AGORA ESTOU AQUI

domingo, agosto 24, 2008

VOCÊS SABEM DO QUE ELE 'TÁ A FALAR?


"'Vocês sabem do que estou a falar' é uma frase que me identifica ou com a qual me identificaram. Sugeri-a quando se falou no nome do livro e foi aceite. No fundo, é algo que é real, que é verdadeiro. Afinal de contas, com tudo aquilo que tem vindo a lume sobre algumas situações do futebol português, toda a gente sabia do que eu estava a falar... Apenas por comodidade ou por conveniência ninguém, na altura, tomou qualquer tipo de posição ou quis agarrar naquilo que era dito e analisar, pesquisar, procurar respostas. E em face também do 'Apito Dourado' e de algumas coisas que vieram transcritas na comunicação social, as pessoas acabam por perceber que, efectivamente, nada é novo."

"Nunca fiz mal a ninguém, nem desejo mal a ninguém. Apenas pautei sempre os meus critérios e a minha actuação pelo interesse das instituições que servia, pelo interesse do futebol. Agora, o que penso é que os interesses do futebol têm sido muito mal defendidos. Pessimamente defendidos. Eu não aceito, nunca aceitei, que uma indústria como a do futebol, que gera tanto dinheiro, deixe que as suas empresas estejam em grandes dificuldades. Casos de grandes instituições como o Boavista, que se vê presentemente numa situação extremamente difícil, ou do Farense. Não compreendo como empresas que compram por dez e vendem por mil continuam deficitárias. O futebol em Portugal precisa de uma reviravolta. Eu dou um exemplo, ocorrido há pouco: a Taça da Liga, cujos direitos foram geridos pela Liga de Clubes, viu as suas receitas traduzidas em quase o dobro das da Taça de Portugal. Isto é revelador e deveria alertar os gestores do futebol para uma realidade diferente."

"Há uma série de pessoas que estão marginalizadas no futebol, porque tomaram no passado algumas posições de grande independência. E estão fora. Repare no caso dos treinadores. O Manuel José foi pura e simplesmente afastado do futebol nacional. O Manuel Cajuda regressou há pouco para fazer um excelente trabalho. O Toni está fora. Não pode ser. O que é que isso tem permitido? Que o valor do treinador português esteja valorizado lá fora e fragilizado em Portugal. Porquê? Porque a estrutura em que se apoiam os clubes não depende de si própria, depende de outros interesses, que se conjugam e entrelaçam, que têm a ver, muitas vezes, com a imposição de determinadas regras que são incompatíveis com pessoas que pensam pela sua cabeça."

"O futebol português nunca foi capaz, na sua história, de ser independente em relação à teia de interesses. Fala-se muito nos últimos 30 anos mas sempre foi assim. Todos sabem como se processa a escolha dos dirigentes federativos. Todos sabem tratar-se de um processo viciado. Viciado no sentido de haver interesses que se conjugam, haver acordos, haver procura permanente de lugares em vez da defesa dos interesses do futebol. É público que a grande disputa não acontece pelo cargo de presidente da Federação mas, sim, de presidente da arbitragem. Isto é denunciador de alguma coisa."

"Se há coisa de que tenho saudades é daquele balneário de Alvalade, daquele gente. Já não tenho saudades do FC Porto... Aliás, não conto isto no livro: Pinto da Costa, depois de termos falado, decidido e aceite que a situação no FC Porto era insuportável, convidou-me para me ir despedir dos jogadores ao balneário. "Despedir-me de quem, presidente?", perguntei-lhe. "Dos jogadores", respondeu. Ao que eu lhe retorqui: "Era o que mais faltava. Não vou morrer hoje, com certeza. Aqueles que eu quero encontrar, encontrá-los-ei naturalmente, os outros não me interessam". Eu pergunto onde está a maioria destes jogadores... Depois de eu ter saído, o que foi feito da carreira deles? Estou a lembrar-me, por exemplo de um Soderstrom, que foi internacional sueco comigo; de um Clayton, que era o melhor marcador do FC Porto na Liga dos Campeões; de um miúdo com uma garra tremenda e que hoje está no Boavista com uma vida muito difícil, o Mário Silva; o brasileiro Pena, por onde anda?; ou o Capucho, que terminou a carreira muito mais cedo do que seria de supor?

"Se há coisa de que tenho saudades é daquele balneário de Alvalade, daquele gente. Já não tenho saudades do FC Porto... Aliás, não conto isto no livro: Pinto da Costa, depois de termos falado, decidido e aceite que a situação no FC Porto era insuportável, convidou-me para me ir despedir dos jogadores ao balneário. "Despedir-me de quem, presidente?", perguntei-lhe. "Dos jogadores", respondeu. Ao que eu lhe retorqui: "Era o que mais faltava. Não vou morrer hoje, com certeza. Aqueles que eu quero encontrar, encontrá-los-ei naturalmente, os outros não me interessam". Eu pergunto onde está a maioria destes jogadores... Depois de eu ter saído, o que foi feito da carreira deles? Estou a lembrar-me, por exemplo de um Soderstrom, que foi internacional sueco comigo; de um Clayton, que era o melhor marcador do FC Porto na Liga dos Campeões; de um miúdo com uma garra tremenda e que hoje está no Boavista com uma vida muito difícil, o Mário Silva; o brasileiro Pena, por onde anda?; ou o Capucho, que terminou a carreira muito mais cedo do que seria de supor?"

in EXPRESSO

7 comentários:

Anónimo disse...

O plantel do FCP, gostava de Octavio?!...............

Anónimo disse...

Ele dá a entender que sabia o que se passava no futebol até ao Apito Dourado, mas nunca teve os "tomates" para o denunciar.Quem os teve foi o Dias da Cunha, que chamou "os bois pelo nome" num programa de TV.Isso lhe valeu insultos em tudo quanto era fórum, mesmo certos jornalistas, "caíram" na asneira de lhe pedir provas, como se ele fosse um agente da PJ.

Anónimo disse...

sE ELE NÃO TIVESSE SIDO DEMITIDO, NUNCA O jOSÉ mOURINHO TERIA PODIDO CONSTRUIR A EQUIPA QUE FOI CAMPEÃ EUROPEIA , VENCEU A tAÇA uefa E LANÇOU O SPECIAL ONE PARA O TOPO DO RANKING MUNDIAL DE TREINADORES. vOCÉS SABEM O QUE ESTOU A fALAR

dragao vila pouca disse...

Mesmo correndo o risco de censura aqui vai:
nojento, lavadeira de roupa suja, invejoso, Lacrau, de tanto tentar espetar o ferrão do veneno, um dia, fatalmente, morrerá vítima da própria picadela.
Uma espécie masculina da Carolina Salgado.Um anão que por mais que se ponha em bicos de pés nunca será grande.
Para o caracterizar basta ver o que ele disse do Veiga - entre outras coisas, chamou-lhe Bin Laden - e agora é muito amigo dele.

Dragão Maronês disse...

"Homem pequenino ou é velhaco ou bailarino", diz o povo na sua imensa sabedoria. Ora como todos intuímos, Octávio Machado não sabe dançar. Eu comecei a admirar Octávio Machado desde uma certa quarta-feira à noite, ainda antes do 25 Abril de 1974,num célebre jogo em Setúbal contra o Spartac de Moscovo. Mais tarde fiquei contente quando o F.C.Porto o contratou para a n/equipa. Acabada a sua carreira como jogador, os ecos que me iam chegando da sua actuação como adjunto do treinador principal eram contraditórios, mas admito que fosse um bom imediato. Como muitos bons imediatos, notei com desgosto, que deu um péssimo comandante e a sua contratação como treinador principal do F.C.Porto foi, do meu ponto de vista, um dos piores erros que Pinto da Costa cometeu enquanto presidente.Notou-se e nota-se muito bem que Octávio ficou ressabiado com o despedimento, mas qualquer portista reconhece que o seu despedimento era a única medida que se impunha na altura, fosse quem fosse o seu substituto. Ao substituí-lo pelo Mourinho, então a mudança impunha-se ainda com maior acuidade.
Fique pois, Octavio, com a sua raiva e todo o ressentimento do mundo. que isso pouco nos importará. As vitórias conseguidas após o seu despedimento provam que a atitude tomada foi a melhor. Acha que não foram correctos? Não faz mal! Não fizeram nada que ele não tivesse feito a outros, mas em pior. A vida pública de Octávio está cheia de atitudes feias!
Cuidado Octávio! Não morda a lingua que pode morrer envenenado.
Dedique-se às suas uvas. O futebol passa bem sem si e, alem do mais, o Record, quando precisar de alguém para dizer mal de quem não goste, não deixará de lhe dar o espaço necessário para que possa destlar o seu fel. Lembram-se da campanha miserável que o Record do Cartaxana fez contra o Seleccionador Oliveira
utilizando o Octavio como ponta de lança? Muitos admiradores do Octávio deixaram de sê-lo nessa altura, mesmo que não gostassem do Oliveira como era e continua ser, o meu caso.

Anónimo disse...

Pessoas dessas o Papa come ao pequeno almoço.

Anónimo disse...

O geninho estas bostas mafiosas dos das torres das antas só atacam pela calada com o teu consentimento porquê! Se o palmeirão sabe nem os bombeiros de Matosinhos te safam!
ops ta bem ta...