AGORA ESTOU AQUI

quinta-feira, fevereiro 07, 2008

Respondendo

Quanto às interpretações da Lei 12, qual era a teoria em vigor. As do "International Board" ou a que que constava do "Esclarecimento interno"? Ou mais propriamente as da autoria de P. Proença com acompanhamento à "viola" de V. Pereira?

Sr. Manuel Leão o que está em vigor é o Livro das 17 Leis do Jogo, editado em diversas línguas e em diversos países, autorizado pelo International Board F.A.
Ambos os comunicados de Vítor Pereira, o primeiro foi público, o segundo foi confidencial dirigido a todos os árbitros, por mail em mensagem que se autodestruía ao fim de alguns dias, não estão em consonância com as interpretações e as Leis do Jogo.
É a opinião generalizada dos árbitros, ex-árbitros e membros da Comissão Técnica de Arbitragem da FPF e até de monitores da FIFA, que ficaram surpreendidos com o comunicado.
E a prova de que a “viola” foi colocada no saco, é que o autor do comunicado nunca mais tocou no assunto, bem como o árbitro que decidiu de forma diferente da esperada.
Aliás, nem nos cursos dos árbitros de 2ª e 3ª divisão nacional, organizados pela F.P.P. foi permitido divulgação, antes pelo contrario houve foi um esclarecimento cabal de como devem agir os árbitros, e quais as diferenças em lances que devem ser analisados como cortes e outros lances que devem ser analisados por passes deliberados.
Aproveito para lhe esclarecer que o professor Jorge Pombo é um dos mestres e das vozes mais autorizadas em Portugal sobre teoria e leis do jogo em arbitragem de futebol.
O seu post é um trabalho magnifico de interpretação da Lei 12, aproveitando para lhe dar os meus parabéns.
Aconselho todos os leitores deste blog a lerem esse post (encontram nos comentários do post “Árbitros em Forma”).

4 comentários:

axn disse...

Enfim, e como comentaria o Camacho
"no pasa nada"...
A arbitragem portuguesa e o futebol que ajuda a produzir, são uma lixeira a céu aberto.
Não vejo ninguém, com eles no sítio, para os transformar em estações de tratamento.
O "lixo" é sempre o mesmo, só muda de lugar!
Nem a morte os obriga a reciclar,dass.

Manuel Leão disse...

Sr. José Leirós:

Muito obrigado pelas suas palavras. Fui apenas até onde os meus conhecimentos me permitiram.

Poderia até ter acrescentado, nesse "post", algumas considerações de Manuel Díaz Vega, ex árbitro e actual director do Comité Técnico de Árbitros da Real Federação Espanhola de Futebol e observador de árbitros da UEFA. E também a versão em castelhano de "Reglas de Juego". Apenas não o fiz para não tornar o texto demasiado maçador!

Mas há uma coisa, Sr. Leirós, que deveria ter sido feita e não foi. Teria sido justo um pedido de desculpas ao SCP pelo desconforto e prejuízos que essa situação causou e, ainda, pelo apoio indevido que Vítor Pereira deu ao Sr. Pedro Proença, quer no comunicado quer nas bizarras decisões posteriores. Assim, poderíamos acreditar que ainda havia uma réstia de boa fé, por parte da CA.
Pior ainda, foi - não obstante os monitores da FIFA terem ficado surpreendidos - o Sr. Vítor Pereira, ter sido nomeado para funções semelhantes na UEFA, àquelas que exerce em Portugal.
Não sabia que na UEFA também se usava o “pontapé pela escada acima”, neste caso numa versão curiosa, em que o "prevaricador" fica simultaneamente no patamar onde estava e num patamar superior! É obra!

Jose Leirós disse...

Sr. Manuel Leão.
O Vitor Pereira neste momento não exerce qualquer função semelhanta na UEFA nem na FIFA.
Apenas foi nomeado presidente dos arbitros das ligas profissionais, uma especide de magazine G14 dos Clubes. Nada decide este grupo, apenas defende os interesses do profissionalismo na arbitragem.

Manuel Leão disse...

Sr. José Leirós:

Leio vários jornais e por isso não posso precisar. Mas há dias li uma notícia que sugeria que o cargo a exercer faria parte da estrutura da UEFA.

Mas fez bem em corrigir; obrigado.