AGORA ESTOU AQUI

segunda-feira, outubro 27, 2008

O SPORTING QUE EU VI


O Sporting que eu vi, domingo, na Mata Real foi uma equipa na qual...
...João Moutinho foi um vidrinho de cheiro, tendo de ser assistido duas vezes fora das quatro linhas (assim se consumindo preciosos segundos de tempo de jogo) por coisas pequenas.
...Postiga revelou velocidade terminal mas esteve longe de ter com Liedson um mínimo de empatia
...um Liedson frenético mas emparedado por duas torres e sem apoio directo
...um Romagnoli "prensado" no espaço curto e na pressão de Paulo Sousa e de Filipe Anunciação, sem conseguir assumir o jogo ofensivo da sua equipa e com evidente défice atlético
...Rochemback finalmente no seu elemento, jogando num círculo fechado, sem ousar no passe mas a antecipar bem os momentos defensivos
...um Abel a dar profundidade a um flanco apertado (a Mata Real tem menos dois metros de largura que um relvado standard) e um Grimi apenas vulgar e a não arriscar ganhar a linha
...dois centrais sintonizados, com Tonel desta vez mais interventivo (até com algum excesso)
...um Rui Patrício que fez uma grande defesa mas que voltou a revelar insegurança
...um Derlei de dentes cerrados que não se percebe muito bem como ficou tanto tempo sentado no banco
PS - A imagem que ilustra esta "posta" diz tudo quanto às dificuldades que as equipas grandes encontram na Mata Real, onde o Benfica passou à rasquinha e o Sporting já deixou 2 pontos...

3 comentários:

Paulo Silva disse...

Isto talvez substituísse os "dois parágrafos de dados brutos", mas, contudo, tirava a piada toda à crónica. Quanto ao "positivo", só vem dar razão aos meus pedidos para serem servidas as bifanas, que... nunca chegaram. Bela crónica, Lucky Luke.
Abraço

carlos disse...

Rui Patricio inseguro?

tão sempre a cascar no rapaz. eu vi o jogo e não o achei nada inseguro. antes pelo contrário...

Anónimo disse...

Só não concordo num dos aspectos. Patrício inseguro? E não fez uma defesa? Por acaso até fez, e bem difícil, quase no fim, na sequência de um cabeceamento de um jogador do Paços e com outro quase em cima dele,desviando a bola, que ia entrar, para canto! E por acaso já revela muito mais segurança, algo que até é constatado por outros jornalistas, como o que deu as notas aos jogadores no Record. Deixemos o rapaz crescer, que está ali um grande guarda-redes em formação! Ninguém nasce ensinado...