AGORA ESTOU AQUI

sábado, setembro 06, 2008

É Malta porreira, pá!



Portugal entrou com o pé direito na fase de qualificação para o Mundial-2010. Goleada sobre Malta, uma selecção que deu menos trabalho do que se supunha e que na segunda parte se arrastou no relvado. Tópicos estimulantes na formação das quinas, para além dos quatro golos: os movimentos harmoniosos de Deco no meio-campo, a titularidade de Hugo Almeida (ele que é um dos avançados de referência no Werder Bremen) e o incansável vaivém de Bosingwa pelo lado direito.

Do que pude ver, e não assisti ao jogo todo, Portugal fez o que lhe competia com competência. Surpresas da noite: A derrota por 3-1 da França sobre a Áustria (Linz não saiu do banco) e a vitória da Lituânia de José Couceiro em Cluj, frente à Roménia. A reabilitação de Couceiro está em marcha, bem longe daqui.

4 comentários:

uguinho disse...

Eu acho
piada às meninas
espantadas de tanta
euforia, mas
gosto é da moça que
viva o umbigo.

Cos outros
fulanos não posso,
culpados de não haver liga,
que é que é futebol,
não fífias, e mais já
não tá lá o tal de
sagento, que é um cabrãozito.

J. disse...

Aquele podão do Carlos Martins a jogar e jogadores como o João Moutinho, o Danny ou o Maniche no banco, só mesmo dum treinador zarolho...e o mesmo do Antunes, um jogador mais do que mediano. Quero ver é quando fôr com adversários a sério...

Dragon Ball disse...

Na 1ª parte não houve competência nenhuma se atentarmos à qualidade ou falta dela do adversário. Muita atrapalhação, muito individualismo de alguns jogadores, muito poucas jogadas com princípio, meio e fim, foi preciso um auto-golo para nos pôr a ganhar. Valeu que os toscos malteses estoiraram na 2ª parte.Um Carlos Martins que não tem categoria para aquelas andanças, um Antunes idem aspas, um Simão que continua a não convencer na selecção, há muito a melhorar no futuro, que os próximos não são Maltas nem Ilhas Faroés...e podia-se começar já pela insuportável arrogância do Sr. Queirós...

simon disse...

Eh, tamém digo, os mais são uns impecilhos, que me tiram à mais beleza incontroversa e vária de cada jornada da liga.

Pois não há futebol a sério fora do campeonato, salvo ao fim alguma taça e de quatro em quatro anos lá uma semana de europeu ou do mundo, mesmo sem lá ver os nossos trastes.

Que assim me ficou, também a mim, da odisseia junta com esse canastrão do scolari, o capcioso, rais o parta. E veremos se a nova banda ainda me reconquista, coisa difícil em quem me rouba, semana após semana, o melhor do mundo, com o Benfica a ferver de raiva, entrementes, se possível, só pa me rir do Bieira. Deus ma livre.