AGORA ESTOU AQUI

quinta-feira, janeiro 03, 2008

É ISTO A AVENTURA?


O que tem assim tão de atractivo uma prova na qual participam meninos ricos e onde por norma o primeiro classificado é um "piloto de marca" apoiado por um "staff" superior ao do harém do sultão do Brunei? Pelos vistos, é muito interessante. Ora aí está de novo o ...- Dakar, desta vez a partir de novo de Lisboa, para nos encher os dias. Os portugueses estão lá em força: nos carros, nas motos e nos camiões. Somos um povo que ama o chamado desporto automóvel. Deve ser defeito meu mas sempre que fui ver o rali de Portugal a Arganil foi na perpectiva de poder comer uma gaja ou, em alternativa, um bom chouriço assado (nada de segundos sentidos, tá?). É verdade, temos o Carlos Sousa, que há alguns anos anda a namorar um lugar no pódio e que entretanto vai tendo o prazer de, sem precisar propriamente, lhe pagarem bem para se divertir a cavalgar as dunas com os camelos a aplaudir. As nossas televisões vão atrás e, convenhamos, as imagens que nos chegaram do Teneré (?) ou das dunas de nenhures são magníficas, embora o tráfego estrague um bocado aquilo. Dir-me-ão que vale o espírito de aventura mas não estou a ver onde. Aquilo é duro mas que conste o catering raramente falha. E depois temos os especialistas, essa tribo de jornalistas que passa o ano a experimentar automóveis e a dizer bem deles. Porque é bem e, dizem, atrai publicidade. Mais uma vez o problema deve ser meu, que tenho com os carros a mesma relação que tenho com os sapatos: o importante é que me ajudem a andar e que acenda a luz vermelha quando é preciso mudar o óleo. Ok, o sonho de qualquer português que ganhe o euromilhões, o que por si só já é um sonho, é ter dinheiro para ir ao Dakar. Eu contento-me em ter algum para ir em Março a Nova Iorque ver a neve no Central Park e para poder circular na 5.ª avenida num táxi amarelo conduzido por um monhé. Pode não ser tão excitante mas basta-me. E, evidentemente, a indústria automóvel e o respectivo "desporto" até agradecem que no Mundo circulem anormais deste calibre, incapazes de perceber a beleza, a grandeza e a mensagem de uma competição como o Lisboa-Dakar, para qual me convoco sempre na esperança de poder ver um Subaru a dar cambalhotas duna abaixo com um europeu enfastiado lá dentro. Ainda assim, temo sempre que um lacrau possa ser atropelado. Tenho por eles uma estima que não consigo ter por tipos que passam 12 horas dentro de um carro a olhar para o GSP.

18 comentários:

NC disse...

Você é um gajo cheio de sorte, pá! É que eu andei atrás dos ralis anos e anos, também fui algumas dez vezes a Arganil e nunca papei nenhuma gaja no monte, nem vi jeitos disso, a única coisa que comi foram umas valentes febras assadas na hora regadas por cervejolas e briol do bom, isso sim, era sempre. E apesar de sermos teenagers e depois já nos vintes e até nos trintas, mesmo apesar dos copos, sempre com muito cuidadinho por causa dos fogos, nisso eu não perdoava. E para o regresso havia sempre alguém sacrificado para conduzir. Por isso é que para o grupo as noites de ralis foram sempre uma festa daquelas.

António Farrusco disse...

Fazer um Lisboa Dakar não tem nada a ver com chegar em primeiro ou no meio da tabela. Chegar já chega.
Se um dia tiveres o ensejo de fazer não uns milhares de quilómetros no deserto, mas apenas uma centena, ficas sem vontade de lá ir outra vez, porque não gostas, não entendes o gozo e o gosto pela aventura.
Para fazer um Dakar até nem me importava de comer um chouriço sem ser assado.
Fazer uma prova desta é um prazer muito maior que ser campeão europeu. Que comer a melhor gaja do planeta. Essa merda em meia hora fodeu-se e no fim só queres cuspir na gaja.
Fazer um Lisboa Dakar é um orgasmo de 15 dias. É supremo, mas não para aqueles que gostam de estar com cu alapado a engolir um chouriço assado.
Eu sei, que no deserto só há camelos e eu até gosto de umas "rapidinhas". Mas que se foda... ainda não me saiu o Euromilhões.

Anónimo disse...

Olhe meu senhor eu pa ir de leça à rua brito capelo meto o GPS portanto nao critique ....

Geninho disse...

Também fui a vários ralis de Portugal, especialmente na zona de Sever de Vouga, mas a trabalhar!!!
saudações

Anónimo disse...

Ora até que enfim alguém escreve uma coisa acertada sobre o rali. Ainda não começou e já estou "enjoado". Mas cuidado, parece que é politicamente incorrecto dizer mal de semelhante acontecimento...

special one disse...

habitualmente sou do contra... mas desta vez... subscrevo!

Anónimo disse...

Também há os outros especialistas, essa tribo de kornalistas que passa o ano a debitar banalidades sobre futebol, da táctica á técnica passando pelas odes ajogos vistos pela televisão e sem sequer ir ao estádio. e vendem isso na 1ª página. porque é bem. e porque vende os jornais. mas sem a publicidade (dos carros) você já estaria no desemprego

Parofeco disse...

Como eu o compreendo! Também não percebo todo este fascínio com o Dakar... Mas cada um sabe de si.
E já agora se ganhar o euromilhões arranje um bilhete aqui ao Paulo (já pareço o Jardel a falar) que prefiro esses belos passeios por Nova Iorque.
Abraço de um aspirante a jornalista

Mr. Shankly disse...

"O que tem assim tão de atractivo uma prova na qual participam meninos ricos e onde por norma o primeiro classificado é um "piloto de marca" apoiado por um "staff" superior ao do harém do sultão do Brunei? "
Imagino que o futebol seja muito diferente disto, não é? Eu também não gosto, mas não por estas razões.

NC disse...

Há coisas que se tem de viver para perceber o gozo que dá. Você imagina lá o que é andar no deserto, sentir a grandiosidade, a imensidão, o silêncio absoluto, a própria insignificância? Olhe, quando precisar de uns dias de relaxe, há opções organizadas seguras, experimente e depois fale. E quanto aos ralis, por acaso essa zona de Sever do Vouga, Préstimo, Albergaria das Cabras, etc era uma daquelas para onde íamos mais vezes e onde passámos mais noites memoráveis de paródia. Ainda me lembro de, manhã cedo, a malta parar no café das bombas da Galp em Albergaria, tomar um duplo a ouvir as piadas do Carlos e os resmungos do Vicente e acelerar directamente para a labuta. Não tem preço, é preciso ter vivido isso para poder avaliar...

António Farrusco disse...

Nunca julguei que o BnA tivesse tanta força.
Nunca mais volto aqui. Bastou criticares o Lisboa Dakar e o melhor acontecimento do mundo foi anulado.
Isso não se faz. O director da prova já fez saber que te vai oferecer um chouriça assado no meio do deserto, bem regado por sumo de tomate de camelo.
Isso não se faz. Acabar assim com uma prova deste tipo, so porque o BnA não gostou da prova? Não pode ser. Vou protestar.

Paulo disse...

Por causa desta mensagem, o Lisboa-Dakar foi cancelado!

Olheiro disse...

Meu caro Geninho,
Bom ano!
Há gostos para tudo e o mundo seria (ainda) mais cinzento se assim não fosse. Há que respeitar.

De toda a forma, o deste ano (e quem sabe se dos vindouros) "foi-se"...

Eugénio Queirós disse...

Nesta nem o Mestre Alves acertava!

Anónimo disse...

EUGÉNIO QUEIRÓS, PASCOAL SOUSA, LUÍS AVELÃS, JOSÉ LEIRÓS e JOSÉ CARLOS SOARES

de todas estas "contratações só tú é "falas"???
ao menos põe o mestre alves, sempre gosto de ouvir previsões sobre o "celse"...

aalavic disse...

Fosga-se Eugénio, mande aí os nºs do Euromilhões!!!

Anónimo disse...

O mestre Alves so advinha que o Paços de Ferreira e o U.Leiria vai descer de divisão.
Eugénio não quis o Ralie nao se realizou.

VIVA MATOSINHOS

damien disse...

É isto aventura?

Boa pergunta, a ver no que deu este dá cá, lisboa, depois que um gajo passa dois anos, três, a preparar-se, gastar dinheiro e deixar a mulher deitar-se na cama, sozinha e triste, enquanto um fica à volta da pickm up, até altas horas, p'ao fim dar nisto, porra!...