AGORA ESTOU AQUI

quarta-feira, maio 14, 2008

GLOBO DE OURO

Toni entregou a Jesualdo Ferreira o Globo de Ouro da SIC para o melhor treinador de 2007, à compita com Mourinho, Queiroz e Manuel José. Um momento emocionante porque Toni é mesmo assim. Um prémio merecido. Jesualdo com ele na mão e imagens do "Corrupção" a passarem na pantalha, obviamente que apenas isso que quanto a globos...nicles. A Soraia, aí, impôs-se à Margarida.
Convenhamos, o filme que se diz ser de Botelho é uma bosta!

4 comentários:

Anónimo disse...

é uma bosta por que não é ficção.

Ou por que falta a cena em que um jornalista apanha no focinho dos capangas do Papa?

santhomas disse...

Não há dúvida, os cátaros são terríveis. Puristas, sectários, invejosos, inquisidores, quais ss e pides, cátaros não desistem enquanto não matam, não arreliam até causar mossa grande, despeitados por de natureza, tais certos benfiquistas invejosos, como esse Cunha Leal, que no conselho de justiça da liga não cessou de prejudicar, anos a fio, o Porto e mais clubes, a favor do seu clube, qual rata manhosa e sectária.

Tal qual hoje as vingativas, da carola à morgada, a magistrados e polícias benfiquistas, realizadores e guionistas, que à imagem do bufo-mor, não esmorecem na sanha de prejudicarem, chatearem e causarem forte dano ao grande rival do Porto, por esse feito insuportável de ter vindo a alijar da carroça a burra da outra senhora, com total merecimento.

E eles moem-se, é preciso ter cuidado. Gente ruim e despeitada não desarma, é perigosa.
O Porto que se cuide, não facilite um só minuto a guarda, se tem de pagar a sua conta de legítimo maior do futebol português, sobre o bando de frustrados, que se julgam os únicos bons e puros, enquanto todo o mais é desprezível.

Aconselha-se, entre o mais, leitura do post
"A alienação desportiva não norteia!", de 20080512, em
http://norteamos.blogspot.com/

Tá lá tudo, quase, meus senhores.

Depois, querendo, achem "cátaros" (do gr. puro), para significar as seitas maniqueístas que enxameram a Europa dos seculos XI a XIII, e se extinguiram em parte, após uma guerra sectária de mil anos. E ficaram alguns, é certo, que já deram, entre nós, a Inquisição, a Pide e parte sobrou nos milhões de benfiquistas.

E vejam também " albigenses" (do Lat. branco, puro), mesmo que disfarçados de "encarnado" e de "bormelho".

Anónimo disse...

Tal como tu como jornalista tamém não és muto melhor, que o adjectivo que dizes ser o filme de Botelho...

Ora digam se não tenho razão?!!!

Pessoas como tu, é que fazm que haja este tipo de filme real no futebol....

Enfim...

João Português disse...

O "filme" do Botelho é maravilhoso! Basta ver, que é o argumento que está a ser usado numa novela da vida real, patrocinada pelo estado português.
Tem todos os ingredientes. A ex(?)-puta, nova heroína (engraçado que é também o que a mantém eutímica), salvadora das verdades desportivas do País! É também mandante de tareias, mas isso não fica bem no filme, portanto não se põe.
Do outro lado o corruptor, o papa, o desvirtuador da inocência(?) da heroína do filme, obrigando-a a participar em coisas, que a sua nobre proveniência, nunca lhe permitiria participar!

Caros amigos, o que eu sei é que a dona Carol passou para o outro lado da barricada por uns trocados e promessas duma vida melhor, uma vez que o papa já não a sustentava nem à heroína dela.
Agora, mantenham presente, que quando faltar a nota para sustentar tanta dose de "heroína", ela pode virar o bico ao prego e começar a explicar como é que tudo se passou.

Vocês agora riem-se. Mas podem ter por certo, que ou a sustentam (e ela é caprichosa), ou então depois escreve-se novo livro.
Claro que a acontecer, nenhum processo se abrirá pois a paladina da verdade Mizé Tung, não encontrará aí matéria de facto!