AGORA ESTOU AQUI

sábado, janeiro 24, 2009

O BOAVISTA


Ontem estive no Bessa. Já tinha saudades sobretudo de falar com alguns dos indefectíveis do clube axadrezado: o Manuel do Laço, o Rui, o Cipriano, o Mané, a dona Fernanda... Gente boa, que sofre muito neste momento, sobretudo quem é funcionário e não recebe o seu salário. A assembleia geral decorreu na garagem do clube e contou com a presença de meio milhar de associados, dos mais diversos estratos sociais, se bem que a base popular continua a ser um dos grandes património do Boavista. Que não pode ser hipotecado ou penhorado. O clube e a SAD estão de mãos atadas. O passivo - 80 milhões de euros ou mais... - é esmagador, as acções de insolvência do Fisco e da Somague continuam à espreita, há mais processos semelhantes a correr nos tribunais e o clube não pode inscrever jogadores enquanto continuarem pendentes uma mão-cheia de processos, de que é exemplo a reclamação de Frechaut. O Boavista já chegou a acordo com vários clubes para a cedência de jogadores mas não pode inscrevê-los. O tempo também corre contra o clube presidido por Álvaro Braga Júnior, um dirigente empenhado, que se atira para o chão e que não desiste. Mereceu bem as palmas que foi ouvindo durante a assembleia geral. Está aí também a Associação Amigos do Boavista, formada por gente influente, com conhecimentos e boas ferramentas técnicas, no qual me apercebi da presença do advogado Álvaro Rodrigues. O seu primeiro objectivo é a realização de uma auditoria séria, que permita uma radiografia perfeita da situação financeira e económica da SAD e do clube pois neste momento nem a direcção nem a administração têm a noção do estado da...nação. Perceber o que aconteceu de 2001 para cá é fundamental para este novo grupo de apoio ao Boavista. A doença que o afecta, e á SAD, continua a parecer terminal mas a verdade é que a resistência é um facto. E o milagre continua a ser possível. Gostava que chegasse o dia de ver novamente o Manuel do Laço sorrir. E com eles todos aqueles grandes e verdadeiros boavisteiros que hoje estão a sofrer bastante.


O futebol português precisa do Boavista. Esqueça-se, por isso, a raiva gerada por aquele título nacional de 2001 que deixou 9,9 milhões de portugueses com vergonha dos seus clubes.

7 comentários:

Anónimo disse...

O problema está aí na cidade do Porto com um eucalipto que seca tudo à sua volta, Boavista, Salgueiros etc.
No sul também há um eucalipto só que liderado por nabos, que secou o Alverca e o Estoril.
JCB

Anónimo disse...

Não senti qualquer 'raiva' pelo título alcançado pelo primeiro clube de futebol, fundado no Porto - o BOAVISTA FOOT-BALL CLUB!
É claro que o BFC faz falta ao futebol e à 1ª Divisão!

Anónimo disse...

Não senti qualquer 'raiva' pelo título alcançado pelo primeiro clube de futebol, fundado no Porto - o BOAVISTA FOOT-BALL CLUB!
É claro que o BFC faz falta ao futebol e à 1ª Divisão!

Anónimo disse...

Grande posta Eugénio.
Na verdade o 1º título do século ter sido entregue ao Boavista ainda está atravessado em muita gente. Diria também 9,9 milhões.
E a coisa perpetua-se. Não há possibilidade de clubes em Portugal de média dimensão aspirarem a mais do que umas presenças avulsas na UEFA. Quando querem dar um passo maior cai-lhes tudo em cima. Veja-se até os casos recentes de Guimarães a época passada e Leixões esta época.

Claro que o que se passou a seguir no Boavista não teve só a ver com isto. Foi responsabilidade de um atolambado aldrabão e corrupto que levou um dos mais antigos clubes portugueses à situação catastrófica em que se encontra hoje.
Mas esse "pó" ao Boavista, à sua história e feitos (com armas infinitamente menores do que os rivais) ainda recentemente mostrou estar vivo. A diferença de tratamento por parte das entidades dirigentes do nosso futebol quando se trata do Boavista continua a destilar fel. Mesmo o próprio Sindicato dos jogadores tem posições (mostrou ter, é um facto) quando se tratou o ano passado do Boavista por ocasião da greve anunciada dos jogadores, e a posição conciliatória e de procura de soluções que mostrou no recente caso do Estrela da Amadora. Os sabujos estão em toda a parte, da Federação à presidência da Liga passando pelo Sindicato dos Jogadores. E, para além dos problemas "caseiros" que não são poucos, estes têm sido outros obstáculos do Boavista aos quais os sócios não podem descurar. Como dizes e bem, são 9.9 milhões contra o Boavista e a pecar esse número será por defeito.


LAM, tio do Sócrates. Cuidado.

low desert puke disse...

Porquè com vergonha do meu clube?

Porque o boavista foi campeao à pazada e com certos tentàculos na Liga a mexerem os cordelinhos certos?

Procuras ser sempre um tipo frontal, portanto agora nao venhas escrever poesia..

Anónimo disse...

23-01-2009 BASQUETEBOL
Comunicado da F.C. Porto – Basquetebol, SAD

Face a uma sequência de ocorrências pouco abonatórias para a modalidade e que culminaram ontem, com decisões incompreensíveis da equipa de arbitragem presente no Benfica-F.C. Porto Ferpinta, dos quartos-de-final da Taça de Portugal, vem a Administração desta sociedade comunicar o seguinte:

1 – A F.C. Porto – Basquetebol, SAD vai vetar a presença nos seus jogos dos árbitros Pedro Coelho e Carlos Santos, tendo em conta o comportamento de ambos no encontro com o Benfica, para a Taça de Portugal, e do último na partida F.C. Porto Ferpinta- CAB Madeira, a contar para a Liga Portuguesa de Basquetebol;

2 – A F.C. Porto – Basquetebol SAD vai ficar a aguardar, expectante e atentamente, pela posição que o presidente do Conselho de Arbitragem da FPB vai tomar, depois de este ontem, no final do encontro, ter pedido desculpa aos representantes do F.C. Porto e ter reconhecido que, dentro das quatro linhas, os azuis e brancos justificaram a vitória. Será interessante constatar se o Eng.º Rui Valente considerará que foi «um crime» assinalar uma falta a dois segundos do fim ou então, crime ainda maior, fechar os olhos a outra mesmo em cima do apito final;

3 – A F.C. Porto - Basquetebol, SAD não pode deixar de chamar a atenção para aquilo que parece ser uma confusão reinante da FPB no que respeita à organização das competições. Além de a Liga ter permitido que já se tenha realizado o jogo Física–Benfica da última jornada do campeonato, quando ainda estamos a entrar na segunda volta, com evidente prejuízo da verdade desportiva, também o incrível aconteceu antes da Final 8 da Taça de Portugal, quando a equipa do F.C. Porto Ferpinta não pôde treinar de véspera no Pavilhão Municipal Luís Carvalho, no Barreiro, para cumprir a habitual adaptação ao recinto;

4 – A F.C. Porto - Basquetebol, SAD constata que os jogos da Liga Portuguesa de Basquetebol não foram alvo de qualquer transmissão televisiva após a realização do Benfica-Ovarense, jogo que motivou troca de “galhardetes” entre a FPB e o Benfica. Face ao contrato existente entre a FPB e Sporttv para a emissão de jogos da respectiva Liga, o F.C. Porto vai exigir da FPB a divulgação das razões da não transmissão de qualquer encontro, após o que se realizou no Pavilhão da Luz.
Esta situação, naturalmente, acarreta graves prejuízos para a modalidade, impedindo os clubes de dar o devido retorno aos seus sponsors e patrocinadores.

5 – A F.C. Porto – Basquetebol, SAD decidiu ainda não participar no próximo «Dia das Estrelas», enquanto a FPB não garantir um seguro de acidentes pessoais e de trabalho para os seus atletas, registando não ter sido ainda ressarcida dos prejuízos materiais resultantes das lesões que os atletas Paulo Cunha e Nuno Marçal contraíram ao serviço do País. Isto para não falar ainda dos evidentes prejuízos desportivos que a situação acarreta ao F.C. Porto e aos próprios atletas;

6 – Perante os factos atrás descritos, A F.C. Porto – Basquetebol, SAD vai aguardar a posição oficial da Federação Portuguesa de Basquetebol, de modo a definir futuras atitudes e posições.

Porto, 23 de Janeiro de 2009

A Administração da F.C. Porto – Basquetebol, SAD

Anónimo disse...

Que hipocrisia?!