AGORA ESTOU AQUI

segunda-feira, outubro 15, 2007

LISBOA, SEMPRE BOA


Sempre que regresso a Lisboa fico surpreendido com as coisas do costume (desculpem se resvalei para a retórica ou para a poética):
- A facilidade com que se apanha um táxi.
- A eficácia dos empregados de balcão
- A luz
- O frisson
- O (bom) tempero das saladas
- As imperiais bem tiradas
- As folhas caídas nas avenidas novas
- A liberdade das avenidas
- Os quiosques
- As esplanadas
- Os turistas e outros artistas
- As aldeias de Portugal

14 comentários:

Anónimo disse...

Ò Tone Zé fica aí e não voltes para cima. O ar ficaria mais saudável.

Anónimo disse...

Não tentem comparar Lisboa, capital de Portugal a uma cidade média como o Porto!

olheiro disse...

Olha e eu fui à terra dos tripeiros e visitei o Estádio do Dragoum.

E também ainda fico surpreendido com as coisas do costume:
- A qualidade da comida;
- A franqueza e genuinidade dos nortenhos;
- O cheiro a província;
- O Douro;
- A qualidade de "bida"...

Anónimo disse...

Este post só mostra o labrego que és!

Anónimo disse...

Nao te esqueces tes de qualquer coisa ??
Negros, pedofilos , ucranianos, brasileiros etc etc e todos a dar com um pau Fica por ai fica e arranja umas putas que é o que à mais
JP

Ricardo Cruz disse...

Eugénio,
Sou um admirador confesso do teu blogue. Venho quase diariamente aqui para saber as últimas jogadas de bastidores, aquilo que normalmente nunca sabemos via jornais, rádios ou tvs. É, realmente o melhor de todos. Já agora, descobri um blogue novo biqueiradaslegais.blogspot.com, que aconselho vivamente. Não sei de quem é, mas que estão bem informados, lá isso estão. Nota-se que ainda estão a começar mas poderão dar que falar.
Um abraço pra ti Eugénio e outro pros camaradas deste universo bloguista.

Ricardo

Anónimo disse...

Só falta mesmo uma estátua do Pinto da Costa para servir de poiso aos pombos.

Luís Graça disse...

Pá, eu não consigo ver Lisboa com esta poesia toda.
Depois de um Verão em que andei bastante de um lado para o outro, senti bastante a "violência" do regresso a Lisboa.

Anónimo disse...

Gostava de saber porque é que metes as fotos da tua terra nao passas de um mouro foleiro
até devias ter vergonha ao publicares aqui este comentàrios sobre lisboa Vergonha MOIRO

PJ

Anónimo disse...

E os pombos, Eugénio? O que fazemos aos pombos?! Não sei se irão todos caber na cesta de pão.

Anónimo disse...

ó ricardo assume lá que o biqueiradas é teu...

Anónimo disse...

És mais um provinciano, fazes lembrar os labregos que chegavam á "capital" no sec. e XIX e XX e se pasmavam a olhar para os palacios...

Anónimo disse...

oh, vai-te
pò car... c'a lisboa!

juliao

Anónimo disse...

querias tu,mongo do crl, que os bimboes do puerto fossem capazes de ter construido uma cidade como Lisboa.
se nao gosta baza lá pra cima,dá de pino pra a labregolandia ,xau!