AGORA ESTOU AQUI

segunda-feira, maio 12, 2008

O ADEUS DE UM GÉNIO


1- Matematicamente a última jornada da Liga ainda tinha motivos de interesse, nomeadamente no que diz respeito ao apuramento para a Liga dos Campeões. No entanto, depois do que sucedeu nas semanas anteriores, seria difícil que Sporting e V. Guimarães, em casa, não aproveitassem para "carimbar" vitórias. Foi o que aconteceu, embora os leões não evitassem um pequeno susto logo de entrada. Já os vimaranenses, numa temporada sensacional, tiveram um domingo mais calmo.Mas, paradoxalmente, foi na Luz, mesmo com o Benfica a fechar a época num modesto quarto lugar (e sem títulos noutras competições para atenuar a paupérrima campanha no Campeonato) que se assistiu a uma homenagem como há muito não se via.O adeus de Rui Costa aos relvados levou mais de 50 mil pessoas à Luz que - antes, durante e depois do embate com o Vitória de Setúbal - não se cansaram de aplaudir um fantástico jogador, mas também um homem de invulgar simpatia, sempre disponível para tirar uma fotografia, dar um autógrafo ou falar com que o procurava.Ao longo de duas décadas de jornalismo tive a sorte de ver em acção muitos futebolistas, portugueses e estrangeiros. Sem desprimor para ninguém, assumo que Rui Costa foi um dos melhores. A forma como tratava a bola, com a mesma classe com que o fazia nos jogos de futebol salão enquanto juvenil, não podia deixar ninguém indiferente. A mim, pelo menos, não deixou!

2 - Cristiano Ronaldo continua a caminhar para uma temporada impressionante. O título inglês já está no bolso, juntamente com o galardão de melhor jogador e marcador da "Premier League". No jogo do título, o português, claro, lá estava para fazer o gosto ao pé e empurrar o United para a vitória no campeonato. Foi só o 31º remate certeiro na prova e o 41º da época com a camisola da formação de Manchester. É obra!Mas, para Ronaldo atingir aquilo que já merece - a distinção como melhor futebolista mundial da actualidade - convém acrescentar, nos próximos tempos, mais dois troféus ao seu currículo: a Liga dos Campeões e o Campeonato da Europa. Acredito que pode agarrar ambos...

3 - Do sucesso do triatlo (cinco medalhas nos Europeus de Lisboa), à primeira qualificação dos mesatenistas nacionais (logo três!) para competir nos Jogos Olímpicos, passando pelos brilharetes nos Europeus de ginástica, o desporto português continua a "furar" barreiras e mostrar que está vivo e de boa saúde. Parabéns a quem obteve resultados e a quem esteve na origem dos mesmos.

4 - A morte do ciclista Bruno Neves chocou o País. Um jovem de 26 anos, que se aprestava para marcar presença em Pequim, desapareceu após uma estúpida e infeliz queda. O desporto não merecia coisas destas...


LUÍS AVELÃS

8 comentários:

marina disse...

Quê?

Morreu o Einstein?

É que vai tudo na onda, parece, fascinado com o manto do rei, que bai nu, afinal. O Rui Costa foi um jogador jeitoso, c'um caramba.

E sobre isso tem que o Benfica, que nunca ficou em quarto num campeonato em Portugal, salvo uma vez, que ficou em quisto, ontem não restou nada a celebrar, nada a vitoriar, se não uma tremenda urgência de esquecer que falhou tudo, a toda a linha, e, pa esquecer, disfarçar, encostou-se ao Rui Costa, maestro sem orquestra nem nenhum instrumento nobre que se ouvisse, disse-o Camacho, antes de dar o fora.

O Luís Filipe Vieira é que não tem um tal carácter e há-de surpreender-nos, qual bufão-mor, pa sempre. Veja-se o julgamento inquisitorial de veneno e despeito posto a andar por ele na opinião pública contra o Porto. Coisa mais porca, mais sem moral e vergonhosa. Que dizem que o dito juiz de fora, Ricardo Costa, é benfiquista.

E o presidente da Liga é benfiquista.

Benfiquista é a morgada.
E o Procurador da República.

Maioria da Polícia, dos magistrados, seis milhões de portugueses, que dizem que nem Salazar teve tanto, ele que contou mais de 90% do povo.

E isto é uma grande révanche, assim como a grande vingança montada contra PdaC pela maioria dos frustrados.

Isso, sim, Luís Avelãs e caro Eugénio. Sem desprestígio do Rui Costa, que não merecia, julgo, estas vergonhas.

o conquistador milionário disse...

O que eu gostava é que dessem a merecida cobertura à histórica temporada concretizada pelo Vitória. O de Guimarães.
Mas, em blog de leixonenses, quem manda, é o peixeiro...
Haja coerência e respeito, pela grande temporada do nosso Vitórinha.

Deixo's Poisar... disse...

Rui Costa foi um bom jogador?
Foi.
Foi um jogador muito acima da média?
Foi.
Mas foi assim tão bom jogador como a pasquinada tem andado a apregoar de há uns tempos para cá, com um exagero inconcebível nesta ultima semana?
Claro que não. Mas a pasquinada precisa de algo para dizer bem do Benfica e todos sabemos como, nos tempos que correm, isso é dificil de encontrar.
A propósito você ainda não disse uma frase a exaltar as qualidades do Rui Costa? Não?
Pois faça-o imediatamente antes que seja excomungado para todo o sempre.

RC disse...

É impressionante como o fanatismo e o facciosismo, sejam em versão feminina ou masculina, cegam as pessoas. É uma verdade insofismável que o maior cego é aquele que não quer ver. Talvez fosse mais inteligente, mais lúcido e mais verdadeiro despir a bata de doente da clubite e analisar a coisa a frio. Como quem até nem liga à bola...as conclusões seriam surpreendentes. E isto tanto vale para aqueles que não têm olhado a meios nos últimos anos, como para aqueles que no passado se arvoraram em bandeira do regime e da pátria...

zé figueira disse...

E isto tanto vale para aqueles que não têm olhado a meios nos últimos anos...

certo, ainda há dias o lfVieira fez coacção moral explícita sobre os árbitros, que lhes chamava ali a polícia, contra quem perorou, porque deixava que andassem a puxar pra baixo o benfica, disse, depois de sentar ao seu lado o ministro Chefe das polícias, num jogo, em cavaqueira de tu cá, tu lá, que há muito nos conhecemos e, já sabe, quem não se porta bem co Benfica leva, ai leva, ca polícia é minha amiga, a polícia e magistrados, e isso já se está a ver e ainda há-de ver mais, ou quem manda aqui, é o Porto ou a capital?

João Português disse...

Acho perfeitamente fantástica, toda esta demonstração, do que é, de facto, a Portugalidade!
Rui Costa foi indubitavelmente um grande jogador. No entanto, esta despedida assume contornos verdadeiramente megalómanos. O Rui Santos, do alto do seu metro e meio, brinda-nos com mais 3 horas de baboseiras e disparates, noite adentro. Desde a "importância" fulcral de RC no ACMilan - note-se que nos 5 anos em que lá esteve, 4 passou-os no banco - até à sua integridade como pessoa, o seu benfiquismo. Dir-se-ia, que, o enamoramento é tão grande, que só faltou o pedido da mão do celebrado.
Qualquer observador mais avisado e distanciado, do fenómeno Instituição, verá que isto não mais é do que uma manobra dilatória para aguentar LFV no comando benfiquista.
Pergunto-me porque será, que o jogador que mais títulos conquistou em todo o mundo, aquando do terminus da sua carreira não teve direito a honrarias televisivas, pelo menos iguais?!
Concluo, apenas com o realce do meu espanto, perante os 50 mil benfiquistas aplaudindo o 4º lugar no final do tempo regulamentar. Não morre ninguém com isso...

Anónimo disse...

o joao pinto sempre foi muito melhor que o rui costa.

nunca caiu em graça.

tenho dito.

Anónimo disse...

Tenho pena que uma figura como Rui Costa tenha servido, não só pelo sr. LFV, mas também pela "maquina" benfiquista, para limpar a época "brilhante" conseguida. Rui merecias mais!!!