AGORA ESTOU AQUI

sexta-feira, setembro 19, 2008

E SE HOUVESSE APOIO TECNOLÓGICO?

Em Basileia o jogo do Vitoria Sport Club de Guimarães, foi arbitrado pelo Holandês Pieter Vink
Este árbitro, que era polícia de profissão, trocou a sua actividade por árbitro profissional ou seja juntamente com os seus assistentes dedica-se inteiramente ao futebol e à arbitragem.
Exactamente o que Victor Pereira presidente dos árbitros que aplicar em Portugal.
O futebol na Europa e em Portugal tem progredido para os clubes empresas.
O Guimarães foi afastado de uma competição, por decisões erradas de duas equipas de arbitragem.
Em Portugal, não foram assinaladas duas grandes penalidades e na Suiça nos últimos minutos foi anulado um golo que permitia arrecadar receitas equivalentes ao seu orçamento anual.
O que vai acontecer a este árbitro assistente e ao seu chefe de equipa nos próximos tempos e nas provas mais importantes da UEFA?
Tendo em consideração o assumir do erro por parte de Platini e dos graves prejuízos financeiros de um clube, que também ele precisa de receitas para gerir a sua actividade, não seria preferível o futebol permitir o apoio tecnológico sempre que as equipas de arbitragem necessitarem, tal como acontece em outras modalidades, também elas muito rentáveis quer em termos de publicidade, ordenados e investimentos e que não hesitam em os utilizar com sucesso há já diversos anos.
Terminar com as desculpas sistemáticas, dos defensores do futebol tal como está, será certamente o primeiro passo, pois não é fácil convencer alterações quando algumas federações e clubes Europeus dizem; que será tempo em demasia que o jogo vai parar; que o futebol vive do erro e que os campeonatos de divisões inferiores não tem possibilidade nem condições de verem uma universalidade das Leis do Jogo serem aplicadas.

8 comentários:

Anónimo disse...

"os campeonatos de divisões inferiores não tem possibilidade nem condições de verem uma universalidade das Leis do Jogo serem aplicadas".

Pois mas esse argumento dos senhores da UEFA não cola.
Basta ver que no nosso campeonato nacional de rugby não existe o recurso às câmaras e no entanto ele joga-se com as mesmissimas regras que joga a Nova Zelândia, França ou Inglaterra.

Quanto ao resto concordo com tudo.
Só um reparo. Não sei quem é "o Guimarães".
Se se refere ao Vitória Sport Club tudo bem.
O Guimarães só conheço o do Calçado...

Anónimo disse...

Sr. José Leirós,

Acha que os meandros do futebol em Portugal, alguma vez, iriam permitir uma situação dessas???

Se algum dia se introduzir a tecnologia, o futebol em Portugal acaba, meu caro!

Se é que me faço entender...

Anónimo disse...

Pergunta-se no texto o que vai acontecer ao árbitro assistente e ao chefe da equipa.

O chefe arbitrou mais um jogo da Uefa o assistente parece que foi encontado.

Pergunto eu, se um jogador é castigado por infrigir as leis do futebol por que é que os árbitros não o são ao interpretarem incorrectamente essas mesmas leis com graves prejuizos para uma das equipas?

Qualquer equipa de arbitragem que cometesse erros grosseiros que influissem no resultado final de um jogo deveria ser imediatamente despromovida.

Porque não se faz isto ? Não convém ?
Aplicassem esta regra tão simpples e estou em crer que deixariamos de ter casos.

Fado Alexandrino disse...

nos últimos minutos foi anulado um golo que permitia arrecadar receitas equivalentes ao seu orçamento anual..

Quem é que lhe garante que no final do jogo haveria um empate?

Deko disse...

O que se deve fazer a um avançado que falha o golo da vitória no último minuto de forma clamorosa ?!

E ao guarda-redes que dá um frango e permite assim a vitória do adversário ?!

Obviamente... Despedi-los com justa causa !!

Que cromo...

Anónimo disse...

Sr. José Leirós se me permite, que me diz ao sugerido pelo anónimo das 9,12.
Cumprimentos.

maiskemaluko disse...

Desculpem mas foram 5 penaltis, 3 pontapes de canto, 2 sandes do chourico e 4 sagres !!!!

Anónimo disse...

José Leirós, caro vizinho.

O outro também disse:

Não acredito que os árbitros sejam desonestos ou injustos, é um desporto com árbitros a menos e terreno a mais”, acrescentou Platini.

Diga-me alguma vez as dimensões do campo o derrotaram...


Para o presidente da UEFA a solução passaria por “um árbitro central, dois assistentes e dois adicionais, com ou sem bandeirinha, que estariam no campo ou nas imediações”, adiantou Platini, defendendo a medida, sobretudo, para jogos com transmissão televisiva.


Estes e outros casos só são eliminados com recurso ao video...Estamos numa fase da história em que o desenvolvimento em tecnologia nunca deixou tão facil a erradicação destes males ... necessários... e que colocaria todos os clubes em igualdade, só que também nunca como hoje os interesses mafiosos estão tão enraizados e perigosos...


Há intencionalidadeste e premeditação...


É CLARO QUE NÃO HAVERÁ NUNCA RECURSO A VIDEOS e outras tecnologias dissipadoras da dúvida e do interesse instalado enquanto a classe tiver que prestar vassalagem aos GRANDES E ENDINHEIRADOS CLUBES...E SEUS REPRESENTANTES TIPO SANGUESSUGAS...

O PODER MAFIOSO É, SALVO RAROS CASOS, INTOCÁVEL.