AGORA ESTOU AQUI

quarta-feira, agosto 13, 2008

O PESADELO CONTINUA

Já aqui há algum tempo dissemos que o Boavista dificilmente conseguiria inscrever-se na Liga dita de Honra. O caso parece mesmo complicado para o clube do Bessa. O Fisco e a Segurança Social recusaram o plano de pagamento proposto e à Liga só resta um caminho caso esta situação se mantenha: anular a inscrição do Boavista. Ou há moralidade ou não pagam todos. Com 105 anos de história, o Boavista não pode viver mais na ilusão de que é possível estar no primeiro plano com a casa toda a arder. O clube precisa de se refundar. Obviamente, há ainda uma luz no fundo do túnel do Bessa, que passa pela possibilidade de o Fisco e da Segurança Social aceitaram um novo plano de pagamento e por garantias que parecem difíceis de encontrar. Pode queixar-se o Boavista, isso sim, do laxismo (para não lhe chamar outra coisa) de alguns directores de finanças que num passado bem recente assinaram de cruz certidões que nunca deviam ter sido passadas... E não estou a falar concretamente do Boavista!
Tome-se nota ainda do seguinte: para o Boavista não seria apenas necessário pagar cerca de 100 mil euros por mês (o que na II Liga seria um milagre) mas também fazer os respectivos descontos mensais dos seus empregados para o fisco e a segurança social, o que pelos vistos não acontece há muito, muito tempo...
PS - Ok, pronto, não queria, mais aí vai: a imagem inclui uma mensagem subliminar.

7 comentários:

A.J.E. disse...

Aqui é o próprio moribundo que quer prolongar a agonia, mas será que há alguém sensato que não veja que o Boavista não tem hipótese nenhuma de cumprir seja o que fôr?...Continua-se a brincar em Portugal aos clubes profissionais que vivem muito acima das suas possibilidades durante anos e anos e não cumprem as suas responsabilidades mínimas, num plano até de evidente desigualdade com os poucos clubes que têm uma gestão séria e que pagam a quem devem. Mas como em Portugal o que está a dar cada vez mais é a vigarice e a protecção de quem vive à margem das regras, se calhar a farsa vai continuar...

Anónimo disse...

Do ex-namorado
Carolina queixa-se de agressão

A GNR foi chamada hoje a intervir e fez buscas na Estalagem D.ª Leonor, em Fronteira (distrito de Portalegre), após uma denúncia de agressão feita por Carolina Salgado contra o e ex-namorado, proprietário daquele complexo turístico


Após várias desavenças entre os dois, Carolina Salgado, que se recusou a abandonar a estalagem, ficou instalada num dos apartamentos, enquanto a mãe, que chegara na véspera, se alojara noutro quarto com os dois filhos da autora do livro Eu Carolina. Hoje de manhã, e após uma das empregadas do complexo turístico ter desvendado a Francisco Rolo um pedido que Carolina lhe terá feito, o proprietário expulsa-a.

Contactada pelo SOL, a funcionária garante que a hóspede lhe pedira em tempos «se eu arranjava uma bola de cocaína». Após a confidência, Rolo confronta a ex-namorada e depois de grande discussão coloca-a na rua.

Carolina Salgado contactou então os elementos do corpo de segurança da PSP, dizendo-lhes que fora agredida por Rolo e que ele tinha uma arma ilegal em casa. Estes, por seu turno, chamaram a GNR local.

A ex-companheira de Pinto da Costa parece ter azar com os homens ou vice-versa, e quando a GNR chega ao local, queixou-se de ter sido agredida por Rolo e de este ter uma arma em casa.

Com o consentimento do proprietário, os guardas fizeram buscas na estalagem, tendo encontrado uma pistola de pequeno porte, mas no apartamento que estava ocupado pela mãe de Carolina Salgado. A ex-companheira de Pinto da Costa afirma que a arma pertence a Francisco Rolo.

Francisco Rolo, contactado pelo SOL diz que só agarrou Carolina Salgado «pelo braço» e que lhe deu um «empurrão», não tendo esta ficado ferida. Acrescenta ainda: «Ela fez tudo para me tramar desde que rompi a relação. Faço minhas as palavras de Pinto da Costa: também eu fui estúpido».

Esta tarde, o empresário prestou declarações no posto da GNR de Fronteira, tendo apenas sido interrogado sobre a arma encontrada, e negou que esta lhe pertença.

Contactada pelo SOL, Carolina salgado não quis prestar declarações.

Entretanto, segundo o SOL apurou, o Ministério Público do Porto instaurou um inquérito aos elementos da PSP que prestavam segurança a Carolina Salgado. O inquérito visa apurar por que razão, conforme fora noticiado pelos jornais, os agentes impediram Carolina Salgado de efectuar um teste de alcoolemia e droga, após recente acidente que teve no Porto. Estes, que já foram ouvidos, negam mas, de facto, os testes não foram efectuados.

In "O SOL" .

Anónimo disse...

essa imagem é de um clube brasileiro.

pelo amor de deus.


e de facto nao há moralidade. porque raio havia de pagar só o boavista?

Anónimo disse...

E ninguém manda prender os Loureiros?
Eles querem é que tudo acabe para evitar a descoberta de "truques" nas contas.

Anónimo disse...

Os Loureiros devem ser presos... Eles, os presidentes dos Governos Regionais queinjectam dinheiro nos clubes e os presidentes de camara que segundo um relatório do trubunal de Contas lesaram os seus municipios em milhoes de euros sem que nada tivesse calhado ao desgraçado do Boavista.

Efectivamente existe concorrência desleal... basta perguntar em Guimarães quanto custou o estádio ao clube ou ao Braga quanto paga de aluguer mensal pela pedreira!

Cumprimentos

Joaquim Oliveira

Anónimo disse...

gordo a dias dize te tava proximoa agora digo te que ja ta muito proximo... olha para esquerda e direita

Anónimo disse...

O Fisco e a Segurança Social recusaram o plano de pagamento proposto e à Liga só resta um caminho caso esta situação se mantenha: anular a inscrição do Boavista.

Confirma-se és demente.
Que eu saiba o Boavista increveu-se devidamente, se os regulamentos são uma bosta a culpa não é do clube