AGORA ESTOU AQUI

sexta-feira, abril 25, 2008

O INESGOTÁVEL SANTANA


O clima de "guerrilha" interna no PSD (no PPD ou no PPD/PSD, como gosta de dizer Santana Lopes) é um dos temas do momento. O maior partido da Oposição quer fazer-nos crer que é uma alternativa credível ao PS mas, ao mesmo tempo, não consegue organizar-se de modo a fazer passar uma imagem de estabilidade e credibilidade. Mas, enfim, nem tudo é mau: Alberto João Jardim desistiu de avançar com a candidatura à liderança do partido. Assim sendo, as minhas hipóteses de emigrar reduziram substancialmente.

Mas, naturalmente, a uma boa notícia costuma suceder outra menos positiva. Jardim continuará no meio do Atlântico a chamar tudo e mais alguma coisa aos continentais, mas o inesgotável Santana Lopes parece de regresso para mais uns períodos de "alucinação". Depois do brilhante desempenho enquanto Primeiro Ministro, o homem parece interessado em repetir a façanha. E, segundo consta, até parece contar com alguns apoios no seio do PSD.

Perante este cenário - e tendo em conta que os restantes prováveis candidatos a líderes do PSD também não parecem entusiasar ninguém -, creio que o José Sócrates e o PS já ganharam, por antecipação, as próximas eleições. E não será por goleada, mas por falta de comparência!

5 comentários:

atirador especialo disse...

Prof. Bambo, deixa-te de futurologias e fala de futebol, ou nao tens asneiras para escrever.

Gomez disse...

- O Sr. Luis Avelaes pode perceber alguma coisa de desporto, mas de política julgo que está um pouco longe da realidade!! O AJ Jardim se se candidatar a presidente do PSD ( que por acaso não é o meu partido) ganha essa eleição e o Sócrates em 2009 que se cuide!!!

Vitor disse...

Este homem perdeu a vergonha e quem votar nele tambem,porra.

Anónimo disse...

Todos percebem de tudo e estes artistas armam-se em juízes, analistas políticos e sabe-se lá o que mais.

Mas nem o que deveriam ser (jornalistas) conseguem ser.

Republica of Bananas ilimitadas

polites disse...

Eh, Santana lá será menos do que se precisava, tá bem, mas o mal não será grande, se já com Socrates é que chegue, caramba!