AGORA ESTOU AQUI

domingo, janeiro 20, 2008

Afinal somos bons...


O meu amigo Professor Arnaldo Madureira, alertou-me hoje para o facto de ter lido no jornal Record, que está um dirigente da arbitragem portuguesa em grande destaque na Europa.
Parece que os nossos dirigentes do futebol português, só não são reconhecidos cá no burgo.
Pois é, afinal somos bons e dos melhores da Europa.
Por unanimidade, Vitor Pereira o presidente da Comissão de Arbitragem da Liga Portuguesa, foi eleito presidente do Comité de Arbitragem da Associação das Ligas Europeias de Futebol Profissional (EPFL), que tem como director-geral o português Emanuel Medeiros.
Além do presidente da arbitragem a Liga Portuguesa de Futebol Profissional colocou mais três elementos nos novos órgãos sociais da EPFL, numa eleição realizada em Bruxelas.
O próprio presidente da LPFP, Hermínio Loureiro, foi eleito para o Comité Permanente para o Diálogo Social Europeu, responsável por fazer a ligação entre a EPFL e as várias instituições continentais, incluindo o Parlamento Europeu.
Ricardo Castanheira, membro da Comissão Executiva da LPFP, foi eleito para o Comité de Finanças da EPFL, enquanto Tiago Craveiro, secretário-geral da entidade portuguesa, vai passar a integrar o Comité dos Direitos Televisivos e Novos Media e o Comité dos Calendários Competitivos Internacionais.
A EPFL é uma associação que reúne as 18 principais ligas nacionais de futebol profissional da Europa

5 comentários:

JB disse...

Pois é Leirós.
Como comentarista e ex-árbitro devias saber que esses cargos valem zero em termos de poder.
Com toda a certeza que sabes que Vitor Pereira entrou por duas vezes no comité d arbitragem da UEFA, não como dirigente mas com cargos sem carga executiva e veio de vela de todos eles.
O resto são compadrios e pagamentos de favores do tempo da velha Liga.
O Major conrinua a ser o maior. Toda a gente está admirada com o que fez Joaquim Teixeira no Boavista. Esqueceram-se do que fez Hermínio Loureiro. A situação é muito idêntica

Anónimo disse...

Os políticos Portugueses até lá fora conseguem arranjar tachinhos e panelas... Espectáculo...

Manuel Leão. disse...

Sr. José Leirós:

Pode ser que ele consiga fazer a tal alteração à lei 12, agora a nível da UEFA!

Já agora, porque é que essa "bizarra" interpretação portuguesa da lei, não se aplicou ao guarda-redes do Lagoa, quando defendeu com as mãos um pontapé do seu colega, que ia na direcção da baliza? Porquê? Não me lembro de ter lido que essa interpretação surrealista já tenha sido revogada. Para que não fiquem dúvidas, esclareço que, para mim, face à interpretação legítima da lei 12, não houve qualquer infracção por parte do guarda-redes do Lagoa.
Gostava de saber a sua opinião.
E, já agora, pergunto-lhe se tem conhecimento de outros casos em que tenham sido apontados livres indirectos, de acordo com a "douta doutrina" do Sr. Víctor Pereira? Ou terá sido apenas um tratamento "VIP" feito exclusivamente ao SCP?

Fábio Correia disse...

Então não somos?

Ao nível do dirigismo desportivo somos tão bons que até às autoridades se passa a perna, o FCP que o diga...

Manuel Leão disse...

Sr. Leirós:

Como era de prever, o pedido que eu fiz quanto à sua opinião sobre a interpretação (Pereiriana) da Lei 12, o Sr. disse: nada...

No Exército, nos autos de averiguações, usava-se escrever: "E aos costumes disse nada"

Aqui também...

É só conversa!