidente do FC Porto devia poder fazer um embargo a este tipo de parvoíces de pessoas que pouco privaram com ele e que o que dele conhecem foi o que leram aqui e ali.

Acompanhei o presidente do FC Porto durante muitas das suas iniciativas, de Toronto ao país profundo, em dias de alegria e outros (poucos) de tristeza, dele já mereci as maiores atenções e também algumas raivas que entendo.

Ele sabe, e eu sei também, que nunca houve contrapartidas nesta relação sobretudo consubstanciada quando trabalhei no jornal "A Bola", onde a direcção e a chefia de redacção fazia questão que fosse eu a acompanhar o presidente portista quando este viajava pelo país e pelo Mundo.

Não esqueço, pois, o dia em que fui surpreendido por alguém que nadava nas águas do Mussulo, em Luanda, ao encontro do nosso grupo e que era ele mesmo. Ou a viagem quase frustrada até às cataratas do Niagara, onde posou durante largos minutos sob um lampião para que o Paulo Santos conseguisse uma imagem decente do presidente nas célebres quedas de água.

Nunca estive em sua casa e nunca viajei no seu carro, embora nele me tivesse sentado um dia quando ele preparava uma entrevista na TVI com o Henrique Garcia.

Dele recebi dez volumes encadernados da revista "Dragões" - com o primeiro número assinado - aos quais retribui com uma singela oferta de um livro sobre a vida de José Régio, que sei ser um dos seus poetas preferidos.

Sempre e disse, e nunca de tal duvidei, que Pinto da Costa é o que um dia António Oliveira classificou como um "adiantado mental". É um homem que vive para o seu clube e que sabe muito de futebol. Alguém que, apesar de muitas vezes mal rodeado, sabe gerir as tensões e que se faz respeitar na creche que é sempre um balneário. Um dirigente que respeita os seus treinadores se estes respeitarem não apenas o presidente.

Nos últimos anos, a vida de Pinto da Costa conheceu algumas atribulações. A relação com Carolina Salgado - pela qual esteve perdidamente apaixonado - não lhe deu muito saúde mas a verdade é que não lhe tolheu o juízo nem o comprometeu seriamente. Ou seja, Pinto da Costa conseguiu sobreviver ao furacão que foi a passagem pela sua vida da jovem Carol.

A caminho dos 72 anos, o presidente do FC Porto continua a coleccionar títulos. Mas isso não é o mais importante, ao contrário do que as últimas crónicas indicam. Importante mesmo é, para ele e para o FC Porto, manter viva a chama e nunca baixar os níveis de lucidez.

Pinto da Costa, meus amigos, fez há muito tempo o que só agora Hugo Chavéz se lembrou de fazer: adiantou o fuso horário portista e a concorrência ainda não reparou.

Agora, por favor, não façam é tanto barulho para nada. O herói desta história não merece ser já embrulhado em ruído fútil. Até porque os seus inimigos provavelmente vão ter de esperar muito pelo dia do seu funeral.
PS - Amigo Vila Pouca: não é por nada mas acho completamente desnecessário nos comentários que faz referir-se sempre a terceiros, o que obviamente me obriga a usar o "lápis azul". Infelizmente você, tal como outros, continua a confundir tudo. Pode ter a certeza de uma coisa: sei muito bem onde acaba a minha privada e começa a minha vida profissional, não preciso de lições nesse campo. Até estranho que continue a cair nesse erro pois você é uma pessoa que me conhece bem e, como tal, sabe o que a casa gasta. Quanto ao que os outros pensam de mim, é lá com eles.

14 comentários:

Atreides disse...

Vá, acredite-se na "pureza" do homem.
Então quem são as "más companhias" e o que é que fizeram?

dragao vila pouca disse...

Vida privada?! Não, estás muito enganado, eu só questiono comportamentos profissionais. Agora, não tenho culpa que no teu caso, a vida privada ande junto com a vida profissional.

Usares esse argumento, para o lápis azul, é de bradar, mas não me aquece nem me arrefece.

JediVermelho disse...

Ver alguém a defender PC...é que é de bradar...A menos que...

Anónimo disse...

Eu também acho, à semelhança do Atreides, que aquela das más companhias é falsete. É um pouco a história do lobo e do cordeiro! PC não é perfeito - quem o é? - mas os aspectos positivos ganham de goleada aos negativos. Cheira-me que os últimos tempos estão a mudar algumas pessoas. Pelo menos os seus comportamentos...

fernando santos disse...

Coisas do circo
O cabaret da coxa

Moniz perdeu a tramontana. Na última quarta-feira veio à antena da TVI lançar o mais violento e inusitado ataque ao primeiro-ministro de Portugal, sugerindo nas entrelinhas o seu envolvimento no caso Freeport, como faz, de resto, com frequência, o ‘Jornal Nacional de Sexta-feira’.

Poderia ter defendido a sua ‘equipa’ sem fazer insinuações torpes e soezes sobre uma pessoa que até prova em tribunal (nem sequer há acusação formulada) é inocente. Mas não. Moniz, do alto da sua arrogância, preferiu utilizar a estação que dirige, num puro acto de excesso de legítima defesa, comunicando aos portugueses que 'com ele ninguém brinca'.

Moniz talvez percebesse melhor esta questão se algum dia começasse a circular uma onda de boatos, como já aconteceu, a respeito das suas ligações a Joaquim Oliveira e de uma eventual utilização da RTP, para fins comerciais ilícitos, o que, todos sabemos, é uma grande mentira. E se essa onda se agigantasse e aparecessem nos jornais, repetidamente, coisas inadmissíveis a respeito na sua honorabilidade como director-geral da estação pública e como cidadão, que não sendo verdadeiras, o ferissem como se fosse, aí, talvez Moniz compreendesse melhor princípios como a presunção da inocência, a importância da honra dos cidadãos, a necessidade indiscutível de o jornalismo não ser usado como campanha ‘ad hominem’ nem espaço de promoção de julgamentos na praça pública...

É intolerável que o director-geral de uma estação, 'último responsável pela informação', faça, ele próprio, considerações insidiosas sobre um primeiro-ministro, queixando-se, a seguir, de que 'querem condicionar o exercício do jornalismo'. Será que Moniz não vê o ‘Jornal Nacional de Sexta-feira’? Pode eventualmente haver o desejo de condicionar o livre exercício do jornalismo, mas se há, ironia das ironias, isso só pode ser propósito de um colaborador da TVI, o ministro Augusto Santos Silva. Mas que fique bem claro, o referido é um espaço onde, por regra, se desrespeitam os códigos profissionais do jornalismo: há um desprezo sistemático pelo exercício do contraditório, há ‘notícias plantadas’ que são infâmias embrulhadas como factos provados. Aquele espaço, em muitas circunstâncias, faz mais lembrar ‘O Cabaret da Coxa’, tantos são os atropelos jornalísticas que nele se praticam, ao tentar impor um modelo sensacionalista, tendencioso e de mau gosto.

Emídio Rangel, in "Correio da Manhã"

Viriato de Viseu disse...

Olha que dois!!!!!

ginoveve disse...

Seja o que for, sabendo nós que é bom, bem dito é tudo, neste caso, ó Eugénio, do princípio ao fim.

Anónimo disse...

Só uma ou duas vezes comentei no seu blog, embora várias vezes tenha estado em desacordo com o que escreve. Desta vez, inteiramente de acordo.Agora prepare-se para os comentários acintosos e chocarreiros que hão-vir por aí. A malta ainda não apareceu, porque deve andar ainda a brincar ao 25 de Abril.
A. Mendes

Anónimo disse...

o fascimos queiroziano impera neste blog.
deve ser o benfas que lhe dá de comer, ou será que é o leixões?

Vitor disse...

o benfica com o 25 de abril deu o PEIDO!

Anónimo disse...

Que "bela" dupla!O Zé do Boné e o sacristão, durante a formação da "Famiglia"...

Daniel Silva disse...

Esse Dragão Vila Pouca anda sempre a criar "quezílias" na blogosfera. Há um tempo atráz "perseguiu" literalmente o meu blog.

abraço Queiroz e força para a tua luta.

Anónimo disse...

Pois...nao passa de um "santinho".
Voce so reconhece essa "santidade" e nao se atreve a reconhecer que esse sr. nao passa de um corrupto oportunista e manipulador, assumido e condenado.
Essa das "mas companhias" tambem e boa! Alguma vez viu um "santinho" como ele rodear-se de gente boa, seria e honesta?
Nao tente tapar o sol com uma raquete de tenis,por favor.

Anónimo disse...

Mais um beijinho no cu do Presidente!