AGORA ESTOU AQUI

terça-feira, junho 05, 2007

HERMÍNIO ATACA EM CUNHA


Apresenta-se com uma gravata verde, mas foi só coincidência, embora confirme a paixão clubística que se estende a toda a leonina família. Hermínio Loureiro é como presidente da Liga aquilo que era como simples adepto do futebol, condição na qual o vimos muitas vezes sentado nas bancadas do Mário Duarte. Do “seu” Beira-Mar, o presidente da assembleia municipal de Oliveira de Azeméis guarda a mágoa da descida e a esperança em dias melhores. Oito meses depois de ter assumido o cargo, o presidente da Liga continua a irradiar confiança na reforma que anunciou e conduz o processo com o mesmo jeito com que se senta ao volante de um carro de corrida. A última aventura sobre quatro rodas aconteceu não há muito tempo, no Estoril, no Troféu Seat. Foi sétimo. Mas é sobretudo na A1 que Hermínio costuma ser visto a acelerar. No vaivém Porto-Oliveira de Azeméis (onde reside)-Lisboa (onde é deputado no parlamento), a pressa e a tendência para a velocidade só compensam porque já conhece “o local dos radares, mesmo dos que estão camuflados”. As segundas e as terças-feiras, no Porto, são dedicadas quase em exclusivo à Liga e também às andanças de autarca local. Quarta-feira já está em Lisboa, para assumir a condição de deputado do PSD. A Liga obrigou-o a deixar de ser vice-presidente do grupo parlamentar do seu partido e a ter menos tempo para os bate-bolas com os deputados com quem partilha apartamento: Pedro Duarte, Sérgio Vieira e Emídio Guerreiro. À sexta, está de volta à Liga e no fim-de-semana reparte o tempo pela família – a filha, Francisca, tem 6 anos e frequenta o 1.º ano – e pelo desporto. É frequente ver o presidente da Liga de futebol a assistir a um jogo de basquetebol ou de andebol. Só à noite descansa um pouco e aí tem como prémio um Cohiba ou um Monte Cristo. Charutos que evita fumar em público. Actualizar o seu blog (www.4linhas.com) não é obrigação mas também prazer ou não seja Hermínio um amante da blogosfera, onde elege como referência um endereço que entra em contradição com a sua vida agitada: amor-e-ócio.blogspot.com. Mas também é cliente do BnA e de tudo o que é blog de desporto. Outro prazer: o vinho tinto. E muitos restaurantes sempre no ponto de mira: do “Praia do Tubarão”, na Costa Nova, “onde se come a melhor caldeirada de enguias do mundo”, ao “Vidal”, em Aguada de Cima, “onde se come o melhor leitão do mundo”. O "Evaristo", no Algarve", e o "Solar dos Presuntos", em Lisboa, também de um Evaristo, são outros restaurantes de referência de quem perdeu peso considerável desde que veio para a Liga de Clubes. Mas Hermínio também pode ser visto no “Tia Alice”, em Fátima, passagem frequente também para meditação. “Desde que sou presidente da Liga vou muitas mais vezes a Fátima”, já disse num colóquio, outro dos pontos da sua agenda preenchida. Vale que Tiago Craveiro, o jovem secretário-geral da Liga, está sempre atento e não deixa o expediente acumular-se. Tiago que está a tentar convencer Hermínio a andar de carro com motorista, “para o salvaguardar de uma acidente”. Não será uma batalha fácil de ganhar ao presidente-acelera que em miúdo fazia colecção de cromos da bola, que tinha uma fixação em Yazalde e que quando joga futebol actua como trinco. “Dizem que dou uns toques”, admite este fã do noticiário da meia-noite da RTP-N.
"É preciso humanizar o sector da arbitragem para que também os apaixonados do futebol possam perceber o quanto são injustos muitas vezes. Por isso é que tenho batalhado na questão do caminho para a profissionalização. Os árbitros precisam de ter melhores condições de treino físico, psicológico e de treino do próprio jogo. É fundamental termos dois centros de arbitragem, um no Norte e no outro no Sul, onde os árbitros se possam concentrar para treinar de 2ª a 6ª feira.

coloco a nossa arbitragem num nível elevado. Os nossos árbitros têm bons desempenhos quando apitam no estrangeiro e só ficámos de fora de alguns grandes eventos devido a alguns problemas de organização. Vejo nas arbitragens de Espanha, França e Inglaterra árbitros a cometerem erros. Que fique também claro que a profissionalização não irá eliminar os erros, o que queremos é criar condições para que eles errem cada vez menos.
(...)
O nosso futebol está numa encruzilhada tão grande que tem de arrepiar caminho. Os clubes têm cada vez mais obrigações e cada vez menos direitos. Os factores de discriminação positiva têm sido transformados em factores de discriminação negativa, como seja os apoios das autarquias. Pode dizer-se que o futebol gera mais valia económica mas imagine o que era o nosso país desportivo sem os clubes. Na vertente económica, também temos de disponibilizar mecanismos de modernização, como aconteceu noutros sectores. O futebol português precisa também de candidatar-se a programas de apoio e recuperação.
(...)
Em especial, estou seguro que a justiça da Liga está a aproveitar a cooperação que, depois de reunião com a dr. Maria José Morgado a pedido da nossa CD, se terá estabelecido entre o Ministério Público e a Liga. No máximo até ao final da próxima época deverão ser apuradas todas as eventuais responsabilidades, à luz do regulamento disciplinar.
(...)

Pedi à Comissão Disciplinar celeridade nos processos e esse meu pedido até foi mal interpretado. Tinha obrigação de fazer essa chamada de atenção e o trabalho que está a ser desenvolvido pela comissão disciplinar tem ultrapassado as expectativas, têm sido de uma dedicação muito grande. São pessoas com grande responsabilidade na nossa sociedade que, sem ganharem um tostão para além das senhas de presenças e do pagamento de despesas daqueles que não são magistrados, têm feito um trabalho espectacular. Decidem, não metem nada na gaveta, não atrasam nenhum processo"

Prémio eu-sou-o-presidente-da-Liga:
Melhor jogador: Quaresma.
Melhor equipa: FC Porto
Revelação: Djaló
Melhor dirigente: Carlos Oliveira (Leixões)

1 comentário:

Leão Verde disse...

A gravata parece-me roxa. Mas pode ser que eu seja daltónico.