WWW.BOLANAAREA.PT

quinta-feira, abril 12, 2007

MANUEL POEIRA

Uma ida à biblioteca municipal do Porto pode proporcionar não só o reencontro com um dos locais mais decadentes do burgo - povoado por velhos e prostitutas de vão de escada - mas também uma viagem ao passado não muito distante do futebol nacional. Foi o que fiz com as colecções de Janeiro, Fevereiro, Março e Abril do jornal "A Bola", de 1982. Era "A Bola" em todo o seu esplendor, puxada pela força-motriz das grandes reportagens e entrevistas de Alfredo Barbosa, Jorge Schnitzer, Joaquim Rita, Santos Neves, Vítor Serpa, João Alves da Costa e Carlos Pinhão, numa fase em que Rui Santos começava a debutar já com o seu estilo muito próprio. Mas não é deles que quero falar mas da despedida antecipada de um árbitro algarvio que muito prometeu. Chamava-se ele Manuel Poeira e era considerado uma espécie de Pedro Henriques da actualidade. Farto de ser ultrapassado pela direita e pela esquerda por medíocres, Poeira afastou-se não sem antes denunciar um sistema viciado de classificações que amparava os amigos e prejudicava por inerência os talentos. Era o caso de Manuel Poeira, um árbitro com visual à PREC, e provavelmente o único algarvia que um dia teve hipóteses de voar alto na arbitragem. Está visto que pouco mudou no reino dos apitadores...

10 comentários:

Insano disse...

Uns arbitram... outros assobiam... seja no futebol, ou nas outras modalidades, enquanto o desporto for visto como uma feira de vaidades, tardará a verdade...

Abraço,

Alvaro Magalhaes disse...

lobbies meu amigo , lobbies, é por essas e por outras que andamos como andamos.

Anónimo disse...

1982?

Nessa altura já o SISTEMA estendia os tentáculos ao sector da Arbitragem, tanto que poucos anos depois deu-se o Penafielgate com a gente do Norte envolvida até ao pescoço...

O Poeira e outros árbitros sérios não tiveram lugar numa arbitragem contaminada...

Anónimo disse...

Deve ter sido dos ultimos a queixar-se, pois daí para cá a arbitragem tem estado um mimo.

Zé Luís disse...

Ó Eugénio, lembra ao primeiro anónimo que para não ser besta tem de saber um pouco de história.
Pinto da Costa, nesses inícios de 1982, ainda nem era presidente do FC Porto. O major vendia frigoríficos mas o Pimenta ainda nem negociava jogadores nem sonhava com terrenos complexos.
Fica, ainda, a memória que de 1979 a 1985 o FC Porto não foi campeão.
E para não pensarem pior, distingue a Biblioteca do jardim vizinho onde pontificam as prostitutas.
Convém, hoje em dia, dizer a verdade, não é como o Sócrates. E na hora, não uns anos depois e umas semanas de pressão sobre os jornais...

Anónimo disse...

Já há trinta e muitos anos o Sr. José Santos Pereira, árbitro da Associação de Aveiro a quem se reconhecia competência e seriedade se retirou inesperadamente porque tinha dignidade e coluna vertebral...

Anónimo disse...

Para quem não sabe, e o autor do blog é adepto que para bom entendedor meia palavra basta, o Poeiras saíu do futebolpor causa das pressões do glorioso.

Anónimo disse...

Caro sr. eugénio, diga ao Zé Luís que para não ser mentecapto convém ter um pouco de memória, mas também de inteligência.
O Pinto da Costa em 1982 não era presidente, mas era chefe do departamento de futebol, com Pedroto a treinador, o mesmo Pedroto que dizem ter exigido ao presidente uma verba extra no orçamento para pagar aos árbitros.
Ou seja, para quem estava fora do SISTEMA sabiam bem como controlar as coisas...

Quanto ao Pimenta Machado não sei como este zé luís o junta ao PC e ao Major, pois o Pimenta nunca foi so SISTEMA.

Moral da história: há comentários de quem se julga bestial, mas é quase besta...

Zé Luís disse...

Ó anónimo, em 1982 o PdC nem estava dentro do FC Porto e o treinador era Stessl, o Pedroto saíra e só voltaria depois com... PdC. Vá à merda com a sua sabedoria e não pense que, como alguns, a maioria anda a dormir. Não anda. E até o acorda a si, não fique a dormir sobre os louros que não tem, deve ser como o canudo do socrático ministro que o que diz que sabe é pouco. De mentirosos está o mundo cheio. O Inferno pode esperar. Alguns, apesar de gabados, é que não valem nada.

Anónimo disse...

Este Zé Luís é uma anedota. Quer-nos fazer crer que o Pinto da Costa chegou ao FC Porto vindo de nenhures, levado pelo Pedroto e logo directamente para presidente do clube.

Quer dizer: omite que Pinto da Costa tenha sido chefe do departamento de futebol e director da secção de andebol antes de chegar a presidente.

Este zé luís, das duas uma: ainda não tinha nascido em 1982, e por isso se desculpa a sua inocência, ou pertence à seita dos que adulteram a história, santificam salazares, endeusam diabos e inocentam gente perversa e corrupta.