AGORA ESTOU AQUI

sexta-feira, janeiro 30, 2009

«NÃO CALEM O JN!»

Quase 2000 assinaturas e sempre a crescer
Ver:
http://www.petitiononline.com/pelojn/petition.html

18 comentários:

Anónimo disse...

Ainda bem que os proprietários do JN são do Norte, porque se eles fossem do Sul, imagina-se o que já se teria lido aqui.

Anónimo disse...

Por mim ja tinha fechado

Anónimo disse...

Até que enfim algo importante para o GRANDE PORTO e NORTE.

Anónimo disse...

Mirante a norte disse...

Pois, o JN e tal...mas onde têm estado os jornalistas ao longo destes últimos anos em que os jornais se transformaram em meros veiculos de propagandas estranhas, de interesses políticos, económicos, sociais, desportivos, etc, em detrimento da notícia da verdade e do direito?...Só agora com o despedimento à vista percebem que o descrédito em que a imprensa caiu é uma rampa de declive acentuado?...Só agora desconfiam que são o elo mais fraco e que sem irem à luta contribuiram decisivamente para se transformar no elo mais fraco?...Pois...se calhar é tarde para encontrar apoio no bairrismo dos portuenses e dos nortenhos vergados dia a dia pela desmoralização que tem vindo a ser levada a cabo com o silêncio, quando não a complacência de uma imprensa que há muito deixou de se bater galhardamente pelos valores dos seus cidadãos, daqueles que lhe compravam os jornais e que paulatinamente têm deixado de o fazer...

Captomente disse...

Não assino e não tenho pena nenhuma dos ditos "jornalismos" invertebrados que quebraram e continuam a quebrar perante o "patrão". Quando despediram os do Primeiro de Janeiro, se os ditos "jornalistas" tivessem (todos) unido e combatido tal medida, talvez a história de hoje fosse diferente... Só me recordo de uns dias de protesto à porta do jornal e eram apenas os que iam ser despedidos. Não choraram/lutaram na altura, agora levam na mesma moeda. E é bem feito.

Cumps.

dragao vila pouca disse...

Apito Final - Tribunal Constitucional considera escutas telefónicas ilegais
O Tribunal Constitucional (TC) rejeitou o recurso do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e considerou definitivamente ilegal a utilização das escutas telefónicas do Apito Dourado no âmbito do processo de corrupção desportiva Apito Final.

Asa Negra disse...

Cada um tem aquilo que merece. O JN desde algum tempo a esta parte é um jornal manipulador de opiniões e ligado a interesses muito pouco claros.
Fizeram a cama agora deitem-se nela. Alguns dos jornalistas despedidos também ajudaram a afundar este icone dos média nortenhos. Tenho pena de não ter pena.

Roger Gomes disse...

É para o lado que o Quim Azeiteiro dorme melhor...

Anónimo disse...

Lá está ele com as meias verdades. Ninguém quer calar o jn sem ser os seus donos.

Defesa disse...

Nem o DN: http://www.petitiononline.com/defesadn/petition.html

Antas disse...

O que faz o JN por Portugal?
Acabem mas é com ele!

Jamais assinaria uma petição de ajuda ao Oliveirinha e Pinto da Costa.

Anónimo disse...

Eu assino para em vez de 120 serem 250.

J. S. Maia disse...

Está reflectido nos comentários anteriores o que o pessoal pensa do despedimento dos jornalistas. Mas isso revela também a cama que os jornalistas foram fazendo ao longo dos anos. Merecem deitar-se nela.

marcolioni disse...

Escrevi há dias acerca da petição online do Diário de Noticias, que curiosamente, é do mesmo grupo empresarial:
"Tanta "imparcialidade" avençada nos jornais de hoje até mete dó. Ninguém pode escolher a sua morte, mas a vida cada um pode escolher fazer como quiser. Tal e qual que é mais fácil andar ao lado de um poderoso sem lhe fazer frente porque assim, o tacho é sempre a dividir. Esquecem-se muitos que o tacho também tem um fim e um fundo. Na minha opinião, eu não iria mais longe e dizer como alguém uma vez disse que "o mais lindo na frente da morte procurada, é a expressão de desespero de quem a procurou e que no fim não a queria". Cada um sabe as linhas com que se anda a coser. Cada um tem o que merece e deita-se na cama que faz."

Anónimo disse...

o que gostava de ver discutido era a verdadeira questão... salvar um jornal que andou durante anos a desperdiçar milhares e milhares de euros nos ordenados de directores e chefes incompetentes e medíocres? que só fazem os fretes ao patronato? estamos a brincar ou quê?!!! salvem o jn e dn e jogo e por aí fora e verão o que acontece: mantem se os merdas à tona e serão lixados os desgraçados do recibo verde...

J. Lemos

gertrud disse...

E porém ele é o melhor. Afinal, está no topo e há-de ser muito difícil, diria mesmo impossível, calar a voz independente, apear um ídolo assim.

ÁGUIA de Aguiar (Vila Pouca) disse...

DROGANADO de Vila Pouca

Escutas, teimosias e corrupções











Semana sim, semana não, um dos jornais ou televisões ao serviço do FC Porto/Pinto da Costa volta à carga com as escutas telefónicas em processos da justiça desportiva. Não para desmentir os seus conteúdos, a gravidade do que é dito ou a sua veracidade, mas para questionar a sua utilização, sempre com base em formalismos legais inaplicáveis ou inexistentes. E para daí partir para a enésima garantia de que as punições ao sr. Pinto da Costa e ao FC Porto (2 anos de suspensão por corrupção de árbitros na forma tentada e perda de 6 pontos na classificação) vão ser anuladas, tudo em grandes parangonas e sem qualquer pudor ou receio de se verem desmentidos.

Hoje mesmo, último sábado de Janeiro de 2009, o vetusto ‘Jornal de Notícias’ enchia a sua manchete com títulos garrafais dizendo ‘Escutas telefónicas fora do Apito Final’, ‘Constitucional confirma ilegalidade do uso de escutas na justiça desportiva’, ‘Decisão põe em causa castigos a Pinto da Costa, FC Porto e Boavista’. Que se passara? Que teria levado o Tribunal Constitucional (TC) a mudar de opinião? Pois bem, não se passara nada. Mas a partir de um primeiro telegrama da Lusa, bastou ignorarem o segundo, em que tudo era clarificado, para o esforçado pessoal do ‘Jornal de Notícias’ fazer o que, em bom português e salvo o devido respeito, se chama ‘albardar o burro à vontade do dono’.

Em resumo, o TC decidira na véspera ‘não apreciar o recurso interposto pelo Conselho de Justiça da FPF, que lhe tinha pedido para se pronunciar sobre a utilização de escutas telefónicas em processos disciplinares. Isto porque, no processo de punição do presidente da União de Leiria, João Bartolomeu, este recorrera para o Supremo Tribunal Administrativo (STA), pedindo a devolução dos textos das suas escutas, no que se chama uma intimação objectiva, uma habilidade processual restrita e sem consequências sobre outros processos. Muito menos em processos transitados em julgado, já apreciados e julgados em recurso pelo Conselho de Justiça da FPF.

Portanto, estamos perante a transformação de um ‘não acontecimento’ (a decisão do TC de não apreciar o recurso da do CJ da FPF atrás referido) num acontecimento. Ainda não foi desta vez que as escutas (praticamente a única forma de combater a corrupção) foram anuladas ou proibidas. Uma coisa estranha de defender, mas que, pelos vistos, tem os seus fiéis defensores...

Autor: RUI CARTAXANA
Data: Sábado, 31 Janeiro de 2009 - 17:57


P.S. - A gentinha lorpa da minha terra é tal como tu, carneirada andrade!

@LF disse...

Semana sim, semana não, um dos jornais ou televisões ao serviço do FC Porto/Pinto da Costa volta à carga com as escutas telefónicas em processos da justiça desportiva. Não para desmentir os seus conteúdos, a gravidade do que é dito ou a sua veracidade, mas para questionar a sua utilização, sempre com base em formalismos legais inaplicáveis ou inexistentes. E para daí partir para a enésima garantia de que as punições ao sr. Pinto da Costa e ao FC Porto (2 anos de suspensão por corrupção de árbitros na forma tentada e perda de 6 pontos na classificação) vão ser anuladas, tudo em grandes parangonas e sem qualquer pudor ou receio de se verem desmentidos.