AGORA ESTOU AQUI

quinta-feira, maio 22, 2008

IMPERDÍVEL, SENHORES

O meu camarada de armas Luís Vieira, lançado às feras no Matosinhos Hoje, sabe perfeitamente que jamais conseguirá viver uma experiência tão forte como foi a de acompanhar os Palancas Negras no Mundial de 2006. Mas como é um repórter-fotográfico de ponta (e mais não digo), continua em todas e vai acompanhar o Euro 2008. O seu excitante Kukas está por isso transformado numa espécie de diário do Luís Vieira. Ali é possível ver o que se passa no outro lado da cortina, sobretudo entre a tribo dos escribas e dos chapeiros, uma raça tão estável como a dinamite.

A seguir em
http://kukas.tumblr.com/

3 comentários:

mano maluco disse...

Era mais uma noite escaldante no "Calor da Noite". Numa mesa mais escondida estavam três figuras bastante conhecidas do nosso futebol português: Orelhas, presidente dos vermelhões, S. Franco Visconde de Alvalade, presidente da lagartada e Pinto da Costa, presidente do grande FC Porto. Os três saboreavam um copo de wiskey enquanto apreciavam as mulheres lascivas com seus corpos desnudados que deambulavam à sua frente.

De repente, vindo do escuro, aparece uma mulher com os peitos a descoberto, uma túnica transparente e um fio dental com duas fitas laterais que deixavam a sua "xaninha" a descoberto. Essa mulher era... a Criolina Salgado (do arroz carolino).

Aproximou-se da mesa dos presidentes. Vislumbrou o S. Franco e pôs-se a dançar com movimentos sensuais à sua frente. Dizia ela, enquanto lhe passava a mão pela cabeça:
- Franquinho, não tens aí nenhuma nota de 50€ para a tua Criolina? Anda lá, não sejas tímido. Vamos, abre a carteira e prende aqui uma notinha de 50. Vamos, meu querido.

O S. Franco, sem saber bem o que fazer, abriu a carteira. Tirou uma nota de 50€ e prendeu-a a uma das fitas laterais do fio dental.

Enquanto dançava de forma cada vez mais excitante, Criolina aproxima-se do Orelhas:
- Olha quem é ele. O meu grande amigo orelhudo. Orelhinhas, não tens aí nenhuma nota de 100€ para a tua amiguinha Criolina? Anda lá. Fartei-me de escrever aldrabices só para te agradar, meu querido. Vamos, só uma notinha. Vamos.

O Orelhas, um pouco contrariado, lá abriu a carteira. Tirou uma nota de 100€ e prendeu-a à outra fita lateral do fio dental da Criolina.

Criolina já estava muito feliz. A noite estava a correr muito bem. Já tinha facturado 150€ e sabe-se lá quanto mais facturaria. Então, aproximou-se do vulto que surgia no lado mais escuro da mesa. Ainda não se tinha apercebido de quem se tratava. Aproximou-se um pouco mais e ficou surpresa.
- Não posso acreditar. És tu, meu Pintinho? És tu, meu Jorge Nuno? Que saudades. Nuninho, não queres pôr aqui uma notinha de 500€? Anda lá, faz isso pelos nossos velhos tempos. Vamos, meu amor. Só uma notinha. Tens muitas mais na gaveta da cômoda. Vamos, Pintinho.

Pinto da Costa lançou um breve olhar pensativo para o Orelhas e o S. Franco, e fixou os seus olhos na Criolinha. Abriu a carteira e tirou... o cartão multibanco. Num movimento rápido, passou o cartão pelo rego da "xaninha" e tirou as notas presas nas fitas laterais do fio dental da Criolina. Levantou-se e disse:
- Bobby e Tareco, vamos embora que já ganhei o dia!

E saiu do Calor da Noite com um sorriso nos lábios...

Anónimo disse...

Este Luis .....
Ainda te vou Furtar a maquina meu

JP

Roger Gomez disse...

Só faltou dizer que o porteiro do Calor da Noite era o Joaquim Oliveira.