AGORA ESTOU AQUI

sábado, fevereiro 07, 2009

O LABAREDAS

Depois de uma entrada em cena que dispensou aviso prévio, tempo agora para as apresentações: sou o Labaredas e estou pronto para soltar fogo sobre temas da actualidade que envolve o F.C. Porto. Os Portistas podem esperar chamas atentas e oportunas. E há muito desvario para «chamuscar».
Assim se apresenta, filho de pai incógnito, o novo cronista do site oficial do FC Porto. Gostei do fundo do lettring... Vou tentar agora apurar o estilo e confirmar a suspeita que tenho, ou seja, de que o autor desta crónica é o mesmo que assina uma página na abertura da revista Dragões. Ou será que os fiéis pajens já conseguiram assimilar o estilo papal?

5 comentários:

Anónimo disse...

Este Labaredas somos todos nós F.C.Porto, é a nossa voz critica, ironica e directa.

Estamos fartos dos "juizos e opiniões" dos Centralistas da capital.

Anónimo disse...

06-02-2009 LABAREDAS
Será desta?

Momento alto da temporada, clássico, estádio cheio, espectáculo.
Neste domingo todos os olhares desportivos vão estar centrados no Estádio do Dragão. Será desta que a Liga Portuguesa de Futebol Profissional decide entregar o troféu de Campeão ao FC Porto?

Após a leitura dos jornais dos últimos dias haveria muito para chamuscar, mas despertei com uma ideia em mente. Depois de muitas oportunidades desperdiçadas, o jogo de domingo apresenta-se como excelente oportunidade para a Liga depositar nas mãos do capitão dos Dragões o símbolo do esforço que valeu o Tricampeonato. De resto, dificilmente surgirá melhor momento, tendo em conta a queda para o mediatismo daquela entidade.

Será desta? Os Portistas e o Labaredas esperam para ver.

Anónimo disse...

Se para um Barcelona/R.Madrid, se nomeasse, um arbitro de Madrid, Socio e ex/atleta do Real, o que aconteceria ???!!!

Seria possivel?!

dragao vila pouca disse...

Pai incógnito?! Tem piada, é o que dizem a teu respeito!

simon disse...

A ideia encontra-se inteira, ó Eugénio, num poema excelente de Nietzsche, que Jorge de Sena traduz em "Poesia de 26 Séculos" e Eugénio de Andrade sublima entre os mais plenos de sentido e pujança, em apenas seis versos por todo um tratado de vida, íntitulado "Ecce Homo":

"Sim! Eu sei que me resume:
Insaciado como o lume,
Eu brilho e ardo-me inteiro.
Luz se toma quanto eu faço,
Cinza tudo após que eu passo.
O Fogo sou verdadeiro!"

E não está mal num dragão,
não concordará, parceiro?