AGORA ESTOU AQUI

terça-feira, maio 27, 2008

CARTA ABERTA

Cara imprensa desportiva:
Depois de eu ter engolido o Roberto Leal numa conferência de imprensa da selecção portuguesa sem que um único jornalista na sala questionasse os presentes sobre que raio era aquilo, decidi escrever-te esta carta. Há já bastante tempo que me interrogo porque se te funde o raciocínio sempre que a selecção nacional chega à fase final de uma competição importante. Acaso há alguma alínea na Constituição que obrigue um jornalista a deixar de fazer jornalismo quando confrontado com o bigode de Scolari? Não há. Só que o hino toca, o jornalista desportivo ouve o hino, o hino acaba, e aquela conjugação de acordes d'A Portuguesa provoca no jornalista desportivo uma imensa vontade de recuperar Olivença. Ora, se nenhum estudo científico deu como provado que o contacto com símbolos nacionais destrua a massa encefálica dos indígenas, como explicar este estranho ímpeto nacionalista, que tudo aceita e nada pergunta? É essa - como dizer educadamente? - saloiice, que ataca de modo particularmente agudo em europeus e mundiais, que eu gostava que tu ultrapassasses.Quando a Federação Portuguesa de Futebol patrocina uma conferência de imprensa de louvor a Luiz Felipe Scolari abrilhantada por Roberto Leal e seu filho, o que tu tens a fazer não é pedir para Scolari dedilhar umas notas na guitarra enquanto Roberto canta de improviso uma versão homicida de Uma Casa Portuguesa. O que tu tens de fazer é perguntar se é suposto que a selecção sirva para polir o ego do seu treinador e promover os discos da família Leal. Uma Casa Portuguesa, ainda por cima, é toda ela "conforto pobrezinho do meu lar", grande defensora de um Portugal satisfeito com a sua menoridade. Não é brilhante mensagem para passar a jogadores, e muito menos para animar palestras. Além de que colar a selecção à música sofisticadíssima de Roberto Leal e Tony Carreira é pôr a imagem de Portugal ao nível da rulote das bifanas.Eu aturo tudo. Aturo chusmas de directos. Aturo conferências de imprensa diárias. Aturo peladinhas cobertas à exaustão. Aturo a transformação de Viseu na capital do País. O povo gosta e as empresas que investem rios de dinheiro no futebol precisam de antena. O que já não aturo é que tu, imprensa desportiva, comprometas o teu bom-senso, imoles qualquer réstia de discernimento e deixes de saber distinguir o que está bem do que está mal, o que é falta do que não é falta, quem joga bem e quem não joga só porque à tua frente correm uns tipos vestidos de verde e vermelho. Sei que para ti cada europeu de futebol em que Portugal participe é como levar um alcoólico a uma prova de vinhos - tremendamente difícil manter a sobriedade. Mas, asseguro-te, não tem de ser assim. Há quem consiga apreciar a selecção e continuar com actividade cerebral. Vá lá. Tu também consegues
João Miguel Tavares, hoje, no DN.
PS - Ok, pá, tens razão. Mas essa coisa de "jornalista desportivo" só existia antes do 25 de Abril de 1974 e foi por isso que os "coisos" tiveram de criar o Clube Nacional de Desportivo, caso contrário ninguém lhes passava cartão... Só te digo mais isto: o seleccionador nacional, ao que consta, não escolhe só jogadores!

12 comentários:

Anónimo disse...

A última frase do teu post scriptum diz tudo e a situação que vem desde o Euro 2004 devia ser desmascarada, sobretudo por todos aqueles que tentam fazer jornalismo na selva do desporto, sob pena da profissão e da função ficarem completamente desacreditadas.O leitor/espectador/ouvinte não é estúpido e de dois em dois anos os seleccionados de Scolari para cobrir a selecção nacional fazem figuras patéticas nos estágios, nos jogos e nas conferências de imprensa. Como sempre, há honrosas excepções e não é preciso ser detective privado para ver quais os jornalistas que só acompanham a selecção nacional, sobretudo desde há 4 anos quando chegou o maior enganador que o futebol português já conheceu. Ironia das ironias, o maior enganador é o que tem melhores resultados. Mas não deixa de ser um escroto!

nm

Anónimo disse...

A última frase do teu post scriptum diz tudo e a situação que vem desde o Euro 2004 devia ser desmascarada, sobretudo por todos aqueles que tentam fazer jornalismo na selva do desporto, sob pena da profissão e da função ficarem completamente desacreditadas.O leitor/espectador/ouvinte não é estúpido e de dois em dois anos os seleccionados de Scolari para cobrir a selecção nacional fazem figuras patéticas nos estágios, nos jogos e nas conferências de imprensa. Como sempre, há honrosas excepções e não é preciso ser detective privado para ver quais os jornalistas que só acompanham a selecção nacional, sobretudo desde há 4 anos quando chegou o maior enganador que o futebol português já conheceu. Ironia das ironias, o maior enganador é o que tem melhores resultados. Mas não deixa de ser um escroto!

nm

voualiejavolto disse...

Este gajo e da ASAE. Qual é o problema da roulote das bifanas?

O INFERNO DA LUZ disse...

Reyes e Luís Garcia – um destes dois jogadores do Atlético de Madrid pode vestir a camisola do Benfica na próxima época. Será o avançado, de 24 anos, que jogou no Arsenal, no Real Madrid e agora está no Atlético? Ou o médio ex-Liverpool, de 29 anos? Qualquer um deles seria uma aquisição de vulto e um reforço para entrar de caras na equipa principal.

leao de quiosque disse...

Mas quando é que alguém é capaz de dizer que temos a selecção mais fraca dos ultimos dois campeonatos em que participámos? Que já não temos Figo, Rui Costa e Pauleta, nem um Deco, Petit ou Nuno Gomes como em tempos já tivémos? E que Bruno Alves não vale uma perna de Jorge Andrade! E que tivémos um apuramento sofrivel! Porque raio gostamos de andar (quase) todos embriagados nesta onda de patriotismo bacoco e não vemos a realidade com olhos de ver? Falta-nos maturidade, digo eu!

Grilo Falante disse...

Não te ficava nada mal revelares a fonte: O grande Boronha

Gomez disse...

- Oh meus amigos... isto é "táctica"!!! Não se lembram que o Brasil esteve quase a não ir ao Mundial de 2002, e como é que acabou??... campeão!!!

Anónimo disse...

É precisamente a mesma coisa quando o Mourinho chama estúpidos aos jornalistas em Conferencia de Imprensa e ninguém reage. E creio que são precisamente os mesmos que têm orgasmos diários a repetir à exaustão que o Ronaldo é o melhor do Mundo, que o Mourinho é o melhor do Mundo... e que eles são os jornaolistas mais subservientes do Mundo.

androctonvs disse...

mas alguém teria colhões de perguntar qualquer pergunta "séria" num destes "happenings"?

representa tanto, para quem se vê à rasca para pagar as contas ao fim do mês...

Anónimo disse...

O que é isso de jornalismo desportivo? Esta é para rir!!!
É só verificar o tratamento que
dão a este selecionador nacional e o que é dado quando se trata de um português.

maiskemaluko disse...

Que ninguêm se meta com as bifanas, essa instituiçao portuguesa. Já agora ESCROTO !!!
deves ser malukinho ó nm .

sintomeh disse...

E mais, pá, p treinas brazuca não escolhe só jogadores, escolhe bancos e parolos, à maneira, como o Nuno Luz, da Sic, e as criancinhas, sem culpa, além dos sócios do bes e da sinhóra italiana lá do marmeleiro.

E eu só queria que a tanta festa de vaidades sucedesse um banho daqueles de granizo e pedra a cântaros, minha nóssa sinhóra dos sargentões broncos, mas cheios da sorte dos parolos.

Pois tá tudo doido, parece, ó sargentão, ó Luz Nuno, cum caramba.