AGORA ESTOU AQUI

quinta-feira, fevereiro 12, 2009

SAL(g)AL(h)ADA DE FRUTA

Pinto da Costa foi escutado desde Outubro de 2003 até Maio de 2004. Como disse o juiz de instrução Artur Ribeiro, que não mandou para julgamento o "caso da fruta" que agora caiu definitivamente de podre com uma decisão final do Tribunal da Relação do Porto, "foi quase uma época futebolística e o resultado foram dois casos". Por acaso não foi tão pouco. Para além do processo relativo ao jogo FC Porto-Estrela da Amadora e Beira-Mar-FC Porto (que será julgado em breve), o presidente portista foi arguido noutros processos. Um desses caiu no final do ano passado no Tribunal de Gondomar, também na fase de instrução, e dizia respeito à sua presumida influência no desfecho do jogo Nacional da Madeira-Benfica, também da época de 2003/2004, se bem estão lenbrados aquela que terminou com o FC Porto a sagrar-se campeão europeu em Gelsenkirchen, ou seja, em pleno esplendor da era José Mourinho.
Considerou também o juiz de instrução que fechou o processo da fruta que Carolina Salgado não falou verdade quando disse ter assistido a uma conversa telefónica entre o então seu companheiro e o empresário António Araújo, a tal conversa, que quase todos conhecem, da "fruta para dormir". A convicção do juiz é a de que no momento daquela conversa Carolina não estava com Pinto da Costa, como resulta das escutas telefónicas. Ou seja, por muito irónico que possa parecer foram as escutas que "salvaram" o presidente portista neste processo de que resultou já, na Comissão Disciplinar da Liga, uma condenação por tentativa de corrupção, tendo como consequência a subtração de 3 pontos aos portistas na épcoa de 2007/2008 e a suspensão do líder e criador dos dragões.
Carolina Salgado nunca foi neste processo uma boa testemunha. Antes de tudo porque quando se assumiu como "garganta funda" fê-lo num ambiente de revánche, poucas semanas antes de lançar o seu livro. É certo: a senhora viveu seis anos com Pinto da Costa, sabe o que a casa gasta.
Se ouvirmos, por exemplo, a conversa entre Pinto da Costa e António Araújo sobre a "fruta para dormir" e o "chocolatinho para logo à noite" percebemos todos que não estavam a falar de fruticultura, de insónias ou de problemas de colesterol. Mas não chega para se provar que, de facto, a equipa de arbitragem foi comprada com um jantar e com uma noite de farra. Era preciso muito mais que um dos árbitros assistentes - Manuel Quadrado – a confessar em fase de inquérito que alguns dias depois do sucedido caiu em si e pensou que poderia ter caído numa situação que envolvia o FC Porto...
Vamos admitir que este caso é todo ele uma falácia. Que os árbitros não jantaram no mesmo restaurante que Pinto da Costa. Que Reinaldo Teles não os conduziu ao hotel. Que as meninas brasileiras foram uma oferta de um amigo de Paixão e que Araújo apenas tratou do assunto. Que quando Pinto da Costa e Araújo falavam de "fruta para dormir" e referiram a sigla JP estavam a falar de Joaquim Pinheiro, dirigente do FC Porto e irmão de Reinaldo Teles.
Tudo isto parece demasiado burlesco. Mas, confirma-se, a justiça em Portugal gosta é disso mesmo: de ópera bufa. Não se apanham tubarões com anzol mas, caramba, o problema das insónias está definitivamente resolvido: coma fruta!

também em http://www.record.pt/noticia.aspx?id=c0e65f70-9134-4ff3-b490-1d3c860497b7&idCanal=00001089-0000-0000-0000-000000001089

19 comentários:

Nuno Nogueira Santos disse...

Haverá medo em Portugal? Um exemplo a propósito do caso José Veiga e João Pinto
http://aoutravarinhamagica.blogspot.com/2009/02/sera-medo.html

Eugénio Queirós disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

É espantoso V. dizer aqui que há medo em Portugal, sr. EQ...é que não sei se está a ver bem a coisa, dizer isso nestes tempos de liberdade xuxialista é perigoso, arrisca-se a ser englobado na tal campanha negra que o outro diz que anda a persegui-lo...e logo V. que até já por duas vezes se afadigou aqui a defender o governo e a D. Lurdes ministra e levou com uma carrada de insultos às costas...

Anónimo disse...

Tanta Azia e Preocupação???!!!

Porque será???!!!!

Justiça de Fafe disse...

Se há medo é porque vocês são uns poltrões.

Anónimo disse...

Ó Geninho quanto custou aos contribuintes Portugueses o apito dourado?

Anónimo disse...

Justicialismo (mediático) salivado
FERNANDO SANTOS

As disfuncionalidades da Justiça em Portugal estão a colocar cada vez mais em risco um autêntico e desejável estado de direito democrático. Sobram os casos processualmente mal-amanhados; banalizam-se as suspeitas (cirúrgicas?) e as estratégias para as fazer circular; "assassina-se", na praça pública, a reputação de cidadãos e, quando se trata de os ilibar de maquinações, o sistema faz de conta que procedeu à reparação das suas vidas.

Quase todos os dias surgem exemplos de como a Justiça não se limita a ser selectiva, mas também de que é um vergonhoso falhanço no Portugal pós-25 de Abril.

O chamado "caso da fruta" é paradigmático de como alguns processos parecem conduzidos por razões inconfessáveis, algumas do foro psicanalítico. Durante anos, e no âmbito do chamado Apito Dourado, as violações do segredo de Justiça serviram uma sanha justicialista. Fizeram-se parangonas condenatórias por antecipação ao arquivamento do Ministério Público. Como? Enganaram-se os que pensavam estar o caso encerrado. Sustentada em testemunha-marioneta, a procuradora-geral adjunta Maria José Morgado reabriu o processo e deduziu acusação. Depois, um tribunal de primeira instância repetiu o arquivamento, mas qual quê! Saia um recurso! E, ontem, a confirmação da Relação: o que disse uma certa senhora não é credível (estava na cara) e não há sequer alegado "crime de catálogo" para validar escutas telefónicas.

Chegados aqui, o que resta?

Os prejuízos provocados a um naipe de cidadãos, com Pinto da Costa na primeira fila. Mas, no essencial mesmo, fica mais um prego espetado na credibilidade de algumas figuras que salivam como justiceiras mas só convencem no palco mediático.
"OJOGO"

Anónimo disse...

Paulo Samagaio (Advogado)
"Censurar o Ministério Público"

"Algo vai mal na Justiça. Em primeiro lugar, na Justiça desportiva, porque entendeu haver matéria para acusar e condenar, quando, nos tribunais civis, nem sequer foi possível encontrar factos para deduzir uma acusação; depois, é preciso censurar também o Ministério Público [MP], uma vez que tinha ficado a sensação de que a anterior equipa tinha trabalhado mal. No entanto, essa ideia estava errada, porque esta equipa de denominados 'justiceiros' não conseguiu mais do que confirmar a primeira decisão de MP, que era a do arquivamento."

Anónimo disse...

Guilherme Aguiar (jurista)
"Decisão não é surpreendente"

"Apesar de ainda não conhecer os fundamentos da decisão, esta não me surpreende, até porque não é mais do que a confirmação das conclusões da decisão original. De resto, este recurso nasce de uma teimosia da sra. procuradora Maria José Morgado, que achou por bem promover uma imagem de justiceira à custa da perseguição ao FC Porto e ao sr. Pinto da Costa que desde logo lhe valeu loas junto da comunicação social lisboeta. Percebe-se agora que tudo serviu apenas para descredibilizar a Justiça portuguesa."

GOSTO MUITO DE CORRUPTOS disse...

De GOSTO MUITO DE CORRUPTOS a 13 de Fevereiro de 2009 às

E as ESCUTAS resistem

Dia sim, dia não, alguém – um intelectual, um especialista, um curioso, este ou aquele jornal afecto ao sr. Pinto da Costa – repõe a questão da validade das escutas telefónicas, se já não na generalidade, nestes ou aqueles processos, leia-se, na justiça desportiva.


Esta sanha implacável contra o único meio de prova viável e eficaz em certos ilícitos, como a corrupção, tem uma explicação óbvia. Os amigos do presidente do FC Porto e do clube (punidos por crimes de corrupção na forma tentada, com sentença já transitada em julgado e recorrida para um órgão superior) procuram desesperadamente anular essas punições.

Não desmentem os conteúdos das escutas utilizadas nas condenações, não questionam a gravidade do que é dito ou a sua veracidade. Apenas a sua utilização. Tudo serve de pretexto ou ponto de partida para nova arrancada. Há dias, o respeitável ‘JN’ abria em manchete a toda a largura com uma ‘bomba’, mais uma: 'Escutas telefónicas fora do Apito Final', 'Constitucional confirma ilegalidade do uso de escutas na justiça desportiva'; 'Decisão põe em causa castigos a Pinto da Costa, FC Porto e Boavista'. Na realidade, apenas acontecera que, na véspera, o Tribunal Constitucional (TC) 'decidira não apreciar o recurso interposto pelo CJ da FPF sobre a utilização de escutas telefónicas em processos disciplinares (a propósito de um recurso do presidente da U. Leiria, João Bartolomeu, para o Supremo Tribunal Administrativo).

Repare-se que o TC decidiu 'não apreciar' o recurso do CJ da FPF! O que não impediu uns bacanos de virarem a história do avesso e transformarem um não-acontecimento (o TC nem sequer apreciou, não tomou conhecimento) num estrondoso acontecimento: as escutas já não valiam, o sr. Pinto da Costa, o FC Porto e o Boavista estavam safos, estava tudo limpo, ilibado, branco como a neve! Não sei se a atoarda teria dado a volta e sido repetida e aumentada, como foi, por outros prestimosos meios se a sua origem não tivesse sido um respeitável jornal. Para os incautos e os de boa-fé, direi que as punições de Pinto da Costa e do FC Porto (o Boavista aparece por arrasto) são definitivas e irreversíveis. Os respectivos processos transitaram em julgado, já foram apreciados e julgados em recurso pelo Conselho de Justiça (CJ) da FPF, que manteve as sentenças da CD. Assobiem-lhe às botas!

P.S. – O recurso do sr. João Bartolomeu para o STA é uma habilidade processual para recuperar os textos das suas escutas, um acto objectivo que se chama ‘intimação’ e não tem consequências para os outros processos.

Anónimo disse...

12-02-2009 LABAREDAS

Centenas de dias

O F.C. Porto é Tricampeão há 312 dias, depois de ter goleado o Estrela da Amadora e desencadeado a chama de todos os Dragões. O campeonato transacto terminou a 10 de Maio de 2008, ou seja, já passaram 278 dias desde a vitória no terreno da Naval, na derradeira jornada da época.

O Labaredas acha que é muito tempo, mas há quem não partilhe da mesma opinião. Talvez por isso a equipa do F.C. Porto continue à espera do troféu de campeão que conquistou com todo o mérito e com grande classe. Quantas centenas de dias terão de aguardar mais os Tricampeões? Esperemos que a taça não enferruje...

Anónimo disse...

Aconselho os "ANTI/PORTISTAS" a passarem nos blogues REFLEXÃOPORTISTA; RENOVAROPORTO; PORTOGAL e PORTISTASDEBANCADA,sempre lêm algo diferente.

Anónimo disse...

Simplificando:
Alguém acredita na justiça deste país?
Desde quando os empregados dão ordens ao PATRÃO.
Em 711,os muçulmanos, vindos do norte de África (mouros) e comandados por TARIK,invadem a península e deixam os seus genes, apesar da (pouca) resistência dos visigodos.
Desde então a pirâmide está invertida.

Anónimo disse...

Querem uma informação plural?

Toca de consultar com regularidade, os blogues: RENOVAROPORTO;
DragãoatéàMorte;
Portistasdebancada e reflexãoportista.

dragao vila pouca disse...

Eu como sou um leigo na matéria deixo uma pergunta: porque é que P. da Costa que não fazia parte do processo original do Apito Dourado e só entrou nele, porque foi apanhado numa escuta suspeita - dizem eles - com o Major. Foi escutado, ouvido, constituído arguido, julgado e condenado na praça pública? E o Vieira que foi apanhdo numa escuta muito mais comprometedora, não teve o telefone sob escuta, não foi ouvido, muito menos, constuído arguido?

Mistério!!!! Diz um amigo meu que eles não tinham cana, nem anzol, para apanhar o Vieira. Aquilo é peixe muito graúdo!

Quanto a ti Eugénio, não disfarças a azia, mas como já perdeste a noção do rídiculo - basta vera imagem de cima -...nem vale a pena perder tempo.

Anónimo disse...

Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2009
Notícia de Última Hora
Andam a roubar adeptos do Benfica !


"O Benfica é o clube mais popular em Portugal, com 2,2 milhões de adeptos, segundo a avaliação da SPORT+MARKT (empresa de estudos de marketing alemã) dedicado à época de 2008/09, que reduz a menos de metade o número de simpatizantes contabilizados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). (...) O estudo da empresa alemã, a que a Lusa teve acesso, calcula que apenas 4,7 milhões de portugueses entre os 15 e os 69 anos respondem ser "interessados" ou "muito interessados" em ver futebol através da televisão, ou seja, menos de metade da população portuguesa." - in Expresso
Eu sei que deve doer mas será que a Lusa, por divulgar este estudo, vai ser de novo penalizada e proíbida de entrar nas instalações do clube encarnado?
IN Futebolartte

Dragon Ball disse...

Sobre essa do número de adeptos do glorioso (de outros tempos): então não é que agora vêm uns alemães lá de casa do caralho dizer que são só 2,2 milhões os adeptos do SLB?... Onde é que já se viu tamanho desaforo?...Só pode ter sido o Pinto da Costa a encomendar essa sondagem...Pois se já em 2006 até a Secretaria de Estado das Comunidades publicava no seu boletim que os adeptos lampiões eram 24 milhões em todo o mundo?!...(4.75 M em Portugal, 5.5 M na Europa e 14 M no resto do mundo, os gajos não faziam a coisa por menos...)E depois dizem que não são o clube do regime (deste e dos outros)...

gertrud disse...

E o Benfica está já a montar outro filme, com o Vasconcelos no script, porque o Lisando, ameaçado de sarrelfa do Ebda se esquivou a tempo, mergulhando na piscina, e ora isso, diz Vasconcellos, nunca se viu, nunca em Portugal um jogador fez tal coisa, muito menos do Benfica, ai, que gajo mais vermelhusco, e eu que o tinha à conta de artista do cinema, desde o morto, genial, mas qual quê, não há-de ser tal um fulano assim fanático!

simon disse...

E o Proença não se frustra e anda a dormir descansado, ó Olegário, ó Paixão, Duarte e Vasconcelos, sobre aquele penalti por marcar do Reyes contra o Lucho, porque o gajo lá caiu, mas ergueu-se, a merecer cartão da China!
Que patuscos, estes vesgos, gente mais serviçal, oh, vão é lá mamar na outra teta.