AGORA ESTOU AQUI

segunda-feira, julho 23, 2007

SUBJECTIVIDADE

Não sou sócio do Clube Nacional de Imprensa Desportiva (CNID) mas gosto do seu presidente, o António Florêncio (ao centro na foto). Por mais razões que procure, não consigo encontrar uma pequenina que seja para voltar a ser sócio do clube criado antes do 25 de Abril com o grande objectivo de dar aos jornalistas ditos desportivos um cartão de identificação. Se ainda fosse sócio do CNID, não teria votado em Jesualdo Ferreira como treinador do ano embora pense que Jesualdo merece tudo do melhor. É um homem bom e um cientista da bola. O meu voto teria ido para José Mota. Levar o Paços à Europa e a jogar bom futebol mesmo depois de vender jogadores em Dezembro foi obra. Mota que esteve a uma curta distância de roubar o terceiro título nacional a Jesualdo Ferreira. Não sei quantos votaram e quem votou, só sei que esta é apenas mais uma razão que me convence a não voltar a pagar as quotas que durante muito tempo me foram cobrados pelo simpático senhor Montalvão, que também dava um jeito no saudoso Centro de Formação de Jornalistas do Porto, até ao dia em que foi vítima de uma chicotada psicológica...
PS - Dois pormenores a reter na foto: a alegria do miúdo a quem deram um brinquedo novo e a presença de PC no relvado.

4 comentários:

Anónimo disse...

se fosses sócio não votavas no Jesualdo,mas votavas como a escumalha da tua "classe" no Simão.

Por"maiores"...

descais-te sempre

Anónimo disse...

voltaste e ainda pior do que quando foste.

Podias ter lá ficado ou então ficavas já por Lisboa no teu regresso.

E o pior é que essa azia vai piorar,pois vem o Tri a caminho.


Trata-te,em Lisboa de preferência.
Lá já podes dizer de que vermelhos és...

Anónimo disse...

eu sei que tás no rascord,mas nunca pensaste ir para o maisfutebol?

aquilo é com cada mouro azíago a trabalhar lá que encaixavas que nem uma luva.

eu sei que também podias ir para o CM ou a Bolha,etc...

mas há semelhanças muito fortes entre ti e os da maissegundacircular.iol.pt

samoa joe disse...

ó eugénio que é achas do cardoso?