AGORA ESTOU AQUI

segunda-feira, janeiro 12, 2009

RONDA 14

Na foto, Pelé
Ups, parece que me enganei. Como alguém já aqui assinalou - os fregueses do BnA são pessoas atentas... -, o FCP tão depressa atingiu a liderança como a cedeu para os dois grandes rivais. O herói das últimas duas jornadas dá pelo nome de Trofense. É proeza: ganhar em casa ao Benfica e depois ir empatar ao Dragão. Quem vem a seguir que se cuide... Quanto às polémicas da jornada, não tarda nada e temos aí o Leirós a mostrar todo seu seu saber de experiência feito, que é para isso que ele foi contratado. Na minha modesta opinião, na Luz o golo do Benfica é marcado em fora-de-jogo, há um penálti para o Sp. Braga que não foi assinalado (carrinho de Luisão) e sempre quero ver se alguém vai recordar as palavras ditas a semana passada por Jorge Jesus, que considerou Paulo Baptista um bom árbitro, falta saber era se estava a referir à PlayStation se ao futebol real. Quanto ao trabalho de Luís Reforço no Dragão, o único erro ainda assim contestável tem a ver com um pretenso derrube de Valdomiro a Lisandro, já no tempo de compensação. Parece-me que foi penálti mas fica a dúvida se Lisandro - que nem é exuberante nos protestos... - deixou ficar a perninha para trás, a ver se aqui pegava no jeito de medida desesperada. Temos, pois, o Benfica e o Sporting no comando, o FCP um pontinho atrás , e o Nacional da Madeira de prego a fundo, enquanto o Leixões perde gás e o Marítimo igualmente. Outro grande vencedor da jornada foi o Belenenses, que deu grande salto classificativo e que estreou um jovem de 17 anos, um tal Pelé, mais um trinco chamado Pelé, um miúdo de muita qualidade que só a semana passada assinou, através da mãe, contrato de formação com o clube do Restelo. Ele que é treinado por Rui Jorge e que nem começou a época como titular dos juniores pois tinha de faltar a alguns dos treinos já que faz questão de continuar a estudar. Lindo menino.

11 comentários:

Anónimo disse...

Ao ouvir João Gabriel afirmar: "Não sei se as declarações de António Salvador foram como presidente do Braga ou sócio do FC Porto"

Pergunto-me se quando Vieira fala é como sócio número 21265 do Sporting, se como sócio número 21510 do Porto ou ainda como sócio número 7331 do Benfica. Fico sempre na dúvida ...

Aurélio Estorninho disse...

caro geninho:

ja sabe dos jogadores do FC PORTO que foram apanhados em Vigo na noite?
parece que ultimamente não tem havido estagio e anda tudo com o membro peniano cansado de tanto espetar... espero eu que em gaijas.

Anónimo disse...

“Os investimentos na arbitragem e nalguma comunicação social começam a dar frutos. Verdadeira vergonha aquilo que se passou na Luz e desta vez está demonstrado perante a evidência. E não há desculpas do trio de arbitragem que tem altas responsabilidades”.

Paulo Abreu Grupo Stromp (Record)

---------------------------------

Leiam com ATENÇÃO..........

Ricardo Simães disse...

Sr Eugénio,

Que eu saiba, e eu nem sequer sou jornalista, mas vai-me valendo o facto de saber ler, o Jorge Jesus disse que o Paulo Baptista era TECNICAMENTE um bom árbitro mas alertou para a sua possível FRAGILIDADE EMOCIONAL. O que ele disse foi isto:

"Espero que esteja à altura e que não seja influenciado pelo ambiente desse jogo, de ter 40 mil pessoas a puxar pelo Benfica, o que pode fazer com que em termos emocionais não esteja à altura. Mas gostei da sua nomeação, tecnicamente é um dos bons árbitros portugueses».

Não esteve à altura e foi influenciado pelo ambiente, não acha?

O Sr. no Record também manda postas para o ar ou informa-se dos factos antes de escrever?

Cumprimentos.

Captomente disse...

Não falas do coitado do Bruno Alves que, mais uma vez, foi agredido? Cabrão do Reguila que foi com a testa direito ao pé do Bruno Alves... Cobarde.

Cumps.

Anti Chaparros disse...

Então e é mentira??!!
Há muito que não assistia a um ROUBO deste calibre!Aquele lance já no final do maxi sobre o Renteria nas barbas do Bandeira é de gritos!E o carrinho para partir uma perna do Cabeça de Melão!!!AAIAIIII! Força Batista o Vieira tem o cheque na casa do Algarve à tua espera !E o resto é conversa!!O maor cancro da sociedade portuguesa chama-se Malfica ! esta em toda a parte , jornais, TVS, árbitragem, política ! seremos sempre um país de merda enquanto ente clube não deixar que o que de bom existe na sociedade portuguesa não possa mostrar-se porque o clube NAZIFASCISTA de Portugal tem que açambarcar tudo ! NOJO e PRISÃO para o Batista Paulo porque o Lucílio do penalty inventado depois da hora pelo simulão que mandou o Beira Mar para a 2ª divisão já la devia estar!

@LF disse...

Mas não foi o Vieira que falou pois não.O ataque deve dirigir-se a quem falou,ou não?E com futebolzinho macroclorojupimenta se vai..indo!

Anónimo disse...

E o Leixões continua o afundanço...
Pois é.
Na época passada aconteceu ao Guimarães ser a "equipa sensação", coitados ficaram pelo 3º lugar.
Mas se calhar até é bom para poderem continuar a ser, Leixões e Guimarães, os "queriduxos" da imprensa.
Tão simpáticos que são estes clubes que ameaçam muito e não ganham nada, pois são?

LAM

Anónimo disse...

04 Janeiro 2009 - 22h00

Gestão: Banco então liderado por Oliveira e Costa emprestou 45 milhões

EPUL financiou águias e leões

A EPUL financiou o adiantamento de 19,95 milhões de euros ao Benfica e ao Sporting, em Dezembro de 2004, com um empréstimo do Grupo BPN.

Sem liquidez para tamanho compromisso, resultante do contrato-programa celebrado em Julho de 2002 para a construção dos estádios do Euro’2004, a EPUL pediu um crédito intercalar de 45 milhões de euros ao Banco Efisa e ao BPN.




O relatório e contas da EPUL de 2004 é categórico: 'Na conta de Outros Devedores encontra-se registado um saldo devedor de 19, 95 milhões de euros relativo a adiantamentos efectuados pela EPUL, em 31 de Dezembro de 2004, ao Sport Lisboa e Benfica [SLB], de 9,975 milhões de euros, e ao Sporting Clube de Portugal [SCP], de igual montante, por conta de lucros relativos à construção e venda promovidos pela EPUL de 200 fogos sitos no Vale de Santo António (SLB) e 200 fogos na Quinta José Pinto (SCP), na sequência do previsto nos contratos-programa celebrados entre a Câmara de Lisboa, a EPUL, o SLB e o SCP, em que os resultados líquidos destas operações serão repartidos em partes iguais pela EPUL e por cada uma destas entidades.'

Para fazer face ao encargo, a EPUL contactou, pelo menos, a CGD e o BPN, mas 'o BPN ofereceu as melhores condições de financiamento', frisa fonte conhecedora. O relatório e contas diz que 'a disponibilização dos fundos ocorreu em Dezembro de 2004'. E precisa: 'Foi celebrado um contrato de empréstimo junto do Banco Efisa, banco organizador, e dos bancos Dexia Credit Local e N. V. Nederlandse Gemeenten, bancos mutuantes, para a reestruturação do passivo a médio e longo prazo da EPUL e a consequente liquidação, nomeadamente dos empréstimos contraídos junto do BBVA, de 14,85 milhões de euros, e de um empréstimo intercalar contratado com o Banco Efisa e o BPN, de 45 milhões de euros.' De 60 milhões de euros, o crédito começa a ser pago em Junho de 2011.

O CM tentou falar com Eduarda Napoleão, então líder da EPUL, mas não foi possível. Santana Lopes, que assinou o contrato-programa em 2002, não comenta as verbas adiantadas ao SLB e ao SCP.

CÂMARA DEU TERRENOS PARA CONSTRUIR FOGOS

A cedência de terrenos camarários à EPUL é a peça-chave para esta empresa municipal adiantar ao Benfica e ao Sporting uma verba de 19,95 milhões de euros, em Dezembro de 2004. A operação previa a construção de 200 fogos no Vale de Santo António, na Penha de França, e 200 fogos na Quinta José Pinto, em Campolide. Os primeiros eram para o SLB, os segundos para o SCP.

A 11 de Novembro de 2002, a Câmara de Lisboa aprovou duas deliberações (577 e 578) que permitiram a transmissão daqueles terrenos camarários da autarquia para a EPUL. A 8 de Abril de 2003, Sequeira Braga, então presidente da EPUL, assinava um despacho com as regras de colaboração entre a EPUL e o SLB para a concretização daquele projecto.

Diz o despacho, a que o CM teve acesso, que 'a EPUL será responsável pela promoção, construção e comercialização dos mencionados fogos' e 'os respectivos proveitos serão repartidos em partes iguais pela EPUL e pelo SLB, sendo expectável que cada parte possa encaixar 9,975 milhões de euros'. Os mesmos princípios foram aplicados ao SCP. O contrato de execução entre a EPUL e os dois clubes seria assinado em 16 de Maio de 2003.

O Tribunal de Contas considerou estas verbas apoios indirectos da autarquia aos dois clubes. Manuel Vilarinho, então presidente do SLB, remete explicações para a EPUL e para a Câmara. Dias da Cunha, na altura líder do SCP, diz que 'não há financiamento indirecto da autarquia.'

CASAS PODERÃO NUNCA SER CONSTRUÍDAS

Quatro anos depois de ter adiantado ao SLB e ao SCP 19,95 milhões de euros, por conta de lucros futuros dos fogos no Vale de Santo António e na Quinta José Pinto, a EPUL não tem ainda nenhuma construção naqueles locais.

Para já, Manuel Salgado, vereador da autarquia, conduz a revisão do Plano Director Municipal e, nesse âmbito, quer avançar com os planos de pormenor naqueles locais. Como ambos têm problemas ambientais, há quem admita que a EPUL nunca construirá um único fogo no Vale de Santo António e na Quinta José Pinto.

MORGADO INVESTIGA SANTO ANTÓNIO

O projecto de urbanização no Vale de Santo António é um assunto relacionado com a Câmara de Lisboa que a equipa de Maria José Morgado tem sob investigação. No essencial, o projecto está sob suspeita devido ao terreno adquirido pela Sociedade de Construções João Bernardino Gomes, por cerca de 30 milhões de euros, em Dezembro de 2004, após a aprovação de uma urbanização para aquela zona pela autarquia.

Como o projecto não tinha plano de pormenor, na altura o PCP avançou com uma queixa em tribunal.

SAIBA MAIS

PAGAMENTOS

Em 2004, a EPUL pagou ao SLB e ao SCP 19,95 milhões de euros por conta da venda futura dos fogos. Ao SLB, pagou ainda 8,11 milhões de euros pelos ramais de acesso ao novo Estádio.

16,7

Milhões de euros foi o aumento da dívida de curto prazo da EPUL, em resultado da obtenção do crédito de 60 milhões de euros organizado pelo Banco Efisa. Em 2004, essa dívida era de 40,7 milhões de euros.

60

Milhões de euros era o valor do terreno no Restelo, na av. Ilha da Madeira, que a EPUL deu como espécie de garantia do crédito, ao assumir que não se desfazia desse activo no prazo do crédito.

PRAZO DO EMPRÉSTIMO

O crédito de 60 milhões de euros à EPUL tem prazo de 12 anos, com período de carência de seis anos, a reembolsar em 12 prestações semestrais. Começa a ser pago no 78.º mês a contar de Dezembro de 2004.

NOTAS

BANCA: SEQUEIRA BRAGA INICIOU

Sequeira Braga terá sido o mentor do recurso à Banca como forma de pagar ao SLB e ao SCP. Saiu da EPUL em meados de Junho de 2004 e foi substituído por Eduarda Napoleão.

VERBAS: NOGUEIRA LEITE CRITICA

António Nogueira Leite, ex-governante, considera que as verbas adiantadas pela EPUL ao SLB e ao SCP 'não é a melhor forma de dar o dinheiro dos contribuintes lisboetas'.

PROPOSTA: APOIO AO BENFICA

Acordo de princípios entre Câmara de Lisboa, SLB e EPUL, de 19 de Abril de 2002, previa que a autarquia comparticipasse com 12,5 milhões de euros no capital da SAD/Benfica Estádio.

In cm

Anónimo disse...

Paulo Batista é tão bom árbitro como sua excelência pançuda é jornalista. Quem manda é o leilão.

Anónimo disse...

O porto marcou, praticamente no início do jogo, um golo limpinho, anulado pelo árbitro por "tentativa de mão na bola"!
Sois mestres a branquear! Dito de forma rigorosa: Sois tão tendenciosos que chega a dar pena.
ACL