AGORA ESTOU AQUI

segunda-feira, dezembro 17, 2007

VIOLÊNCIA

As claques de futebol, ditas organizadas, como pelos vistos certo crime, sempre foram um ninho de marginais. Os responsáveis dos clubes raramente se interessaram pelo assunto. De certo forma, algum nível de delinquência até dava um certo jeito em determinadas ocasiões... Foi, pois, quase sem espanto que um dia os Super Dragões entraram relvado dentro do Dragão para insultarem o treinador Victor Fernandez e os jogadores, numa fase menos boa de um FC Porto que até foi campeão do mundo. Elementos afectos ou próximos à mesma claque montaram uma cilada ao treinador Co Adriaanse, após um mau resultado em Vila do Conde, lançando-lhe um petardo para debaixo do carro. Mas também no Benfica e no Sporting são conhecidos casos de violência incontrolada partindo da claque. Na Luz já foram apreendidas armas num pequeno armazém que o clube cedia a uma das claques. A verdade é que o "modus operandi" que passa pelo assalto a postos de combustíveis nas viagens para os jogos, por venda e consumo de droga e por todo um exibicionismo obsceno são comuns às grandes claques nacionais. O senhor secretário de Estado pensa que acabará com isto tudo legalizando as claques, ou seja, com burocracia. Os "Pidás", os "Bertos", os "Mendes"...vão continuar a aparecer por aí, certamente legalizados. Como alguns dos stewards que fazem segurança nos estádios, cujos cadastros não contam para nada. Nada disto é espantoso. O que é surpreendente é ter sido preciso morrerem 4 pessoas para se perceber que, afinal, nem todos são bons rapazes...

PS - É certo, tudo isto é condenável. Mas quase tão grave é a violência silenciosa que se exerce sobre quem não alinha, sobre quem não come da gamela, sobre quem não se deixa humilhar, sobre quem pratica jornalismo sem um cachecol ou apenas com o objectivo de poder rapar também o fundo do tacho.

11 comentários:

Roger Gomez disse...

E os directores de O JOGO sabem bem do que estás a falar...

Tiago disse...

só quero reiterar o que o sr. eugénio disse: "os responsáveis pelos clubes raramente se interessam por isto" e isto é, tão simplesmente: crime organizado...

num país em que se fazem abaixo assinados por tudo e por nada, já estava na altura de fazer um para exigir aos responsáveis dos clubes mais controlo e mão pesada para estes senhores.

http://footballdependent.blogspot.com/

Anónimo disse...

por estas e por outras é que eu gosto do Futebol bando de FDP ...


O Espectro

dragao vila pouca disse...

Mais um comentário censurado.Agora sobre o P.Pereira, porquê? Porque andas a lamber-lhe as botas para ver se ele te cita no abrupto? Nunca, em nenhum comentário, insultei ninguém e já vais em 4 comentários censurados, no entanto falas em seriedade, honestidade,em quem não se deixa humilhar, etc.
No entanto um comentário de um tal jailbreak, insultuoso(" velho flatulento e senil") para o PR do F.CPorto, dexaste passar. É essa a tua seriedade jornalística?

Coluna D'Águias Gloriosas disse...

Excelente post este e o que mais apreciei foi o PS....na mouche como se costuma dizer!

Ainda bem que há pessoas que não se deixam levar na onda do pseudosucesso duma colectividade, é que para esse pseudosucesso muitas vítimas ficaram pelo meio, um caso sem paralelo no europa e mundo

Nem o Steaua de Ceausescu nem os campeões da Colómbia tiveram tanta impunidade nos seus países como o Grémio da Fruta tém há 30 anos em Portugal.

Parabéns pela independência, já dei o devido realce a este post no meu blog, porque esquecer é morrer e todos somos poucos para contar o que se passa há 30 anos no futebol português.

Felizmente que há os BNAS e os BLOGS DA BOLA neste país

Senão qualquer dia estamos como na Coreia do Norte....

Anónimo disse...

mas quem pensa que o eugénio é sério é que é burro.

Anónimo disse...

Força Dragao manda lhe cara..... esta merda nao é normal


O Espectro

atirador especial disse...

Nony das 21.55, que se auto-intitula "O Espectro", os fumos dão-te cabo da mona, fdp ......
o teu português é muito limitado, deves ser da trolhice!!!!!

Anónimo disse...

É da sociologia barata perceber que quando os espaços públicos não são ocupados eficazmente por políticas integradoras é o obscuro da marginalidade que o faz e fá- -lo com eficácia.

Mas no Porto ganhou-se o hábito de preencher os espaços com umas tabelas de básquete e algum fogo-de-artifício. O resultado está à vista. (JN)

Anónimo disse...

PS - É certo, tudo isto é condenável. Mas quase tão grave é a violência silenciosa que se exerce sobre quem não alinha, sobre quem não come da gamela, sobre quem não se deixa humilhar, sobre quem pratica jornalismo sem um cachecol ou apenas com o objectivo de poder rapar também o fundo do tacho.

Se tás a falar de ti neste paragrafo é para rir. Devem haver poucos gajos mais subservientes do que tu no jornalismo desportivo português. Tu bem tentas dar uma imagem de imparcialidade, mas só quem não te conheçe é que engole isso.

Anónimo disse...

Pois é, as claques são tudo isso mas há umas mais que outras, ou não é assim Sr. Eugénio? Nestes últimos dias temo-lo sabido mas parece que não convém fazer muito alarde, não é Sr. Eugénio?