AGORA ESTOU AQUI

sábado, junho 13, 2009

RONALDO SÍMBOLO DA CULTURA LUSA


Como muito bem recordou recentemente Almiro Ferreira, o meu jornalista preferido do JN e da Gandra-Herzegovina, Ferguson disse um dia que à mafia de Madrid não vendia sequer um vírus. Pois bem, o Manchester United acaba de vender o madeirense Cristiano Ronaldo por 94 milhões de euros e nesse entretanto o pessoal tem-se preocupado em fazer contas: quanto vale CR 7 em ouro, quantos Ferraris se podiam comprar com esse dinheiro, quantas criancinhas de Etiópia se podiam alimentar... Ao que eu posso acrescentar, como resultado de uma conversa com um responsável por uma OMG, que um simples euro pode pagar a educação de uma africano durante três dias, o que me deixa abismado pois pago todos os meses 500 euros pelo colégio da minha filha depois de ter desistido do ensino público ao fim de 9 professores em dois anos de escolaridade no 1.º ciclo. Sobre este negócio há dois pensamentos mais comuns: uns consideram que é uma barbaridade de dinheiro em tempo de crise; outros dizem que o negócio do futebol é assim mesmo e que as emoções não têm preço (o último que vi a defender esta tese foi Josep Blatter, o vetusto presidente da FIFA).

Eu sei que não querem saber a minha opinião para nada e se querem é para depois puderam destilar veneno na caixa de comentários.

Mesmo assim, arrisco.

O último livro que li foi "A Primeira Aldeia Global", de Martin Page. Um livro sobre a gesta dos portugueses ao longo da história. Confesso que houve partes em que me vieram as lágrimas aos olhos. Não sei o que fizeram a Page durante os oito anos em que viveu em Portugal, os últimos da sua vida, mas deve ter sido coisa boa para que não tenha dúvidas em nos colocar como uma espécie de super-homens da História do Mundo. Só mesmo lendo o livro é que conseguem perceber a dimensão disto.

Por isso, quando vejo Cristiano Ronaldo a rebentar com a escala das transferências e a correr para Los Angeles para ser papado pela Paris Hilton, puxo um Davidoff Gold, olho para as estrelas, deixo-me envolver pelas primeiras brisas de Verão e concordo com Page. Nós portugueses, que colocamos a Madeira a arder durante dois anos quando a quisemos povoar, somos verdadeiramente surpreendentes.

Eu como português revejo-me em Cristiano Ronaldo, no menino madeirense que veio com uma mala de cartão para Lisboa e que se fez craque no Sporting. No craque que zarpou para Manchester e aí ganhou tudo o que tinha para ganhar - inclusivé a confiança do intratável senhor Ferguson.

Mas não gosto só do Ronaldo. Também gosto da mãe do Ronaldo, do padastro, das irmãs, do cunhado e de toda a comandita que o rodeia.

Também gosto do Jorge Mendes, que acaba de ganhar seis milhões de euros com a transferência, e que há pouco mais de dez anos era apenas o dono de um clube vídeo e de uma discoteca em Viana do Castelo.

Eu sei que pode não ser muito politicamente correcto estar aqui a patrocinar esta "obscenidade" que começa no valor do negócio e acaba nos entrefolhos da menina Hilton.

Ok, não importa.

É por causas de histórias como a de Ronaldo que percebemos como é possível que "arigato" seja uma corruptela do nosso "obrigado". Sim, porque quando a Europa descobriu o Japão já lá estavam há muito tempo os portugueses e já se comia tempura, um dos poucos comestíveis pratos da comida nipónica de influência...portuguesa!

Esta notoriedade de Cristiano Ronaldo é histórica. Curiosamente, só os portugueses parecem continuar a não percebê-la. Mais uma vez.

9 comentários:

António disse...

Parabéns pela coragem em assumir uma posição tão pouco politicamente correcta, nos dias que correm. Ninguém parece perceber o valor que tem um miúdo que veio do nada para se tornar no melhor do mundo, no mais caro do mundo. Em vez do orgulho no compatriota chispa a crítica fácil e impregnada de invejas mal disfarçadas. Vou no mesmo sentido no meu blogue em:
http://bolaseletras.blogs.sapo.pt/38091.html

Um abraço,
António

Anónimo disse...

eu para mim tanto me faz o preco do ronaldo. o que me deixa triste e nisso e que voce e todos os portugueses deveriam pensar, e o porque do portugal ter os jogadores mais caros do mundo, e depois na selecao, nao conseguir nem sequer ganhar a albania em casa.
se somos tao bons, porque e que temos uma selecao tao mediocre?

ja agora um aparte, nao trocava um figo por 5 ronaldos.

kino

baldomiro disse...

- Quê? 94 milhões pir um jogador?
- E até é barato.
- Barato? É barato?!
- É, pois, que dizem que o gajo se vai pagar todo num ai.
- A sério? Mas já é ter dinheiro pa burro, caray!

obloguenotas disse...

Um português que tem um sucesso ao nível internacional devia ser apoiado e idolatrado pelo resto da sociedade portuguesa, até ai concordo. Mas com Ronaldo não é o caso. Acho que em vez de insistir com Ronaldo e criticar os que não o apoiam, há que perceber porque o povo tanto ama como odeia Ronaldo.

Ronaldo é o símbolo de uma nova geração totalmente em ruptura com a tradição portuguesa. Os mais jovens adoram Ronaldo porque partilham os mesmos valores: culto da performance, das aparências, do dinheiro, do materialismo.

Portugal tradicionalmente valoriza valores bem diferentes, e nisso Ronaldo, é pouco português, ou melhor pouco tradicional. Os valores louvados tradicionalmente em Portugal são o trabalho, a humildade, modéstia, discrição etc e neste caso Figo era um homem muito mais perto desses valores. Ronado é egocêntrico e exibe a sua riqueza sem qualquer problema o que não do gosto da maioria dos portugueses.

Eu próprio identifiquei-me muito mais com Figo do que hoje com Ronaldo. Para mim tanto no seu futebol como na sua vida privada Ronaldo é um puto mimado, um ser cheio de forma (aparência, show-off) mas sem conteúdo (inteligência, capacidade de argumentação, etc.).

Não odeio Ronaldo, mas não gosto dele. Prefiro um Messi, humilde, que joga para a sua equipa em vez de um Ronaldo arrogante que manda calar o publico e corre sozinho para a baliza quando tem colegas desmarcados (nem Maradona que era o melhor dos melhores chegou desprezou o seu publico e colegas). Mais do que qualidades, títulos, as pessoas identificam-se com valores e Ronaldo representa os piores valores da sociedade de hoje.

Anónimo disse...

"Os Galáticos do Real Madrid II"

Já vi o primeiro filme...
Resultado "zero".

Os Deuses estão loucos!!!
Estão a brincar com a crise... e ofender, os milhões e milhões de
trabalhadores, que ganham para
sobreviver.

Uns são Paridos outros são Cagados.
Na vida para além do talento; é preciso ter sorte.
Este menino, foi prémiado na Vida.

Como português, desejo-lhe a melhor sorte: no mundo futebeleiro.

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO.

Anónimo disse...

Sinceramente, nao compreendo como é que hà Portugueses que preferem o Messi ou o Torres ou outro qualquer ao Ronaldo.
O homem ou o miudo, como quiserem, é o melhor do Mundo e deve ser um orgulho para todos nos.
Penso que isso tem a ver com o Pinto da Costa....

Zé Luís disse...

"o dono de um clube vídeo e de uma discoteca em Viana do Castelo".

Acho que limpar mais branco não há e só por isto mereces um dos seis milhões: se são do Jorge Mendes ou do clube mais grandes tens tanto direito à diferença de opinião - uma pecualiaridade tão portuguesa odierna conmo o bloguedenotas notou acima - que podes escolher. No fim, ficas a ganhar o mesmo que a Maria no meio do centeio...

Anónimo disse...

Zé Luis

Como asno andrade que és a caca que te ocupa o cérebro, escorre-te pela boca!
A obsessão pelo Benfica é tão grande e vocês sentem-se tão anões que não podem ouvir falar de 6 milhões.Só nos fazeis rir à gargalhada de... desprezo!

zé das iscas disse...

queriam ser como o Ronaldo? Pois... também não me importava