AGORA ESTOU AQUI

quinta-feira, outubro 16, 2008

VERGONHA NACIONAL


Depois de se ter contentado com um nulo na Suécia - quando teve toda a segunda parte para ir à procura da vitória -, a Selecção Nacional conseguiu fazer ainda pior: empatou em casa com a Albânia! Parece mentira mas, infelizmente, é mesmo verdade. E se da vergonha já ninguém escapa, pois toda a Europa (e não só) vai comentar este ridículo e histórico resultado, mais grave é constatar que, agora sim, a qualificação para a fase final do Campeonato do Mundo de 2010 está seriamente em causa.É difícil dizer o que correu mal em Braga, pois não me recordo de nada que tenha sido positivo. E os erros, cedo se percebeu, começaram antes da bola rolar. É que se fazia sentido Queiroz abdicar de Fernando Meira, em relação ao onze de Estocolmo, para lançar Danny, jamais entenderei a inclusão de três médios de características semelhantes. Raul Meireles, João Moutinho e Manuel Fernandes juntos, de início, para quê? E a aposta repetida em Hugo Almeida, em detrimento de Nuno Gomes, também não convence. Para além do avançado encarnado atrevessar um período mais convincente, é difícil admitir que o dianteiro do Werder Bremen seja mais útil à equipa. O jogador do Benfica é mais experiente, tem outra mobilidade, combina melhor com os médios e alas, é... melhor! Os poucos minutos em campo foram elucidativos. Com os suecos, com a tal conversa do duelo físico, ainda entendi a opção, mas agora não. Contudo, se calhar, a questão nem deve ser colocada assim mas de outra maneira: Portugal não devia jogar sempre com dois pontas de lança quando, diante dos seus adeptos, apanha gente como os albaneses?Queiroz podia, depois, ter sido mais lesto e atrevido nas substituições. Esperou, mandou os reservas aquecer, hesitou, voltou a trocar as peças, mas foi sempre demasiado conservador, visto só ter recorrido ao segundo ponta de lança na derradeira mexida. Não compreendo! Uma equipa que se quer capaz de lutar pelos títulos "a sério" não pode ter receio de nada. E muito menos de uma Albânia que jogou quase uma hora em inferioridade numérica.Mas, independentemente das opções tácticas, há que dizer que os jogadores, aqueles que decidem as partidas dentro do campo, também têm culpas. Muitas! Há para ali muita gente fora de forma, a jogar mal e, pior que isso, a exibir tiques de vedetismo que, claro está, nunca ajudam às vitórias. Pelo contrário... propiciam os desaires. Ser bom é importante, mas fulcral é mostrá-lo sempre. Nos grandes jogos e contra... as Albânias. Palpita-me que alguns "artistas" vão passar mal quando os ausentes desta dupla jornada estiverem de regresso.Como se o resultado e a exibição não fossem suficientes, pelo meio, via televisão, ainda vimos o presidente federativo a abandonar as bancadas a cerca de 10 minutos do final (oficialmente foi à casa da banho); o capitão de equipa a reagir mal aos assobios do público aquando de um passe perdido e o seleccionador, desesperado, a não conseguir manter uma postura serena no banco. Ele que falhou o "flash interview" porque, oficialmente, se perdeu nos corredores do estádio. Em suma, foi tudo uma vergonha!
PS - Como não poderia deixar de ser, os saudosistas de Scolari estão nas suas "sete quintas". Até parece que torcem para que Portugal não ganhe. Penso que não se devem misturar as coisas, pois independemente do nome do responsável... importante é a Selecção vencer. E já agora, recorde-se que com o técnico anterior não foram só rosas e brilharetes, também tivemos más exibições e resultados cinzentos. E se a memória não me atraiçoa, após 17 embates de preparação, a estreia "a doer" do "Sargentão" foi com um desaire, no Dragão, perante a Grécia (1-2) no arranque do Euro'2004...

LUÍS AVELÃS também em http://www.record.pt/

16 comentários:

PB disse...

Boa Tarde carissimos

venho apresentar-vos um blog recente (foi criado na 5a feira passada), que espero poder tornar interessante.

Já vos adicionei na minha lista de blogs.

Agradeço que possam visualiza-lo para verificarem por vós próprios

www.lateral-esquerdo.blogspot.com

PS - se vos parecer que poderá ser interessante, agradeço "ajuda" na sua divulgação.

obrigado

Anónimo disse...

O Luís Avelãs é que está nas suas sete quintas: Diz uma coisa num parágrafo para se contradizer no seguinte.
"Chova" para que lado "chover", pela contradição entre as críticas a Queiróz no texto principal e na ressalva que faz no "post scriptum" à era Scolari, vai ter sempre "razão". Dê para onde der, vai ter sempre razão.É mais uma personalidade a vogar nas águas mansas à custa das "análises" meias tintas.
Daí, por essa capacidade inata de se moldarem ao sabor dos ventos, é que, também, a crítica e análises desportivas se mantêm imutáveis e empedernidas no "sempre a mesma merda" de há muitos anos.

Assim como na selecção, a começar pelo presidente da Federação e seus vices (que estão à espreita para o assalto ao poder), também no jornalismo de opinião desportiva era preciso sangue novo e colunas vertebrais menos gelatinosas.
Independentemente das opções que defendam, é preciso verticalidade, clareza e consequência nas opções sem medos de ir contra a corrente.
E a prova está em que, muito do lixo unanimemente reconhecido no grande edifício do futebol português, foi criado e alimentado pelo grosso da imprensa do ramo.

Não me venham dizer que não.


LAM

Anónimo disse...

Ganda Queirós, pá!!! A jogar em casa contra uma equipa sem cotação e sem ataque durante 90 minutos e com menos um jogador durante uma hora, só aos 75 minutos tirou um dos 4 defesas...Assim se vêm os grandes treinadores, os estrategas tácticos de grande visão...Ganda Queirós, pá!!! Tu é que sabes da poda, pá!!!

L. disse...

O da fotografia já mete nojo...cada vez está mais pedante, ainda por cima quando não está a jogar um corno. São os tiques de vedeta a atacar, até já se permite mandar vir com o público...Como está diferente do rapaz humilde, inteligente e simpático dos primeiros tempos...está feito mais um ídolo de pés de barro. Um banho de assento é que lhe fazia bem...

Anónimo disse...

O Carlos Queiroz nunca me convenceu conmo treinador.Ganhou 2 campeonatos do mundo -20, como uma selecção formada por adolescentes.O pior foi quando dirigiu a equipa do Sporting já com homens feitos.Aí, a coisa "chiou mais fino" e só foi capaz de ganhar uma Taça, com um lote de jogadores que foi de certeza, o melhor que o clube teve nos últimos 30 anos.E também esteve na derrota vergonhosa dos 3-6 com o Benfica, onde fez substituições incriveis, a começar pela do Paulo Torres.

Anónimo disse...

Passa-se em todo o lado. Nas empresas, na escola, na politica e no jornalismo.
Não se entende as coisas à primeira.
Não se entende as coisas à segunda.
E assim sucessivamente.
Pois mas quem paga esta tolerância e im competência´são todos os portugueses. Se os Queirosianos estivessen numa empresa e produzissem estes resultados eram logo despedidos.
Mas aqui vai ser despedido mais cedo ou mais tarde e leva 4 anos de salários, porque dizem os queirosianos ( nova espécie que por aí foi criada)os contratos são para se cumprir.

John Lito disse...

QUEIROZ É UM FLOP!!!

ASSIM COMO MUITOS JOGADORES K FORAM CAMPEÕES DO MUNDO COM ELE!!!

PSousa*Bancada Directa* disse...

Caro amigo, esse Avelãs, também ainda não devia ter ido a casa de banho como o senhor Madail, pois, um jornalista quando escreve e ainda diz "se a memória me atraiçoa", trabalhando num desportivo com fácil acesso ao filme todo, só pode ter mesmo a cabeça ligada ao intestino.E também devia saber, que já vamos quase a meio dum apuramento e em 4 jogos levamos 4 pontos em 12, e numa situação que antes vivemos pouco....pelo menos fomos apurados na ultima década para todas as competições.

A tactica começa...tivemos azar, falta de sorte, jogamos bem e moralmente dá força, etc...deixem-se disso.

Os que ganham é sorte, os que perdem é azar...:")

De resto o resto que escreveu, na generalidade, está muito bem.

Passe pelo meu blogue, que sempre tem mais umas luzes.

Abraço

PSousa*Bancada Directa* disse...

Disse 4 pontos e são 5....Perdão que também tenho de ir a casa de banho...

Luís Avelãs disse...

Alguns esclarecimentos para o psousa*bancada directa*

- Não escrevi "se a memória me atraiçoa" mas sim "se a memória não me atraiçoa".

- Tenho, de facto, acesso a "muitos filmes". E imagine que quando escrevi o texto sabia com exactidão que Scolari fez mesmo 17 jogos de preparação antes do Europeu. Pode verificar. Era só uma pequena ironia...

- Na última década não fomos apurados para todas as competições. Participámos em todas, mas em 2004 não tivemos de nos qualificar.

- Posso garantir-lhe que fazendo muita merda não tenho a cabeça ligada ao intestino. Nem vice-versa.

PS - Aceitei o convite e fui ao seu blog. Tem de facto muitas luzes, mas gostei mais da música.

Cumprimentos

PSousa*Bancada Directa* disse...

Caro Avelãs,

participar na fase final é preciso ser apurado, por isso uns vão outros não, e uma fase final, não é o mesmo da fase de apuramento [sendo que essa também é uma participação], por isso, quem não vai a uma fase final de um Europeu ou Mundial, não está presente nas competições, passou ao lado da mesma. Ou vai dizer-me que os clubes que participam na pré da Liga dos Campeões, estiveram presentes na fase final dessa competição?!Não vamos por aí.

E a troca de palavras na frase, não muda o contexto, mas isso foi um "pormenor" do texto, que fica descontextualizada, num jornalista.

Eu percebi a ironia de querer descrever a realidade com termos aparentemente valorizantes, mas com a finalidade de desvalorizar, que não fica bem neste momento, pois meter mais uma vez abaixo [por isso a sarcasmo] o Sr. Scolari e defender o sr. Queiroz, que não tem paralelo a todos níveis até ao momento, nem nesse jogo que perdeu, quer nível motivacional dos jogadores, do publico, e mesmo tacticamente está ainda a perder [sendo Scolari limitado também], mas pode ser que com o tempo, essa se possa desvanecer.

Depois, peço desculpa se fui inconveniente e mal-educado nas minhas palavras, pois também foi só uma ironia, no contexto, como deve ter percebido, e se calhar também não foi feliz para pessoas civilizadas e penso minimamente inteligentes, que trocam diferença de opinião...por isso, desculpe sem ironias.

E devo dizer-lhe que se o critiquei neste texto, já o elogiei em outros [pois também o posso ser], que lei-o no Record ou aqui, com prazer, pois se desfolhar as 'luzes' do meu blogue, verá que tem referências e transcritos das suas mensagens no mesmo, que na maioria aplaudo.

E Obrigada por gostar da musica no meu blogue, pois é sinal temos algumas coisas em comum.

Abraço

PS* Mais uma vez, desculpas.

PSousa*Bancada Directa* disse...

PS* Ao Sr. Avelãs, posso dizer que as minhas "luzes", são práticas da modalidade durante anos no terreno e no balneário, que onde aliás continuo a estar, e teóricas com curso EUFA actuais, só para registo.

Receba um Abraço

Anónimo disse...

Scolari, teve UM ANO (ou mAIS )SEM JOGOS OFICIAIS para preparar a equipa!!!!
Beneficiou ainda de apanhar partes do trabalho de Queiros (Figo,F.Couto,Rui Costa) e sobretudo daquela base valiosissima que era o FCP, CAMPEÃO EUROPEU.
Sem DECO,Maniche , Cristiano Ronaldo fora de forma, sem um ponta de lança de categoria internacional e sem um guarda redes de grande categoria, querem o quê assim de imediato???!!!

Anónimo disse...

esualdo defende Queiroz: «Não há magia, é preciso tempo»

Jesualdo Ferreira, treinador do F.C. Porto, já trabalhou nas selecções nacionais e, nesta sexta-feira, fez questão de enumerar as dificuldades inerentes ao cargo. Reagindo à chuva de críticas em torno da selecção principal, após o empate caseiro frente à Albânia, o técnico portista pediu tempo para Carlos Queiroz. «É preciso tempo», avisa.

«Muita gente devia estar calada porque não conhece essa questão. Sempre defendi Scolari, mas também toda a gente sabe que o senhor Scolari teve a sorte de chegar numa altura em que não havia nenhuma qualificação para decidir. Teve tempo para preparar a equipa sem qualificação. O senhor Carlos Queiroz teve um jogo de preparação e depois entrou logo na qualificação», começa por recordar.

O treinador dos dragões prosseguiu o raciocínio, sem interrupções. «Não há treinadores que consigam formar uma equipa, em dois ou três dias. Não há magia, nada que permita pôr aquela gente toda a jogar bem, com um estalar de dedos. É preciso tempo. Ser seleccionador nacional, de qualquer forma, é capaz de ser um bom emprego, mas não acho que Carlos Queiroz esteja aqui nessa perspectiva. Parece que não queremos ir ao Campeonato do Mundo. A comunicação social quer ir mas está a bater desde a primeira hora. Quando se chega à indignidade como já se viu em alguns aspectos, estamos em desacordo», atira.

«Estou aqui a manifestar o meu apoio a Carlos Queiroz. Lembram-se da equipa que esteve na final do Euro2004? Vejam essa equipa e comparem-na com a actual. A actual é uma equipa em construção. A média de idades é mais baixa. Há dois anos houve um Europeu de sub-21 em Braga. Portugal foi eliminado e o seleccionador foi desancado, por ter um meio-campo com Meireles, Manuel Fernandes e Moutinho, precisamente o mesmo deste jogo. Organizar uma equipa é difícil. Ou as pessoas percebem a dificuldade da missão e apoiam, ou então não apoiam mas sejam dignos na análise. Acredito que Portugal se vai qualificar», conclui Jesualdo Ferreira.
-----------------------------

É um senhor este mister.
Grande Mestre.

Anónimo disse...

1- Frente a uma selecção que em casa é sempre muito forte, o empate foi satisfatório...e justo.
2- O pénalty existe mas não foi por aí que não vencemos
3- Portugal tem três dos melhores centrais do mundo e os dois que jogarem dão sempre garantias
4- Mas não tem um avançado de valor mundial
5- Raul Meireles e João Moutinho são jogadores de selecção
6- Mas Deco fez, mais uma vez, imensa falta
7- Nota-se que as novelas deste defeso fizeram mal a Cristiano Ronaldo e Ricardo Quaresma
8- Dois cartões amarelos para dois jogadores do Inter
9- Com Carlos Queiroz não existem afilhados e isso começa a enervar muitos fundamentalistas da segunda circular
10- Ontem, o actual seleccionador enganou muitos portugueses que esperavam um outro onze. Scolari nunca enganou ninguém. Os escolhidos éram sempre os mesmos.
11- Como disse Pepe, o candidato mais forte do grupo continua a ser Portugal

Em relação á falta de coragem..

Está na moda. Sempre que não vencermos um jogo os fundamentalistas vão dizer que o actual seleccionador não foi corajoso. Já Scolari teve sempre muita coragem. Alguns exemplos:
Empates
30/04/03 Holanda (Fora), 1-1
06/06/03 Paraguai (Casa), 0-0
15/11/03 Grécia (Casa), 1-1
18/02/04 Inglaterra (Casa), 1-1
28/04/04 Suécia (Casa), 2-2
24/07/04 Inglaterra (Casa), 2-2
09/10/04 Liechtenstein (Fora), 2-2
30/03/05 Eslováquia (Fora), 1-1
07/09/05 Rússia (Fora), 0-0
15/11/05 Irlanda Norte (Fora), 1-1
01/07/06 Inglaterra (Neutro), 0-0
06/09/06 Finlândia (Fora), 1-1
28/03/07 Sérvia (Fora), 1-1
05/06/07 Kuwait (Fora), 1-1
22/08/07 Arménia (Fora), 1-1
08/09/07 Polónia (Casa), 2-2
12/09/07 Sérvia (Casa), 1-1
21/11/07 Finlândia (Casa), 0-0
Derrotas
12/02/03 Itália (Fora), 0-1
06/09/03 Espanha (Casa), 0-3
31/03/04 Itália (Casa), 1-2
12/06/04 Grécia (Casa), 1-2
09/02/05 Rep. Irlanda (Fora), 0-1
04/07/04 Grécia (Casa), 0-1
05/07/06 França (Neutro), 0-1
08/07/06 Alemanha (Neutro), 1-3
01/09/06 Dinamarca (Fora), 2-4
11/10/06 Polónia (Fora), 1-2
26/03/08 Grécia (Fora), 1-2

Anónimo disse...

Teoria da desinspiração
JORGE MAIA

Toda a gente tem uma teoria sobre a Selecção Nacional. Sim, eu também tenho uma. Não é melhor nem pior do que as outras, mas é a minha e eu gosto dela por isso. Ao contrário do que diz a corrente mais populista, não me parece que o problema com a Selecção seja a falta que Scolari faz ao futebol português. O problema com a Selecção é a falta que José Mourinho faz ao futebol português. Eu explico. Tal como Jesualdo Ferreira sublinhou ontem, Scolari chegou à Selecção sem a pressão de fazer um apuramento, mas, mais do que isso, sem a pressão de ter de fazer uma equipa. E não a fez. Já estava feita, por José Mourinho, no FC Porto que venceu a Taça dos Campeões Europeus com sete jogadores portugueses que Scolari, mesmo assim, manteve à distância até esgotar a margem de erro no seu primeiro jogo oficial: a derrota com a Grécia no jogo de abertura do Euro'04. Ora, essa base de trabalho construída por Mourinho foi sustentando o resto da Selecção e durou até ao Mundial de 2006. Depois esgotou-se e ninguém tratou de a repor. E assim, temos Queiroz a começar do zero, sem Mourinho que lhe valha nas aflições.
In "OJOGO"