AGORA ESTOU AQUI

sábado, outubro 27, 2007

A NOIVA IA DE BRANCO...



Pinto da Costa casou hoje com Filomena Morais e a grande notícia foi as pessoas que não convidou porque a sua esposa não as quer ver por perto, como foi o caso do seu "braço direito" Reinaldo Teles, a pagar a factura de a sua esposa ter sido uma grande amiga de Carolina Salgado. A cerimónia decorreu numa quinta de Vila do Conde e, segundo o que apurou BnA, a noiva ia de branco, de véu e de grinalda. O cirurgião plástico Francisco Campos fez furor, tanto mais que tinha ali muitas clientes e clientes. Vítor Baía também, com o seu McLaren/Mercedes, enquanto Ivic e Luciano d'Onofrio chegaram a Pedras Rubras num jactinho. Apesar de alguns esforços, não conseguimos apurar o conteúdo do menu mas certamente era rico e variado embora não tivesse sido servido pelo Miguel.

12 comentários:

Anónimo disse...

ó Eugénio, festa boa terá sido, que bem merece PdC, homem de bem, bonito, diz minha mana, e de virtude

pra lá c'o Miguel, se é quem penso, um tipo porreiro, quão não me toques, vaidoso.

mariana

Anónimo disse...

Não quis Reinaldo Teles por perto? Perdeu, perdeu um show de strip para animar a malta no seu casamento. E de borla! Isto é que é desaproveitar.

Anónimo disse...

E entao tu como reputado afilhado nao fostes convidado ?? Estranho ou entao jà nao gostas do Putedo

JP

Anónimo disse...

Quando " OHOMEM" um dia se retirar muita gente, vai perder, até alguns daqueles, que no fundo o "odeiam"...

looking4good disse...

Com muito custo... os árbitros tiveram que ficar de fora.

Anónimo disse...

E quem foi o padrinho, quem foi? Não sabem? Pois então aqui vai: António Henriques, ex-vice-presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, acusado, em 2004, de seis crimes no âmbito da operação "Apito Dourado" (crime de corrupção passiva para acto ilícito, crime de falsificação de documentos sob a forma continuada, crimes de abuso de poder sob a forma continuada e um crime de corrupção desportiva activa). Tão amigos que eles são!

Anónimo disse...

ò palhaço anónimo, burro como uma inhona demolhada em azeite, os padrinhos foram Ramalho Eanes e Manuela Eanes.

Vai lá vender pneus com cocaína que o Khadaffi tem de pagar uns carros novos a certa gente.

Anónimo disse...

Para o anónimo que me manda vender pneus, lembro que há uns que esporadicamente se vestem de palhaços enquanto outros são-no por natureza. E tu, fazes parte deste último grupo. Isto de lavar cabeça a burros é perder tempo e sabão. E como não tenho muito tempo para perder com burros, digo-te que, se te informares melhor vais ver que é verdade, Ramalho Eanes e esposa foram padrinhos de Pinto da Costa e António Henriques e Joana, filha de Pinto da Costa de quem António Henriques também é padrinho, foram os padrinhos da noiva. Mas isto é muito confuso para a tua cabeça, não é? Só pode para quem é burro que nem uma porta mas que se arma em esperto e pretende vir para aqui corrigir os outros.

Anónimo disse...

foi selecto, o casamento, como a boda e a alegria, após duas décadas de amor, e novinhos, ainda, ela jovem, tão queridamente linda, ele jovem, bem parecido, que já lá diz minha mana, daquele senhor distinto e tão acima desse actor que topa-a-tudo, paspalho, boca-caída, e quase tão mau com'o orelhas da intriga...

marinela

Anónimo disse...

O António Henriques foi padrinho da noiva, juntamente com a filha dos noivos, Joana, que, por acaso, é afilhada de baptismo do mesmo Henriques. O casal Eanes apadrinhou apenas o Jorge Nuno.

atirador especial disse...

Ó nony quem tem de ir agora vender pneus és tú meu Paneleirotophilos, já que coca.... És um "andrade"
a dar tiros nos pés..... Sabes vai-te catar !!!!

Anónimo disse...

Boa, atirador especial. Isso é que é acertar na mouche. Por isso é que é(s) especial.