AGORA ESTOU AQUI

quarta-feira, agosto 29, 2007

LPM


"Pela circunstância de estarmos ligados ao Futebol Clube do Porto por um contrato de prestação de serviços de Conselho em Comunicação e Assessoria Mediática temos sofrido, nas últimas semanas, uma lamentável sucessão de pressões ilegítimas. Não é este o momento adequado para tornarmos público o conteúdo e a forma dessas pressões, mas queremos deixar claro que nunca, nos 20 anos de actividade da LPM, algo de semelhante tinha ocorrido. Tememos que a continuação do contrato que nos liga ao FCP possa colocar em risco a normal actividade da LPM em prejuízo dos cerca de 70 colaboradores que empregamos e das cerca de 50 instituições que representamos. Estas circunstâncias levam-nos a solicitar a rescisão amigável do contrato. No momento em que o fazemos deixamos claro que nada de menos ético – muito menos ilegal - ocorreu no nosso relacionamento com a vossa instituição e que as pressões que têm sido exercidas sobre a LPM, essas sim, pressupõem uma lamentável falta de seriedade de entidades que deveriam dar o exemplo ao País. A curta experiência de trabalho com o FCP confirmou, infelizmente, o que tínhamos identificado no diagnóstico inicial: existe uma anormal coligação de interesses que procura impedir a expressão pública da vossa instituição, mesmo quando se trata de situações que poderíamos descrever como de legítima defesa. Nas últimas semanas, porque ocorreram episódios mediáticos (a maior parte sem qualquer intervenção nem do FCP nem da LPM) que mostram quão frágil é o guião construído por esses interesses, foram sendo utilizados sobre a nossa empresa meios, públicos e privados, que relevam sobremaneira o desespero dessas entidades e a falta de consideração pelos princípios éticos que deviam respeitar. Neste contexto, estamos certos de que compreenderão melhor do que ninguém esta nossa decisão."


Só hoje li com mais cuidado o comunicado da LPM a propósito da rescisão de contrato com o FC Porto. Luís Paixão Martins, guru da comunicação institucional portuguesa, e autor de um célebre manual sobre o assunto, pode falar de cátedra. Mas não deixo de me espantar com a sua indignação. Toda a gente sabe que a LPM faz a assessoria de diversos departamentos governamentais, nomeadamente ao Ministério da Justiça. Só um leigo não perceberia que ao associar-se ao FC Porto, clube actualmente na mira do MP/Lisboa, LPM iria expor um flanco, gerando uma espécie de conflito de interesses. Seria caso o mesmo que assegurar a comunicação institucional do Benfica e do FC Porto. Ou LPM achou que já estava acima de tudo isto ou deu um passo em falso. Ou dois, como aconteceu na minha perspectiva com este comunicado.

17 comentários:

Anónimo disse...

Se fosse apenas isso que DIZ, já era GRAVE, bem Grave ...., mas a REALIDADE, sabem no os portistas ULTRAPASSA e muito a sua discrição ,que é HIPOCRITA, porque voce sabe do que eu estou a falar......

Anónimo disse...

Deves pensar que somos burros!

Anónimo disse...

ah,ah,ah,só contaram pra voce.............

Anónimo disse...

MP/Lisboa!!!!!!!!!!

Anónimo disse...

Oh Eugenio...tu es assim mesmo burrinho ou queres fazer dos outros burros?´´E que o teu raciocinio ´´e de facto preocupante.Entao "associar-se" ao FCP estaria a abrir o flanco? A Instituiçao FCP sera ilegitima? Ilegal? De malfeitores?
Neste Pais so se "safam" os que forem CONTRA o FCP? ´´E mesmo isto O QUE PENSAS?
Direi : FASCISMO VOLTA QUE ESTAS PERDOADO!

Anónimo disse...

"...seria quase o mesmo que assegurar a comunicação institucional do Benfica e do FCP..."!!!
Ó Eugénio você é estúpido ou está a brincar com nós?
Querer insinuar que isto é - naturalmente - uma "guerra" entre o min.justiça e o FCP é duma imbecilidade sem tamanho. Então você acha isto normal?
Em que escola lhe ensinaram isto?
Realmente você está bem na Cofina...!
Se a estupidez pagasse imposto...

Anónimo disse...

Mp/lisboa... é como benfica-Porto? estamos a perceber, pensei que o MP devia ser mais arbitro que adversário.

Anónimo disse...

"LPM iria expor um flanco, gerando uma espécie de conflito de interesses". Porquê? Talvez a comparação seja forçada, mas uma publicitária não pode ter ao mesmo tempo como clientes o "Skip" e o "Omo"?

Anónimo disse...

este eugénio só dá para escrever no record...espremido não dá para mais.

Anónimo disse...

Desde logo ressalta uma questão relevante: O FCP ( enquanto instituição), pelo que se reconhece, está na mira do Mº Pº de Lisboa.
Segunda questão: Não se configura legitima qualquer razão para descortinar quaisquer conflitos de interesses, ou espécie disso, na assessoria simultânea ao FCP e a departamentos governamentais, concretamente da área da Justiça. A pensar-se que existem, são graves e ilegitimas as pressões exercidas à empresa. Pelo que se percebe claramente, cconfigurarão mesmo "más práticas processuais", nunca antes vistas pela da Drª Morgado.
Em conclusão dir-se-á que, bem vistas as coisas, o que nos falta é um procurador Geral da República intelectualmente sério.
ACL

Anónimo disse...

É "descrição" de descrever e não "discrição" de discreto, há gajos(não gaijos como há quem escreva) mesmo burros...

GM disse...

Comentário infeliz Eugénio... despropositado, incoerente mesmo...

http://fcmangalhoes.blogspot.com

Anónimo disse...

ACL
Um PGR intelectualmente sério e, já agora, jornalistas também, o que não é manifestamente o caso.

Anónimo disse...

OH, "descrição" tu nasceste foi com "O CU PARA A LUA" ...

Anónimo disse...

"MP/Lisboa"????
Ou será "MP/Portugal excepto amigos de APInTO da Costa"????

Anónimo disse...

Achei piada ao «MP/Lisboa».

O LX está certíssimo. O resto está meio-incompleto. Ora junta aí mais umas siglas....

Anónimo disse...

O Eugénio acabou de escrever um manual de sobrevivência para as empresas de comunicação. Não aceitem ser fornecedores do FCP porque acabam todas como a LPM!

Outra coisa que se pode aferir deste texto é que alguma entidade que esteja com o MP/Lisboa (LOL) à "perna", não tem direito à comunicação.

Era bom era! Try again!