WWW.BOLANAAREA.PT

segunda-feira, maio 07, 2007

MATOSINHOS

Esta é uma imagem da Rua Brito Capelo, outrora o coração da vila de Matosinhos. Hoje cidade, hoje com outra centralidade, devido à mudança da Câmara para a zona do Parque Basílio Teles. O antigo concelho de Bouças há muitos anos que ganhou uma identidade e que imprimiu importantes marcas culturais. A construção do Porto de Leixões, no início do século XX, deu um novo impulso ao lugar. Matosinhos cresceu, afirmou-se pela suas frota pesqueira e pela sua indústria das conservas. Desta última conservam-se duas fábricas na zona hoje identificada por "Matosinhos Sul", de forte investimento urbanístico. Matosinhos tem 10 freguesias e, salvo erro, 18 quilómetros de costa. Desde meados do século passado que o Leixões Sport Club se afirmou como o seu mais importante emblema desportivo, com proezas diversas no futebol, no basquetebol e no voleibol (sobretudo). Depois do 25 de Abril, ali reinou Narciso Miranda durante quase 30 anos. Um incidente na lota do pescado afastou-o da liderança da Câmara e o que parecia uma desgraça afinal não foi. O novo presidente da Câmara, Guilherme Pinto, surgiu no jeito de brisa refrescante, como já se pode ver nos investimentos que estão a ser feitos na orla costeira. Com uma população na ordem dos 170 mil habitantes, Matosinhos tem tudo para suportar um clube na Liga principal. O Leixões, com cerca de 9 mil adeptos e cerca de 6 mil pagantes, tem grande margem de crescimento, assim o deixem permanecer no escalão principal. Falta, agora, melhorar as infra-estruturas do Estádio do Mar (iluminação, bancada superior...) mas a confiança no trabalho que está a ser feito pelo presidente Carlos Oliveira é imensa. O homem que veio de Águeda e que começou com uma loja de produtos naturais num obscuro centro comercial do novo centro mais uma vez mostrou que é um gestor a ter em conta. A cidade e o concelho terão agora de também fazer um esforço no apoio ao seu principal emblema, sobretudo através do envolvimento de todos no projecto. O futebol português está a mudar e, como os matosinhenses sabem, não basta fazer passar o metro na Brito Capelo para que esta ressuscite. Há que ousar mais. Sempre mais. E melhor.

7 comentários:

Insano disse...

Tem mais "assinantes" que o Jornal da Madeira... ;)

Eu ainda "sou do tempo" em que joguei andebol contra (com) o Leixões, algures numa escola secundária que me falha o nome.

Por acaso era um derby "vertical", Progresso (verde) e Leixões (vermelho).

Abraço,

Anónimo disse...

Um clube moderno
O Leixões trepando agora à I Liga deve pensar nas suas infraestruturas. E o Estádio Mar tem de buscar outro local, mais citadino, ali para os lados onde estão as gasolineiras. Seria um grande salto e a viabilização urbanistica dos actias terrenos ~dariam para isso tudo e mais alguma coisa. Ninguém vai conseguir agarrar o Leixões.

Anónimo disse...

o ti manel esta a fazer um bom trabalho e vai levar o Vitória a primeira liga. É um bom clube e tem sempre apoio apesar de estar em baixo, nao é como li em muitos jornais que a pedreira estava cheia as parangoans do costume e facilmente se ve pela foto acima que não estava cheio e cabiam muitos mais. tudo se escreve e tudo se diz.

Eugénio a tua pagina no record estava pobre. Um jogo fraco e tu das as estrelas todas por causa do público é para esquecer mas também dás estrelas por cada palha.

Anónimo disse...

Bem vindo ao convívio dos "grandes" Benfica do Norte!

Burns disse...

é preciso ser-se completamente alucinado para passar duma cidadezita de 35 mil habitantes para uns gordos 170 mil
deve ser outra matosinhos que nao em portugal
ou entao portugal tem mais de 50 milhoes de habitantes

Anónimo disse...

É assim mesmo, quem ama a sua terra não a diz por menos do que sente. E Matosinhos, com as suas dez freguesias, que diz Eugénio, mais arredores, lá chegará aos 180 mil treinadores de bancada, como hoje sói dizer-se.

E eu adoro a escrita do Eugénio, simples, curiosa, sempre e cheia de alma.

emely

Burns disse...

eu tb gosto da escrita dele e sou duma cidade que ele conheçe bem , sou um dos 450 mil habitantes de aveiro