WWW.BOLANAAREA.PT

sexta-feira, abril 20, 2007

ELES DIFAMAM, DIFAMAM...

A notícia foi dada em primeira mão pelo próprio Ricardo Araújo Pereira: foi pela primeira vez constituído arguido por causa de um processo que lhe moveu Pinto da Costa. Convenhamos, um "TIR" (termo de identidade e residência) é sempre um acontecimento na nossa vida. É curioso também que um homem conhecido pela sua "fina ironia" tenha este impulso de processar quase toda a gente, com a honrosa excepção, claro, daqueles que fazem parte da sua respeitável corte. Processar jornalistas e colunistas é, por outro lado, a coisa mais fácil do mundo e, quanto mais não seja, pelo menos "chateia-se", obrigando os energúmenos a correrem para o DIAP e, caso disso, para os tribunais. O povo diz que quem não se sente não é filho de boa gente e, "prontos", lá temos os tribunais cheios de processos de difamação, violação do segredo do justiça e afins. O RAP finalmente pode conhecer esta espécie de submundo, o que lhe dará, certamente, assunto para umas tantas crónicas e 'scketches'. Há males que vêm por bem, também diz o mesmo povão que declara ter pelo menos 108 relações sexuais por ano, sendo que a casa de banho é o seu segundo local preferido para 'fazer o amor'. E, claro, não faltam por aí advogados dispostos a avançar com processos e mais processos, que o taxímetro não pode parar. É apenas uma das muitas formas de pressão que se exerce sobre quem escreve nos jornais. Uma forma subtil mas, bem vistas as coisas, quase inofensiva se comparada com as grandes acções das "centrais de informação" e sobretudo dos amigos dos famosos. Falando por mim, só três vezes fui a tribunal mas não considero isso particularmente relevante. Tive um chefe de redacção que dizia que os processos são medalhas para os jornalistas, porque são sinal de que estes estão activos e incomodam. Também já tive outros que se borravam todos quando se punha a hipótese de uma acção judicial. Num dos casos foi arguido. Era um processo movido por Amândio de Carvalho, ainda na FPF, por causa de uma manchete da saudosa "Gazeta dos Desportos". Lembro-me ainda hoje bem da forma como tudo aconteceu. O Eduardo Miragaia, o meu chefe da altura, mandou-me para a Luz para "sacar" algumas histórias sobre o Benfica. Lá fui. Havia treino no campo de treinos e estava lá José Torres, o bom gigante. Tudo isto aconteceu poucas semanas depois do Mundial do México, onde Torres foi o nosso seleccionador. Rodeado de adepto do Benfica, o ex-treinador da selecção contava como tinha sido a caldeirada de Saltillo. Meti-me no meio do grupo, ouvi e anotei. No dia seguinte, a manchete: "Amândio é burro". Bem, não foi propriamente uma manchete "soft", reconheço. O caso acabou com um acordo na sala do juiz, em Almada, salvo erro. Nas outras duas ocasiões, fui testemunha. Numa por causa de um auto-rádio que me roubaram junto ao Estádio do Bessa, cujo ladrão foi apanhado pela PSP a duas ruas de distância. Fui o último a ser ouvido e apenas lá fui para confirmar que, sim senhor, era o dono de um modesto Fiat Uno e de um rádio igualmente modesto. A outra foi bem mais complicada. Tive de ir 5 vezes ao Tribunal de Almada por causa de um processo movido por José Luís Tavares, então presidente da Comissão de Arbitragem da Liga, a Marinho Neves, por causa de uma notícia do "Manhã Popular". Em causa lá estava a habitual história da manipulação das classificações dos árbitros, história que, como se sabe, é apenas mais uma falácia inventada por esses tipos que frequentam as redacções e que não deixam os homens do futebol trabalhar, trabalhar, trabalhar.

Malvados!

8 comentários:

Anónimo disse...

A Liberdade de impressa è fundamental,mas desde que não atropele DIREITOS FUNDAMENTAIS dos cidadãos.
PC e o FCP, têm toda a RAZÂO, o que se tem procurado fazer è um Julgamento na PRAÇA PUBLICA.

Lembro me muitas vezes das "denuncias" de Carrilho...

GM disse...

O RAP é nojento; critica, humilha e ofende todos aqueles que têm uma opinião diferente da sua. Tanto quanto sei, não foi só o PdC que lhe moveu processos, foram vários já, pois o novo programa dele alinha pela crítica e sátira fáceis, e contribui para o julgamento em praça pública, assim como para influenciar a opinião do seu público fiel. Isso viu-se bem no Referendo do Aborto, pois para além de dar cara ao movimento pelo Sim, ainda usou o seu próprio programa para enxovalhar Marcelo Rebelo de Sousa e o movimento pelo Não.

Apesar de concordar com a liberdade de impressa e com o direito à opinião, há uma linha muito ténue que separa a nossa opinião pessoal do respeito pela opinião dos outros. E o desrespeito, desconsideração, e humilhação pública, q é o q o RAP tem feito, devem ser devidamente punidos, pois são inaceitáveis numa sociedade que se quer cumpridora, mas acima de tudo cívica e respeitadora, independentemente de todos os defeitos e vícios inerentes à mesma.

mosquito disse...

Caro anónimo, não confunda direitos fundamentais dos cidadãos com a imposição da Censura nem com represálias a quem denuncia os escândalos.
Para julgar o abuso de liberdade de imprensa existem os Tribunais.
Não podem é os srs. Pintos da Costas e os lacais dos clubes organizados em claques fazer justiça pelas próprias mãos, agredindo, mandando agredir ou pondo em causa os empregos e as famílias dos que têm a coragem de levantar a voz e assinar artigos incómodos na imprensa.

Anónimo disse...

Tá, o Ricardo Araújo é engraçado, ninguém duvida, mas, poucos, embora, nem todos são parolos galinholas como ele. E o Porto merece respeito, à maneira dos resistentes gauleses.

marinella

Anónimo disse...

"Não podem é os srs. Pintos da Costas e os lacais dos clubes organizados em claques fazer justiça pelas próprias mãos, agredindo, mandando agredir ou pondo em causa os empregos e as famílias dos que têm a coragem de levantar a voz e assinar artigos incómodos na imprensa."
___________
Assim à primeira, julguei que o homem, histericamente, estivesse a falar de uns foguetes assassinos dos benficas.

marina

Miguel disse...

Tanto ressabiamento que aqui vai. O RAP é um jovem invulgarmente inteligente e talentoso neste país. Faz rir, como poucos, esta Nação que admite ser, a par da Itália, a mais infeliz da Europa. O que ele faz, há muito é feito nos EUA. Alguém já ouviu falar do John Stewart, por exemplo? Qum está na vida pública, está sujeito à sátira e não vejo mal nenhum nisso. Se o Sócrates não está, porque havia de estar o presidente do FCP?

Vejo aqui comentários cheios de raiva, mas axar que pessoas os casos que têm envolvido o nosso primeiro ministro, o Pinto da costa, O Valentim Loureiro, o PNR e tantos outros não são um óptimo material para o humor é ser um pouco ingénuo.

O Paulo Bento, exemplo, adorou a caricatura e até lhes deu os parabéns. A isso chama-se espírito democrático. Uns têm, outros não.

Saudações.

Anónimo disse...

Perdoa-lhe RAP. Ainda lhe vais levar uns maços de tabaco à childra.

MACXDREAM disse...

Escreve o gm:"E o desrespeito, desconsideração, e humilhação pública, q é o q o RAP tem feito, devem ser devidamente punidos, pois são inaceitáveis numa sociedade que se quer cumpridora, mas acima de tudo cívica e respeitadora"
O mesmo derrespeito, desconsideração e humilhação pública é o que sempre fez o pinto da costa quando tinha as costas quentes e não gostava de alguem, dizião ser "humor refinado", e nem por isso foi processado, mais , andou 25 anos rodeado de gente corrupta, corrompeu arbitros, adulterou a verdade desportiva de muitos campeonatos de futebol e nem por isso ainda respondeu em tribunal, agora recandidata-se ao cargo de presidente do fcp para não ser engaiolado, ele sabe que no dia em que deixar de ser presidente do porto vai bater com as osadas no xadres, ou não se fugir para o brasil como a aldrabona do fátima felgueiras, e ainda se sentem ofendidos por alguem dizer as verdades, puta que os pariu a todos...