AGORA ESTOU AQUI

sábado, abril 05, 2008

ELE FAZIA COMO OS OUTROS

João Loureiro disse-me esta semana que apenas fez o que 99% dos dirigentes faziam em relação aos árbitros, ou seja, ia para o terreno porque sentia que o Boavista podia ser prejudicado. É a tal pescadinha de rabo na boca. O Boavista só seria prejudicado se outros o quisessem prejudicar. O que João Loureiro - o tal presidente que teve a ousadia de ser campeão no Boavista - disse foi que os árbitros estavam à mercê das pressões dos dirigentes. Outra coisa não seria de esperar quando são os dirigentes que escolhem os homens que mandam nos árbitros! Pode ainda João Loureiro lamentar o facto de, em 2003/2004, a PJ não ter colocado sob escuta os telemóveis de outros dirigentes, para além de si, do pai e de Pinto da Costa, entre outros. Mas nem por isso outros tubarões, hoje armados em paladinos da honestidade, deixaram de ser apanhados em conversas esquisitas que não deram origem a qualquer processo. Mas, tal como já disse o inspector-chefe Casimiro Simões, conhecedor das 17 leis do futebol, "a PJ só podia ir para onde corria a água do rio".

Pois, esqueceram-se foi dos afluentes influentes.

3 comentários:

César disse...

Isto só prova, o que penso. Não é uma questão de pontos e descidas de divisão. É uma questão de pessoas. Que bela desculpa esta do Major... Para mim nenhum clube ficava sem pontos, mas era correr esta gente toda do football.

Gomez disse...

- Pô-las fora do futebol e pô-las na cadeia também!!!! CORRUPTOS!!

lui fróis disse...

"Pode ainda João Loureiro lamentar o facto de, em 2003/2004, a PJ não ter colocado sob escuta os telemóveis de outros dirigentes, para além de si, do pai e de Pinto da Costa, entre outros."

Um ano a fio, 24 horas por dia, diz quem sabe, ao que parece, andou bagulho num barulho de escutar, só, os nossos chefes.

Enquanto os mais faziam o seu trabalho, pouco, aliás, e fracote, mas por falta de jeito e talento, ao que parece, também.

De resto, eu estou mais co outro que diz que isto cheira a inquisição, quando os poderosos dominavam tudo, desde as rivais das bruxas até segredos do demo, até aos frades dos tribunais.

De modo que se a feiticeira confessava (dormiste com o diabo, confessa, que tem pés de cabra e chifres, dormiste, confessa, sua desgraçada do demónio) ainda levava co a fogueira, mas talvez tivesse por ela a misericórdia de deus. Aqui, não, nem do orelhudo nem dos promotores do castigo que se impõe aos tribunais.

Ih, ca ganda sujeira, ó Cesar, que nem tu, apesar de apertares o beiço, demonstras o acento de outros tempos, quando andavas pelas gálias e, lá, sim, demonstraste ser valente.

Decresceste, rapaz, com a idade, pois há vezes que parece que degeneraste, também, que nem chegas a ler o escrito, saindo logo do contexto por força de algum prejuízo (preconceito) ruim...