WWW.BOLANAAREA.PT

sexta-feira, setembro 08, 2006

ISTO É GRAVE

Por indicação expressa da FIFA, a FPF informou os clubes que entraria em vigor, em 1 de Julho de 2005, um novo regulamento para a inscrição de jogadores - que permitiria ao Gil inscreve o "amador" mediante uma indemnização ao Lixa, como aconteceu - mas não o introduziu nos seus regulamentos. Ou seja, a FPF desrespeitou uma determinação da própria FIFAS. Não será isto pelo menso tão grave como Gil recorrer aos tribunais à revelia da FIFA onde o sr. Blatter ganha 2,5 milhões de euros de ordenado oficial por ano?
PS - Quanto à nota da FPF, só isto: o pior cego é aquele que não quer ver.

1 comentário:

caneladas disse...

explica lá isto melhor ó eugénio,,,


"
Face ao teor da notícia hoje publicada no jornal “Record” (pág.4), sob o título “FPF ignorou FIFA”, profere o Sr. Jornalista Eugénio Queirós uma afirmação completamente destituída de verdade e sem qualquer fundamento jurídico.

Tão evidente manifestação de desinformação exige, por parte da Federação Portuguesa de Futebol, a imediata reposição da verdade e esclarecimento da opinião pública.

Com efeito, a norma citada pelo Sr. Jornalista aplica-se aos casos de transferências de jogadores e regula apenas as compensações entre clubes. Pretende a norma opor-se a que clubes e jogadores recorram à figura da reamadorização para, assim, contornarem as regras da compensação de formação devida entre clubes aquando da transferência de jogadores.

Esta regra, bem como o princípio que lhe está subjacente, não prejudica nem contraria o disposto no art. 2º, n.3 do Regulamento para Inscrições e Transferências dos Praticantes Amadores, na sua actual versão, divulgada através do Comunicado Oficial n.109 de 09/10/2000 e aprovada na Assembleia Geral Extraordinária de 26/08/2000, o qual regula as condições em que um jogador amador pode voltar a ser inscrito como profissional, impondo que “(…) o jogador que tenha mudado da classe profissional para amador, terá de permanecer pelo menos uma época como amador (…)”, pelo que aquela disposição da FIFA em nada contraria o disposto nos Regulamentos da FPF.

Entende a Federação Portuguesa de Futebol que este esclarecimento se impõe por razões de interesse público, uma vez que importa que a verdade seja conhecida e não continue a ser adulterada, principalmente por parte daqueles que têm por dever funcional defendê-la e em quem os Portugueses confiam para serem devidamente informados.

Por último, a FPF lamenta que o Sr. Jornalista, ao arrepio das mais elementares regras da deontologia que rege a sua profissão, não tenha tido o cuidado de contactar a Assessoria de Imprensa desta Federação no sentido de esclarecer a situação antes de publicar a referida notícia.
"