AGORA ESTOU AQUI

quinta-feira, novembro 22, 2007

NÃO TENTE FAZER ISTO NA A 1

video

8 comentários:

Anónimo disse...

ho pà nao é preciso temos o IP4 queres melhor exemplo ??

é o inferno
Satanàs

Rodrigo Melo disse...

Boa noite,

Eu acabei de fazer meu blog o http://microvicio.blogspot.com, e como você já tem um blog experiente, que linkasse o meu entre os seus links.

Obrigado

Anónimo disse...

A TRAGEDIA DAS ESTRADAS, só diminui no dia em que formos capazes de RETIRARMOS OS COMPORTAMENTOS CRIMINOSOS da estrada.

Anónimo disse...

"CENTRALISMO COLONIALISTA" ???!!!

Vozes do Norte contestam obstáculos da ANA à Ryanair
adelino meireles

Ryanair quer ter uma base para os seus aviões no aeroporto do Porto


Inês Schreck

O aeroporto do Porto arrisca perder a oportunidade de conseguir atrair, nos próximos sete anos, quatro milhões de passageiros da Ryanair. Tudo porque a ANA (empresa que faz a gestão dos aeroportos) não se tem mostrado receptiva a fazer algumas cedências que permitam a criação de uma base daquela companhia aérea de baixo custo no Aeroporto Francisco Sá Carneiro. A possibilidade de o Norte estar a "desperdiçar" uma oportunidade de desenvolvimento está a indignar políticos e empresários. O PSD/Porto vai pedir esclarecimentos ao Ministério das Obras Públicas "por suspeita de favorecimento do aeroporto de Lisboa".

Depois de o presidente da Ryanair, Michael O'Leary, ter vindo a público acusar a empresa de estar a travar o crescimento do aeroporto do Porto, a ANA repudiou as declarações, numa nota de Imprensa, na qual dá a entender que em causa está a necessidade de dar as mesmas condições a todas as companhias.

Direitos iguais para todos

Para criar uma base, que implica espaço para escritórios e possibilidade dos aviões pernoitarem no Porto, a Ryanair pede um desconto de quatro euros por passageiro embarcado nas taxas cobradas pelo aeroporto do Porto. Em contrapartida, segundo documentos que o JN teve acesso, garante 1,5 milhões de passageiros no primeiro ano, e um crescimento sucessivo de meio milhão de passageiros até 2015. Além de cerca de 200 empregos directos.

"A ANA deseja mesmo muito que aquela companhia instale uma base de operações no Aeroporto Sá Carneiro, estando disponível para criar condições àquela empresa que possam ser legalmente suportadas e proporcionadas a qualquer outra companhia", refere a empresa, garantindo que actuará sempre "numa base de igual tratamento a todas as companhias áreas".

Mas o argumento não convence. "Por que é que a ANA não oferece o mesmo desconto nas taxas a qualquer companhia que garanta quatro milhões de passageiros nos próximos anos?", questiona Rui Moreira, presidente da Associação Comercial do Porto (ACP), que foi contactado pela direcção da Ryanair para interceder junto da ANA.

Críticas à posição da ANA

"É mesmo uma posição de Estado. Se o aeroporto fosse privado isto não acontecia", refere Couto dos Santos, vice-presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP), acusando a ANA de estar a querer proteger o "monopólio" da TAP. "É muito estranho. Não aceitaremos decisões de parcialidade regional ", acrescenta Marco António Costa, dando conta de que, caso os esclarecimentos do Governo não cheguem ou sejam insuficientes, o PSD vai chamar o presidente da ANA e da Ryanair à Assembleia da República para se perceber o que se está a passar.

A decisão da ANA terá de ser tomada até ao final do ano, caso contrário a Ryanair escolherá outra cidade para localizar a base. Valência, Bristol, Belfast são hipóteses já avançadas, mas há dez localizações na corrida. Algumas podem servir de alternativa ao Porto e até vir a prejudicar o desempenho do Sá Carneiro.

"Há aqui quatro milhões de passageiros à mão de semear. Temo que isto possa servir de motor para o investimento na requalificação do aeroporto de Vigo", alerta Rui Moreira.


Desconto nas taxas

Para criar uma base no aeroporto Francisco Sá Carneiro, a Ryanair pede um desconto de quatro euros por passageiro embarcado (inclui viagens de ida e volta), verba a deduzir no valor total das taxas que o aeroporto cobra à companhia aérea de baixo custo.



Espaço para escritórios e pernoita de aviões

A base da Ryanair implica a disponibilização de espaço para escritórios no aeroporto, bem como a possibilidade de os aviões pernoitarem no Sá Carneiro, com tripulação e pessoal de manutenção das aeronaves.



Aumento de meio milhão de passageiros por ano

Com uma base no aeroporto do Porto, a Ryanair garante 1,5 milhões de passageiros ao fim de um ano de funcionamento e um crescimento sucessivo, durante sete anos, de meio milhão de passageiros anuais. Estima-se que cada cliente da low cost gaste nas imediações do aeroporto entre 125 a 150 euros. O acordo tem de durar pelo menos dez anos, estabelece a companhia aérea.



Emprego a 200 pessoas

Duzentos empregos directos são garantidos pela Ryanair com a instalação da base no Porto.



POr onde anda RR ???!!!

Anónimo disse...

O RR tà de ferias em Bragança

Satanàs

Anónimo disse...

desejo-te o mesmo.

Anónimo disse...

O último grande negócio deste tipo foi feito entre o PSD/Cavaco Silva
e um cidadão holandês de quem não retive a graça.
Prometia então o dito senhor a saída diária de 100(cem) camiões carregados de hortaliças e frutas para distribuição por essa Europa fora.
Em ODEMIRA e após ter-se aboletado com a nossa prestimosa contribuição(uns módicos 5 milhõezitos de CONTOS)escafedeu-se mais rápido do que tinha aparecido.
As promessas esfumaram-se e de Odemira continuam a sair (sem)camionetas de esperança.

Yazalde 70 disse...

dasse so tu e que nao ficas debaixo de um carrito.. era uma pena com as perolas que escreves mais e merda do salazar e do punk nazi,ainda por cima de um clube ranhoso como o leixoes

VRRRRRRRRRRRRRRRRUUUUUUUUUUUMMMMMMMMM