AGORA ESTOU AQUI

sexta-feira, setembro 07, 2007

NO REINO DA BRACALÂNDIA


Vai por aí uma grande confusão sobre o que se passou no intervalo do último jogo do Sp. Braga e sobre a mensagem no final de Jorge Costa. A versão inicial apontava como destinatário da sua mensagem o presidente do clube, o inefável António Salvador. Mas no dia seguinte um comunicado do próprio treinador "iliba" o presidente, atribuindo a sua irritação a comentários de "alguém exterior ao clube" num órgão de comunicação social, no intervalo do jogo, ao mesmo tempo que fala de "especulação jornalística". Não quero crer que Jorge Costa aproveite os intervalos dos jogos para ouvir comentários de televisões ou rádios. Portanto, só pode ter emprenhado pelo ouvidos, se é esta a versão verdadeira da história, porque se não é, é muito grave e podemos estar perante um caso evidente de especulação pura para sanar um incidente que podia ter consequências fracturantes no interior do clube. Jorge Costa não é um homem de muitas palavras mas pelo que conheço dele não é homem para deixar que lhe ponham a pata em cima. Por seu lado, António Salvador tem tido a fama e o proveito de ser um treinador implacável para com os treinadores que contrata e quando digo "implacável" estou a ser meiguinho, pois podia dizer malcriado. Disse? Ok, cá fica. O que BnA percebeu, no meio desta embrulhada, é que Jorge Costa reagiu a quente, e bem, e que alguém quis salvar o presidente dos estilhaços que já o estavam a atingir. Arranjou-se por isso um bode expiatório. Tanto quanto sei, o nome de Domingos Paciência, velho amigo de Jorge Costa nos últimos tempos não tão próximo do treinador bracarense quanto isso, foi o bode expiatório. Os comentário de Domingos, na Sport-tv, foram "soft" e quem o conhece não o está a ver a aproveitar para desancar o seu ex-companheiro de equipa só porque o Sp. Braga perdia ao intervalo com o Estrela da Amadora. A verdade é que Domingos anteontem ainda não tinha sido contactado por Costa para esclarecimento total do caso bicudo. Percebo o incómodo. O treinador bracarense deu um passo maior que a própria perna e percebeu que não podia esticar mais a corda. Alguém, entretanto, "salvou" Salvador e colocou água na fervura entre o treinador e o presidente. Entretanto, a fotografia dos craques à volta de Jorge Costa, que emoldura o "hall" do balneário do Estádio Axa, lá continua, como BnA pode provar.

Há que reconhecer, ainda, o mérito de quem controlou o incidente. Diria mais, há que lhe dar os paramés, perdão, os parabéns.

4 comentários:

Anónimo disse...

O Jorge Costa ainda vai comer dos vários pratos onde anda a cuspir.
Se há homem da bola que deu um pontapé nos amigos e companheiros do passado, foi ele!
No dia que os "veteranos" jogadores do Sp. de Braga quiserem tomar de assalto o clube, a primeira cabeça a rolar é a do bicho. E o Salvador dá-lhe o primeiro pontapé...

Anónimo disse...

Paramés...esse malandro...ou não...

Pedro Morgado disse...

O Braga tem o melhor plantel de sempre, a melhor direcção de sempre, os melhores adeptos de sempre...
Resta saber se Jorge Costa está à altura do desafio... Veremos.

Anónimo disse...

Parames, que de aselha nada tem, não tivesse sido ele a sugerir ao Vale Azedo um tal de Zé para coach dos vermelhos