AGORA ESTOU AQUI

segunda-feira, junho 09, 2008

ALLÔ, ALLÔ!


A decisão hoje do Conselho de Disciplina da FPF confirma que, afinal, as escutas telefónicas serviram para condenar. A contra-informação dos últimos dias também se confirma. Com isto, o CD da FPF mantém-se em linha com a Comissão Disciplinar da Liga. Se o Conselho de Justiça da FPF decidir que as escutas não podem ser usadas num processo disciplinar - acompanhado os pareceres (a 20 mil euros a unidade) de quatro famosos penalistas - estará não apenas a entalar a CD da Liga mas também o CD da FPF.

Esperemos (sentados) para ver.

14 comentários:

Anónimo disse...

Pois com este calor so ser for sentado no escritorio Sr Alberto acima da tua rua ....



JP de fora

João Português disse...

Os pareceres custarem 20 mil €, não me espanta. Pior são, os escribas amanuenses, que se cobram bem caro, para escreverem quaisquer aleivosias, sopradas por um qualquer analfabeto (da estirpe deles), e, no fim, ainda têm moral, para opinarem acerca da remuneração de pessoas com mais do que a 4ª classe.

Em termos de pareceres, veja se compreende, porque não é assim tão difícil: 4 juristas (professores em diversas faculdades), um deles até é o regente da cadeira, na qual, Ricardo Costa é assistente; dão parecer favorável à defesa do FCP, pelas mais variadas razões. Uma em que todos estão de acordo, é a da credibilidade da D. Carolina. Mas isso é matéria jurídica, onde eu não acrescento mais nada.

O parecer contrário aos 4 atrás referidos é de Vital Moreira (professor em Coimbra), também conhecido pelas opiniões (muito próprias) sobre escutas telefónicas, bastando escutar o que ele disse acerca do processo Casa Pia. Para os pedófilos importantes, haja pruridos, questione-se tudo. Para punir o maior criminoso da nação, responsável pelo escandaloso alheamento do Glorioso dos seus tempos de maior glória, tem que haver punição, e severa. Usem-se todos os meios!

Ricardo Costa, é o ariete usado. Não se importa minimamente da imagem criada no seio da justiça portuguesa. As suas ambições, são de certeza, outras. Para se atravessar desta maneira, ou lhe prometeram algo, ou ele julga que agindo desta maneira o consegue.
Repare-se, que o garboso jurista, tão generoso na auto-crítica, refere que fez tudo o que pôde, para punir o malfeitor. Usou até, um parecer para justificar a decisão. Esqueceu-se que, ao julgar desportivamente um processo que na justiça cívil ainda está longe do seu terminus, pode incorrer em consequências gravíssimas para a própria existência da Liga.

Reparem bem. Se o FCP for absolvido nas instâncias civis, e como a justiça desportiva em Portugal não tem autonomia para fazer investigação, baseando todas as decisões, do que se apura pela investigação da justiça cívil; pode muito bem o FCP sentir-se lesado e pedir o justo ressarcimento à Liga e à FPF.

Tudo isto emana dos pareceres referidos. Foram pagos, bem pagos. Mas não seria de esperar o contrário. São juristas de grande reputação e credibilidade, e isso paga-se.

Parece-me que todos esses 4 juristas, bem pagos que foram, ainda assim, parecem reger-se por princípios de equidade e de bom-senso. Não me parecem mercenários a soldo, sedentos por protagonismo. Isso lembram-me uma outra figura...


Sente-se bem. A espera pode ser grande. E pode não ser proveitosa.

Anónimo disse...

Costa Andrade, Faria Costa, Damião Cunha e Germano Marques da Silva, São EMINENTES Professores de Direito Penal,que MERECEM TODO O CRÉDITO e MUITO RESPEITO.

Certamente que relativamente às "ESCUTAS" a sua posição não è de agora.

INFELIZ o seu comentário.

Arquivo Vivo disse...

Será que o Estado vai receber o imposto relativo aos eminentes
pareceres?

Pareceres a € 20.000,00 são 8 vezes mais caros que o do Guímaro, e o deste foi mais eficaz.

Fado Alexandrino disse...

João Português disse... & Outros

Se eu quiser por 50,000 Euros arranjo cinco-pareceres-cinco de eminentes juristas a dizer o contrário.
Duvidam?

Anónimo disse...

Que "LINDO" Texto!!!!!!!....


A Constituição é BEM CLARA.

Anónimo disse...

Se o Rui Santos,fala na "CLUBITIZAÇÃO DA JUSTIÇA" e o "OUTRO" diz que o IMPORTANTE é meter gente na Liga, o que podemos pensar de TUDO ISTO ?!

Anónimo disse...

Curiosa questão: então o parecer do Professor Vital Moreira não custou dinheiro? E, já agora, quem pagou este parecer? Só mais uma pergunta: desde quando é que a autoridade administrativa necessita de pagar um parecer para sustentar a legalidade da sua decisão?

maiskemaluko disse...

Eu tenho 4 pareceres e todos são iguais, mas o do vital não conta, porque não é igual !!!!
O direito escreve-se por linhas tortas, portanto dá cá 20 mil, e PAREÇO o que QUISERES, porque sou EMINENTE, e tenho crédito na mercearia e repeito no calor da noite.

dragao vila pouca disse...

Contra os gordos cobardolas e intelectualmente desonestos, lutar, lutar, até os encontrar.

Eugénio Queirós disse...

Camarada, o que se passa? Não podemos ter opinião sobre o assunto? Ou só vale a verdade oficial? Acho que desses já tem com fartura num jornal perto de si...

dragao vila pouca disse...

Pois é o jornalismo sério de qualidade, nao alinhado, que tu defendes é aquele que diz:" Pinto da COsta mandante da agressão a Bexiga" Isto veio numa 1ª página num desses pasquim que chamas não alinhados, quando o Presidente do Porto era apenas arguido e o processo veria a ser arquivado.
Jornalismo sério e não alinhado é aquele que diz: "F.C.Porto dois anos fora das provas europeias" escrito por uma pessoa que tu conheces muito bem, até dorme ou dormiu contigo.
Jornalismo sério é ir a um blog copiar um post e não o copiar todo, só o que dá jeito.
Mas eu vou explicar-te isto e muito mais na altura própria.
Será que vais publicar?
Ah, podes tembém publicar os comentário dos anónimos cobardes que insultam os outros, mas...a coberto do anonimato.
Tu sabes bem que eu não sou cobarde e o que digo nos comentários também digo na cara.

atirador especial disse...

dragao vila pouca, será nome de familia ???

Anónimo disse...

Eugénio,
as escutas são LEGAIS ou ILEGAIS? Independentemente disso estar certo ou errado, QUAL é a RESPOSTA?
Deixe-se de coisas...